sábado, junho 09, 2007

Almada, Comerciantes e Ecalma

Em...Almada, na zona antiga - Rua Capitão Leitão - os comerciantes reagem à asfixia da sua actividade, resultante do estado caótico da cidade, quer em higiene urbana, quer no aspecto de conservação de edifícios, como também em consequência das obras do MST que têm contribuído para desmotivar as pessoas a se deslocarem a Almada , como ainda da perseguição que a CMA, a ECALMA e os seus fiscais estão desencadeando ao automóvel e aos seus proprietários.
(clique na imagem para aumentar)
Uma antigo e conhecido estabelecimento daquela rua, decorou uma montra, em alusão ao "Concurso de Montras", com fotos de edifícios e passeios públicos degradados de Almada, uma referência ao lixo que prolifera pela cidade e chamando a atenção para a desastrada actuação da ECALMA que vê em cada automóvel e seu proprietário vê uma fonte de rendimento para o pecúlio desta Empresa Municipal, que tem de colectar dinheiro para pagar os vencimentos no fim do mês ao seu pessoal. Outros estabelecimentos na mesma rua, seguiram o exemplo de afixar a informação alusiva à actuação da ECALMA. Almada não tem transportes públicos à altura de servir a população, quer em qualidade de serviço (autocarros velhos e poluidores do ambiente), conforto, horários, frequência, circuitos e preços. Não nos digam que o MST vai resolver a situação, porque o MST não vem solucionar nada em Almada. Vai ser um transporte a funcionar em monopólio ao longo do principal e único eixo viário da cidade a complicar a vida à população e aos residentes, tal qual foi decidido coersivamente e à revelia dos almadenses, construí-lo nesta Almada. O Plano de Mobilidade e Acessibilidades que está a ser implantado em Almada, parece ser um mau plano pelo que já se verifica com as medidas implantadas no eixo da Av. Rainha D. Leonor e R. do Cabo da Boa Esperança e na Rua Conceição Sameiro Antunes, na Cova da Piedade.

12 comentários:

observador disse...

Um episódio chamado ECALMA.
Na passada terça feira dois automobilistas estacionaram as suas viaturas em cima do passeio, na Av. D. Nuno Álvares Pereira em Almada.
Fizeram mal, é evidente. Até porque tinham alternativa.
A atitude da ECALMA foi, até aqui adequada.
O pior estava para vir. Um dos automobilistas regressou à sua viatura e ficou aflito. Indignado. Neste pormenor não tinha razão.
A viatura estava bloqueada. Lógico. Não era uma caça à multa, neste caso concreto. Assim fosse noutros locais.
Mas o automobilista telefonou para o número indicado no papelinho deixado no vidro e... nada. Uns vinte minutos e resposta, zero.
Eis a questão: como se deve comportar a ECALMA para dar resposta a quem pretende contactá-la? A linha telefónica está ou não disponível? Há gente para atender ou é só faz de conta?
A ECALMA tem que repensar a sua postura.

EMALMADA disse...

Por que estão os almadenses a serem tão ferozmente perseguidos dentro do seu território pelos funcionários de uma empresa municipal que só sabe ver, em cada cidadão com carro, um prevaricador?
Ah ... já me esquecia...é preciso educar as pessoas!
Multa é a fórmula da CMA para resolver o problema de estacionamento em Almada que a própria CMA criou, quando não construiu parques de estacionamento na cidade ao longo destes anos e permitiu que se construissem prédios sem garagens ou parqueamentos.
Não foi a Câmara Municipal de Almada que disse que antes do MST começar a circular seriam construídos parques de estacionamento?
Onde estão?

observador disse...

Pode ser que como resposta se oiça dizer: há um parque no Largo Gabriel Pedro e outro na Praça da Liberdade. Ambos (bem) pagos e subterrâneos. Quase às moscas.
Negócio que que mete a Braga Parques pelo meio.
Mas, numa cidade tão grande, há necessidade de mais estacionamentos.
Inventamo-los ou acreditamos em suas excelências os "promissores criadores de parques"?

Joao disse...

Disse muito bem sr observador... Existem dois parques subterrâneos às moscas e as pessoas preferem estacionar em cima do passeio à fuçanguice para não pagarem nada. Arriscam-se a receber uma bela multa e depois culpam a Ecalma e afins.. que são intransigentes.
O problema, na minha opinião é que os portugueses acham que devem parar o carro a um metro do local que querem visitar. Talvez com multas e coimas a coisa se resolva e haja alguma educação.

um abraço

Joao disse...

A questão dos comerciantes é legitima, mas infelizmente é uma questão incontornável em Portugal. Isto que se passa em Almada não está relacionado com o Metro de superficie. O Almada Forum, uma das grandes catedrais do consumo da margem sul, arrasou completamente com o pequeno comércio em Almada. E esta situação é replicada por todo o país. Os portugueses gostam de grandes superficies e apreciam estar enfiados num grande centro comercial.. serve de passeio mesmo que não comprem nada e consideram a visita ao shopping um dia bem passado. Já experimentaram dar um pulo ao Forum num Domingo ou feriado? :)

Quem conhece a Europa, sabe que isto não se passa na maior parte dos países. Na Holanda por exemplo, não existem grandes superficies deste calibre e o comércio de rua é protegido por lei. Talvez porque tenham a visão necessária para perceber que sem comércio na cidade, a cidade acaba por morrer aos poucos.

Não sei como começou esta moda em Portugal, mas de certeza que não teve origem na inovação e no investimento nos transportes públicos de uma cidade.. como o Metro de superficie.

AKira disse...

eu acho que a culpa não é da ecalma são quase 30 anos de maus vicios no que diz respeito a estacionamento e agora existindo fiscalização é mais que lógico que as pessoas se queixem mas não se esqueçam que os agentes e as agentes da ecalma só estão a cumprir ordems. Em vez de reclamarem as pessoas tem que alterar o Homem é conhecido por se adaptar entao nós todos temos que nos adaptar a seguir a lei ( código da Estrada). Para além de que nas escolas de condução aprendemos que parar ou estacionar no passeio é INFRACÇÃO punida com COIMA e 30 ou 60 euros custa.

jorge.galrito disse...

Eu sou residente numa rua em Almada que não tem parquímetros e, à custa disso, muita gente que não tem lugar na avenida (que são muitas), devido às obras da MST, vão estacionar lá. Eu, raramente tendo lugar perto de minha casa, sou obrigado a estacionar em parques de residentes noutras ruas (que a Ecalma diz-me que não tenho direito). Por esse facto, já fui multado diversas vezes por eles. Acham que isso está certo!?
Sou multado por ser obrigado a estacionar noutra rua!
Sou a favor de devermos cumprir a lei (não estacionar em cima de passeios, passadeiras, etc), mas não sou a favor da Ecalma autuar. Esse trabalho deve ser da polícia, como sempre foi, e não da Ecalma.
Sou totalmente contra a Ecalma e as suas politiquices. Não é com multas que as coisas se resolvem. E muito menos a multar quem mora na zona e estaciona devidamente.
Mas pronto, as coimas, à autarquia, até dão jeito...

Anónimo disse...

Sou morador e tambem sofri as consequências do aproveitamento por parte da maioria dos dirigentes da cidade. Soube, através da sinalética das estradas que, o local onde morava se encontraria restrito a viaturas autorizadas e moradores, no entanto desconhecia qual a entidade municipal que me poderia fornecer tal título, questionei até a um Policia que se encontrava n local, e este tambem desconhecia.

No entanto numa situação idêntica ao Almadense anterior, recebi na minha viatura um Aviso de Infracção, assumindo à partida que não seria morador. Somente agora tomei conhecimento sobre qual a empresa responsável pela atribuição dos títulos de residente (empresa criada propositadamente para o efeito). Provávelmente deve ser mais uma fonte de receita para a camara ou amigos destes vermelhos da CMA, visto que é do conhecimento geral que a Actual presidente Maria Emilia será a futura Presidente do MST (cheira-me a taxada), soube ainda que a estratégia passa por ganhar (a titulo pessoal) muito dinheiro com o Metro, obrigando os autocarros a sairem do centro da cidade e tornando impossível/indesejável o acesso de carros bem omo o seu estacionamento, assim aumentam as receitas do metro. Já agora, a empresa que gere os semáforos inteligentes que agora estão a ser plantados em almada, pertencem a um familiar da Actual presidente da Camara de almada. Afinal isto é que é, à grande e à Francesa (a Vermelhada Instalou-se).

Serve-me de consolo que eventulmente o próximo não sja vermelho como a que lá está e volte a "oferecer" mais espaço para estacionamento e reduza a taxada da D. Maria Emilia no metro, e quanto à TST a minha opiniã vai no sentido de fazerem um percurso (interno à cidade) numa base mais regular e veiculosmais pequenos, para que os cidadãos possam ter a possibiidade de escolha quanto ao meio de transporte a utilizar.

PS: não tenho qualquer tipo de filiação política, sou apenas um cidadão que sente estar a ser roubado e nada se pode fazer.

Anónimo disse...

Ditadura em Almada!
Ontem (dia 19 de Agosto de 2009) os comerciantes de Almada colocaram um cartaz dirigido à Presidente da Câmara de Almada como forma do seu manifesto e desagrado. Hoje (dia 20 de Agosto de 2009) esse cartaz foi retirado!
Eu pergunto à sra. Presidente da Câmara de Almada: que discurso vai ela fazer no dia 25 de Abril à praça São João Batista?

João Paulo Cabral disse...

Olá caros. Ontem segunda feira estacionei o meu carro em Cacilhas, algo que faço raramente. Para de seguida apanhar o barco rumo a Lisboa tratar de assuntos e evitar levar o carro para junto da confusão da capital. Quando regresso deparei que me tinham colocado uma multa, onde era descrito que o lugar que eu ocupava era reservado a residentes, o meu maior espanto é que na fila onde eu me encontrava apenas fui o unico a ser multado, onde me apercebi que todos os outros carros não tinham qualquer tipo de identificação como sendo moradores da zona, como é que o meu foi apenas identificado, o mais estranho é que no local não hà qualquer tipo de informação, primeiro multam depois avisam!
Depois vio o valor da coima que ronda os 60 a 300 euros nunca na minha vida deparei com um valor tão elevado para uma multa de estacionamento, é uma vergonha.

Se algum dos senhores esteve perante uma situação semelhante digam-me o que devo fazer, obrigado

João Paulo Cabral

Sara disse...

caríssimo sr. João Paulo Cabral,

olhe veja lá a sorte que teve ao receber uma multa justificada! de facto se não é residente e estaciona numa zona de residentes, habilita-se a isso!

eu sou residente nessa zona, sempre lá estacionei (mera sorte, tendo em conta os poucos lugares existentes e os constantes sanguessugas não-residentes que acham por bem lá por o carrinho) e acredite numa coisa: até os residentes levam multas se não tiverem o famigerado cartãozinho, que requer pelo menos uma manhã para se tirar (e outra para encontrar a sede da ecalma) e 300 fotócopias de documentos diversos.

quantas vezes não cheguei eu a casa vinda de lisboa e tive de ir almoçar/jantar/fazer tempo fora de casa porque não tinha sítio para estacionar??

podem dizer muitas coisas más do metro, mas digo-lhe o seguinte: foi a melhor coisa que me aconteceu em termos de mobilidade! vou de cacilhas ao pragal descansada e sem stresses de estacionamento (sim, porque a estação do pragal também anda uma bela miséria). agora só falta erradicarem os TST's obsoletos que cobram obscenidades por um bilhetezinho.

portanto Sr. Cabral:

1)pode deixar o carro em casa ou num sitio mais conveniente e apanhar transportes publicos (sabe deus que é o que não falta em cacilhas)

2)pode estacionar nos lugares pagos e não nos de residente (mas também aposto que quando viu aquele lugar esfregou as mãos de contente e achou que era o tipo mais sortudo do mundo)

3)pode levar o carro para lisboa, se bem que lá também existe a EMEL.

foni disse...

D. Sara, veja a questão por este prisma.
1º Não compramos viatura apenas para a estacionarmos à nossa porta, logo este tipo de estacionamento reservado a residentes é uma afronta até para os próprios residentes porque afinal se todas as ruas estiverem reservadas a residentes ou com parquímetros a senhora não vai poder estacionar em lado nenhum a não ser à sua porta e mesmo isso em breve lhe vai ser retirado.
E ou há moralidade ou comem todos, ou seja, para a senhora ter um lugar reservado à porta de sua casa, todos os cidadãos também deverão ter.
2º A CMA cria artificialmente dificuldades no estacionamento de forma a poder encher os cofres à custa de quem precisa trabalhar.
3º Embora, como em tudo, haja sempre oportunistas que se aproveitam de qualquer fraqueza das autoridades, de facto, neste caso, são os agentes da ECALMA que se comportam como tal (a mim rebocaram-me o carro que estava meio em cima passeio meio em cima da estrada e no parque colocaram-lhe o bloqueador para me fazer pagar mais dinheiro).
Pense bem no assunto. Quanto mais apertados desejamos estar com o espartilho das leis, mais liberdade perdemos. Lembre-se da história da captura dos porcos selvagens.
Fique bem.