quarta-feira, novembro 07, 2007

Que Acessibilidades e Que Segurança?

Em...Almada, aos cidadãos não estão garantidas condições de acessibilidade e mobilidade durante as obras do MST. Estas imagens captadas na Av. Bento Gonçalves são a evidência provada do "muito cuidado e respeito" que a edilidade e concessionária, tem com as pessoas, nomeadamente crianças, idosos e incapacitados.
clique sobre as imagens para aumentar
Onde está a fiscalização?
Onde está o cumprimento das exigências da Assembleia Municipal em matéria de segurança para cidadãos, aprovadas em Março de 2004, que levaram à paragem das obras, disse a CMA, por não estarem a ser garantidas as Normas de Segurança?
Onde está o cumprimento rigoroso das normas de segurança de obra previstas:
-na lei geral
-no SIGAQS (Sistema Integrado de Gestão do Ambiente Qualidade e Segurança) da concessionária
-na Declaração de Impacte Ambiental (DIA)?
que determinam assegurar condições de obra compatíveis com a partilha de espaço público com peões e outras?
Não se vê nas condições observadas nas fotos!
Onde está a oposição que votou essa mesma Deliberação da Assembleia Municipal, clamando ao Governo por melhores condições para peões e a agora não aparece junto da população apoiando-a ou junto da CMA e Concessionária exigindo o cumprimento das normas ?
Já se esqueceram que enquanto as obras prosseguem ocorreram numerosos acidentes com viaturas, quedas e acidentes com cidadãos e até a morte de uma jovem no Laranjeiro, porque as condições de segurança/sinalização não eram as melhores ou eram deficientes?
Que trabalho realiza a fiscalização?
Fiscaliza alguma coisa? Vela com eficácia pela segurança dos peões ou fecha os olhos a uma série de anomalias?
Perante o que se observa é pertinente perguntar: Há fiscalização?
Parece que se paga para existir.
É assim que as pessoas estão em primeiro lugar ou será que é a obra e a concessionária que se sobrepõem à população?
Em democracia é assim?
Almada e os Almadenses ao serviço de e para servir quem?
A que custo?

15 comentários:

Anónimo disse...

Não é só aí.Na Praça Gil Vicente e por Almada a música é a mesma.
Não se respeita o cidadão.

Ponto Verde disse...

É um perigo o acesso a Almada com os peões a apareceren de onde menos se espera por não terem espaço devidamente assinalado e arranjado para circularem.

Como é para os deficientes ?

Anónimo disse...

A associação dos cidadadãos automobilizados devia ser alertada para esta situação

melro disse...

Os eleitos revelam que não têm sensibilidade para os problemas e dificuldades sentidas pelos deficientes neste caso.
Só falam dos direitos de deficientes quando lhes interessa captar a concordância deles-o voto-para os seus objectivos políticos e aí começa a demagogia carnavalesca.
Não há vergonha para tanto descaramento.

António Sem Medo disse...

Este blog é um valente esterco de realidades distorcidas e hiperbolizadas a belprazer.

Eu diria mais.. o Sr Emalmada precisava era de uma pasta de merda esfregada nessa tromba para não ser hipócrita e mentiroso. Não venha agora cá com histórias da cartilha e o raio que o parta, que eu nem comunista sou. Sou almadense e não gosto de ver gentalha da sua estirpe a defraldar aquilo que se passa nesta terra.

almadense desiludido disse...

E havia necessidade de utilizar essas palavras, essa forma de falar?
Muito baixo anda quem assim fala...

Anónimo disse...

Parabéns ao EmAlmada, por permitir que se mostre o que de mal acontece na nossa terra.
Quanto á linguagem utilizada por um anónimo, já nos habituámos a ouvi-la quando a verdade não é a da propaganda oficial.

EMALMADA disse...

Quanto a certas palavras e expressões menos correctas usadas por algumas pessoas, ficam com quem as usa e debita.
Nós continuamos com calma, não a da Ecalma,e com serenidade a pugnar por uma Almada livre e democrática onde se possa viver em paz política, onde os eleitos saibam assumir suas responsabilidades políticas e saibam o que é ética e respeito pelos cidadãos no exercício das suas funções.
Não seguimos a orientação do Boletim Municipal, porque essa é contrário aos interesses de Almada.
O Boletim é a Voz do dono.
Fala o BM de uma Almada virtual.
A Almada real vêmo-la no dia a dia, quando caminhamos pelo concelho, a Almada suburbana de lixo nas ruas, de passeios esburacados, de prédios degradados evandalizados, uma Almada sem vida, uma Almada cinzenta e atrasada no tempo, às portas da capital, uma Almada que não contruiu futuro, uma Almada que abandonou durante anos a Costa de Caparica, uma Almada onde nos dizem que o futuro (?) está a chegar com o metro.
De qualquer modo participem. Agradecemos a participação, mas façam um pequeno esforço para não deixarem sair termos impróprios e não dignos de pessoas que se dizem educadas e democratas.
Serão capazes disso os menos calmos?

Pedro Vitor disse...

O que você tem mais é ser educado e possuir ética e respeito. sim, senhor!

Parabens ao António Sem Medo pela linda prenda que lhe ofereceu. Eu seria mais generoso consigo ainda.. mas sou mais contido.

Deixe-se de demagogias e de laivos de demência e aprenda a ter juizo.

Anónimo disse...

António dá-lhe!! EmAlmada gosta tanto de distorcer a seu favor..

almadense desiludido disse...

Eis que se junta o génio do mal.
Tudo da mesma fábrica.
Vamos lá a ter bom senso.

Anónimo disse...

Em Mar�o de 2004 a oposi�o com a conversa da seguran�a em fundo aprovou, sem se dar conta, o que n�o queria. Como ao poder convinha que as obras n�o ca�ssem em cima das elei�es, leram e interpretaram por conta pr�pria a paragem das obras perante a passividade das oposi�es, anestesiados pela magna preocupa�o da seguran�a. Agora j� ningu�m est� preocupado com isso e bastou o Eng�. Marco Aur�lio ter um amargo de boca por causa de cr�ticas dos cidad�os num forum para todos os respons�veis se calarem.
� que se n�o respeitam o esfor�o do homem as obras ainda v�o entrar pelas elei�es dentro. O sentimento � acabem l� com isso para vermos a coisa a andar.
Gostaria que houvesse mais respeito por alguns que n�o querem ver e usam vocabul�rio que s� os degrada. A prop�sito defraudar � da mesma fam�lia de "fraude" e n�o de fralda. Defraudado sinto-me quando se nega que o fim das dificuldades criadas ao andamento da obra MST em Mar�o de 2004 n�o foi o acto eleitoral e o voraz desejo de conten�o do d�fice da Dr�. Manuela Ferreira Leite. A SEGURAN�A foi um mero pretexto que tamb�m ter� servido os interesses da concession�ria que antes pode fazer as obras sem pedir a entrega dos espa�os necess�rios � obras e � concess�o e que a partir da� lhe passaram a ser exigidas.
Est� por explicar porque � que o Eng�. Marco Aur�lio faz essse trabalho que pertence � concession�ria. Espero que decontem o valor dos pagamentos que a concession�ria diz reivindicar ao concedente. Afinal o atraso n�o � tamb�m pela falta dos desenhos que nunca quiseram fazer?
H� muito por dizer e o que vai doer � quanto cada contribuinte vai ter de pagar por causa destas guerras que v�o acabar com um chorudo pedido de indemniza�o que eu n�o estou disposto a pagar. Fa�am menos jogo e fa�am as obras bem, depressa e sem custos desnecess�rios. Estou a ficar enjoado com tanta manhosice. Sejam sinceros com os eleitores. Sem cartilhas idiol�gicas ou habilidades judiciais. Quem quer falar com os eleitores de Almada olhos nos olhos?
Quem o fizer ter� seguidores embora para isso seja precisa muita coragem.H� muitos que n�o admitem estar errados.O normal � desistir. Perguntem ao Sarmento porque � que desistiu e ao Fernando Pena se ainda tem coragem de voltar ao combate pol�tico, depois de 4 anos na AM.Quem nos governa � o medo, excep�o feita ao emalmada.N�o desista porque est� a prestar um servi�o c�vico a liberdade.Termino com um desejo que as profundas obras do POLIS da CosTa mere�am a protec�o dos deuses DOS MARES e que o esfor�o finnanceiro valha a pena.

Red Devil disse...

e se não concordo com outros tópicos deste e doutros blogs sobre o tema MTS/Almada, este estou de acordo.

Sou obrigado a passar todos os dias pelo meio da obra (sim que aquilo não são acessos) e felizmente que me posso mover com as minhas pernas, porque se não pudesse, ou tivesse de levar o carrinho de bebé seria o "caos e a trindade"

almadense desiludido disse...

"O Carmo e a Trindade", meu caro red devil.
Não distorça o que à história pertence.

José Santos disse...

Este António "sem medo" deve ser um valentão, de tal maneira não se coibindo de ofender as pessoas que democraticamente exprimem a sua opinião.
Este António "sem medo" não é esterco, porque este ainda é útil à agricultura. Ele é antes, um ser despresível, ordinário e reles. É um ser impróprio de andar junto dos humanos. Não lhe vou chamar animal porque isso seria uma ofensa para os mesmos.
Concordo com ele quando diz que não é comunista. De certeza não é mesmo. Um comunisca educado nunca escreveria o que escreveu.
Agora fascista acredito que seja, pois usa a técnica do "antigamente" para não dar liberdade às pessoas que educadamente expressam as suas opiniões.
É a primeira vez que faço um comentário num blog, apesar de costumar consultar.
Não é para ele que escrevo, pois que o meu tempo não gasto com semelhante ser. Isto era dar-lhe crédito que é o que naturalmente quereria. Faço-o para chamar a atenção dos vários comentadores que educadamente o fazem, embora discordando do que Emalda escreve. Não tenciono dar réplica. (ponto final).