terça-feira, outubro 07, 2008

Autarquia do Lixo ou Lixo da Autarquia?

Em...Almada, isto ainda existe após 3 dias feriados, o 5 de Outubro e os "feriados", da Câmara Municipal, de recolha de lixo, 6 e 7 de Outubro.
Não é mentira, não é mais uma invenção do EmAlmada, está em exibição pública na Cova da Piedade, ali na comunista Avenida Bento Gonçalves.
É uma desfeita dos autarcas CDU/PCP sem vergonha, a Bento Gonçalves.
É fundamental que a autarquia respeite os munícipes.
Dirão os "escrevinhadores municipais": "A culpa é dos cidadãos que não ficaram com o lixo em casa nestes 1+2 dias ´feriados`."
clique nas fotos para aumentar
Tanto lixo, logo ali com o comboio (é agora o nome oficial), o futuro da Presidente, constantemente superlotado a passar tão perto, para os cidadãos verem a limpeza urbana numa autarquia exemplar.
Tudo isto existe, tudo isto é triste em Almada.
Autarquia exemplar?
Pois, gostariam muitas autarquias terem tanto lixo e um comboio com lotação esgotada num vai e vem sem parar.
Para dignificar Almada, nas próximas eleições não se abstenha de votar.
Vote sempre num partido, que não CDU/PCP ou outro em que os actuais "autistas" autarcas se venham a esconder, pois só assim será possível varrer a incompetência que nos vem massacrando há mais de 30 anos.

EmAlmada agradece a colaboração de cidadão

19 comentários:

Anónimo disse...

Não é novidade.É uma imagem que se repete n vezes X n dias pelo concelho.

Anónimo disse...

Cuidado com os lacaios que vão dizer que a culpa é de outra entidade, que não a CMA. Pagamos nós taxas de recolha de residuos urbanos para acontecer esta pouca vergonha. A outra cidade Europeia onde acontecem imagens semelhantes é Nápoles, e toda a gente sabe quem manda lá...

Anónimo disse...

Se é a Nápoles de Itália há hipóteses de ser a Máfia.
Acertei?

Al-Ma'dan disse...

Estive em Nápoles no Verão de 2007 e confesso-vos que em termos de lixo o que se vê em Almada nada fica a dever-se ao que se vê na cidade italiana. As lixeiras almadenses são às centenas por tudo quanto é lado, o lixo espalha-se igualmente nas bermas das estradas e das ruas,as ervas crescem nos passeios, os poucos espaços verdes são também espaços com lixo. Enfim, um retrato miserável de uma qualquer cidade de 3.º mundo.
Portanto, se em Nápoles há a camorra o que haverá em Almada ?
Claro, em Almada há a MESousa e o seu vereador de faz de conta, pois está claro !

Anónimo disse...

Cámara, desculpem, camada de porcos!

Ponto Verde disse...

A chuvinha de ontem que até nem foi nada de especial, já demonstrou a qualidade das obras no centro de Almada.

Novo equipamento para os Almadenses antes de sair de casa:

1) Mola de roupa no nariz por causa dos cheiros do lixo

2) Galochas

3) barco insuflável ou bóia se quizer circular , por exemplo entre o Farao e o Central.

Como se aproximam várias campanhas eleitorais, estes seriam bons suportes de merchandising para os simbolos partidários.

Pensem nisso senhores politicos!

Anónimo disse...

Notícia Retirada do Rostos On-Line:

"Grupo Parlamentar “OS VERDES”
Pede esclarecimentos sobre as obras do Metro Sul do Tejo e o seu impacto

A Deputada Heloísa Apolónia, do Grupo Parlamentar “Os Verdes”, entregou na Assembleia da República uma pergunta em que pede esclarecimentos ao Governo, através do Ministério das Obras Públicas, sobre as obras do Metro Sul do Tejo e o seu impacto nas actividades económicas dos comerciantes do centro de Almada.

Colocando a questão: “Os comerciantes do centro de Almada foram prejudicados, na sua actividade económica, pelas obras do metro sul do Tejo”, o grupo Parlamentar “OS VERDES” pede esclarecimentos à Assembleia da República sobre o impacto daquela obra, considerando: “esta situação não se pode considerar uma novidade, porque ela era, de resto, previsível. Ou seja, até pelas suas características e dimensão, reflectir-se-ia sempre negativamente sobre as actividades económicas ali presentes”.

“Não houve nenhum levantamento ou estudo prévio que aferisse desses impactos”

Entendem ainda que “não houve nenhum levantamento ou estudo prévio que aferisse desses impactos” e, nesse sentido, referem: “Levam-nos estes factos, pois, a concluir que os comerciantes arcaram com todo o prejuízo decorrente de obras públicas, prejuízos esses que, uma vez causados, deveriam ter tido resposta por parte da Concessão, nos termos do previsto no nº 2 da base XIV do Decreto-Lei nº 167-A/2002, de 22 de Julho.”

E acrescentam: “Segundo foi tornado público, a Metro Sul do Tejo vai ser compensada em 70 milhões de euros, pelo facto de as obras se terem atrasado e de não ir auferir receitas no decurso desse período de atraso. As compensações, afinal servem para cumprir só os prejuízos de alguns!”.

Nesse âmbito, “Os Verdes” colocam as seguintes questões ao Ministério das Obras Públicas:
1.Era ou não, na perspectiva do Governo, mais que certo que as actividades económicas instaladas na zona onde decorrem as obras de construção do metro sul do Tejo (centro de Almada) iriam ser negativamente afectados?
2.Porque é que não foi feito nenhum estudo de impacto dessas obras sobre as actividades económicas?
3.Porque é que os comerciantes do Porto tiveram o direito de ser compensados pelos prejuízos decorrentes das obras do Metro Porto, e os de Almada não tiveram o mesmo direito em relação ao Metro Sul do Tejo?
4.Porque é que a Concessionária vai ter direito a indemnização pelos atrasos das obras do Metro Sul do Tejo, por perda de receitas na actividade, e os comerciantes da zona não tiveram direito a qualquer compensação?
5.Porque é que não foi aplicada, em relação aos comerciantes, o nº 2 da base XIV do Decreto-Lei nº 167-A/2002, de 22 de Julho?
6.O que diz, neste momento, o Governo aos comerciantes prejudicados?"

PERGUNTA-SE: OS VERDES JÁ NÃO COMPÕEM A CDU QUE GOVERNA ALMADA?...OU ACORDARAM AGORA?

Anónimo disse...

Os Verdes colocaram a questão ao Governo, não foi? Porque terá sido ao Governo? Que é do PS? Porque será ...

Anónimo disse...

Esta dos Verdes é só para distrair a malta.
Quem é que pediu o Metro para Almada, não foi a Emília?

Pois é ela a responsável pelos prejuízos porque não acautelou as consequências negativas.
Onde estão os parques de estacionamento?

Ela não precisa de estacionamento, os vereadores também não. A Ecalma não os multa além de andarem à borla.

Os Verdes ainda têm de amadurecer para tentarem enganar o povo português.
Os Verdes são legítima farinha do mesmo saco (PCP).
Vão bugiar para outro lado.

Anónimo disse...

Ontem cairam uns pingos de chuva em Almada, a praça Gil Vicente e a praça dos Fugitivos (MFA) transformaram-se em lagos.

Fernando Sousa da Pena disse...

Eu acho que, finalmente, a maioria comunista acertou numa estratégia de desenvolvimento para Almada. Ao ser a cidade mais suja de Portugal, poderá atrair uma massa turística relevante, que se deslocará ao concelho para visitar esta forma criativa de arte urbana.

É um conceito contemporâneo de grande visão. Falta um sound bite eficaz, capaz de promover esta ideia. Qualquer coisa como
«A aurora da imundice no novo milénio». Provavelmente, a máquina de propaganda autárquica encontrará frase melhor.

Vejo já este futuro risonho. A nossa cidade repleta de turistas em busca dos jardins esquecidos e cheios de detritos, das ruas pejadas de lixo, dos contentores a transbordar, das graffiti em todas as paredes, do mobiliário urbano vandalizado, dos passeios esburacados e cobertos de ervas daninhas, das pragas de baratas, dos dejectos de pombos, das matilhas de cães vadios.

Isto, sim, é modernidade!

Anónimo disse...

Os Verdes estavam verdes...

Anónimo disse...

Senhor Fernando Pena, a czarina manda dizer que quem fala assim não ama a sua cidade! e cito:

"Quem fala assim não gosta da sua Cidade. Quem fala assim não ama o sítio onde vive. Quem fala assim não participa na construção das ideias para a sua Cidade. Porque quem participa sabe que a visão estratégica que existe para Almada resulta da contribuição de muitos e muitos cidadãos, técnicos seguramente, mas muitos cidadãos. E um dia Almada vai ser tudo isso, porque é preciso ter visão e ambição e os autarcas da CDU têm-no, e têm-no demonstrado. Porque quando vocês vêm falar do Polis, o Polis da Caparica não foi ninguém que o veio oferecer de bandeja. O Polis da Caparica acontece porque há uma estratégia, há uma visão para este Concelho e o que é pena é que não se louve a iniciativa dos autarcas que aprovaram por unanimidade o pacto para o desenvolvimento turístico da Costa de Caparica. Foi iniciativa dos autarcas, partiu de nós, de um colectivo diversificado, com várias sensibilidades políticas, mas depois renega-se porque afinal de contas quem está na gestão maioritariamente não é quem está no Governo maioritariamente.
O Metro Sul do Tejo nasceu dos autarcas, pois foi. Foi uma visão, foi uma ambição, hoje é uma realidade. A Cidade da Água será uma realidade, como a Costa de Caparica será.(...)
Não vamos ficar quietos, seguramente, já estamos a pensar, vamos ver com a nossa inteligência, com a nossa imaginação, com a nossa vontade de fazer e de criar, e é isto que os autarcas têm que ser. Mal do autarca que se verga, mal do autarca que não é capaz de sonhar, de criar, de perspectivar o futuro com a sua população, com os técnicos e com todos eles. E portanto, não são sonhos para não se concretizar (...)
E o Metro de Lisboa a Cacilhas há-de um dia vir, nessa altura há-de haver quem diga quando isso for concretizado, fomos nós, fomos nós que tivemos a ideia, fomos nós que defendemos."

Veja se modera o seu estilo sarcástico e se porta bem...
Veja se sonha...

cientista político disse...

O que ela disse espremido só deita coisa de blá, blá, blá, blá, blá, blá e para ela melhor que blá blá, não há!
Ela não tem visões. Tem alucinações.
Ela não tem estratégias. Causa tragédias.
Ela não tem ambições criadoras. Tem ambições destruidoras.

Anónimo disse...

olhóoooo ressabioo é à nota mileeee

Anónimo disse...

Os verdes são uns pãndegos.
A conversa é só para disfarçar e fazer recair o onus da trapalhada do traçado do comboio, sobre outros que não estes artistas.

Fernando Sousa da Pena disse...

Pronto, pronto, eu compro o sonho. Com todo o papel de embrulho poético que lhe puserem. E fico em dívida de gratidão.

É um privilégio viver nestes tempos de glória, duma cidade quimérica que as gerações futuras vão agradecer em comoção colectiva.

O que confirma a minha ideia de o lixo acumulado por tudo o que é sítio, o mobiliário urbano vandalizado, as ruas agrestes e descuidadas, os jardins abandonados, os ecopontos monstruosos e a abarrotar, as paredes grafitadas, os dejectos de animais e as pragas que voam e rastejam, são apenas uma contribuição pós-moderna para um conceito de arte urbana que vai encher a cidade de turistas.

Para lá de uma corrente surrealista que já se impôs na regulação do trânsito, com a definição mais desmiolada que se pôde conceber dos novos sentidos, e que fazem os almadenses ser participantes de um quadro interactivo de Dali.

É extraordinária esta estratégia. Almada no cume do desenvolvimento artístico mundial!

Anónimo disse...

Os Verdes estão a vestir a pele de cordeiro do Partido Comunista.

Anónimo disse...

Adivinhem la quem vai voltar a ganhar a Câmara em 2009??
Ah pois é..É vossa conhecida ;)..