sexta-feira, maio 11, 2007

Os Comerciantes e o Metro Sul do Tejo

Em...Almada, afinal não é nada que não se saiba, o Metro Sul do Tejo não é uma obra de consenso na nossa cidade e dos almadenses... Finalmente os comerciantes vêm à rua para tomada de posição!
(Clique na imagem para aumentar)
Embora tarde, parece que os comerciantes decididamente estão dispostos a defenderem seus interesses e a não se deixarem manipular pela demagogia da CMA.

38 comentários:

Alfredo Tinoco disse...

Os comerciantes e vocês são uns atrasados. O Mestro não é razão para tanto alarido...

pedro brito disse...

Quem é capaz de me dizer a razão porque a Associação dos Comerciantes de Almada nunca tomou uma posição pública na defesa dos associados relativa ao MST e vem agora os comerciantes protestar?

Carlos Saraiva disse...

Ora aqui está um comentário honesto. Também eu sou comerciante de Almada e era associado, contudo, face à atitude passiva e até alienatória dos interessses de quem vive do comércio resolvi desistir. Penso que agora vem a associação (eu duvido) ser a defensora de quê?
Quanto à citada reunião, a mesma segundo um comerciante amigo associado informou-me que ela é feita à revelia da Associação.
Se assim é isto só é demonstrativo da jogada política que alguem anda em tentar incutir na opinião pública em Almada.
Isto é muito baixo, não acredito quer o vosso Blog se preste a estas coisas.
Sinceramente já nem sei o que pensar...

EMALMADA disse...

Não nos cabe promover reuniões de comerciantes.
Uma coisa é certa foram pessoas proprietários de casas comerciais que distribuiram esta convocatória.
Quanto à apreciação que cada um faça deste assunto só a cada um diz respeito.
Cada um pense o quiser.
No entanto já há pessoas incomodadas com o facto de comerciantes se juntarem para discutirem seus problemas,onde decidirem.Não é de estranhar.
Quanto a contradições de comentários nada a temos ver com isso. Não se pode estar contra a e contra a...ao mesmo tempo,embora seja uma posição curiosa.
Parece que este assunto da reunião vai dar que falar. uma vez que a mesma não será do agrado de algumas pessoas.
Note-se que o nome deste blog é emalmada e os assuntos aqui apresentados referem-se a Almada.

moisés disse...

Há algum tempo que se sabe que o MST iria passar por essas artérias. E que iriam provocar problemas. Graves.
Por que razão é que só agora os comerciantes vêm à rua em protesto?
A razão ninguém lhes tira. Mas só agora? Ou estavam à espera de algum milagre?
Sou insuspeito, porque sempre me manifestei anti-traçado do MST na maioria dos locais. Sempre!

moisés disse...

A Associação jamais se colocaria ao lado dos comerciantes, em face da sua posição de subserviência que tem em relação à autarquia.
E quem é que disse que a Associação defende os comerciantes? A Associação representa-os, quando muito.

Votante da CDU disse...

Mais uma vez vocês provam que o v/blog está do lado do bloco de esquerda.
Inventam comunicados, falsas reuniões com comerciantes, fotos adulteradas, enfim toda uma panóplia de mentiras para envenenar o povo de Almada, contra a autarquia.
Os mentores desta cabala para além do v/blog, têm outros sites já aqui denunciados. O povo de Almada já vacinado contra as vossas falsas notícias....
Acho ridículo que nas v/pastagens utilizem uma linguagem de enxovalho e maledicência contra a força política CDU, pois ela é representativa da maioria dos almadenses.
Fazer política assim é muito baixo...

moisés disse...

Ei-lo de novo, o votante da cdu!!!

Pastagens? Ou postagens?
Sabe o que significa o termo adulterar?

Diga-me quando faz anos para lhe oferecer um prontuário ortográfico.

E quanto a ideias? Quais são as suas? Tirando a política e tal.
Diga à gente.

EMALMADA disse...

Maioria absoluta pode não significar maioria absoluta dos votos dos eleitores inscritos.
No caso presente a maioria absoluta desta CDU na Câmara corresponde a somente cerca de 20% dos eleitores inscritos, pouco mais de 28.000 dos cerca de 141.000 dos cadernos eleitorais, o que não lhes dá o direito de maltratarem a população.
Quem é eleito tem de respeitar sempre a população e nunca deve usar a arma do voto contra os eleitores, nem contra a população.
Só os ditadores e os sedentos do poder absoluto não respeitam as regras democráticas

Votante da CDU disse...

O termo "pastagens" foi feito de proposito, caro moisés. Há sempre algum fariseu que gosta de pasto.
Neste caso foi você...
Quanto ao comentário de EMALMADA, pergunto:
Quem são os ditadores e os sedentos do poder absoluto?
Não pensem tanto, eu respondo:
São vocês os ecos do bloco de esquerda, porque dão provas do não respeito das regras democráticas, não respeitanto a vontade da maioria do povo de Almada. Quanto aos votos dos eleitores inscritos, direi, simplesmente isto, a maioria dos almadenses votou e estou certo que continuará a votar CDU.

moisés disse...

Senhor votante da cdu
Você ainda dá um tiro no pé.
Tentou o disfarce, pastagem e tal mas, fique sabendo que não como restos de ninguém.

(agora é que o votante vai ficar com os intestinos, perdão, o cérebro, em alvoroço)

20% é, em algum lado, maioria? Faça lá as contas e diga-me como funciona a sua máquina. Não a partidária, mas sim a de calcular.

Votante da CDU disse...

Caro Moisés
Embora andes a pregar e não comas o resto dos outros, direi que tens razão quando dizes que os meus intestinos e o meu cérebro vão ficar em alvoroço, pois o estado pestífero em que se encontra o teu cadáver origina-me vómitos.
Talvez pelo facto de tu expelires, pela tua "boquinha" golfadas de bosta vindas da ETAR que ostenta, símbolo da tua presumida sabedoria matemática,a qual mais não é do que o resultado da equação M-O+I+S-E+S é = a O Diabo que te carregue...

moisés disse...

Uma vez mais sem argumentos válidos, caro votante da cdu.
Do you know what das it means?
Provavelmente........não!

moisés disse...

Quero ver se percebe onde está o erro no comentário anterior.

Pedro Brito disse...

Não seja cobarde escreva em português, para o votante da CDU dar-lhe resposta.

Leon disse...

Muito interessante, a parafernália de situações e argumentos encontrados para atacar o projecto do Metro, por parte dos caros EMALMADA e Moisés. Criatidade galopante, de índole semi-patológica...

Os comerciantes estão aborrecidos? Estão chateados? Perderam alguns rendimentos? Os clientes não vão aos estabelecimentos por causa das obras do Metro? Reclamaram? Combinaram uma reunião para discutir de que forma é que podem fazer frente a este problema? O que é que há de mais natural? Também tive obras do Metro perto de casa, compreendo as contrariedades causadas por uma intervenção deste calibre. O interessante (o tristemente interessante) é a transformação de uma natural reivindicação num manifesto anti-Metro.

Surgem-me então algumas questões: quem tem vantagem na manipulação desse descontentamento dos comerciantes? Quem tem vantagem na interrupção, mesmo que por poucos dias, das obras do Metro (mesmo que eese facto implique maior prejuízo para os comerciantes?)? Quem assume o desinteresse completo pelas consêquências desse atraso? Ainda não vi ninguém referir a continuada destruição do sistema geral de transportes colectivos como uma das causas do progressivo definhamento do chamado comércio tradicional? Por quem falam estes 'independentes' participantes?

E quem assume os comerciantes como verdadeiros atrasados mentais, afirmando que não são capazes de purgar uma associação 'obsoleta' e 'seguidista'. Serão os comerciantes fantoches? Serão todos estúpidos? Ou apenas serão comerciantes 'bons' os que NÃO fazem parte da Associação e, cumulativamente, NÃO concordam com o Metro?

Outra construção de cariz surrealista (ou apenas indicadora de uma particular concepção de participação e liberdade de associação) é a de que são membros não são defendidos, apenas os representados, pela Associação? Afinal em que ficamos? Mais um conceito inaudito - a representação dos membros não é a defesa dos membros - como que a dizer que são os membros que, afinal, se deixam manietar e enganar, dirigidos por uma clique de pérfidos comerciantes (eles também, afinal)...

Votante da CDU disse...

Sr Moisés quero-lhe dizer que no tempo em que estive em Moscovo a estudar,entre muitas coisas que aprendi foi inglês, daí eu aconselhar o amigo (?) a escrever de maneira a não dar erros de palmatória, proprios de quem sabe escrever em lingua inglesa.
Queria também agradecer ao Sr Pedro Brito o seu apoio, mas certamente não sabe quem é o Sr Moisés é um simples espantalho que nem serve para fazer de Judas...
Então Moisés tome lá esta:
How is the grass? Is it fine and tasty? If you need a lawn-moer let me know, ok?

Alfredo Tinoco disse...

Acho que vocês todos andam a ficar loucos,em especial o Sr Moisés e o Sr Votante da CDU.
O Metro só vem ajudar o povo de Almada o qual certamente ao longo de vários anos nunca se esquecerá desta grandiosa melhoria, obra em que mais uma vez a autarquia se empenhou e fez história.
Quanto ao resto amigos, é tudo lérias...

Sérgio Pinto disse...

Coitados dos comerciantes. Hah, hah, haha...
Não se unem para revitalizar as ruas onde têm as lojas, não querem investir nos seus estabelecimentos e gostam de fugir ao fisco...
Acordaram tarde e a más horas para esta questão do MST.
Antes estiveram adormecidos, convenientemente. Muitos até foram veículo de propaganda da CDU.
Vêm, agora, reclamar? Do quê? Das obras? Arranjem soluções alternativas.
Deixem-se de tretas.

moisés disse...

leon
Peço-lhe que repita a leitura.
Só isto.
Porque meteu os pés pelas mãos e torceu o que ficou escrito.
Andou a ler o dicionário?
Mas que bem.
Como vê o votante da cdu até foi buscar o dicionário tradutor português - inglês.
Erva? Coma-a o senhor.

pedro brito
Em português? Escrevo sim.
Confira já a seguir.
Cobarde é você que andas aos saltos de blogue em blogue sem saber se há-se dar com a cabeça na parede ou com a parede na cabeça.
Eu disse cabeça.

Sergio Pinto
Concordo consigo quando fala dos comerciantes. Penso assim, também.
sabiam o que ia acontecer e meteram-se no deixa andar.

alfredo tinoco
Quanto à utilidade do eléctrico poderia ser indiscutível, não fora a impensada, ou talvez não, teimosia em o fazer circular da forma que se irá ver. Que é problemática.
E não estou louco. Apenas danço conforme a música.

Votante da CDU disse...

Agora sim o Moisés está bem caracterizado por si próprio quando diz "Apenas danço conforme a música".
Ou seja, não passa de um palhaço triste que não tem personalidade própria e que depende essencialmente da música que os outros lhe dão e ele como animal que come erva, mas que está muito bem ensinado pelo seu dono, abana a cabeça fazendo sons de alarido com os seus chocalhos e dança a música que lhe dão para entrar mansamente nos curros, batendo com os cornos da desgraça, nas tábuas.

Anónimo disse...

esta gente não tem argumentos a favor do metro porque sabe que eles sao facilmente refutaveis! assumem-se apenas como comentadores dos comentários dos outros o que eu axo estremamente lamentavel... parece k andam aki so para contrariar o que os outros dizem; no entanto ficam a saber que podem dizer o que disserem que akilo é um electrico, que não é um metro e muito menos um comboio... faz barulho como a merda... tem uma campainha irritante que esta sempre a tocar... anda sempre as moscas... sao gastos 15 mil euros diarios para o manter a funcionar... tirou o estacionamento aos moradores, clientes e comerciantes... ate acho que poderia ser 1 projecto bom se não andasse pelas partes essenciais da cidade à superficie e não estrangulasse as ruas e a mobilidade dos cidadaos, moradores e comerciantes...

moisés disse...

Camarada votante da cdu
Levantemos o braço e gritemos: unidos venceremos.
Porra! Já lhe disse que você tem naturalmente direito à opinião, como toda a gente.
Se quer discuti-la, discuta.
Não tem é o direito de ofender. Nem a mim nem aos meus familiares.
Nunca vi ninguém descer tão baixo.
Foi isso que aprendeu na tal escola em Moscovo? Não acredito. Sinceramente, não acredito.

Para todos: disponibilizo-me para discutir a problemática MST. Mas com uma condição: conversa séria e a sério.

Pedro Brito disse...

Agora serei obrigado a dar razão ao Sr Moisés, caro votante da CDU acho que tudo tem os seus limites.
Vamos lá deixar de ofensas e falar como gente civilizada,OK.
Agora pergunto eu ao Sr Moisés, sinceramente, não acha que o senhor também se tem excedido na argumentação contra o votante da CDU. Penso que dois deveriam fumar o cachimbo da paz...
Quanto a minha pessoa Sr Moisés digo que não gostei nada da sua expressão "Você que andas aos saltos de blogue em blogue sem saber se há-se dar com a cabeça na parede ou com a parede na cabeça".
Acho de baixo nivel a sua maneira de responder. Fico à espera do seu pedido de desculpas, Sr Moisés.OK

moisés disse...

Caro pedro brito
Não reparei que essa frase - que tinha outro destinatário - tinha ficado onde ficou.
Devo-lhe, realmente, esse pedido de desculpas.
Espero ter clarificado a situação.

Quanto ao senhor votante da cdu, todos percebemos que o homem é assim e não há nada a fazer.
Quem torto nasce, tarde ou nunca se endireita.

Tenha um bom dia.

Leon disse...

Caro moisés,

parece-me realmente não ter sido minha a imcompreensão, mas aponto a opinião. Quanto ao dicionário, faria melhor lê-lo ao invés que assumir que todos escrevem sem fazer uso da extraordinária diversidade gramatical do nosso português.

Quanto ao Metro, vamos a isso - venha a conversa a sério! Por onde quer começar? Estou à espera... satisfeito. Alguém finalmente pretende discutir o Metro...

moisés disse...

Eu!
Mas acha que por este meio é possível?
Se combinarmos um dia, um local, uma hora, porque não?

Aí não podemos ser anónimos e disso é que eu gosto.

Pensemos nisso, então.

Anónimo disse...

O metro com as suas obras veio infernizar a vida dos Almadenses. Os comerciantes passam as passa do Algarve para conseguirem que os clientes lhes entrem nas lojas.

As obras são feitas sem as mais elementares regras de segurança rodoviária, as máquinas escavadoras circulam entre entre os peões pondo em risco a sua vida.

Os entulhos provenientes da obra são despejados à descarada no morro do monumento do Crito-Rei. Um monumento visitado por milhares de pessoas de todas as nacionalidades serve de vazadouro, a reserva ecológica nacional é destruída.

Quem se desloca diáriamente no sentido de Lisboa Almada pela ponte 25 de Abril, depara-se com essa situação, qualquer dia lá vamos todos ter que pagar para a consulidação da arriba.

Neste país as autoridades estão cegas que interesses se sobrepoem à defesa do ambiente e da qualidade de vida das populações.

Alfredo Tinoco disse...

Lá vem mais um anónimo, a dizer a "consulidação" do ataque à CDU.
Quanto parece que a razão é forte, vem logo alguem e deitar lume para a fogueira

Alfredo Tinoco disse...

A proposito, quais foram as conclusões da tão badalada reunião de comerciantes do dia 16 de Maio.
Mais uma reunião fantasma?
A que conclusão chegram?
Espero resposta deste blog, acerca da sua postagem...

EMALMADA disse...

Afinal depois de toda esta conversa fiada e verificarmos que o comboio 3V - Vai e Vem Vazio - que algumas pessoas designam por metro outras por MST e outras ainda por eléctrico, não passa de mais um delírio desta CMA a contribuir para a despesa pública.
São 15 mil euros por dia para andar às moscas.
Quantas consultas médicas adiadas, operações por fazer,medicamentos com custos agravados, refeições negadas a quem precisa, património por recuperar ?... tudo por falta de dinheiro!
E aqui, em Almada esbanja-se "uns trocos" ao desbarato por capricho de uma Cãmara e da sua presidente que se recusaram a ouvir os munícipes em liberdade.
Só ouviram quem queriam ouvir. Os outros, os incómodos eram afastados porque não tinham capacidades para compreenderem " o progresso" desta CMA.

moisés disse...

Ouviu-se a voz de ... 30% da população.
Significativo!!!

piedade disse...

Digam-me onde se ouviu essa voz.
Não ouvi nada.

moisés disse...

Foi um grito silencioso :)

Leon disse...

Caro moisés, afinal pariu um rato...

Quando julgava que teria uma defesa da õpção não-Metro, eis que me convida para um encontro privado (?), em vez de apresentar aos participantes a sua opinião sobre o 'problema'.

À falta da sua, dou a minha. Opinião. E vou começar pelo nível estratégico. Dir-me-á se está de acordo...

O Metro só pode ser entendido se abordado numa lógica metropolitana. Existem dois níveis de reflexão para a resolução da deficiente ligação dentro do arco ribeirinho norte da península de Setúbal. Um é a conclusão da CRIPS (Circular Regional Interna da Península de Setúbal), vulgo IC32 (Trafaria-Ponte Vasco da Gama) e que permite a distribuição ao nível regional global de pessoas e mercadorias, mas que distribui radialmente na península - quer isto dizer que formalizará um arco que terá ligações a cada uma das localidades - Almada, Seixal, Moita, Barreiro, Montijo - a partir do próprio IC32. O outro é a solução da ligação directa entre estas localidades. É aí que entra o MST. E é uma solução muito boa. Porque permite a criação efectiva dessa ligação (com a previsão das três fases - Almada-Corroios + Seixal + Barreiro/Moita), porque essa ligação numa perspectiva universal com a promoção do transporte colectivos (todos podem usar o Metro, ao invés do transporte individual), e porque permite essa ligação numa linha dedicada e com prioridade sobre as restantes.

Podemos ainda aprofundar esta reflexão: numa região que sofreu com o encerramento das indústrias navais, químicas e siderúrgicas, e em que permanentemente se assiste a um constante desinvestimento (por vezes pela ausência do mesmo, ou pelo facto de a maioria do investimento governamental se situar na parte norte da área metropolitana) e da completa desregulamentação e descoordenação dos transportes colectivos - sobretudo porque os TC's rodoviários (TST's) não asseguram a rápida e abragente cobertura do território - faz todo o sentido a opção por um Metropolitano (o próprio nome diz tudo...) que assegure as ligações no eixo fundamental a todas estas áreas, permitindo a fluência e mobilidade dos seus habitantes e a criação de um verdadeiro contínuo urbano (finalmente) com consequentes melhorias, inclusivamente ao nível económico, no curto/médio prazo. Para não falar da vitória que foi a vontade dos municípios em assegurar a requalificação do corredor do Metro.

Fica um primeiro apontamento... Aguardo resposta. À minha opinião!
Ao contrário de outros, que ladram muito, mordem menos, mas falar e discutir ideias, isso nem vê-los...

Leon disse...

Caro EMALMADA,

Pensei que as demagogias e a desonestidade intelectual fossem, da sua parte, menos utilizadas. Porque não especificar um pouco mais? As velhas máximas dos medicamentos para as criancinhas? ou das operações para os velhinhos? das refeições para os pobrezinhos (que delícia de pensamento - a caridade e o paraíso...) ou de dinheiro para os edificiozinhos (que alguém, por acaso o dono?, deixou degradar)? Deixemo-nos de mentiras!

Gostava de saber então a sua opinião: Concorda com este sistema em que vivemos, que NÃO DÁ dinheiro para os medicamentos, NÃO assegura as consultas médias e as operações, que PERMITE a fome dos seus e NÃO obriga os proprietários de imóveis a responsabilizar-se pela sua propriedade (por exemplo, perdendo-a em caso que incapacidade ou negligência na sua manutenção)? Eu não! Defendo outro! Diferente e melhor! Mas vivendo hoje, observando o que se passa, o que consigo (pelo exercício da inteligência) é distinguir entre aqueles que lutam contra o sistema e os que se alimentam dele. O que não é o caso desta autarquia (não se alimenta dele, digo isto apenas para ficar claro, e não permitir desvios à discussão por eventuais 'incompreensões' destas linhas...).

O que me recuso a fazer é utilizar a inteligência (porque entendo que efectivamente o faz...) para distorcer os factos e as realidades. Para os moldar à sua maneira. E já agora, que tal dirigir especificamente esta pretensa 'fúria anti-despesa' para o governo da nação? É que, é bom que se diga isto claramente, não é a Camara que paga a obra, nem contrata a Concessionária, nem torra os nossos impostos em indecisões e indemnizações chorudas - que aliás são a causa do Metro funcionar apenas num terço da linha...

Basta estar atento à realidade, e perceber as entrelinhas...

moisés disse...

leon, caríssimo
É discutível a necessidade de um transporte desta natureza. Ainda por cima com tantos custos.
Veja-se a data da inauguração, primeira fase, e contemos o número de passageiros. A isto, junte-se a análise às receitas (apesar do preço dos bilhetes) e tirem-se conclusões.
Por outro lado, questiono mais ainda o traçado do aparelho em algumas zonas.
Chega ou tenho que perder a noite a ler o maquiavélico livro da obra teimosa?

EMALMADA disse...

Há quem diga que o encerramento das industrias navais, química e siderurgicas se ficou também a dever às greves promomovidas "por dá cá aquela palha" contra o capital e os patrões fascistas.
Recuperação dos edifícios pelos senhorios?
Há senhorios que pagam mais de renda pela casa onde moram do que os seus inquilinos lhes pagam.Têm casa mas não podem utilizá-la. Têm de a "dar" a outros que até têm ordenados/rendimentos maiores que os do senhorio, mesmo somando o valor das rendas que estes recebem.
Como se isto não bastasse, ainda há inquilinos que pagam mais pela garagem onde guardam o seu carro do que pela casa onde moram!Chama-se a isto JUSTIÇA SOCIAL !
E esta heim?
Ter casa quase à borla à conta de capitalistas e proprietários "tesos" é que é bom.
Terminei.
Agradeço a colaboração no blog, porque vamos continuar a falar e intervir por Almada, gostem ou não.