segunda-feira, novembro 26, 2007

Projectos Planos e Visões Virtuais

Em...Almada, notou no Boletim Municipal de Novembro 2007, a abundância de Projectos, Planos e Visões ditas estratégicas para Almada, "presentes" aos almadenses em ritmo alucinante, que deixam qualquer importante cidade da Europa na cauda de uma Escala de Realizações que nunca saem do papel, mas apresentadas como realidades já para amanhã.

Cremos tratar-se de mera propaganda oportunista para encher olho aos munícipes e distraí-los dos incómodos das obras que estão a decorrer para implantar um metro que dizem ser o futuro, em simultâneo com a destruição do principal eixo viário de Almada e da cidade.

Mas esta propaganda da Câmara Municipal de Almada num Boletim Municipal pago com o dinheiro dos munícipes apresenta ainda a singularidade de ter a média de uma fotografia com a Presidente da Câmara por folha.
A edição do Boletim Municipal tem 36 páginas e exibe 18 fotos com a Presidente.
Consegue fazer melhor que o Diário da Manhã, jornal de propaganda do regime vigente em Portugal até Abril de 1974 porque o Diário da Manhã, embora fosse diário, era vendido e não apresentava tantas fotos do Chefe do Governo por folha.
Não se entende que quem diz repudiar o fascismo e os métodos utilizados em propaganda pelos regimes totalitários, se fascine tanto por tais métodos que os aplica em seu benefício, tentando enganar o povo já que diz, tais procedimentos agora são democráticos.
Dizem que num país dito socialista existiam dois jornais: "A Verdade" e "O Notícias", mas o povo apesar do controle exercido pelo regime totalitário, conseguia ver que não havia Verdade no Notícias nem Notícias na Verdade.
Orgão de propaganda de quem ocupa a cadeira do Poder na CMA e onde as oposições não têm direito a qualquer página, o Boletim Municipal, impressão e papel pagos com o dinheiro dos munícipes é imposto a estes nas caixas do correio da residência e deixado em estabelecimentos comerciais e outros locais públicos, não do município, para seduzir olhares e mentes e, lhes "ocupar" o tempo.
Assim alguns se servem da "democracia" no concelho de Almada!

17 comentários:

Anónimo disse...

"L´État c´est moi" Luís XIV

Ponto Verde disse...

As palavras de Jerónimo de Sousa:

"Uma "Política (...) concretizada pelo grande capital financeiro e das grandes empresas de construção civil, nas suas múltiplas, variadas e complexas conexões, política que, simultaneamente, não responde às necessidades de habitação dos portugueses, particularmente daquelas classes e camadas sociais que são numericamente dominantes na sociedade, ao mesmo tempo que promove brutais excedentes de habitação (e também escritórios) que se encontram vagos, deixa degradar um número incalculável de fogos, muitos deles com características e interesse histórico, promove o endividamento das famílias e aumenta a nossa dependência financeira face ao exterior."

... e a realidade que todos conhecemos, dizem tudo.

Mais contradições PCP versus CDU no a-sul

Anónimo disse...

Na página 4 do Boletim de Novembro informa-se que técnicos da Câmara foram a Treviso, Itália. Vão ao site deste município e verão que lá há concursos transparentes para a polícia municipal. E cá? Como são feitas as escolhas, v.g. para a ECALMA?
Este município italiano é governado pela força de direita (Liga do Norte)e na Assembleia Municipal há dez forças. Como diz o Emalmada estabelecendo um paralelo com os jornais do regime antes do 25 de Abril, estamos num estado lamentável, no mínimo pré democrático.
Espero que os técnicos que visitaram Estocolmo e Treviso possam nos seus relatórios dizer e publicar no boletim o que observaram nas suas visitas. Se a oposição não tem direito a expressar-se apesar de os seus eleitores também pagarem estas publicações que tenham aos menos os técnicos esse direito. A continuarmos como até aqui não vamos longe.
Com pensadores como o Emalmada as coisas vão ter que mudar e mudarão. Se não for a partir de dentro, será a partir dos eleitores.
Cittadinos, apriamos nostros occhios.(cidadãos abramos os nossos olhos).Queremos ter a liberdade de observar a nossa realidade de todos os ângulos, sem palas nos olhos ou sem lentes conversoras.Obrigado ao Emalmada por nos ajudar a ver as coisas da sua perspectiva o que só nos enriquece.

Pedro Vale disse...

Ele que se candidate agora em 2009. Seria óptimo.

Anónimo disse...

O gajo ou a gaja só deve candidatar-se à comissão organizadora dos Jogos Olimpicos em Almada, que a presidente MES falou há uns tempos.Recordam-se?

ex-militante disse...

Sentindo chegar sua hora, Major, um velho porco, reúne os animais da fazenda para compartilhar de um sonho: serem governados por eles próprios.

Sob o comando dos inteligentes e letrados porcos, os animais aprenderam os 7 Mandamentos, que, a princípio, ganhava a seguinte forma:

1. Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo.

2. Qualquer coisa que ande sobre quatro pernas, ou tenha asas, é amigo.

3. Nenhum animal usará roupas.

4. Nenhum animal dormirá em cama.

5. Nenhum animal beberá álcool.

6. Nenhum animal matará outro animal.

7. Todos os animais são iguais.

Para os animais menos inteligentes, os porcos resumem os mandamentos em apenas “Quatro pernas bom, duas pernas mau!” que passou a ser repetido constantemente pelas ovelhas.

Cria-se um mito em torno do porco Napoleão

Os porcos passam a viver na antiga casa da QUINTA e começam a modificar os mandamentos que estavam na porta do celeiro, que, espantosamente, recebeu estas alterações:


4. Nenhum animal dormirá em cama com lençóis.

5. Nenhum animal beberá álcool em excesso.

6. Nenhum animal matará outro animal sem motivo.

E mais uma:

7. Todo animal trabalhará no mínimo 18 horas por dia, exceto o Rei Napoleão e os incríveis porcos. É nítida a ostentação dos porcos e o descaso para com os demais, bem como o cuidado de mantê-los na completa ignorância. Além disso, foram realizadas reuniões de execuções dos animais que haviam contestado alguma regra, mesmo que em sonho.

Napoleão, os outros porcos e os agricultores da vizinhança celebram, em conjunto, a produtividade da Quinta/Granja dos Animais. Os outros animais trabalham arduamente em troca de míseras rações. O que se assiste é um arremedo grotesco da sociedade humana.

No final, os animais, ao olhar para dentro de casa já não conseguem distinguir os porcos dos homens. O slogan das ovelhas fora modificado ligeiramente, “Quatro pernas bom, duas pernas melhor!”, há poucos dias.

O último mandamento, que havia sido considerado o mais importante, tornou-se único e a máxima:


Todos os animais são iguais, mas alguns são mais iguais do que outros.


Análise:

A obra constitui não só uma alegoria para a revolução Soviética, mas também para todas as revoluções, e como os ideais acabam sendo corrompidos pelo poder e dinheiro.

O resultado é uma situação em tudo semelhante ou pior ao que existia antes da revolução. Para isto, contribui o fato de a história ser contada por um narrador neutro, na terceira pessoa, passando-se numa localização indefinida, que acaba por dar um senso critico ao leitor .

O sonho de um velho porco de criar uma granja/quinta governada por animais, sem a exploração dos homens, concretiza-se na Revolução.

E como costuma acontecer com as revoluções, a dos bichos também está fadada à tirania, com a ascensão de uma nova casta ao poder.



O Triunfo dos porcos no blogue a-sul

Anónimo disse...

Oh EmAlmada, não vou perder muito tempo consigo, não vale a pena.

Mas como verifico que já por diversas vezes se queixou de que o Boletim Municipal de Almada não concede espaço à "oposição", ao mesmo tempo que se queixa de que não há "oposição" em Almada, deixo-lhe duas ingénuas perguntas:

1ª Qual é o Boletim Municipal, de qualquer uma das 308 Câmaras Municipais do País, que dá espaço à "oposição"?

2ª Se não há "oposição" em Almada, para que quer então você que o Boletim Municipal dê espaço a uma coisa que ... não existe?

Esclareça lá, homem. Isto de arrotar postas de pescada para o ar só, não dá!

Alex disse...

Há sempre um anónimo a transbordar más intenções.
É o caso do que me antecedeu.
Você não deve andar ao corrente da realidade.
Não há nenhum boletim municipal que dê espaço à oposição?
Não é verdade.
Vou é deixar que seja você a fazer a procura, já que foi você a fazer a afirmação.
E duvido que tenha tido, nem tempo nem oportunidade para os ler a todos.
Além de que nem todos os municípios têm um boletim municipal.
Com este ou com outro nome.
Informe-se.

Anónimo disse...

Não sei se há boletins municipais que dão espaço à "oposição" ou não. Nem isso me interessa, se há ou não. O que me interessa é que não deve haver.

O problema está mal colocado. Os boletins municipais não são jornais, não são panfletos, não têm (nem têm que ter) como função promover o debate político-partidário. Um parêntesis para o Alex, que parece tão bem informado. Essa de dizer ao anónimo que o antecedeu que você sabe mas não diz, faz-me lembrar as crianças birrentas: disseste (ou fizeste) mal, olha eu castigo-te assim, sei (o que está certo) mas não te digo. Bem feita! Revela pouca (nenhuma) disponibilidade para o debate aberto e franco, portanto reduz igualmente a legitimidade para criticar determinadas situações. Mas adiante que o alex é daqueles que não merecem que perca tempo com ele ...).

Portanto, quando falamos em boletins municipais não temos que colocar sequer a questão da "oposição", isto é, "oposição" é coisa que não existe neste universo.

Os boletins municipais - afinal, mais um parêntesis para o Alex, informe-se lá também sobre o enquadramento juridico-legal dos boletins municipais. Porque ele existe, e é claro (sim, agora também me apeteceu ser menino birrento. Mas "amor com amor se paga") - existem e servem para divulgar junto dos munícipes o que se vai fazendo pelo Concelho respectivo. Nada mais. É óbvio que pode haver quem não goste do que se vai fazendo, quem não se reveja naquilo que é feito pelas respectivas autarquias. Mas daí a transformar os boletins municipais em espaços de contestação vai uma distância muito grande.

O que é grave, porque não demonstrado objectivamente, é que a "reivindicação" e espaço para a "oposição" no boletim municipal pressupõe uma atoarda muito grande, que é esta: o boletim municipal é porta-voz de uma força política. Ora isto é grave, é mentira além do mais, e é puramente demagógico. E eu daqui desafio todos os Alex e todos os outros a mostrarem-me um único exemplo em que o Boletim Municipal Almada se tenha, uma vez que seja, assumido nas suas páginas como porta-voz de qualquer partido ou força política. Nem uma única vez isso aconteceu, e a história do Boletim Municipal de Almada já é bastante longa.

Quanto à segunda questão que o anónimo que lançou este debate coloca, aí subscrevo. É bem observado, sim senhor.

conceição jorge disse...

No município de Almada o boletim municipal é um orgão de propaganda dos que estão lá ( e do partido por arrastamento)camuflado de orgão de informação, pago pelos munícipes.
Não é merecedor sequer da designação de orgão informativo do município porque não informa com isenção. Omite a informação que não interessa aos senhores armados em donos de Almada e ao partido a que pertencem. Vejamos o que se passa nos foruns e outras reuniões publicas quando se fazem criticas á câmara municipal e nada disso é transposto para o boletim.
Será que se o ou os jornalistas que fazem boletim se se atrevessem a escrever as verdades, a senhora presidente permitia a publicação?
Eles concerteza que nem se atrevem a fazê-lo. Se o fizessem veriam o caminho do desemprego. É até provavel que haja uma comissão de revisão do boletim. Aqui não se designa por Censura porque é feio, mas existe. Se não existe é porque quem faz o boletim é da inteira confiança dos patrões.

Anónimo disse...

Caro Conceição Jorge

Concordo com o que escreve e posso adiantar que de facto quem faz o boletim tem instruções muito concretas do que se deve ou não escrever e mesmo assim existe uma comissão de revisão do boletim (sei do que falo , porque conheço a situação em concreto). A comissão designa-se por ME.

EMALMADA disse...

Para quem tem "espirito" controleiro não era de esperar que houvesse liberdade de imprensa interna no Boletim Municipal e se que respeite a liberdade de expressão , isto tudo sempre em defesa das amplas liberdades, mas só as deles, o resto é fascismo e reacção...
São as inventonas do costume para segurar a claque!

fernando sousa da pena disse...

Duas breves notas.

O Boletim Municipal de Almada é muito mais do que um meio de informação. Aliás, informação relevante tem muito pouca. Tem notícias, profusamente ilustradas (com muitas fotografias da senhora presidente e restante executivo), que mais do que promoverem o concelho promovem a sua gestão. É um óbvio (e caro) meio de propaganda política, não explicitamente partidária (era o que faltava...), e até de doutrinação. Recusar isto é fechar os olhos ao óbvio por simples obstinação ou cegueira ideológica.

Quanto aos restantes boletins municipais ou afins, não é que eu seja um entusiasta do paupérrimo poder autárquico nacional, mas basta ver os exemplos de Oeiras, Cascais ou Sintra (para não sair da área metropolitana) para ver as tremendas diferenças.

Alex disse...

"1ª Qual é o Boletim Municipal, de qualquer uma das 308 Câmaras Municipais do País, que dá espaço à "oposição"?"

Esta pergunta foi feita por si, senhor anónimo.
Vamos, então, ver quem levantou a questão...
Agora não lhe interessa?
Haja pachorra!!!

Estou, de facto, muito bem informado. Não só no que diz ao boletim que é municipal mas não é, como a tudo o que diz respeito à vida do e no meu concelho.

Também estou bem informado sobre a política do bota abaixo que o caro anónimo utiliza.
Quem não tem gato caça com rato. Não é, anónimo?

O que você sabe já a mim me esqueceu.

Não baixe o nível da conversa só porque e quando lhe dá jeito, anónimo.

Venha daí e converse, já que falar você fala mas ... não diz nada.

Passe bem.

Anónimo disse...

Será que nunca existiu nada melhor que o Boletim Municipal de Almada?

"Claro que sim" ...

O PRAVDA. Recordam-se?

Sempre fez um relato fiel dos acontecimentos e das muitas participações dos cidadãos, fossem eles do Comité Central do partido, no antigamente, ou nos Forums de "partipação" do MST, promovidos pela CMA na Região Autónoma de Almada...

Estes últimos, qual comícios de bajulação aos "eleitos"...

Assim não, isto é uma ditadura da minoria...

EMALMADA disse...

Esta de "Região Autónoma de Almada" caracteriza muito bem o tipo de democracia com que os auto-convencidos "donos da coutada" querem subjugar os almadenses.
Até quando munícipes e cidadãos?

Anónimo disse...

A Verdade e o Notícias não são o Pravda e o Izvestia da ex-URSS?