domingo, maio 20, 2007

Ambiente, Acessibilidades, Progresso e Sustentabilidade

Em....Almada , não se respeitam os cidadãos, as pessoas, os munícipes. As Normas de Segurança para vigorarem em obras na via pública não são respeitadas, nem aplicadas nas situações para as quais deveriam vigorar. Os empreiteiros de obras responsáveis pela implantação no terreno dessas Normas, esquecem-se que é sua obrigação aplicar as medidas correctas para a assegurar a integridade física dos peões e das pessoas no local onde decorre a obra. A Câmara Municipal de Almada, tem obrigação de fiscalizar e defender os peões e munícipes dos desmandos e incumprimento das Normas de Segurança, por parte dos empreiteiros ou concessionários das obras.
Em Maio de 2005 a CMA, através de fotos referentes a passagens de peões e protecção de árvores no local de obras, utilizando a sua habitual e oportuna demagogia no “insuspeito” Boletim Municipal, publicava como excelente exemplo, para tocar almas mais sensíveis, a aplicação de algumas regras de segurança na cidade francesa de Clermont-Ferrand, onde estava a ser construído um metro, que dizia ser igual ao de Almada.
(clique nas fotos para aumentar)
Em Almada (exemplo da Av. Bento Gonçalves) as passagens de peões e as árvores, em local de obras são "protegidas" assim:

comparem-se estas fotos com as de Clermont-Ferrand e cada um retire as suas conclusões. Voltamos a perguntar: Por que acontece isto em Almada? Onde está a fiscalização? Para onde vai o dinheiro que devia ser aplicado na implantação das Normas de Segurança? Que idoneidade e moral tem esta CMA quando anda a falar em Ecologia, Dia Mundial do Ambiente, Dia Mundial da Árvore, Defesa dos Direitos Humanos, etc...etc... e na prática volta costas ao que diz.

Se bem nos lembramos, já vimos o mesmo com a sua exigência ao Governo para fixar definitivamente o traçado do MST no designado Triângulo da Ramalha!
Este é o verdadeiro rosto da CMA!
Que ética política tem esta Câmara?
Este é o progresso que está a ser implantado em Almada!

7 comentários:

moisés disse...

É contundente e só quem tiver má vontade não vê a diferença.

Minda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Minda disse...

Peço desculpa mas, antes de continuar e para que ninguém pense o que não deve, informo que quem excluiu o comentário anterior fui eu própria, a sua autora, porque detectei que tinha alguns erros.

Continuando.

Mas ainda há quem acredite no que a CMA diz acerca deste projecto do MST?

Quantas mais mentiras estão por descobrir?

Protecção das árvores? É como aquela que andam a dizer de que as da Av.ª Afonso Henriques foram transladadas para o Parque da Paz... e nós ali a vê-las, sangrando após a fúria assassina do serrote, conforme denunciei no meu blog, com várias fotografias bem elucidativas.

Parque de Estacionamento da Margueirinha: nos folhetos distribuídos num dos últimos "Fóruns do faz de conta" realizado em Dezembro de 2006, ou Janeiro de 2007 (não me recordo bem) dizia-se que já estava construído... sim, sim, três meses depois lá apareceu e, mesmo assim, por ser de carácter provisório (dizem!) não faz mal que a ribanceira sobre o parque de jogos apresente instabilidade e nem pensem em construir uma escada de acesso à praceta que dá acesso à Rua António Nobre, porque isso não é prioritário (preferem obrigar os residentes a dar a volta ao quarteirão... realmente: é muito mais saudável... e porque não: “corra pela sua saúde”?)

Segurança dos peões? Vê-se o cuidado existente na colocação das grades e nas passagens para os peões. É como aquela que está na Av.ª Afonso Henriques em frente do restaurante Nevada e à papelaria Havaneza que tem a paragem dos autocarros sobre a passadeira que fica no enfiamento da passagem entre ambos os lados da rua. Um bom exemplo de segurança rodoviária, sem margem para quaisquer dúvidas!?!

Voltando às informações fornecidas sobre o decorrer das obras do MST em Almada: foi dito, em vários fóruns e numa reunião da «Comissão de Acompanhamento da Requalificação de Cacilhas» da Assembleia de Freguesia respectiva, da qual faço parte, que as obras seriam por fases... 1.º seria o troço da Av.ª 25 de Abril até à Praça Gil Vicente... depois destas estarem concluídas é que se passaria para o troço da Praça Gil Vicente até à Praça do MFA e assim por diante. Pois é... é exactamente isso que está a acontecer, não é? Muito queijo comem estes autarcas. Mentir para quê, afinal? O que é que ganham com estas atitudes?

E já chega por hoje.
Um resto de bom fim-de-semana.

Papoila disse...

A segurança para os peões não é uma prioridade para a concessionária ou para a autarquia. Estão mais interessados em festas e em inaugurações.

EMALMADA disse...

minda... para estes autarcas que ocupam a cadeira do poder municipal a mentira não existe. Fazem ficção e assumem-na como que não se trate disso, mas sim como não mentiras e logo pensam que os cidadãos têm a mente tão permeável quanto a dos crentes do seu sistema politico para acreditarem nos seus dogmas e nas suas inverdades.
Vivem iludidos (será ?) pretendendo fazer-nos crer que são inocentes, puros e imaculados, mas não religiosos e não politicos.
São o que são, o que já sabemos e nada mais.

EMALMADA disse...

papoila...a segurança para esta autarquia, concessionária e companhia...é tão dificil de engolir, como descascar bem um abacaxi (para os brasileiros).
Não foi por mero acaso que a presidente da CMA não quis constituir a Comissão de Acompanhamento Local para as obras do MST, tal qual recomendação da Declaração de Impacte Ambiental(DIA) e inventou a fórmula que o Fórum dito de Participação MST é a grande comissão de acompanhamento local.
Usurpou à população aquilo que a DIA lhe conferia.
Eles são assim, falam no poder do povo e nos direitos do cidadão mas ao voltar da esquina roubam-lhe esse poder e os seus direitos.
São "os verdadeiros" democratas... à moda deles.

moisés disse...

Arrogância do poder.
O que vale é que está quase a acabar. Não a tempo, talvez, de evitar algumas desgraças mas do mal o menos.