sábado, outubro 18, 2008

Segurança Para Quê?

Em...Almada, o estado de conservação do Viaduto da Av. Bento Gonçalves sobre a Rua Cidade de Ostrava, encontrava-se (encontra-se) em situação precária.
A Declaração de Impacte Ambiental preconizava obras de reabilitação para o mesmo para permitir a circulação dos comboios em segurança. Essas obras nunca foram feitas.
Três fotos das feridas graves na estrutura do viaduto. Outras existem, que eram visíveis na parte de cima. Por baixo os danos também são significativos...
clique sobre as fotos para aumentar

... mas os (ir)responsáveis das obras do comboio, resolveram o problema, colocando massa sobre as feridas e aplicando um lancil em pedra colado às feridas.

Assim se cuida da segurança de pessoas e bens e os fiscais da Câmara e do Governo demonstram que olhos abertos e mente sã é com eles!

41 comentários:

Anónimo disse...

Já que estamos a falar do MST...
O partido Socialista vai realizar uma reunião sobre o Plano de Mobilidade na próxima 4ª feira, dia 22, na Sociedade Receativa União Pragalense, às 21 horas. Será convidado um elemento da equipa ministerial das Obras Públicas, Transportes e Comunicações para analisar com os presentes o referido Plano.
Esta reunião é aberta a toda a população.

Anónimo disse...

A questão em torno desse viaduto vem de trás.
É conhecida por todos os intervenientes.
A opção ridícula dos pseudo responsáveis foi a de atamancar a coisa. tapando uma fenda que vai reaparecer brevemente por não ter sido bem reparada.
Quando "a casa vier abaixo" quero ver tudo e todos a correr e a falar de desgraça mas a culpa vai morrer solteira.
O costume.

Anónimo disse...

O Em Almada e o último anónimo deviam deixar aqui registados os números das suas cédulas profissionais como engenheiros civis. É que assim, sempre alguém poderia recorrer a eles para fazer as obras como dev ser ...

Curioso ... disse...

A propósito de "destruir" a cidade:

1. Frota Municipal com quatro novas viaturas eléctricas;

2. Qualidade do ar em Almada está a ser monitorizada (protocolo com FCT, para quem não sabre, Faculdade de Ciências e Tecnologia);

3. Mercado Municipal é sinónimo de qualidade (Charneca de Caparica);

4. Charneca e Caparica têm artérias com melhor piso;

5. Praia da Trafaria reforça oferta balnear;

6. A Costa está a mudar (intervenção do Polis na frente urbana);

7. Novas salas para creche e berçário (Centro Social Paroquial de Vale Figueira);

8. FCT (para quem não sabe, Faculdade de Ciências e Tecnologia) assina protocolo com Agência Espacial Chinesa;

9. Encontro de empresários em Almada (hotelaria, restauração e bebidas);

10. Melhorar a segurança na circulação da cidade (pergunta/resposta);

11. Desfile promove comércio tradicional (Almada Fashion - já agora, atentem no número de lojas participantes - 20);

12. Laranjeiro ganha nova Praça da Portela (MST);

13. Festividades do Mês do Idoso enaltecem cidadania activa;

14. Universidade Sénior inicia novo ano lectivo;

15. 5º Concurso de Música Moderna de Almada;

16. Autarquia garante a gestão de 37 refeitórios escolares;

17. Inauguradas novas salas em Vila Nova (Escola Básica e Jardim de Infância);

18. Almada ganha novas bibliotecas escolares (quatro);

19. Almada assinala Mês da Música;

20. 16ª Quinzena da Dança de Almada;

21. Núicleo Desportivo Juvenil do Laranjeiro completa 30 anos;

22. Pista Municipal de Atletismo privilegia praticantes regulares (entre eles Naide Gomes, Arnaldo Abrantes e Nelson Évora, todos desconhecidos ...);

23. ISA World Surfing Games'008 realizam-se na Costa da Caparica;

24. Naide Gomes vence medalhadas nos Jogos Olímpicos;

25. White Sharks vencem 2º Torneio dos Alpes em Beisebol;

26. Novo sítio municipal dedicado à Juventude.

E há mais. É que recebi ontem em casa o Boletim Municipal e não resisti a revelar também aqui como se "destrói" a cidade! É obra!

Anónimo disse...

A propósito de tudo o que foi dito pelo "curioso" falta só uma novidade á portuguesa/almadense:
A Costa de Caparica será o protótipo de uma cidade dois sistemas, esquema como se sabe inventado pelos chineses, com um país, dois sistemas.
Ou seja, a recuperação da praia pelo Polis, projecto do governo central, vai tornar a praia uma zona de excelência.
A cidade, vai continuar suja, votada ao abandono pelo poder local, prédios degradados...enfim é uma terra portuguesa ...

Curioso ... disse...

Este último anónimo engana-se, e quer enganar-nos, em muita coisa (tudo) que diz. Mas há uma coisa em que se engana "mais" (e eu percebo muito bem porque é que se engana ...): o Polis NÃO é um projecto do governo central! Engana-se e mente! O Polis não é um projecto do governo dele ...!

Portanto, se quiserem acreditar neste anónimo, acreditem. Mas a verdade é que quem impôs o Polis foi o Município de Almada, quem lutou por este processo foram as autarquias locais, e mais, se não fosse o Boletim Municipal de Almada a falar do Polis, quem mais falaria? Ouvem mais alguém falar? O tal "governo central" diz alguma coisa que oiçamos?

Vem agora este "advogado do diabo" dizer que é do governo central? Governo central do PS, seguramente ...

Alguém, há uns tempos, aqui flava de "gato escondido com rabo de fora". Tal está este "anónimo" ...

Anónimo disse...

Anónimo de Domingo, Outubro 19, 2008 3:43:00 PM: você deve ser uma daquelas peças que funcionam tipo marioneta.
O que não afecta rigorosamente nada as pessoas de bom senso, ou seja, as que são exactamente o oposto a si.

Se quiser aprender alguma coisa, quer no âmbito de engenharia quer noutro qualquer, grite por socorro.
Alguém o há-de ajudar.

Anónimo disse...

Anónimo de Domingo, Outubro 19, 2008 3:49:00 PM:para o seu peditório já dei.
E consegui-lhe, com uma cunha muito forte, um lugar na ala 2 do Miguel Bombarda.
Para o caso desta tentativa falhar na prática, vou dar um empurrão para que você consiga um lugar na redacção do Boletim municipal.

Porte-se bem.

Anónimo disse...

Curioso
Você não fez os trabalhos de casa.
Aconselho-o a rever a matéria e depois falar dela como gente crescida.
Por enquanto tem nota negativa.
Temos pena.

Anónimo disse...

Este pândego que aqui apareceu agora e que se intitula de CURIOSO, será o mesmo "escrevinhador oficial"?
Se não é parece.
A sua conversa é a mesma.

E possivelmente arranjou um pseudónimo, e aparecerão outros para pensarmos que são muitos...

Anónimo disse...

Anónimo domingo 3:43:00 PM
Deixe de ser normalizado pela Maria Emília. As deficiências estão à vista.
Sua reserva no Miguel Bombarda está garantida.

naturline disse...

Que lindo teu blog Adar com um texto maravilhoso. muito boas, mo' gostou muito, da mesma maneira que o blog, obrigado muito.

Anónimo disse...

O "curioso" tem falta de uma actualização do seu software. Procure nas lojas da especialidade, e verá como consegue.
Tenha juizo homem, e deixe de considerar a população como um grupo de trouxas.
Já demos para esse peditório.
Com que então o Polis não foi lançado pelo poder central??
Havia uns tipos aí num país distante, que "apagavam" as pessoas (antigos camaradas) das fotos. É isso que quer, não é?

Anónimo disse...

O escrivão ao serviço da MES (Mediocridade Espiritual Simplificada), no Domingo, Outubro 19, 2008 4:15:00, escreveu:

" Mas a verdade é que quem impôs o Polis foi o Município de Almada,... blá, blá, blá... "

É assim que funciona a democracia em Almada...

QUEM IMPÕE (E DISPÕE) É O MUNICÍPIO DE ALMADA...

Livrem-se os munícipes de terem ideias...

Porque as ideias dos munícipes, mesmo quando avaliadas comparativamente com outras, porque não correspondem às dos "dotados" autarcas do Município de Almada, NUNCA poderão ser aceites.

As ideias boas são as IMPOSTAS ao Governo e aos Munícipes pelos "dotados e iluminados" autarcas...

Ainda se recordam da exigência (aqui era o verbo exigir em vez do verbo impôr, mas com o mesmo significado) da CMA para que o Governo fixasse o traçado do TRIÂNGULO DA RAMALHA?

Para além de não respeitar a decisão do Governo (Solução 5, apresentada pelos moradores), VEJAM OS RESULTADOS DA SOLUÇÃO IMPOSTA PELO MUNICÍPIO DE ALMADA:

- A LOCALIZAÇÃO DOS CONTENTORES DO LIXO, A DOIS METROS DOS QUARTOS DOS MORADORES;

- O RUÍDO DA PASSAGEM DO COMBOIO E DO ECO QUE PROVOCA NO "TÚNEL" (A CÉU ABERTO) DA EX-RUA LOPES DE MENDONÇA...

- ETC., ETC.,...

PARA AQUELES QUE APRENDERAM UM POUCO DE FÍSICA E PARA AQUELES QUE NUNCA A APRENDERAM OU A ESQUECERAM QUANDO ESTUPIDAMENTE IMPUSERAM ESTE TRAÇADO - SIM O MUNICIPIO DE ALMADA IMPÕE AS SOLUÇÕES - APENAS RECORDAMOS QUE:

A IMAGEM DE UM OBJECTO COLOCADO ENTRE DOIS ESPELHOS PARALELOS MULTIPLICA-SE ATÉ AO INFINITO...

O MESMO ACONTECE COM O SOM DO COMBOIO REGIONAL QUE É REFECTIDO ENTRE AS PAREDES PARALELAS DA EX- RUA LOPES DE MENDONÇA...

As paredes dos edifícios, com muita superfície vidrada das suas janelas, funcionam como espelhos...

O Ministério do Ambiente ainda existirá neste País?

Se existe será suficientemente responsável para avaliar, no terreno (MEDINDO E EXPLICANDO OS RESULTADOS AOS MORADORES) os diversos níveis de ruído (de dia, de noite, etc., etc., ...) provocado pela passagem do comboio regional?

AFINAL OS TESTES DO COMBOIO SERVEM PARA QUÊ?

SERÁ SÓ PARA VERIFICAR A FUNCIONALIDADE DO DITO? Afinal todos os comboios têm as rodas redondas...

NÃO SERÁ NECESSÁRIO AVALIAR O RUÍDO RESULTANTE DA CIRCULAÇÃO DAS COMPOSIÇÕES FERROVIÁRIAS A ESTA OU ÀQUELA VELOCIDADE?

QUAL A ENTIDADE QUE VAI FIXAR A VELOCIDADE EM FUNÇÃO DO RUÍDO?

QUEM AVALIA OS RESULTADOS DOS TESTES?

QUEM OS TRANSMITE À POPULAÇÃO?

QUEM DEFENDE OS INTERESSES DA POPULAÇÃO RESIDENTE?

Estamos entregues aos "bichos"...

Ponto Verde disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ponto Verde disse...

Para a CM Almada inserir este viaduto no ALMADA graffiti 2008 , vão ver que fica bué moderno e sempre camuflam o degradado que está.

O Kamarada do Seixal gastou 6000 euros a graffitar uma parede de 250 metros , como vê, D. Emilia, até é barato e a mão de obra gratuíta.

Fernando Sousa da Pena disse...

É muito curioso, este Curioso. Pela forma despudorada com que replica a propaganda oficial, por vezes com factos ridículos. Aliás, a fazer lembrar os relatórios de actividade municipal, em que 1 m2 de relva numa rotunda entrava na lista dos novos espaços verdes...

Pela sua intervenção, ficamos também a saber que é mérito desta Autarquia o protocolo da FCT com a Agência Espacial Chinesa ou os resultados desportivos de Naide Gomes...

Mas é de notar esta vasta lista, que se repete já em duas mensagens, que cultiva bem um certo estilo Kim Jong Il.

Curioso ... disse...

Caro Fernando Sousa da Pena,

Você que é tão atento e tão douto, não percebeu o que significa a transcrição (quase integral) do índice do Boletim Municipal de Almada relativo ao mês de Outubro de 2008, que aqui fiz. E é pena, porque se tivesse percebido, se calhar tinha produzido uma intervenção bem mais interessante do que a que produziu.

Não conseguiu perceber que, no essencial, o que procurei foi desmentir os mentirosos que por aqui andam a anunciar um Concelho de Almada que para catástrofe absoluta nada lhe falta. Até certo ponto, para o desmentir a si também, que frequentemente foge para esses terrenos (atente-se na sua nota sobre os relatórios de actividade municipal, para se perceber como o pézinho lhe escorrega para esse terreno com muita facilidade. E quem o ouviu, como eu ouvi por diversas vezes, na Assembleia Municipal, também sabe que assim é ...).

O que quis aqui deixar foi um conjuntro de exemplos de coisas boas que o Concelho de Almada tem. Sabe, para dar um bocadinho de ar fresco, também, a este espaço de maledicência pura, onde tudo aparece negro, escuro e mal cheiroso.

Mas já agora, olhe que a FCT e o Município de Almada têm cooperado muito intensamente, em favor da população de Almada, e em domínios que cada um por seu lado nada fariam, mas juntando as sinergias de ambos podem fazer e fazem coisas bem interessantes. O Madan Parque - e não me venha com essa da propaganda, porque você dá para mais do que isso - é um excelente exemplo dessa reunião de vontades e de energias que resultam bem para o povo do nosso Concelho. Ou não acha? E não acha que é também mérito da autarquia promover este encontro de sinergias?

Quanto à Naide Gomes, não me venha também dizer que ter à sua disposição uma pista para treinar com todas as condições para qualquer atleta de alta competição não é uma ajuda! Claro que é, e você sabe que é! E esqueceu-se, ou quis esquecer-se, que eu não falei apenas na Naide Gomes; também falei no Arnaldo Abrantes e no Nelson Évora ...

Por isso, você também sabe, é claro que sabe, que eu não pretendi, ao contrário do que escreve, retirar mérito desta realidade para a autarquia (embora, é óbvio, esse mérito também exista), apenas, como já lhe disse, afirmar que também há coisas boas neste cantinho.

Aliás, repare que as reacções "violentas" - até o Miguel Bombarda, ala 2, me ofereceram - que tive ao que escrevi, só comprovam precisamente que acertei na "mouche": incomodei alguns - parece que a si também ... - porque afirmei que Almada não é o caos anunciado por estas línguas viperinas que só sabem dizer mal e insultar.

Finalmente, caro Fernando Sousa da Pena, tenho que confessar que você tem uma outra característica que me aborrece: tende a comparar os outros - e fá-lo em relação a mim - com personagens mais ou menos históricas de quem você não gosta - bem pelo contrário, abomina - com o claro objectivo de menorizar o seu oponente. Pois deixe-me que lhe diga, caro Pena, que é pena que o faça. Demonstra inconsistência nos seus argumentos próprios, e ter que recorrer a esse tipo de expedientes para justificar aquilo que pensa, não é obviamente abonatório da sua própria posição.

Com muita facilidade eu poderia aqui estabelecer paralelos entre si e algumas personagens também elas mais ou menos históricas, que seguramente o enfureceriam, por um lado, mas o envergonhariam também, por outro lado. Mas não o faço, porque decididamente não entro nesse seu caminho.

Sou Português, penso em português e pela minha cabeça. Li e continuo a ler muitos autores das mais diversas nacionalidades, épocas e - agora espante-se, vá lá - ideologias, incluindo a que você professa - tem piada, por acaso nunca li nada do personagem que cita; escreveu alguma coisa interessante para que você próprio o cite? - e formei as minhas opiniões a partir dessas leituras, do estudo e da minha reflexão pessoal. Com liberdade, sem imposições. Por isso, não preciso de modelos de espécie alguma.

E por isso também, concluo que só mesmo a falta de argumentos pode justificar que alguém reaja como você faz.

O que, em abono da verdade, confirma plenamente quanto acertei mesmo na "mouche"...

Anónimo disse...

Quem acertou na "mouche" foi o povo dos Açores!...
Deram 1 (um) mandato à CDU!
Até o Bloco de Esquerda teve 2...
O CDS teve 5 mandatos...
É isto que temos de fazer em Almada!
Mais nada!...

Anónimo disse...

Este "curioso" e os seus amigos curiosos, porque de curiosos se tratam, ao vermos o estado da cidade, são na verdade uns grandes pândegos.
Isto realmente daria vontade de rir, mas como moramos cá e não viemos cá ver a bola, dá-nos uma grande tristeza.

Anónimo disse...

DEBATE PÚBLICO

PLANO DE MOBILIDADE ACESSIBILIDADES 21



Almada está a um passo de dispor da totalidade da rede prevista para a 1.ª fase do Metro Sul do Tejo, uma nova solução de mobilidade, que representa um novo paradigma de vida para o nosso Concelho.

A obra do Metro Sul do Tejo resulta do encontro de vontades entre o Governo e as Autarquias Locais: O Governo assumiu a responsabilidade financeira da concessão, as autarquias propuseram o traçado que foi a concurso e as intervenções de arranjos exteriores adjacentes ao espaço canal do MST.

A gestão da via pública e o estacionamento são responsabilidade do Município, como aliás decorre da lei. O Município de Almada encomendou e decidiu implementar o Plano de Mobilidade Acessibilidades 21, donde decorrem as soluções de circulação que têm vindo a ser implementadas nos últimos tempos.

O PS, sensível aos apelos das populações, requereu a discussão, na próxima Assembleia Municipal, sobre a implementação do Plano de Mobilidade Acessibilidades 21, um debate que pretende contribuir para corrigir muitas das situações que, neste momento, se verificam incorrectas e que levaram a privar pessoas de uma acessibilidade fácil a transportes públicos, ou dificultam a acessibilidade ao comércio tradicional, já penalizado pela realização de obras, para já não falar pela abertura do Almada Fórum.

Queremos, por isso, ouvir a sua OPINIÃO.

Assim, vamos organizar um debate público sobre a implementação do Plano de Mobilidade Acessibilidades 21, que se realiza no próximo dia 22 de Outubro, pelas 21h00, na Sociedade Recreativa União Pragalense (Rua Direita, no Pragal), e que conta como orador convidado com o Engenheiro Oliveira Cruz, Docente Universitário no Instituto Superior Técnico, e Consultor de Transportes.

PARTICIPE. JUNTOS, PODEMOS MELHORAR ALMADA.

Anónimo disse...

É preciso muita lata esta CAMBADA do PS vir agora falar em discutir as acessibilidades XXI!!!
Assobiaram para o lado nas guerras geradas pelo MST (particularmente na Ramalha) e agora estão sensíveis aos apelos da população???
Que cambada!!! Tenham vergonha!!!

Fernando Sousa da Pena disse...

Caro Curioso,

Não me quero estender no comentário ao seu parágrafo inicial. Não falo do tom - e recordo «Você que é tão atento e tão douto, não percebeu o que significa a transcrição (quase integral) do índice do Boletim Municipal de Almada relativo ao mês de Outubro de 2008» - mas, afinal, quem parece que não percebeu foi o senhor. Se reler a minha mensagem, verá que utilizo a palavra replicação, sim do boletim municipal, que é, obviamente, propaganda oficial.

Depois, um esclarecimento. Não o comparo a si a qualquer personagem histórica detestável. Em primeiro lugar, porque não gosto de insultar, mesmo que discorde profundamente das ideias. Depois, porque, ao contrário de si, não sei a quem me dirijo, já que escreve sob pseudónimo. Se ler bem, aquilo que pretendo dizer é que o estilo de pura propaganda da sua lista exaustiva, de sentido único, é próprio de outros regimes. Nada mais.

A mim não me incomodou nada a sua intervenção. Sinceramente, o que me incomoda é a degradação progressiva de uma autarquia cada vez mais incapaz de gerir, sequer, o quotidiano do concelho.

Os atropelos na gestão de Almada, que chegam ao disparate inimaginável, são tantos, que só me parece excêntrico falar da nossa cidade como se de um paraíso se tratasse.

Como sabe, sempre aplaudi o que entendi meritório. Quem dera poder fazê-lo no presente. Mais do que voos políticos, preocupa-me a minha cidade. Mas esta é uma altura de falar bem alto, porque a degradação urbana, paisagística e social do concelho é alarmante, porque os responsáveis deste município parecem totalmente alheios dos problemas dos almadenses, porque o mais elementar continua por fazer.

Acha mesmo que me faltam argumentos. Quer discutir assunto a assunto? Deixo-lhe já o repto!

Anónimo disse...

O senhor Curioso é uma aberração.
Não custa nada concluír que estamos na presença de um acérrimo defensor, talvez lacaio, das brandas alarvidades destes inqualificáveis (des)governantes almadenses.

Não estou nada interessado no que aqui vem dizer e que qualquer cidadão viu na leitura, enfadonha mas leitura, do pasquim municipal.

Você não me diga que se torna, sem mais nem menos, num arauto da desgraça efectiva em que querem tornar a nossa querida cidade e o concelho por tabela?!

Há vida para além desta morte mais que anunciada. Mas enquanto é muito fácil destruir, torna-se mais complicado reconstruir.

Acha mesmo que em Almada está tudo feito e bem feito?
Considera mesmo que a governação emiliana tem sido um êxito?
Pudera que não tivesse feito alguma coisa de jeito. Pudera.
Mas, se não corrermos com ela e com os seus lacaios temo que por aí venham dias piores.

Daqui a um ano, é preciso saír de casa e votar. Para que a abstenção diminua e, porque não, um outro partido possa assumir o comando.
Enquanto é tempo.
Esta senhora abusou e continua a abusar.

Já pensou, caro Curioso, na razão que levou a ex vereadora Antónia Lopes a abdicar do seu mandato a menos de meio?
Já pensou no que levou o ex vereador Hernâni a não se recandidatar?
Sugiro-lhe que pense.

Depois, com calma, diga qualquer coisa.

Cumprimentos do Regedor

Al-Ma'dan disse...

Curioso, curioso é que o senhor curioso que sempre foi a voz do dono, venha agora armar-se em livre pensador e em independente!
As cambalhotas que estes senhores têm de dar para se manterem à tona, são inacreditáveis.

Curioso ... disse...

Caro Fernando Sousa da Pena,

O tempo disponível para lhe responder não é muito, mas se quiser discutir comigo ponto por ponto - como me desafia -, aqui estarei. Diga-me apenas por que ponto começamos, e cá vamos nós.

Por agora, apenas comentários relativamente ao que escreveu como resposta à minha intervenção. De facto, você não percebe - ou não quer perceber, parece-me que será mais isso - o que eu aqui fiz com a "replicação" (o termo é seu) do índice da última edição do Boletim Municipal.

O que eu fiz aqui, volto a dizê-lo, foi tentar deixar - não para os empedernidos do contra como você, mas para eventuais incautos mas bem intencionados que aqui possam cair -, um apontamento sobre a hipocrisia mentirosa que o tom maioritário deste blog pretende afirmar relativamente à situação de "catástrofe" que o Concelho de Almada vive. É mentira que assim seja, e pela minha parte não vou permitir que uma mentira mil vezes repetida se torne verdade. Por isso, repito, você não percebeu - ou não quer perceber. Precisamente porque isso o ... incomoda!

A menos que eu esteja enganado, e o que você me esteja a querer dizer é que o que o Boletim Municipal de Almada diz é tudo mentira. Claro que não se atreve a fazê-lo - usa o eufemismo da "propaganda oficial" - mas provavelmente é o que pensa. Convido-o, no entanto, a percorrer todos os boletins municipais do país - incluindo o da única Câmara Municipal presidida pelo seu partido - para depois dessa "aventura" retirar a conclusão que retira. Antes disso, é pura demagogia sua o que afirma, e eu nem me preocupo em contestá-lo.

Já agora, ninguém, muito menos eu, falei de Almada como se de um paraíso se tratasse. Quem fala de Almada como se de um "inferno" se tratasse é você e os outros como você. Mas sem apontar nada de concreto, é tudo genérico, do tipo "o que me incomoda é a degradação progressiva de uma autarquia cada vez mais incapaz de gerir, sequer, o quotidiano do concelho", o que é uma boa tirada, mas não passa de uma profissão de fé, nada mais, ou ainda "Os atropelos na gestão de Almada, que chegam ao disparate inimaginável, são tantos, que só me parece excêntrico falar da nossa cidade como se de um paraíso se tratasse", outra (talvez) excelente tirada, mas retórica pura.

Eu não, dou exemplos concretos. Por isso, agurado com alguma (muita) curiosidade, o primeiro tema que me irá propor para discutirmos no tal "ponto por ponto".

Finalmente, diz que não sabe com quem fala, ao contrário de mim que sei quem você é, e que por isso não me compara com ninguém. Mais uma tirada demagógica e hipócrita da sua parte. Sabe muito bem com quem está a falar - não há aqui nenhuma questão de natureza pessoal entre nós, apenas ideológica, por isso estou perfeitamente identificado para si, use o pseudónimo de curioso ou o nome de Joaquim António Fernandes da Silva Correia, ou abreviado, Fanã.

É absolutamente indiferente, mas você sentiu a necessidade de se justificar, o que comprova que eu estava certo, era a mim que se dirigia ao referir-se à tal personagem histórica.

Mas mais grave do que isso é a arrogância que você assume. Você acha que comparar-me a Kim Jong Il, uma "personagem histórica detestável" como diz (adianto desde já, para não vir conversa depois, que esta personagem histórica não é rigorosamete uma personagem da minha simpatia, bem pelo contrário), é um insulto, uma vez que diz que não me compara porque não gosta de insultar. Esta soberba, esta arrogância, desculpe a sinceridade, fica-lhe mal, caro Pena. E é pena, mais uma vez! Certamente que não entende que o debate de ideias se faz por essa via. Se não gostamos e consideramos "detestável" alguém, pensar que uma simples referência a esse alguém é um insulto, convenhamos, caro Pena, não é o caminho mais ajustado para debater ideias. Porque "detestáveis" há para todos os gostos, caro Pena, não passa de um juízo de valor, por isso puramente subjectivo.

Daí, e isso você parece que também não quis perceber, eu lhe ter dito que podia com toda a facilidade compará-lo a si com "personagens históricas detestáveis", mas que me recusava a ir por esse caminho. Ah, mas mesmo que alguma vez o fizesse, nunca o consideraria na dimensão de um insulto ...

Anónimo disse...

Esta agora é mesmo de curioso ...

Dos 26 comentários que estão neste post, e dos outros que andam pelos outros posts anteriores, quantos correspondem a "cambalhotas" do al'ma-dan? Hein, boa pergunta, não é?

Anónimo disse...

Curioso.
Bastante mesmo.
Em boa verdade este curioso enviou um mail a partir de um computador da Câmara.
Para quem?
A falar de quê?
Hummm, aqui há curioso.

Fernando Sousa da Pena disse...

Caro Joaquim Correia,

Definitivamente, temo pela clareza da minha escrita, porque aquilo que me responde passa frequentemente longe dos meus propósitos. Vou procurar melhorar.

Eu sei o seu objectivo ao fazer a lista de temas abordados no BM. Não deixa, no entanto, de ser uma tentativa de mascarar as críticas concretas que neste blog têm surgido. Não creio que o caminho certo para contrapor aos problemas efectivos da população seja um listagem de coisas boas que ocorrem no concelho. Para essas já há espaços suficientes de propaganda. Sim, oficial, paga pelos munícipes e contribuintes.

Depois, não me diga que fico por coisas genéricas e retóricas. Sabe muito bem que não é assim. Já lá iremos...

Quanto à comparação, ela diz respeito à sua lista de "feitos do regime" e não de si. Lamento que não reconheça a diferença. Como bem sabe, acho o comunismo uma doutrina perversa que deixou atrás de si um rasto de dezenas de milhões de mortos. E o estilo que deixou até hoje inspira-me imediata rejeição. Porém, não acredito que cada simpatizante do comunismo seja por isso uma pessoa perversa. Apenas professa um erro. Entre condenar um erro e condenar a pessoa que erra vai uma distância abissal. É só isso.

Mas regressemos a Almada. Proponho-lhe como ponto de partida a conservação do espaço urbano. Para já, no que diz respeito a arranjo e limpeza. Neste blog já apareceram dezenas de fotografias - reais, concretas, identificadas. Não são retórica.

1) Os contentores de lixo estão frequentemente a transbordar e mostram uma recolha desleixada e ineficiente.

2) As papeleiras de ruas e jardins seguem o mesmo caminho.

3) Não há trabalho regular de varredura e lavagem de ruas.

4) São muitos os passeios em que crescem ervas daninhas.

5) As ruas e os espaços verdes estão pejados de lixo (sacos, embalagens diversas, papeis, jornais, maços de cigarros, etc.) e de dejectos de cão. Há zonas que não vêem limpeza há anos!

6) Os pombos são uma praga que cobre de dejectos passeios, postes de electricidade, monumentos, beirais, varandas, mobiliário urbano.

7) A densidade de paredes vandalizadas por tags e graffiti é enorme, criando-se um ambiente urbano horrível e agressivo.

8) É muito frequente mobiliário urbano vandalizado. Basta ver o estado da recente obra do MST - paragens, iluminação, caixotes de lixo.

9) Os ecopontos são monstruosos e agridem visualmente. Também a recolha aqui é lamentável (sim, já sei, não é a CMA directamente responsável, mas pode fazer muito mais).

10) Os monos acumulam-se junto dos contentores durante muito tempo.

Percebe assim o que é «a degradação progressiva de uma autarquia cada vez mais incapaz de gerir, sequer, o quotidiano do concelho»?

Temos um espaço público desagradável, mal tratado, sujo, descuidado. Deveria ser prioridade da Câmara Municipal a sua conservação diária, permitindo a reconquista das ruas pelos cidadãos, em vez de os empurrar para casa ou para os centros comerciais.

Atribuindo a este sector uma parte muito mais significativa do orçamento. Criando, cumprindo e fazendo cumprir bons regulamentos. Fiscalizando e autuando sempre que necessário. Limpando de imediato o que está sujo. Tendo muitas brigadas de acção diária de limpeza. Generalizando contentores e ecopontos enterrados. Cuidando semanalmente de todos os jardins. Combatendo eficazmente a praga dos pombos. Capturado os animais abandonados. Melhorando a iluminação pública. Fazendo TUDO o que lhe compete. Até porque alguns actos de falta de cumprimento dos cidadãos resultam apenas de não se preocupar em sujar mais aquilo que já está sujo.

Terminei a retórica...

Curioso ... disse...

Para o anónimo de Quarta-feira, Outubro 22, 2008 3:33:00 PM,

A minha mais profunda gargalhada de desprezo: ah, ah, ah, ah, ah, ah, ah, ah, ah!

Para o Fernando Sousa da Pena, já lá irei.

Curioso ... disse...

Vamos lá então ao Fernando Sousa da Pena,

Confesso que, ainda que por segundos, conseguiu preocupar-me. Pedi-lhe um tema para dialogarmos "ponto por ponto", você faz-me uma lista de dez! Mas lendo melhor, de facto, verifico que é só um tema o que me sugere como ponto de partida. Descansei.

Mas antes de lá irmos, apenas um comentário ao que você escreve previamente: mascarar? Não, eu não tento mascarar coisa nenhuma. Volto a dizer-lhe que quis apenas aqui deixar registados apontamentos positivos do que se passa no nosso Concelho, como contraponto à tese da catástrofe que é defendida pela maioria dos que por aqui andam, incluindo você. Portanto, a minha lista não teve, não tem, nenhuma intenção de mascarar o que quer que seja, tanto mais que aquilo que você considera "críticas concretas" que têm surgido neste blog, são tudo menos isso mesmo: críticas concretas!

Aliás, e concluindo este ponto prévio, quem tenta mascarar a realidade do que se passa na nossa vida quotidiana, são precisamente aqueles que - como você - aqui vêm com generalidades (e são mesmo generalidades!) tentar traçar um panorama de catástrofe (de inferno, talvez perceba melhor, uma vez que é católico) do Concelho de Almada. Esses sim andam a tentar mascarar alguma coisa.

Bom, posto isto, vamos lá ao cumprimento do desafio.

Por razões metodológicas, e para tornar a leitura mais fácil, vou seguir o seu critério. Embora o tema que sugere seja apenas um - a limpeza urbana - vou procurar o contraditório através de um exercício semelhante ao seu, isto é, dividindo-o em alíneas.

1) A sua afirmação é, mais uma vez genérica, e pior do que isso, não corresponde minimamente à verdade. O que afirma não se verifica frequentemente (o que quer dizer muitas vezes), acontece apenas em situações pontuais. O facto de aqui, neste blog, serem insistentemente publicadas fotos que procuram demagogicamente ilustrar aquilo que afirma, apenas significa que o autor do blog tem muito tempo para andar por aí a tirar fotografias, por um lado, e está permanentemente atento a qualquer situação menos normal para aproveitar a oportunidade e ... dar a estocada. Esse comportamento conheço-o de ginjeira ...

O que faz você quando se depara com um contentor cheio? Deixa o lixo junto ao contentor sujeito a espalhar-se e sujar tudo à volta, ou guarda-o consigo até ao momento em que o contentor esteja vazio? Esta é a questão que cada um de nós, se quiser ser verdadeiramente cidadão, tem que começar por responder. Porque de quem é a responsabilidade pela produção de lixo? Da Câmara Municipal? Pois, a responsabildiade da Câmara Municipal é recolher esse lixo diariamente, para isso pagamos o serviço que nos presta. Mas há feriados, ha greves, há imponderáveis que, por vezes, suscitam a alteração das rotinas estabelecidas. Que devemos nós, se quisermos ser cidadãos de corpo inteiro, fazer? Deixar na mesma o lixo no local próprio e depois vir para estes blogs dizer mal da Câmara Municipal? Ou assumir a nossa própria responsabildiade enquanto cidadãos e esperar que essa anomalia pontual seja resolvida? Esta é a opção que você, como eu, como todos, temos que fazer. Diga-me qual é a sua opção, porque da minha parte, mesmo com sacrifício, não coloco o lixo que a minha família produz no local apropriado se ele não estiver apto a recebê-lo em condições aceitáveis.

2) O mesmo que disse em 1) aplica-se em 2. Tudo.

3) É falso, e você como ex-deputado municipal devia saber que é falso. E mais não digo sobre esta matéria.

4) Passeios com ervas daninhas? Muitos? Aqui está o exemplo mais acabado da sua tendência para a generalização. Diga onde é que isso acontece, no concreto. Refira locais exactos. Seria, da sua parte, o assumir da cidadania que tanto gosta de afirmar. Se o fizesse, certamente ajudaria a melhorar a intervenção dos serviços adequados. Mas não, você faz afirmações genéricas porque acha que não é uma responsabildiade dos cidadãos participarem activamente na gestão quotidiana do seu próprio espaço. A Câmara Municipal que resolva, o que significa que você se demite da sua própria cidadania. Para si a cidadania são apenas os seus direitos, que são naturalmente absolutos.

5) Não há nenhuma zona do Concelho de Almada que não veja limpeza há anos. Essa é uma verdadira barbaridade que, de novo em termos genéricos, você afirma. Quanto a haver lixo nas ruas, solto, como o que refere, bom, meu caro Pena, não sei se fuma ou não fuma, mas um maço de tabaco vazio deitado para o meio da rua é um problema óbvio de falta de cidadania e de respeito pelos outros. Quem o faz é que é o responsável, não a Câmara Municipal. O mesmo é verdade relativamente aos dejectos dos cães. Essa de vir aqui tentar desculpar os verdadeiros "criminosos" com o argumento de que a Câmara Municipal não limpa, é fácil. Mas demagógico, profundamente demagógico.

6) Os pombos, muito bem, são mesmo uma praga quando a sua população ultrapassa o equilíbrio desejável. Esse equilíbrio é naturalmente estabelecido nas cidades se não houver quem, em nome de falsos argumentos "humanitários" de defesa dos "direitos" dos animais os alimente de forma absolutamente irresponsável. Se os pombos não tiverem o que comer na cidade, afastam-se. Sabia disso? Gostava era de o ver a si a condenar aqui aqueles que irresponsavelmente deitam aos pombos toda a espécie de comida que nem sequer faz parte da sua dieta alimentar natural, fazendo assim crescer a população de pombos de forma descontrolada e ... de outros animais igualmente indesejáveis.

7) Há muitas paredes com tags e graffitis, é verdade. Qual a solução para essa questão? Provavelmente você é daqueles que defendem medidas repressivas puras. Pois eu não sou desses. Penso que este fenómeno é muito mais complexo do que o epíteto de vandalismo puro que tantos, como você, tentam atribuir-lhe, e que carece de abordagens de enquadramento social também elas complexas. É um problema do tipo de soiedade em que vivemos, não é uma expressão pura de vandalismo. Mas sei que você isso não entende.

8) O espaço do MST está vandalizado? Não dei conta, mas certamente sou eu que sou muito distraído. Agora, caro Pena, se você está a tentar responsabilizar a Câmara Municipal de Almada pelo vandalismo, aí dir-lhe-ei que o irresponsavel é você. O vandalismo decorre da situação miserável em que cada vez mais cidadãos são forçados a viver, não da prática e da gestão da Câmara Municipal de Almada (ou de qualquer outra Câmara Municipal). É o sistema social, económico e político que você considera modelo e exemplar que provoca e estimula o vandalismo. É esse modelo que você defende que cria cada vez mais pobres e excluídos, e torna cada vez menos muito ricos e poderosos. É esse sistema, não a Câmara Municipal de Almada.

9) Aqui mais uma generalidade sua. A Câmara Municipal pode fazer muito mais. Claro que pode ...

10) Os monos, Pena? Os monos acumulam-se? Bom, esta é que não dá mesmo para acreditar que você venha aqui referir. Então você andou quatro anos a dormir na Assembleia Municipal, Pena? Então você não sabe que existe um serviço inteiramente gratuito, assegurado por todas as Juntas de Freguesia do Concelho, para recolha personalizada de monos em todo o Concelho? Não sabe disso? E a culpa é da Câmara? Mais uma vez, para si, onde fica a cidadania? Qual é a responsabilidade social de cada um de nós? Então temos um serviço gratuito disponível, que ainda por cima responde bem, não o usamos e depois vimos acusar os outros. Oh Pena, que pena, homem. Que pena!

Quanto à parte final do seu comentário, apenas o seguinte: só quem não gosta nem um bocadinho da terra em que vive poderá dizer o que você diz! Nem mais. Uma pinga de gosto pela terra onde vive deveria fazê-lo pensar pelo menos duas vezes antes de afirmar o que afirma. Fica-lhe mal, e apenas confirma que não sou eu quem procura dar uma visão edílica do que se passa em Almada, é você quem tenta, se calhar desesperadamente, dar uma visão catastrófica, de inferno, da cidade e do concelho que diz ser o seu.

Para primeiro ponto estamos conversados. Venha o próximo.

Anónimo disse...

Se falarmos em grafittes é uma poluição completa. Todos podem sujar o poder local não existe e contribui até para este estado de coisas. Concordo consigo Caro das 6.44.00 PM. A sujidade já comporta outra sujidade é pegada. não temos Governo local. Temos sim, " a ECALMA existe para sacar o dinheirito das pessoas já cheias de dificuldades " O povo é quem mais ordena" " vinte 25 de Abril sempre" para esses abutres que comem tudo e não deixam nada, na sombra de uma data bonita o aproveitamento dessa gente suja... O Povo não dorme...

Anónimo disse...

Não sei se terá algum efeito, mas quem estiver descontente com o trabalho da CMA assine:

http://www.peticao.com.pt/acessibilidades-almada

Anónimo disse...

Divulgação de acções através do EMALMADA:

No debate de ontem no Clube do Pragal estiveram dois cidadãos que tiveram conhecimento da discussão que se fez à volta das acessibilidades em Almada, através deste blog.
Foi muito esclarecedor o depoimento de um comerciante que teve conhecimento do evento através do blog, para se perceber a crise que muitos estão a sofrer. Infelizmente com apenas uma parcela do eixo central pedonalizado, sem (ou com carros) estacionamentos não se vislumbra saída para a crise.
Fiquei com a convicção que com o Metro do Porto as coisas andaram bem melhor e foram referidos os números de passageiros que têm vindo a crescer muito de ano para ano. Quando serão postos on line os números do MST?
O debate não foi suficientemente esclarecedor quanto a custos parecendo-me que o orador só conhecia os valores do projecto inicial.
Agora que se segue o Metro de Coimbra faço votos para que os anseios da população sejam verdadeiramente respeitados.Acredito que o ambiente social desta cidade de amplo debate plural levará os gestores a encontrarem melhores soluções do que as que todos nós conseguimos para Almada, porque os erros cometidos são pagos por todos os contribuintes e gerações futuras.
A propósito de dinheiro mal gasto porque é que está parado e ao abandono o terminal fluvial de Cacilhas inaugurado há 10 anos?

Embora aparentemente o projecto de acessibilidades XXI respeite todas recomendações internacionais as soluções encontradas em Almada produziram maus resultados porque foram dados poucos ouvidos aos alertas e anseios das populações.

Não basta ouvirem-nos: é preciso que quem ouve faça um esforço para perceber o seu interlocutor.
Só assim vale a pena dialogar, para compreender, respeitar e depois decidir.
Esperemos que melhores tempos venham para todos os que ficarem prejudicados com esta intervenção na cidade.
Foram muitas as críticas e apontados caminhos para remediar e corrigir alguns erros. Assim saibam os decisores actuais e futuros defender a "res publica" coisa pública, acima dos interesses monetários ou eleitorais.
Hermínio

Contas Certas disse...

Quanto a custos vejam o Relatório de Auditoria do Tribunal de Contas em:

https://www.tcontas.pt/pt/actos/rel_auditoria/2006/audit-dgtc-rel046-2006-2s.pdf

...E tenham presente que o Relatório é de 2006!...

Agora perguntem, a quem de direito, o que se poderia ter feito pela nossa terra e pela nossa gente com tanto dinheiro...

É ESCANDALOSO!

Anónimo disse...

Curioso
Outra vez a utilizar um computador registado na CMA?
Cuidado, Curioso, cuidado.
A gargalhada de desprezo significa o estado quase de pânico em que ficou.
O último a rir é o que ri melhor.
Cumprimentos

Anónimo disse...

O que se diz "curioso" e agora também distraido, não anda cá...parece que sim, mas não anda.
Ele paira sob Almada...
Também já ficámos esclarecidos que a culpa é do sistema em que nos inserimos. Podia ter logo começado por aí, que já nos poupava tempo.
O seu ideal era ter um kgb atrás de cada um dos cidadãos, para não deitarem lixo fora do contentor. Depois como já não haveria greves, porque eles não deixavam , estava tudo resolvido...só restaria o problema dos feriados, mas estou que encontravam solução...

Curioso ... disse...

Pairar sob é engraçado. Não sei e como se faz, mas isso pouco importa.

O que importa, de facto, é que quem quer KGB ou PIDE ou outra coisa qualquer semelhante não sou eu. Quem exige, aqui, repressão pura e simples sobre cidadãos não sou eu. É, isso sim e muito provavelmente, o anónimo que aqui diz que eu "pairo sob Almada"...

Quanto a manobras de intimidação, é melhor esquecerem (esta é para o anónimo - cobardolas - de Quinta-feira, Outubro 23, 2008 6:50:00 PM. Cá estou eu de novo, não me intimidam!

Finalmente, para o Fernando Sousa da Pena, o único com quem ainda se pode convrsar. É pena que o autor do blog já tenha passado adiante. Mas estas coisas são mesmo assim. De qualquer forma, pela minha parte, o "ponto por ponto" mantém-se. Venha o próximo.

Fernando Sousa da Pena disse...

Caro Joaquim Correia,

No essencial, o senhor confirma o diagnóstico. Discordamos seriamente é na causa. O senhor acha que há falta de cidadania; em alguns casos concordo. No entanto, o que pode uma autarquia esperar dos seus munícipes quando o exemplo que dá é tão miserável?

Diz-me que há limpeza diária. Quantas pessoas? Quantos carros? Por onde andam?

Espera mesmo que lhe indique a porcaria acumulada rua por rua, jardim por jardim? Será um tanto maçador para os leitores deste blog. Mas o senhor não passeia por Almada? Não consegue mesmo ver aquilo de que falamos.

Almada tem um problema sério de limpeza urbana e de conservação do espaço público. Atribuir as culpas aos cidadãos é demitir-se de uma função essencial da autarquia.

Continuarei depois.

Anónimo disse...

Convém não esquecer a MENTIRA que o "curioso" e "distraido" quis fazer passar, ou seja que o Polis da Costa da Caparica tinha sido da autoria da autarquia.
Todos sabemos que foi o poder central que lançou os projectos Polis, ou já não se lembra?
Houve quem estivesse contra, outros aproveitam a boleia, mas os factos são factos.

Anónimo disse...

É a lei da vida...

Um dia vamos correr com estes autarcas incapazes de construir um futuro decente para Almada.

Só não sei se será já em 2009 ou em 2013, mas já encomendei umas casacas laranjas e rosas para oferecer aos lambe botas de hoje.

Porque os lambe botas de hoje serão os lambe botas de amanhã.

Cuidado com eles.