terça-feira, junho 05, 2007

Segurança dos Cidadãos e Responsabilidades

Em...Almada, no final do mês de Maio p.p., o Jornal da Região-Almada noticiava em título, a propósito do MST : Sustos junto à linha. Metro aumenta perigo nas paragens de autocarro.
Insere-se da Declaração de Impacte Ambiental:
Estudos e especificações de Segurança a realizar estabelecidos no Parecer da C.A. (Comissão de Avaliação) - no sombreado.
(clique nas imagens para aumentar e ler)
Jornal da Região-Almada 22-28 Maio 2007 :

No interior da notícia lê-se “ Também o responsável pela Protecção Civil de Almada, Henrique Carreiras assegura que ainda ninguém colocou aos serviços municipais qualquer questão sobre a falta de segurança nas paragens. Aspectos que devem estar contemplados no Plano de Emergência do Metro da Margem Sul, mas que ainda não foi divulgado à Protecção Civil e aos bombeiros”.

E mais adiante....”Também o vereador Henrique Carreiras confirma que não conhece o Plano de Emergência do MST, apesar de admitir que a concessionária já manifestou a preocupação de formalizar a entrega do documento aos serviços camarários”.
Quem parece não manifestar interesse pela segurança dos cidadãos é a Câmara Municipal já que a Declaração de Impacte Ambiental (DIA) para o MST, nas Recomendações às Câmaras de Almada e Seixal preconizadas no Parecer da CA (Comissão de Avaliação), no sombreado da folha que inserimos abaixo, refere entre outras “Ao nível do projecto”: "Assegurar, durante a fase de construção o acesso de veículos de emergência e de viaturas próprias às áreas intervencionadas, no sentido de permitir uma resposta rápida e eficaz em caso de emergência.”

Parece-nos que a Câmara Municipal de Almada no seu melhor e como sempre, vem colocar-se “inocentemente “ de fora, desejando fazer passar-se por vítima e desresponsabilizar-se. Então a CMA permite o início da obra sem ter o Plano de Emergência? Cidadão pergunta.

6 comentários:

no name boy disse...

Plano de emergência?
E o próprio metro tem?
É obrigatório.
A existência de planos de emergência internos e externos faz parte da lei.

dador de paciência disse...

Calma aí. Mas essas palavras foram mesmo proferidas pelo "responsável" pela protecção civil? Esse "responsável" acaba de dar um tiro no pé. Ele que tem obrigação de conhecer a lei e diz que a conhece, que sabe que tem que haver um plano de emergência, mas sabe que não há, não toma outras medidas?
E esse senhor diz que não conhece queixas sobre os riscos? Nada aconteceu? É miragem?
Pois é. O senhor anda num híbrido. Desses carros que poupam o ambiente mas não as despesas.
E que tal esse senhor tirar um dia da sua grande azáfama para dar uma volta por esses locais. Para constatar. Não quero que se assuste.
Vade retro satanás.
Ele há cada um!!!

Anónimo disse...

Epa diz-se nessa pseudo noticia que o metro é muito silencioso!! ahahahahah Epá, se fosse barulhento era uma vergonha por causa do barulho , mas como é silencioso também é perigoso..Epa que gentinha da treta sinceramente..É só comodistas!!!!

rouxinol disse...

Em resumo: com barulho ou silencioso não agrada à população. Ela lá sabe porquê.

Anónimo disse...

Não percebo nada de segurança mas no final do mês passado morreu atropelada uma senhora na Av. 25 de Abril onde decorrem as obras do MST.

Da forma com as obras decorrem até me admiro não ter morrido mais gente.

Thaís Penido disse...

Olá Emalmada...
Muito obrigada pela sua visita no VIVER...
Feliz muito feliz com o seu comentário, suas palavras me serviram de insentivo....
Visitei seu blog,tem um tema bem diferente do meu,mas também é muito interessante...
Volte quando quiser...
Bjus.