quarta-feira, março 26, 2008

Troféus para "gente especial"

Em...Almada...o traçado do MST tem sido alvo de muita contestação dos almadenses à Câmara de Almada por fazer uma obra com grande impacte negativo na vida da cidade, sem servir Almada e seus habitantes, o Hospital Garcia de Orta, o Almada Fórum, a Charneca da Caparica, a Costa de Caparica, a Trafaria e dividir a cidade a meio.
Na Ramalha, o traçado foi alterado por quem tinha competência para tal, o dono da obra, o Estado, mas a CMA deu a volta a muita gente e conseguiu colocá-la a trabalhar para si em prejuízo dos munícipes, dos moradores da Ramalha e dos contribuintes.
A CMA desrespeitou decisões da Assembleia Municipal.
Alguns autarcas mentiram aos almadenses com a colaboração de outras pessoas, sacrificando duas ruas na Ramalha com um traçado inútil e prejudicial do MST, apesar da solução escolhida pelo Estado ser melhor e de menores custos.
O blogue http://triangulodaramalha.blogspot.com/ disponibiliza bastante informação documental sobre o assunto.
"EMALMADA" atento ao problema, atribuiu aos mentirosos o troféu:
e àqueles que pela sua frágil conduta e postura, mostraram a sua leviandade, a sua falta de dignidade e fizeram o jeito à Câmara Municipal de Almada, achámo-los dignos merecedores desta outra distinção: É preciso mudar, para dignificar Almada. Nota: Não há incompatibilidade na acumulação dos troféus, caso reunam as condições.

13 comentários:

caparicano disse...

Troféus com originalidade, compatíveis com o singular desempenho dos laureados.

Anónimo disse...

Completamente de acordo com o significado dos bonecos...

Esta gente mente mesmo.
Alguém que duvide levante a mão.

Hummm, não vejo nenhuma mão no ar.

Anónimo disse...

Os prémios encaixam que nem uma luva.

As mentiras desses autarcas não se limitam ao metro.

Mensalmente o Boletim Municipal passa alguma propaganda enganadora e mentiras que os leitores não se apercebem.

Anónimo disse...

Boletim?
Que nome pomposo para aquela coisa.
Quando será que a senhora presidente bate o seu novo recorde de fotos nesse panfleto?

Anónimo disse...

De facto o traçado do MST não tem nada de interesse para os Almadenses, está projectado e a ser construido com o objectivo de transportar a grande massa de cidadãos que todos os dias se deslocam a Cacilhas para atravessar o Tejo;nós os contribuintes de Almada estamos e vamos estar, durante decadas a subsidiar estas passagens por cá. O projecto própriamente dito tem uma identidade que pode servir até para comboio pesado, as linhas são construidas como se da linha do norte se tratasse, ora, o custo disto impede que o MST sirva ou venha algum dia a servir as populações que se dirijam de e para o Garcia de Horta, de e para o Almada Forum, de e para a Charneca de Caparica, de e para a Costa da Caparica, Trafaria, Feijó,etc; como já foi assinalado neste forum, a Camara da Amadora resolveu construir uma rede aérea de energia a fazer circular autocarros aléctricos,"vulgo troleys", um investimento diminuto,flexivel, que pode ir a quase todo o lado,ecológico,etc. Mas, uma camara rica e dinástica com a de Almada, é comandada por uma pessoa que pretende deixar uma marca para o futuro, daqui a muitos anos, as pequenitas e os pequenitos herdeiros da srª vão poder dizer: FOI A MINHA AVÒ QUE MANDOU FAZER ISTO!!!
Oliveira

Anónimo disse...

Ao menos é uma mulher com colhões. Tem mais que toda oposição junta.
Aprendam que ela não dura sempre..

Anónimo disse...

É verdade.
Mas tem os ditos (que o comentador anterior não tem...) pendurados na testa...
Não a deixam ver nem um palmo à frente do nariz!...

Maia disse...

Com ela só se aprende o que não deve ser feito.

Anónimo disse...

Aí está um comentário (anónimo das 9:47:00)que não define coisa nenhuma, a não ser a sua má educação.
Será mesmo uma mulher com os ditos?
Se o senhor comentador se refere ao lado anatómico, errou profundamente.
Se o diz, afirmando que é uma mulher com personalidade, pior.
Porque a senhora em causa terá muita coisa menos personalidade.
É teimosa, orgulhosa, autista, e outras "qualidades" mais ou menos afins.
Sabe, caro comentador, os duros também se abatem. Ou auto abatem.
Já faltou mais!

Anónimo disse...

Tal comentador que atribuíu a essaa senhorita ornamentos que ela não tem, nem virtualmente nos termos que ele deixa entender,deveria explicar-nos porque recusa a madama passear pelas ruas e avenidas de Almada em obras respirando o pó, sentir as dificuldades dos munícipes, sentir o que é tropeçar e cair, em vez de andar de BMW.

Anónimo disse...

Como vossas excelências não saem de casa agarrados ao pc a inventar coisas e mais coisas, não veem a sra Emiia na rua a ver as obras do metro como eu vi, cumprimentei e fiz perguntas sobre a obra.
E não, não havia nenhum carro oficial nem batedores da policia, estava acompanhada de trabalhadores da Camâra com que falava.
Se saissem mais de casa talvez a vissem na rua e pessoalmente lhe poriam questões sobre o metro.
Ficariamos todos a ganhar não??

Anónimo disse...

Trabalhadores da Câmara?
Tem a certeza que estava a ver a obra certa?

Tem razão quem diz que a senhora em questão não se passeia pelo pó das ditas.
De BMW é melhor.
E com estacionamento privado, onde quer que vá, ao contrário do que faz com os trabalhadores dos serviços técnicos que ficaram sem estacionamento num local totalmente público.

Quando muito meu caro, terá visto a referida senhora junto da sua (dela) casa que também está a ser (a rua) vítima de obras.

E já que fala em carros oficiais e batedores, fique sabendo que há viaturas oficiais que não são conhecidas nem estão identificadas como sendo da CMA.
Não haveria batedores? Acredito. Mas ... seguranças? É que esta nossa presidente já utilizou o serviço dos ditos, por exemplo, num desfile de marchas.
Não sabia? Imagino que não.

Anónimo disse...

Falemos de coisas sérias.
O facto do comboio não chegar aos lugares referidos pelo 4º anónimo, é motivo de estranheza, principalmente da parte de quem se diz defensor do povo.
Tenho para mim que o que presidiu à implementação do comboio e das suas linhas, para além duma total ausência de lógica, foi o pressuposto de ficar na história desta terra, embora pelas piores razões.
Mas como já alguém disse , existem exemplos que poderiam servir de base à execução dum projecto com pés e cabeça.
Nem era necessário ir ao estrangeiro (e bastava ir à nossa vizinha Espanha), para se ver que as coisas podiam e deviam ser diferentes.