quinta-feira, janeiro 22, 2009

Dois Pesos Duas Medidas

Em...Almada, esta era a Escola Primária Nº 2 de Almada, a antiga "Escola Feminina do Campo", construída em 1940 pela outra Câmara Municipal de Almada, portanto ainda "no tempo da outra senhora". Localizava-se nas traseiras da Academia Almadense.
Actualmente era designada por Escola Básica nº 2.
clique sobre as imagens para aumentar
Foi esta Escola construída nos terrenos da antiga Praça de Touros de Almada.
O Edifício Escolar na foto, encontrava-se rodeado de um vasto terreno bastante arborizado, o recreio da Escola.
Após o 25 de Abril, quando a Câmara (afecta ao mesmo partido actual ) tomou posse da Escola e do vasto terreno arborizado para recreio dos alunos, tratou de retirar dessa área arborizada, uma parcela de terreno para construir edifícios, onde instalou oficinas e serviços.
Na imagem os edifícios construidos a norte da Escola, na área usurpada aos alunos:
As traseiras da Escola ficaram com paredes dos edifícios à direita por paisagem, onde anteriormente havia arvoredo.
O Recreio ficou confinado a uma pequena área no lado poente do edifício, que a foto mosta parcialmente:
No lado nascente do recreio a Câmara Municipal de Almada do pós 25 de Abril adaptou-o a parque de estacionamento para automóveis, com podemos ver nas duas fotos seguintes:
A anexação do terreno de actividades lúdicas dos alunos e a destruição da àrea arborizada foi levada a cabo pela Câmara de Almada, "defensora do ambiente e de espaços verdes" , sem que "Verdes" ou qualquer outro grupo ecologista se insurgisse então ou fizesse qualquer protesto contra isso.
Posteriormente a Câmara decidiu destruir a Escola e rentabilizar o vasto terreno para as "boas contas". Vai construir um parque de estacionamento ao lado de novas instalações para a Escola e por baixo do campo de jogos que também servirá a Escola.
Diz no Boletim Municipal de DEZ 2008 : "Este parque com capacidade para 215 lugares será construído na área do logradouro nascente da actual Escola Básica nº2 de Almada, nas traseiras da Academia Almadense".
Não há logradouro a nascente. Há muito que a CMA, no local do logradouro, terraplanou o terreno para parque de estacionamento, como mostram as fotos anteriores.
Com o novo parque a poluição e o ruído vão aumentar junto à Escola, prejudicando os alunos.
Conforme vemos na maquete da foto seguinte (BM), a norte há um conjunto de edifícios que a Câmara não diz o que são, nem para que são.
Negócio de betão?
Temos aqui o aproveitamento do vasto terreno deixado pela "outra senhora", a custo zero, que esta câmara agora vai "rentabilizar".
Nem "Verdes", nem qualquer outro grupo ecológico se manifestou também, até ao momento, com este negócio de reconversão dos terrenos de recreio da antiga Escola, nem com o facto de ao seu lado e nesses terrenos que eram de lazer dos alunos se construir um parque para estacionamento, a pagar, para automóveis, um negócio, com a agravante de haver permanentemente, em função disso, circulação automóvel junto à Escola.
Será que os mesmos que se manifestaram junto ao Externato Frei Luís de Sousa vão agora protestar contra esta situação frente à Câmara Municipal de Almada?
Lê-se no Boletim Municipal: "Este é um investimento municipal que ascende a 4 milhões de euros ( com a construção de outro parque na rua Capitão Leitão, 152 lugares) e insere-se nas medidas de promoção da mobilidade no concelho, melhorando o acesso a Almada Velha e contribuindo para a revitalização do comércio local e restantes actividades económicas".
A CMA sabe o que faz ou diz?
Junto a uma Escola (Externato Frei Luís de Sousa) promove a mobilidade a pé.
Junto a outra Escola ( Básica nº 2) promove a mobilidade de automóvel.
A Câmara Municipal de Almada, prossegue os seus trabalhos para apagar em Almada construções ou vestígios do passado, construções do Estado Novo, parte da história de Almada.
Não são almadenses, nem pessoas que gostam de Almada que estão a destruí-la.

30 comentários:

Anónimo disse...

Isto é a escola das meninas,como e conhecido em Almada,agora essas instalações que estão por detras,e que foram utilizadas pela CMA era uma escola construida muito antes do 25 de abril.

Anónimo disse...

A minha escola que tantas recordações me deixou...! Andei lá de 1982 a 1986!

Ao que me contaram tinha sido remodelada o ano passado ou outro mas mesmo assim vai abaixo!!!

Anónimo disse...

Anónimo disse...
Al trabajo, mejor en autobús o en bicicleta · ELPAÍS.com
Se acabaron los grandes discursos, los estudios interminables y los proyectos bienintencionados que quedan en nada. Ha llegado el momento de pasar a la acción y aplicar, ya mismo, medidas concretas para mejorar la calidad del aire en las ciudades a través del transporte público.
(...)
Grandes ciudades europeas han optado por restringir el uso del vehículo privado, sobre todo en el centro.
(...)
En San Sebastián, por ejemplo, se han peatonalizado 50 calles en los últimos años, una medida que "humaniza y relaja la ciudad" y que "ha sido positiva para la actividad comercial"
(...)
Las zonas 30, donde la velocidad está limitada a 30 kilómetros por hora, también se han extendido.

Anónimo disse...

A este Sr. que solo lee literalmente las noticias del periódico EL PAIS, le tengo que decir como español que soy que nada es comparable con la aberración que se ha realizado en Almada.

Este Sr, tiene que saber que jamas en España se ha peatonalizado un eje central en ninguna ciuadad, imagínese que en Madrid se hace peatonal el eje Paseo de las Delicias - Paseo del Prado - Paseo de Colón - Paseo de la Castellana, que cruzan la ciudad de sur a Norte, o en Barcelona la Diagonal, o en Zaragoza el Paseo de la Independecia o en Sevilla La Helíopolis, etc, etc

Así, las calles peatonales siempre son las adyaccentes y no las principales y cuando son ~PEATONALES son SOLAMENTE para PEATONES.

Cuando se procede a peatonalizar una calle, lo primero que se realiza son los aparcamientos alrededor de estas zonas para los transeuntes y los ayuntamientos habilitan viejos almacenes, edificios y otros para los residentes que después alquilan a éstos a precios reducidísimos.

Por otra parte a la misma vez se aprovecha para colocar los carriles para bicicletas, tanto es así que los ayuntamientos de Sevilla, Barcelona, Zaragoza y otras ciudades ya han colocado un servicio muy extenso de bicicletas de Alquiler con un gran éxito.

Comentaremos que siempre, siempre, siempre el metro en España en zonas centrales es subterráneo.

También resaltaremos que todos los transportes están unificados y que un solo billete sirve para todos pudiendo realizar transbordos sin coste añadido.

Añadir que los paseos son confortables con una calzada lisa en la que da placer caminar, los pasos de peatones están bién señalizados.

Veamos un ejemplo: La calle Serrano,calle muy comercial, en Madrid en estos momentos está a ser remodelada (nunca peatonalizada ya que es un eje muy importante de la ciudad ) lo que están haciendo es alargar los paseos para inserir el carril bici, ademas de actualizarla y embellecerla. En primer lugar lo que han habilitado son los aparcamientos en los cuales las tres primeras plantas se han reservado para las personas que van a relizar compras, com precios bajos y las restantes plantas hasta 5 o 6 son para los residentes. Las obras se están realizando a trozos para incomodar lo menos posible a los ciudadanos y sobre todo al comercio. Mientras tanto se aprovecha para restaurar los edificios con subvenciones que da el ayuntamiento.

Por qué las ciudades están vivas en España? pués por todo lo anteriormente citado que conlleva que las tiendas de marcas áncora se instalen en los centros de las ciudades lo que crea un comercio muy vivo alrededor.

Veasé, que las principales tiendas y mas grandes de buenas marcas, siempre están en la calle.

Por otra parte una gran preocupación hoy en día es que los jóvenes vuevan al centro de las ciudades y lo consiguen mediante edificios rehabilitados con subvenciones de los ayuntamientos y otras medidas que estos ofrecen a la juventud.

Por todo esto que aqui relato las cosas son muy diferentes. Yo me pregunto que al contrario de lo que sucede en España, que pasó para que en la avenida de Almada cerrara Máximo Dutti, Benetton, Levi´s y otras?

La gran pena que tengo es el no poder publicar en este blogg una fotografía de una de las calles comerciales mas antiguas de Málaga para que ustedes viesen lo que es una calle peatonalizada y embellecida.

Un abrazo a tod@s ustedes.

Sexta-feira, Janeiro 23, 2009 11:44:00 AM

Anónimo disse...

Também não é preciso sair das fronteiras de Portugal para constatar que as zonas pedonais são efectivamente para peões e nunca se situam no centro das vilas ou cidades, mas sim no seu centro histórico.
Aberração como esta não vi em nenhuma terra do nosso país, simplesmente porque não é lógico cortar as avenidas principais de cada localidade, porque para além de tudo são zonas da cidade contruidas não há muitos anos.
Ah!, já me esquecia que "eles" não são de cá...ok!
Só mesmo com estes autarcas da treta.

Anónimo disse...

O objectivo do elenco camarário não passa pelo desenvolvimento económico da cidade isso, seria perder a sua base eleitoral.Como se sabe, a independencia financeira leva à independencia de pensamento, à capacidade critica,à liberdade de escolha. Estabelecimentos comerciais que promovam a qualidade comercial urbana elevam a qualidade de vida e tudo o que acima citei acaba por nascer. Repare-se que a propósito da utlização paga nas pistas da Sobreda, numa reportagem televisiva no programa, "Nós por cá",as pessoas que organizaram a critica aos procedimentos municipais, foram acusadas pelo vereador responsável de serem ricas e poderem pagar com facilidade a utilização daquele espaço; é esta postura a destes autarcas, afastar as pessoas que julgam ser ricas justificando-se com o apoio aos pobres. Como lhes fica bem,..., não fica? Será possível alguma organização comercial com relevancia no tecido económico urbano, almejar sequer, vir a instalar-se no centro de Almada?, com esta gente?, tirem daí a ideia.
Oliveira

Anónimo disse...

Mais um disparate made in Almada pelas mãos de sua excelência madamme faz de conta e seus pares.

Além de que estão a tentar enganar o povo ao omitirem o que estão a reservar para o lado norte no projecto.
Não convém dizer mas há negócio chorudo.

E só por estas cabecinhas ocas passa a ideia de tornar o ambiente em redor da escola numa confusão.
É isso. Ou só vão ser permitidos veículos eléctricos?

Cada vez mais se torna impensável que esta autarquia continue a ser governada por este tipo de maníaco-depressivos.

Anónimo disse...

Fui ver a manifestação do caracol,e pedi um escrito que estavam a destribuir,e das coisas que defendem é o comercio tradicional,e agora eu me pergunto,quantas lojas vão fechar por causa do dito espaço pedonal quantas pessoas entre 40 50 vão perder os seus trabalhos,e sem possibilidade de encontrar trabalho noutro sitiu com essa idade,quantas pessoas vão ficar arruinadas,porque hipotecaram as suas casas, e as suas vidas nos seus negocios,faço aqui umas perguntas para aqueles que defendem uma zona pedonal possivelmento no sitiu errado.

Anónimo disse...

Parece-me claro que as zonas pedonais nesta cidade estão quase todas fora do sítio certo.
Há ainda tempo para se procederem às alterações necessárias e devolver a dignidade à terra, ao povo, aos peões e às viaturas.
Não é de todo conveniente ficarmos à espera que as excelências divinas (!!!) da nossa autarquia tenham bom senso.
Como ainda não está finalizado o processo Acessibilidades 21, pode ser que os iluminados da TRANSITEC consigam ver mesmo com as palas do costume.

Jorge Rodrigues disse...

O Em Almada no melhor estilo fascista e salazarista! Então a CM Almada está a destruir património do Estado Novo (eufemismo de fascismo português)? Está tudo dito! Entre mentiras, meias mentiras e deturpações grosseiras da realidade, nada se salva! Nada! O Em Almada apenas é capaz deste discurso absolutamente delirante, porque está em pânico. Mas é curioso, é um discurso muito próximo do discurso de algumas personalidades bem vinculadas a certo partido político, que ultimamente têm vindo em certa imprensa a dizer precisamente o mesmo que o Em Almada aqui diz. Gato escondido com rabo de fora? Será? Hummmmmmm ...

Mas continue assim, Em Almada! Sou eu quem lhe peço - por tudo, sublinho - para continuar com este tipo de diatribes. Só ajuda, pode crer!

Não tenho absolutamente nada contra a língua castelhana. Ainda que estejamos em Portugal, e este seja um blog escrito em português. Mas o que me surpreende é que, o segundo anónimo que aqui usa o idioma de Machado (entre outros) afirme - entre outras coisas - que em Espanha quando se pedonaliza uma rua (calle ou via) é mesmo só para peões. Espanta-me, porque alegando tão profundo conhecimento do país de "nuestros hermanos", revele uma ignorância tão grande. Refiro, apenas, casos como o de Salamanca, Avila, ou mesmo Sevilha, onde as zonas pedonais que existem não são, efectivamente, exclusivamente para peões. Mas enfim ...

Anónimo disse...

Tenham dó....
Será que são mesmo incompetentes ou estão só a brincar com a população de Almada?
Para ver que fizeram asneira não é preciso ser especialista em qualquer coisa, mas sim ter bom senso...que é o que vai faltando.

Anónimo disse...

Os nossos autarcas, como já obtiveram o doutoramento "honoris causa" em betão armado, vias de comunicação (estradas, pseudo espaços pedonais e linhas de caminho de ferro), estão agora em condições de usufruirem de umas boas férias sabáticas seguidas de jubilação e REFORMA...
Isto é o mínimo a que qualquer Professor catederático tem direito, pese embora o facto de, contrariamente à MES e outros, ter de leccionar bem mais de oito anos para atingir o estatuto de reformado...
Por favor ponham-se a "andar", não estraguem mais a cidade que vos acolheu e não serviram.
Não esqueçam:
A legitimidade (duvidosa)da maioria, não legitima a vossa incompetência...

Anónimo disse...

Também não é preciso sair das fronteiras de Portugal para constatar que as zonas pedonais são efectivamente para peões e nunca se situam no centro das vilas ou cidades, mas sim no seu centro histórico.

Tantas baboseiras neste blog. Basta até olhar para as fotografias aqui publicadas de Frankfurt ou Darmstatd.

Querem mais exemplos de grandes avenidas pedonais? Olhe, são só zonas históricas :-)))):

aqui
aqui
aqui
aqui
aqui com metro
aqui com metro
aqui
aqui
aqui
aqui

Já percebeu que meteu agua? Ou quer mais uns baldes pela cabeça a baixo?

Anónimo disse...

Ridículas algumas observações deixadas por sua excelência o anónimo Jorge Rodrigues.
Mas deixemo-lo continuar a pensar que é o dono da razão. O homem diverte-se e até tem masturbações mentais de tanto que pensa gozar.
Sabe lá ele do que fala...
Sabe apenas do que lhe mandam dizer e mesmo assim pouco.

Já se sentia a falta desta figura que quer ser pública mas que não sai da mediocridade.
Coitado!!!

Anónimo disse...

Sr. Jorge Rodrigues, como Español y buen conocedor de mi país, le puedo responder que las calles que son peatonales son solamente para peatones, esto no quiere decir que otras sean semi-peatonalizadas y compartan transporte y peatones.

Sr. Usted que parece haber salido en alguna ocasión de éste agujero y aunque las comparaciones son odiosas, me quiere el Sr.comparar Salamanca, Ávila o Sevilla con la aberración de Almada?

Si así lo hace el Sr. es ciego o tonto y además falta a la evidente verdad.

Saludos y le ruego que salga este fin de semana a darse por las tardes un paseo por Almada admire su belleza, confort y la cantidad de gente que anda paseando por sus calles si el Sr. es realista volverá a su casa con una gran sensación de DESOLACIÓN.

Anónimo disse...

Concordo com o Espanhol que conheço e admiro o seu ponto de vista, visto a realidade dos dois Países serem diferentes e de cultura tambem diferente. Contudo o que se passa em Almada é uma aberração com estes comunas autoritários e fascistas. Tenho imensa pena de ter esta terra como minha por opção e ter que viver nesta ditadura com cara de 25 de Abril "sempre". Numa palavra qualquer pessoa com personalidade se sente a mais numa terra onde os comunas deram cabo da nossa terra pensando que são melhores que os fascistas. NÂO SÃO MESMO. Os outros tinham informadores estes ainda teem mais. Juntas Freguesias Associações e os empregados da CMA que são todos escolhidos com provas dadaos. Mas estes tambem já viram a armadinha onde estão metidos , eles mesmo são o isco. Numa palavra vamos tirar esta cambanda fascista da nossa terra. JM

Anónimo disse...

Óh anónimo das fotografias, estamos todos mesmo a ver que essas avenidas e essas ruas são as únivas vias de escoamento das respectivas terras.
Tome juizo, só é enganado quem quer ou quem tem dividendos a tirar.
Pensa que são todos tótós?

Anónimo disse...

Mais uma triste estória da PSP em Almada:

Agentes da PSP de Almada voltaram a intervir durante uma manifestação de um grupo de jovens ambientalistas que defende a retirada de veículos numa zona pedonal, uma semana depois de terem estado em confrontos.
Esta sexta-feira, cerca de 20 pessoas concentraram-se, à tarde, na praça do MFA, movendo-se 'a passo de caracol' para dificultar a passagem do trânsito. Esta manifestação fez com que elementos da polícia fossem obrigados a agir, empurrando os manifestantes para que os veículos pudessem passar.
Os moradores defendem o fim da passagem dos carros pois, com a entrada em funcionamento do Metro Sul do Tejo (MST), grande parte do eixo central de Almada passou a zona pedonal para valorização do comércio local e devolver espaço público aos peões.

À consideração de quem estiver interessado.

Anónimo disse...

Pobre Almada...
Já ninguém te respeita!
És terra de ninguém...
Governada por Algarvios e Alentejanos com desejos principais: eles serem ricos... o povo cada vez mais pobre! eles de viverem numa espécie New York "Skyline"... o povo num qualquer bairro social nos arredores de Vostok...
Pobre Almada... onde estão os que de ti gostam?...

Anónimo disse...

A piada do dia veio ao fim da tarde com este comentário :

"Os moradores defendem o fim da passagem dos carros pois, com a entrada em funcionamento do Metro Sul do Tejo (MST), grande parte do eixo central de Almada passou a zona pedonal para valorização do comércio local e devolver espaço público aos peões."

Anónimo disse...

Cheira-me que este grupo chamado GAIA tem alguma coisa a ver com os tais radicais que destruiram as colheitas e agrediram um agricultor algarvio. Por causa do tal milho transgénico...

Agora escolheram Almada para fazer agitação política e nada melhor que usar as asneiras da "mobilidade" de Almada como pretexto.

Estes senhores, tal como os autarcas incompetentes de Almada, partem de preconceitos ideológicos e não de verdadeiras razões técnicas.

Não é preciso ser especialista em transportes para perceber que o eixo entre a Rotunda do Centro Sul e Cacilhas é a espinha dorsal da mobilidade na cidade, seja ela rodoviária, pedonal ou do MST.

Não pode portanto excluir nenhuma delas, sobre pena de rotura do sistema. E assim foi que funcionou durante dezenas de anos, que poderia ser enriquecida com a introdução do MST.

O que os incompetentes da CMA fizeram foi explodir com o equilíbrio do sistema, empurrando a circulação automóvel para as ruas secundárias envolventes, que manifestamente não têm dimensão para escoar o transito de forma eficaz.

REDUZIRAM A QUALIDADE DE VIDA das populações dessas ruas.

Para agravar, importaram mal a ideia das "ruas partilhadas" por peões e automóveis e agora temos os conflitos que estão à vista.

Mas será que tanto disparate tem solução?

Claro que sim, mas primeiro é preciso que nas urnas os almadenses retirem a maioria a estes autarcas incompetentes.

Sem isso, nada feito. E a culpa será total nossa.

Anónimo disse...

A mini manifestação de sexta feira última nada teve a ver com o grupo GAIA.
É essa a informação que disponho de fonte fidedigna.

Anónimo disse...

Se a culpa está nos blogues, se os maus da fita são os blogues , então porque não seguir a ideia publicada o a-sul :

REFERENDAR A NOVA CIDADE ?

Anónimo disse...

Nem a Câmara Municipal nem a PSP nem a Ecalma são capazes de fazer cumprir as regras em vigor na zona pedonal. Venham outros!

Anónimo disse...

Alguem me sabe explicar porque é que os automóveis não acedem ao Frei Luis de Sousa pela Rua Lourenço Pires de Távora? Obrigado.

Anónimo disse...

Este pessoal em Almada anda de olhos fechados , tenham vergonha e deixem de apoiar incondicionalmente tudo o que a santa (?) da maria emilia faz e diz. Abram os olhos para a vida,por exemplo tudo o que a policia P.S.P de Almada faz ou diz é criticado, nunca vi terra com mais ódio á autoridade que Almada, mas quando precisam lá vão chatear , se não gostam não chateiem.Cambada de comunas chouriços !!

Ex.Aluno disse...

Porque incomoda tanto o Frei Luiz de Susa, os seus alunos, professores e pais? O Frei não está ali há mais de cinquenta anos ?
Mas uma pequena dica à questão. Os Estacionamentos no interior do Frei e a possibilidade de entrar e saír no interior do colégio, só é possível pelo portão principal.
Para além disso a Rua Pires de Távora é uma rua que hoje em dia é o parqueamento dos residentes , com tudo o que isso implica. Além disso como saberão é uma rua muito estreita para nela canalizar os acessos ao Frei.

Ricardo ex-aluno disse...

O anónimo Jan 25 6:37:00 PM mostra não conhecer que o Externato Frei Luís de Sousa já existe no local desde 1956, com entrada (principal) para a parte do ensino secundário pela Praça da Renovação e primária pela Lourenço Pires de Távora.
Saberá este esperto que a Lourenço Pires de Távora hoje tem mais trânsito devido à superior decisão da CMA em matéria de trânsito.

Saberá explicar porque o acesso ao edifício da Câmara na Av. Nuno Alvares Pereira não é feito pelas traseiras?

Saberá explicar-nos porque a sua querida presidente da Cãmara nunca proibiu o estacionamento de viaturas à entrada do Externato à frente ou atrás, dificultando o acesso de viaturas de emergência às instalações em situação de sinistro dentro da área do Esternato.

que raio de câmara e de presidente essa que só faz o seu jogo e o de interesse partidário ?

dificulta os "burgueses" mas aparece no Frei nas festas e cola-se à Igreja Católica para tirar dividendos políticos.

aqueles que na Igreja colaboram com ela também não têm vergonha.

Anónimo disse...

Já se aperceberam das voltas que é preciso dar por almada para se poder deixar uma criança no Frei a partir da Rua Lourenço Pires de Távora, para quem se dirigir a partir do Pragal é um pesadelo.

EMALMADA disse...

Soubemos que o que nos haviam dito era incorrecto em relação aos edíficios contruídos nas traseiras da Escola, que aqui reproduzimos:

"Após o 25 de Abril, quando a Câmara (afecta ao mesmo partido actual ) tomou posse da Escola e do vasto terreno arborizado para recreio dos alunos, tratou de retirar dessa área arborizada, uma parcela de terreno para construir edifícios, onde instalou oficinas e serviços.

Na imagem os edifícios construidos a norte da Escola, na área usurpada aos alunos:"

Foi-nos agora possível obter ainformação. Na verdade aqueles edifícios (na parte norte)não foram contruídos pela Câmara.Já existiam antes do 25 de Abril, mas ocupados posteriormente.

DO FACTO PEDIMOS DESCULPA A TODOS. Fomos induzidos em erro e aqui fica a correcção.