quinta-feira, novembro 08, 2007

Para Que Serve uma Rotunda?

Em...Almada, a improvisação nas regras de trânsito provavelmente vai dar origem a algum registo de patente na construção de rotundas "galgáveis" e a alterações ao Código da Estrada.
Mão amiga fez-nos chegar estas fotos, apresentadas na sequência natural.
Rotunda no entroncamento da Rua Cidade de Ostrava com a Rua Ramiro Ferrão, na freguesia da Cova da Piedade
É uma originalidade do Concelho de Almada.
clique nas fotos para aumentar
A "utilidade" das rotundas galgáveis está à vista: desenrasque-se e siga em frente.
As dificuldades criadas pelo designado Plano de Mobilidade Acessibilidades XXI da Câmara Municipal de Almada, são tão frequentes que ao "virar de uma rotunda" já ninguém sabe se o Código da Estrada é para respeitar ou só para "inglês ver".
Mas que a rotunda facilita...facilita e até permite ao autocarro ir para a faixa de sentido contrário! Segurança Rodoviária, o que é isso em Almada, com as "Dificuldades" XXI da CMA ? É o programa da "acalmia do trânsito" já no terreno e no seu melhor. Os automobilistas perante o granel no trânsito que se instalou em Almada, têm de ter muita calma, se não quiserem arranjar problemas cardíacos.

45 comentários:

Anónimo disse...

Oh Emalmada, haja paciência! O que é que estas fotos mostram afinal?

Não mostram nada de especial em si mesmas, mas confirmam o que eu já afirmei noutro espaço deste blog: você é absolutamente incapaz de criticar. Só sabe destruir. Por isso é mesmo de direita, se calhar atrevo-lhe mesmo a chamar-lhe fascista! Era assim, através da mistificação e da mentira, que a PIDE (lembra-se da PIDE?) actuava.

Volto ao princípio: o que é que estas fotos mostram? Um motorista de autocarro que se enganou no trajecto (culpa da Câmara, é claro) e foi obrigado a uma manobra mais difícil? Dois automobilistas apressados que não podiam esperar pela manobra mais difícil do motorista do autocarro? O que é que mostram as fotos, afinal? Você por acaso lembra-se de como era a circulação automóvel naquele mesmo espaço quando aquilo era um cruzamento? Lembra-se?

Você não presta é para nada!

jorge disse...

O motorista enganou-se???????? Ah ah ah ah ah!!! Ó anónimo, essa é mesmo boa. Mas passe um dia por ali e fique observar. E se quiser dar-se ao trabalho, vá até à nova rotunda na Conceição Sameiro Antunes e veja a imbecilidade da solução. Dificuldades extremas para pesados, curvas mal desenhadas nos acessos, carros detidos em cima dos carris. Um encanto! Mas, enfim, nada se pode apontar nesta Almada que vive da ilusão. Tão típica de certos regimes que se sustentam na propaganda e na mentira.

gustavo rocha disse...

Algumas pessoas andam enganadas em Almada mas é com a Cãmara que têm.
Cá estão eles a insultar como no tempo das inventonas do PREC.Não desistem da cassete.
Temos aqui um blog que mostra algumas situações anormais, não todas,da gestão autárquica em Almada.
No trânsito em Almada, salve-se quem puder.

Anónimo disse...

Então agora não se pode citicar nada? nem ao menos dizer que as rotundas estão inseridas num espaço "sem espaço"'
Tenham dó...No tempo do "social-fascismo" é que quem criticava qualquer coisa era fascista...
Haja paciência

Pedro Madeira disse...

Não vejo nada de errado nestas fotos a não ser a sugestão maldosa e sobremaneira enganosa que o texto deste bloguito ilustra.

Se estes textos fossem em papel seriam óptimos para reciclagem ou se fossem molitos.. bem serviriam muito bem para papel higiénico ilustrado em edição de luxo: "Papel higiénico de luxo- ilustração ressabio e dor na fronte". Há quem use papel impresso com ilustrações de notas, eu usaria esta sua edição. Pense nisso.

Seria um sucesso. Estou certo.

almadense desiludido disse...

A rotunda em causa foi feita, PELA CÂMARA, sem consultar a detentora dos transportes.
Vê-se bem, sem mais conversas da treta quem é que meteu a pata toda na argola.
Os motoristas? O que hão-de fazer? Enganam-se no trajecto?
Caramba! Começa a não haver pachorra para vos ler.
Mas nem assim desisto.

Anónimo disse...

Almadense desiludido,

Se quiser ser sério, é. Se não quiser ser sério, não é. Problema seu!

Mas explique-me lá o que é que um autocarro faz na posição que a fotografia mostra? Explique-me lá que culpa tem a rotunda da trajectória seguida pelo autocarro.

Pelo que a foto mostra, o autocarro viria da Rua Cidade de Ostrava para entrar na Ramiro Ferrão. Ao lado direito do autocarro há um espaço a morrer de vista, perfeitamente suficiente para fazer a curva como deve ser. A menos que o autocarro tenha entrado numa trajectória em determinado sentido (por exemplo, contornar a rotunda para subir a Ramiro Ferrão em vez de descer) e depois se tenha arrependido e pretendido regressar à trajectória real (sentido descendente da Ramiro Ferrão) é que a posição ilustrada na foto se justifica. É que não há mesmo qualquer outra explicação.

Há, sim, outra explicação, para a publicação das fotos aqui e para o seu comentário: má fé e absoluta necessidade de dizer mal por dizer mal. É por isso que eu digo que vocês não criticam (esta é para o anónimo que pergunta se já não se pode criticar nada), apenas destroem. E isso não é sério!

Por isso, volto ao ponto de partida: se quiser ser sério, é. Se não quiser ser sério, não seja. Mas isso é apenas problema seu.

Quanto à construção da rotunda sem "consulta", pergunte aos responsáveis da empresa em causa se a solução actual naquela rotunda não é muito melhor do que a situação anterior? Pergunte lá, e vai ver a resposta que tem.

Ah, e para quem não desiste, pode crer que eu também não desisto. E sempre (se puder, claro) que você ou o Emalmada ou outro qualquer como vocês vierem aqui para destruir, ter-me-ão a contestar. E não vale a pena armarem-se em vítimas, até porque criticar tem que dar para os dois lados: se vocês reivindicam o direito a criticar (o que não é verdade, vocês só sabem destruir - estou a ficar repetititivo, não estou?), eu também posso criticar! Criticar-vos! Certo?

fernando sousa da pena disse...

Das duas uma. Ou o último anónimo é tão politicamente formatado que não aceita qualquer reparo à gestão dos grandes timoneiros, ou tem sérios equívocos de condução. Então acha que o acesso de um autocarro àquela curva deve ser feito pelo interior da curva? Não acha que inevitavelmente ele sairia da curva em prolongada contramão? Mas aceite a sugestão que algém deu - vá até lá! E vá até à outra tal rotunda da Rua C. Sameiro Antunes. Vai perceber quem é que diz mal gratuitamente.

Já agora, diga também o que acha de rotundas com semáforos, de rotundas com vegetação que impede a visibilidade, de rotundas encharcadas pela rega ou de rotundas em declive. Todas rotundos disparates...

almadense desiludido disse...

Para o anónimo que não gosta de ouvir (entenda-se ler) as verdades, digo, com toda a franqueza que não percebi patavina do que tentou explicar. Mas isso deve ser problema meu.
Diga-me lá, então, e pode (deve) usar do seu máximo coeficiente de inteligência, como é que o motorista deveria fazer AQUELA ROTUNDA.
Não digo que a situação anterior estivesse bem. Nada disso. Mas, assim?
Com uma rotunda que dava para fazer um pavilhão polivalente (passe o exagero e a brincadeira), que raio de manobra seria exigível a um qualquer motorista de pesados?
Experimente o senhor, se puder, tentar fazer melhor. Utilizando a sua táctica incrivelmente descrita.
Sabe que mais? Se os motoristas que por ali têm que passar quisessem, ou pudessem, deveriam recusar aquele trajecto, justificando porquê.
Se você quiser ser sério, diga à gente, a sério, de sua justiça. Mas sem subterfúgios como a publicidade enganosa.

Passe bem.

Anónimo disse...

Almadense desiludido,

Sabe quantos autocarros daqueles passam naquele local por dia? Por hora, melhor? Sabe? Acontece aquilo que a foto mostra a todos?

Seja sério de uma vez por todas! Não se faça tonto, porque você não é tonto. E olhe, faça como eu: ponha uns auscultadores nos ouvidos e ponha a tocar Beethoven. O Concerto para Violino e Orquestra é uma boa sugestão. Só por estar neste momento a ouvir essa celestial música de sempre não o mando de vez àquela parte que você muito bem conhece...

Para mim, a conversa do autocarro e da rotunda acabou. Digam vocês os disparates que quiserem, dedico-me ao meu Beethoven e quero que vocês vão dar uma volta ao bilhar grande, que é como quem diz, à rotunda!

de almada disse...

desiludido da vida, formatado sousa, pedragulho gustavo, jorge disse e em almada, o que as fotos mostram � um motorista que faz uma curva p�ssimamente, vo�s s�o parvos, ent�o a CMA agora tamb�m tem culpa da azelhice dos motoristas dos TST. Haja pachorra!
Quanto ao facto da rotunda ser g�lgavel, qual � o problema, ela � feita para que assim seja. Nunca viram rotundas destas em outras cidades europeias, em Londres nomeadamente.

Vejam l� se deixam de ser "nhurros" e procuram falar de problemas reais da cidade, deixando de lado essa cegueira politica. � que se andam assim t�o cegos ainda s�o atropelados por um motorista dos TST

zé da aurora disse...

Já algum dos defensores do sistema CMA imaginou que o motorista se fez a curva tal qual é porque encontrou dificuldades na circulação normal devido ao triste plano de mobilidade desta câmara, que reduziu faixas de rodagem, criou e plantou vários obstáculos à normal circulação de veículos e de peões?
Pensem nisso os espertos do sistema e seus seguidores fiéis.

Anónimo disse...

Zé da Aurora,

É perfeitamente visível, nas fotos, que foi isso que aconteceu. Claro, só os idiotas é que não vêem os obstáculos que o motorista dos TST encontrou no trajecto! São tantos os obstáculos ...

Não seja idiota, homem. Quais são os obstáculos que ali vê? E acha que ali foram reduzidas faixas de rodagem? Pelo contrário, a rotunda galgável alargou as faixas de circulação! Só cá faltava mais um (?) para dizer mal por dizer. Politiquices ...

almadense desiludido disse...

Estupidez quanto baste.
Com que então a rotunda alargou as faixas de rodagem?

Para o de almada nem comentários há.
É demasiado pobre de espírito.

Peguem numa viatura pesada e vão até lá fazer uma manobra perfeita.
É um desafio, sim.

Anónimo disse...

Consigo, Almadense Desiludido, a conversa sobre o autocarro e a rotunda acabou. Lembra-se?

almadense desiludido disse...

O teste (1º e único round) resultou.
Este anónimo não tem estofo e acaba a conversa.
Mas sem luta digna.
Você ficou muito mal na fotografia.
O combate poderia ser muito mais eficaz se os adversários estivessem à altura um do outro.

Você desistiu. Eu não.
Quem sai derrotado?
O elo mais fraco. Neste caso, o anónimo.

Tenha um bom fim de semana.

Red Devil disse...

alguém arranja fotos daquele cruzamento antes de ser o que é hoje?

Alguém se lembra sequer daquele cruzamento?

Eu lembro, debaixo da ponte havia um "skate" parque que eu costumava frequentar e lembro-me bem do caos que era na altura o transito.

Alguém sabe que aquela rotunda não serve só para que o trânsito flua melhor mas também para que obrigue os automobilistas da Ramiro Ferrão a reduzir a velocidade?

Eu ainda sou dos que assistia às velocidades loucas de quem vinha da Anselmo de Andrade a baixo ignorando passadeiras, peões e cruzamento... mas isso é coisa do passado e não interessa lembrar, não é?

Esta rotunda sim, facilitou a vida de quem a usa, e naquele caso concreto o condutor do autocarro não a soube fazer. Passam diariamente dezenas de vezes autocarros na rotunda, quer para a Ramiro Ferrão "Sul" quer para a Ramiro Ferrão "Norte" e no sentido em que esta viatura está a fazer não há nem a necessidade de subir a rotunda, nem de entrar em contra mão.

Almada tem muitos problemas de acessibilidades e no caso desta rotunda não são os limites das vias que foram encurtados ou alargados, foi o aumento de tráfego resultante do crescimento impensado da Ramalha e Pragal que fez com que hoje se viva uma situação perto da rotura desta principal via de acesso ao Hospital de Almada.

jorge disse...

«o aumento de tráfego resultante do crescimento impensado da Ramalha e Pragal»

De acordo. Crescimento impensado... Ninguém adivinharia que tanta construção a eito resultasse em pressão no tráfego. Aliás, tocou no ponto certo. Há muita coisa impensada em Almada.

mateus disse...

O comentário deste "pobre diabo" é hilariante, mas não é de Hilário!

almadense desiludido disse...

Oh red devil
Francamente, não havia necessidadezezeze.

A rotunda serve também para quem desce a Rua Cidade Ostrava. E é aí que os condutores se vêm impossibilitados de fazer o trajecto que em princípio deveriam.

Eu lembro-me daquele cruzamento e não era bom, verdade se diga.
Mas o que está aqui em causa é o tamanho (diâmetro) da rotunda.

Qualquer rotunda serve, desde que bem feita, para fazer com que através da prioridade obrigatória a quem nela circula, amenizar a velocidade.
Isso está nos livros.

Não me venha com histórias da carochinha.
Culpabilizar os motoristas que com viaturas daquela dimensão são OBRIGADOS a fazer aquelas manobras, é se míope de ideias.
E quem é que entra em contra mão?

Repito, red devil, não havia necessidadezezeze.

Anónimo disse...

Almadense Desiludido,

Que tremenda falta de modéstia a sua! Não se tenha em tão boa conta, fica-lhe mal. Então sente-se vitorioso, é? Quer o troféu? Sabe porque é que para mim a conversa consigo sobre o autocarro e a rotunda parou? Não sabe? E não percebeu, pelos vistos.

Mas eu explico. É o seu troféu. É que, apesar de tudo, tenho para mim que você é o menos parvo de todos quantos atacam por atacar nesta conversa. Mas neste diálogo, tem assumido uma postura absolutamente parva. Por isso, terminei pelo meu lado a conversa sobre esta matéria consigo.

Nota: parvo não é nenhum insulto. Vem do latim "parvus", que significa pequeno (ou se quisermos, por extensão, mesquinho).

almadense desiludido disse...

Mas você não tinha dito que o diálogo comigo tinha acabado?
Em que ficamos?
Na mesma proporção da mesquinhez mútua? Por mim, no problem.
Nesta troca de palavras, sobre o assunto já referido, a minha posição mantém-se. Nem uma palavra a menos.
Mesmo com troféu (seria mais um a juntar a tantos outros).

Resta-me a curiosidade de perceber até onde vai o significado do latim "parvus", aplicado à sua pessoa.
Sem ofensa.

pinto de sousa disse...

Boa...Boa almadense desiludido, no remate.

Red Devil disse...

O comentário do sr.Mateus é o típico comentário que é feito num blog faccioso, e feito aqui, das duas três, não percebe da matéria, não conhece o local ou ambas as anteriores.

Quanto ao assunto em questão, felizmente que já somos 2 a ler os livros, mas deixo um link para um caso prático real, como prova que da teoria à prática lá fora resulta, cá dentro é que parece que as pessoas acham que não é coisa para elas - http://velobuc.free.fr/download/zones30zurich.pdf - Se não tiverem com vontade de ler, basta verem as figuras que percebem o tipo de intervenção.

"A rotunda serve também para quem desce a Rua Cidade Ostrava.", sem a menor dúvida. Vejamos a cronologia da zona.

Há 25 anos, a ramiro ferrão começava a ser invadida pelos prédios azuis e cinzentos (a zona "sul" da RF) e a Ramalha não era mais do que um enorme descampado onde várias famílias ciganas montavam as suas tendas e ali viviam.

Há coisa de 18/15 anos, mais mês menos mês, começavam a nascer os primeiros prédios na Ramalha e a rua cidade ostrava tinha um stop para quem quisesse entrar na ramiro ferrão.

Há coisa de 9/10 anos surgiu o "comboio da ponte" e com ele o crescimento bombástico da ramalha, surgiu a primeira carreira a passar na ramiro ferrão e a primeira a subir foi a da sulfertagus e só mais tarde é que a famosa carreira 6 para o pão de açucar passou a fazer o trajecto actual passando pela ramiro ferrão e subindo a cidade de ostrava.

A rotunda, não foi feita por obra e Graça do Espírito Santo mas sim por diálogo entre as companhias de transportes públicos e a CMA.

No tempo em que existia apenas o cruzamento (que fazia parar o trânsito para a passagem dos autocarros), lembro-me de 2 amigos atropelados pelo excesso de velocidade e lembro-me muito bem do acidente de automóvel que tive por um condutor proveniente da cidade ostrava não ter parado no stop.

Desde a rotunda, já aqui assisti a alguns acidentes, não no cruzamento, mas porque condutores distraídos batem noutros que param para dar prioridade aos peões na passadeira.

Se a desilusão do(s) Almadense(s) permitir ver e lembrar a evolução das coisas, certamente reconhecerá que não sendo a solução perfeita, é uma solução consideravelmente melhor do que existia. Até hoje, e "frequento" diariamente a rotunda não me vi forçado a parar por ter carros ou autocarros em contra mão.

E eis a história da carochinha que alguns teimam em achar que o diâmetro da rotunda é o mal da ligação Ramiro ferrão - cidade ostrava. Na minha opinião, a raiz do mal está nos acessos insuficientes à população da Ramalha, Pragal, ser este o principal acesso de Ambulâncias ao Hospital e claro o principal atalho de acesso à entrada para a ponte 25 de Abril.

zé de almada disse...

apresento minhas "congratulations" a este novel e espontâneo historiador da comarca, tão entendido na matéria.
Devil mais devil não há!

Red Devil disse...

caro Zé de Almada...entendido não, curioso.

almadense desiludido disse...

Feito o historial da coisa, estou na mesma, apesar de ter percebido a explicação, aliás bem feita.
Mas, o tal mas, diga-me lá qual a diferença entre um sinal "stop" e uma rotunda, em termos de obrigação do cumprimento da lei?
Zero!!!
Uma rotunda? Claro. O problema está na dimensão da mesma.
Creio que fui claro.
E essa de ver um autocarro em contra mão é o efeito da dificuldade de recuperar a direcção depois de feita a manobra dificílima ao fazer a rotunda.

Aqui não há nada de especial. Apenas a realidade serve de apoio ao assunto.

Quanto à conversa entre a CMA e os TST, não foi bem assim. Houve, de facto, essa conversa. Mas o que ficou estipulado entre as partes foi a colocação da rotunda. Só que nunca foi dito aos homens dos TST qual o diâmetro que a mesma ia ter.
Agora, ou refaz-se a dita cuja ou altera-se o traçado daquela carreira TST.
Para qualquer das decisões é necessária a intervenção das já referidas entidades.

Estamos à espera de quê?

Fiz-me entender ou tenho que fazer um desenho?

Red Devil disse...

Almadense desiludido faça os desenhos à vontade se for essa a sua vocação.

Mas enquanto os faz e não faz, e já agora os envia às entidades responsáveis, veja o conjunto de fotos que o link que deixei mostra, e verá que este tipo de rotundas são feitas para ser passadas por cima quando há necessidade, como é o caso dos transportes públicos.

ou ainda não me fiz entender?

almadense desiludido disse...

Vamos à interpretação correcta.
As rotundas são para ser passadas por cima (havia de ser por baixo?) em caso de necessidade.
Certo. Mas só em caso de emergência. O que não corresponde ao termo necessidade.
Mas como eu sou persistente, pergunto porque há-de você, ou quem quer que seja, culpabilizar os motoristas de viaturas pesadas, quando o mal vem da construção da rotunda. Não deveria esta ter nascido adequadamente? Mais estreita?
E aí de quem é a culpa? Dos motoristas?

A minha vocação não é fazer desenhos. Nasci com um QI elevado (a culpa não é minha) e, desenho em caso de incapacidade de terceiros, se isso ajudar.

Não insista no link que aqui deixou.
De nada vale para a conversa e rotunda concretamente em causa.

Anónimo disse...

SILÊNCIO CULPADO disse...
Perante uma grande sacanice que está a ser feita sobre alguns professores que não recebem vencimento,têm horários d e12 horas ou estão a recibos verdes sugere-se que todos os blogues publiquem a notícia que está no http://cegueiralusa.blogspot.com

de almada disse...

red devil, optima ligação para se perceber como são utilizadas as rotundas em cidades desenvolvidas, é claro que para alguns provincianos se torna muito dificil perceber que se possa galgar uma casrosanta rotunda, mas que fazer, foram ensinados a ser bem mandados.

Continuo a aconselhar-vos; com tanta cegueira politica, o melhor é term cuidado com autocarros dos TST

Anónimo disse...

Red Devil e De Almada, mas o que é que vocês querem? Ainda não perceberam que estão a (tentar) "dialogar" com alguém que, mesmo sem culpa porque nasceu assim, tem um QI elevadíssimo? Não adianta. Foi por isso mesmo, por ter percebido que "falava" com alguém com QI tão elevado (provavelmente terá outras coisas igualmente "elevadas" ...) é que acabei a conversa com esse Almadense Desiludido. É que não dá mesmo. Não quero, definitivamente, ficar com o QI tão elevado quanto ele!

E confesso mais. Ao princípio ainda julguei que o homem estava só a provocar. Mas percebo agora que fala mesmo sério...

Safa, ainda bem que há no mundo QI deste quilate! Mas já agora, o que é uma "rotunda estreita"? Eu sei, não tenho o QI tão desenvolvido, por isso se me puderem explicar o que é uma "rotunda estreita" muito grato ficaria.

Anónimo disse...

"Quanto à conversa entre a CMA e os TST, não foi bem assim. Houve, de facto, essa conversa. Mas o que ficou estipulado entre as partes foi a colocação da rotunda. Só que nunca foi dito aos homens dos TST qual o diâmetro que a mesma ia ter."

CARAMBA! A isto chamo eu ESTAR MUITO BEM INFORMADO!

Anónimo disse...

Pinto de Sousa,

Está enganado. Não é remate nenhum. E só me ofende quem eu deixo. Mesmo com QI elevado ...

almadense desiludido disse...

Anónimo sem QI definido
Você disse que acabou o diálogo comigo mas continua a tentar fazê-lo, embora indirectamente.
Já sei! O seu intelecto não lhe permite encarar, escrita na escrita, quem lhe dá luta (não confunda com guerra).
Não se preocupe. Eu falo com condes e marqueses mas também falo com carroceiros. Quando é preciso.
Onde o senhor se encaixa não sei. Mas desconfio.

Red Devil, entretenha-se com os seus facciosismos bloguísticos e aprenda a conviver, tranquilamente, fazendo as críticas a que tem direito mas aceitando as que discordam de si.

Anónimo disse...

Oh Almadense Desiludido, quer que eu perca a paciência? Quer que eu lhe chame nomes feios? Quer que eu diga o que penso de si, rigorosamente? Quer?

Mas eu não digo! Não tenho QI suficiente para isso!

Agora carroceiro é mesmo você! A esta não resisto mesmo. Quem aqui escreve que tem um QI (sabe que este é um conceito que já nem sequer se usa? Está desactualizado. Mas você não sabe, tão elevado é o seu QI ...) elevado e não tem culpa disso porque nasceu assim, só pode ser mesmo um valentíssimo carroceiro. E não, está enganado, não tento qualquer diálogo consigo. Ou esse elevadíssimo QI não dá para entender que não tento? Afinal acho que o que em si é elevado não é esse QI, não. É outra coisa. Mas eu não digo o que é ...

Ponto Verde disse...

Há para aí uns anónimos bem tontos, com tanta rotunda não admira!

almadense desiludido disse...

Estalou o verniz do senhor anónimo. O tal que se mantém em diálogo comigo, apesar de ter dito que nunca mais o faria.
Excelente.
E perde as estribeiras, ainda sem ter perdido a paciência. Chama-me de carroceiro como se fosse uma grande ofensa.
Um carroceiro é quem cuida de uma carroça. Carroça que há-de ser puxada por cavalos ou, na falta deles, por burros.
Não é uma burrice sua, entrar por aí, pelo lado baixo da sua anedótica postura?
Já agora, senhor anónimo, diga o que pensa realmente de mim.
Ou não o vai fazer por ter, mais que uma vez, dito que o seu diálogo comigo terminou?
Olhe que é feio mentir.

Aproveite um sono bem descansado e verá que amanhã já se sentirá mais calmo, quiçá com outra presença de espírito.

Como acredito que por uma vez vai cumprir o prometido (não dialogar mais comigo) desejo-lhe as maiores felicidades e ... muitas rotundas.

almadense desiludido disse...

Eu presumi quando escrevi:

"Eu falo com condes e marqueses mas também falo com carroceiros. Quando é preciso.
Onde o senhor se encaixa não sei. Mas desconfio."

Você definiu-se:

"Agora carroceiro é mesmo você! A esta não resisto mesmo."

Eu não lhe tinha chamado coisa nenhuma.
Releia.

Red Devil disse...

"almadense desiludido",

Com todo o gosto que haja quem pense o contrário, como costumo dizer, felizmente que não gostamos todos do laranja ou do rosa shock.

Quanto ao galgar as rotundas por emergência, não é o caso destas, mas ok, cada um fará a interpretação técnica da coisa.

Nota: As cores foras escolhidas ao acaso, não pertenço a qualquer ajuntamento político/partidário.

almadense desiludido disse...

Nem isso (das cores) está em causa.
Porque não deveria estar.

Anónimo disse...

Acredito no red devil...

Motorista disse...

almadense desiludido said...
Estupidez quanto baste.
Com que então a rotunda alargou as faixas de rodagem?

Para o de almada nem comentários há.
É demasiado pobre de espírito.

Peguem numa viatura pesada e vão até lá fazer uma manobra perfeita.
É um desafio, sim.

Sexta-feira, Novembro 09, 2007 8:25:00 AM


Para si só lhe pergunto...
É CAPAZ de pegar numa viatura pesada e fazer uma manobra perfeita?

Então eu respondo..eu sou capaz pq sou motorista de uma viatura pesada...ou seja da sulfertgus e passo todos os dias lá. Mas se quizer tirar as teimas estou aqui para isso.

motorista disse...

Quanto ás fotos... o que aconteceu foi que o motorista do pesado enganou-se no trajecto. Eu sei pq eu estava lá perto. Não fale do que não sabe e não culpe quem não tem culpa. 1º olhe para si e os seus erros e depois para os outros.

Obrigada pela atenção

motorista disse...

Quanto ás fotos... o que aconteceu foi que o motorista do pesado enganou-se no trajecto. Eu sei pq eu estava lá perto. Não fale do que não sabe e não culpe quem não tem culpa. 1º olhe para si e os seus erros e depois para os outros.

Obrigada pela atenção