sábado, julho 28, 2007

Aves de Rapina de outra Almada e os "Vampiros"

Em...Almada, noutros tempos já existiram aves de rapina em Almada Velha, nas escarpas sobre o Rio Tejo, desde a Quinta da Cerca até ao Seminário. Actualmente parece-nos que essas aves estão de volta, mas têm outros interesses que não caçar pombos, pois se tal fosse seu "negócio", estes não contituiriam uma praga pela cidade e prejuízo para os munícipes.

Aves de Rapina podem provocar avultados danos na fauna doméstica, enquanto que "o vampiro é um ente mitológico que se alimenta de sangue humano".

Dos "Vampiros" transcrevemos a letra do Dr. José Afonso para a Balada de Coimbra com o mesmo nome :

"No céu cinzento sobre o astro mudo batendo as asas pela noite calada vêm em bandos com pés de veludo chupar o sangue fresco da manada. Se alguém se engana com seu ar sissudo e lhes franqueia as portas à chegada eles comem tudo eles comem tudo eles comemtudo e não deixam nada. A toda a parte chegam os vampiros poisam nos prédio poisam nas calçadas trazem nos ventres despojos antigos mas nada os prende às vidas acabadas. São os mordomos, do universo todo senhores à força, mandadores sem lei, enchem as tulhas, bebem vinho novo dançam a ronda no pinhal do rei, Eles comem tudo eles comem tudo eles comem tudo e não deixam nada. No chão do medo tombam os vencidos ouvem-se os gritos na noite abafada jazem nos fossos vítimas de um credo e não se esgota o sangue da manda. Se alguém se engana com seu ar sisudo e lhes franqueia as portas à chegada Eles comem tudo eles comem tudo eles comem tudo E não deixam nada." Imagem de "The Peregrine Fund -World Center of Birds of Prey"

6 comentários:

Anónimo disse...

Almada é um concelho que perdeu tempo, que se atrasou. Constitui exemplo de subdesenvolvimento em aspectos importantes por estar tão perto de Lisboa e ter uma frente atlântica maravilhosa.

blue eyes disse...

Extraordinário texto, bem ilustrado.
Que nos traz aos tempos contemporâneos, lembrando-nos as actuais aves de rapina que ocupam lugares bem mais apetitosos e estratégicos.

Estes também comem tudo e não deixam nada.
Comem o que é nosso.

blue eyes disse...

E Almada não só tem uma frente atlântica maravilhosa, como uma frente ribeirinha que tem tudo para ser um deslumbre mas que está esquecida. Nas gavetas do poder. Nos interesses duvidosos.

Anónimo disse...

Nos tempos actuais a canção devia ser "eles comem tudo e não mostram nada!", porque os sérios do poder em vez de exibirem os seus pertences vão comprar fora, para não terem que apresentar nas declarações de interesses, e só se vai sabendo quando algum menos cauteloso ou "naif" se deixa descair...

legivel disse...

Porque o "código postal" é o de Almada* quando regressar de férias virei aqui ler com tempo.

* Em resposta a comment deixado no meu blog.

Ponto Verde disse...

Dá Deus nozes...