quinta-feira, setembro 18, 2008

Não Ouve, Não Fala, Não Vê.

Em...Almada, a oposição está alheada dos gravíssimos problemas que a cidade e o concelho estão a viver e sentir: -com o decurso das obras para o apelidado MST
-com as consequências negativas dessas obras -com as alterações de trânsito a provocar situações muito graves nas acessibilidades na cidade -com a degradação e destruição da cidade, para meter o MST, como pode ser verificado "in locu" -com o envelhecimento urbano
-com a falta de estacionamento
-com as dificuldades de mobilidade na via pública para idosos e deficientes
-com a sujidade urbana
-com a situação actual do MST que circula sem passageiros -com a ruína do comércio local, devido às asneiras que a CMA vem praticando em Almada, cujos comerciantes não reagem, ( porquê?) deixando-se desfalecer e agonizar aos pés da presidente da Câmara
-com as dificuldades que os bombeiros têm actualmente em prestar o seu serviço à população -com a perspectiva próxima de o MST ser um monstro real, no meio do principal eixo viário da cidade, que não terá a utilidade que seria desejável
-com o perigoso apoio que está a dar à CDU/PCP se mantiver a passividade que a população sente e vê diante dos problemas que Almada vive com a actual gestão autárquica.
Diante do actual quadro da vida de Almada, que está a conduzi-la ao despovoamento, à perda de actividade e vida citadina, a oposição política neste concelho não se pronuncia, passa ao lado dos problemas com que as pessoas se debatem, como se isto não lhe diga respeito.
Parece também estar agonizante aos pés da presidente da Câmara, da CDU/PCP e a contribuir para o descalabro de Almada, o que não deixa de ser muito preocupante para esta terra e para as pessoas já saturadas com tantas asneiras, incompetência e falta de senso comum revelados por estes autarcas.
A oposição, nomeadamente os dois maiores partidos PS e PSD, tem responsabilidades políticas perante a população, mas não é capaz de vir junto dela, ouvi-la, dialogar, captar o descontentamento, aperceber-se dos graves problemas que Almada vive e construir uma alternativa. Não é capaz de dizer à população: "Estamos aqui. Somos diferentes e melhores. O que estão a fazer em Almada é mau para todos nós. Vamos tirar Almada desta situação crítica, elevar Almada e dar-lhe dignidade.
Vamos trabalhar convosco e com honestidade para o concelho e a população".
A oposição em Almada, está afastada do concelho, dos seus problemas, da sua gente.
Assumiu o comportamento representado pelos três macacos da imagem deste post:
Não quer ouvir! (a população)
Não quer falar! (com a população ou fazer crítica)
Não quer ver! (os erros, as asneiras, a desgraça)
Terá vergonha de ser ou fazer oposição no dia a dia?

80 comentários:

Anónimo disse...

Cuidade não falem muito alto porque podem despertar a opusição.

Anónimo disse...

Oposição?
Isso existe?
Não se tem notado.
Provavelmente falam baixinho para não incomodar.
E quando devem votar (sessões de Câmara) não o fazem ou abstêm-se.
Como se a abstenção fosse uma arma.

Anónimo disse...

A oposição em Almada dá como garantido que enquanto a Dona Maria Emilia continuar por cá, não vale a pena lutar por Almada porque a vitória desta é certa. Se calhar até é verdade, mas não custa tentar e pôr um candidato decente a concorrer já nas próximas autárquicas. Gente que saiba defender Almada até acima do partido do governo que pode ser da cor deles. O PCP é que está bem, pode sempre falar mal do governo no poder, porque nunca irão lá estar(graças a Deus!)
Podem até dar-se ao luxo de criticar os impostos nacionais e cobrarem as taxas autárquicas mais altas que a lei permite.
Venha um Sebastião ou uma Padeira mas venha alguém com amor por esta cidade que ela merece!

Anónimo disse...

Esse é um dos problemas.
Quem é que os partidos políticos da chamada oposição tem para fazer política séria e a sério em Almada?

Anónimo disse...

Considero injusto este "post" porque:
1º a verdadeira oposição faz realmente oposição, votando contra as medidas que efectivamente a câmara eleita apresenta e são gravosas para a população;
2º algumas oposições, de facto, não se opõem, antes apoiam as medidas e as iniciativas, como farinha do mesmo saco;
3º as abstenções que por vezes são assumidas têm a ver com o facto de a oposição não estar suficientemente esclarecida sobre os assuntos e ao questionar a câmara não receber informação que seja susceptível de retirar as dúvidas;
4º muitas vezes a informação anexa às propostas para votação é tão escassa ou tão pensadamente diminuta que não sobra outra hipótese senão a abstenção;
5º quando se pede, em requerimento, que sejam fornecidas informações devidas a um órgão como a Assembleia Municipal, a Câmara escuda-se em desculpas esfarrapadas e não as dá;
6º os munícipes, inclusive o autor deste post, não estão seguramente presentes nas reuniões de câmara ou da Assembleia para, com justiça, poderem fazer este tipo de avaliação!
7ºse o autor do post deseja maior divulgação do trabalho autárquico, deverá ter em conta as dificuldades que a oposição tem para o exibir, sendo que os meios escasseiam e os órgãos de comunicação do município, não estão ao dispor da oposição, podendo o partido do poder fazer toda a demagogia, mesmo usando o nosso dinheirinho...
8º Como exemplo quero contar aqui uma situação vivida na última sessão de câmara.
Uma munícipe questionou a câmara sobre as dívidas que o Ministério da Educação teria para com a autarquia.
Quando o Vereador José Leitão quis intervir para dar esclarecimentos sobre esse assunto (até porque na sua vida profissional tem responsabilidades na área da Educação) a Presidente da Cãmara negou-lhe a palavra, argumentando que o Director Regional de Educação de Lisboa não tem assento nas sessões de Cãmara.


Acha ainda o autor do post que tem moral e razão para dizer o que disse?

A PONTA DO VÉU

Anónimo disse...

Oh A Ponta do Véu,

Explique lá em que qualidade o Sr. Vereador José Courinha Leitão iria dar esclarecimentos? Na qualidade de vereador? Como, se não detém responsabilidades na Câmara Municipal nem nessa área nem noutra qualquer?

Na qualidade de "profissional" da educação? Como, se a questão não tem a ver com profissionais da educação?

Na qualidade de Director Regional de Educação de Lisboa? Ah, aí sim, podia dar esclarecimentos (porque é que se envergonha de dizer que as "responsabilidades profissionais" do Sr. Vereador Courinha Leitão são desta natureza, políticas e da maior responsabilidade? Porque usa o eufemismo que usa? -, porque nessa sua qualidade detém, naturalmente, informação privilegiada.

Mas se é assim, porque será, como a Presidente da Câmara Municipal também disse nesse debate, que o Sr. Director Regional de Educação de Lisboa não dá essa informação privilegiada de que dispõe a quem de direito - a Câmara Municipal, que construiu os pavilhões ao abrigo de um protocolo com o Ministério da Educação, do qual o Sr. Vereador José Courinha Leitão é um dos responsáveis, Ministério da Educação que se comprometeu a pagá-los e não o fez até agora -, mas dizia, porque é que o Sr. Director Regional de Educação de Lisboa não dá essa informação privilegiada que detém a quem de direito, e depois já a quer dar em resposta a uma simples pergunta de uma munícipe numa reunião de Câmara? Acha isso natural, democrático e institucionalmente correcto, A Ponto do Véu?

Não brinque. Se você é a oposição - pelo menos parece assumir esse estatuto -, então tenho (por uma vez que seja) que concordar com o tom geral deste pasquim que é este blog: a oposição não existe! O que, em democracia, é pena. Mais, se essa oposição é você, bem pode ir limpando as mãos à parede, como diz o povo e com razão.

Anónimo disse...

PS para A Ponta do Véu,

Esqueci-me de lhe dizer mais uma coisa. Por acaso, pessoalmente acho que a Presidente da Câmara Municipal devia ter dado a oportunidade ao Sr. Director Regional de Educação de Lisboa de dar os tais "esclarecimentos". Ia, de certeza, fartar-me de rir, eu pessoalmente, e ia essa tal "oposição" ficar cada vez mais ... oposição(zinha).

Mas como com coisas sérias não se brinca, concordo naturalmente e inteiramente com a recusa em ceder a palavra ao Sr. Director Regional de Educação de Lisboa por parte da Presidente da Câmara, uma vez que o Director Regional de Educação de Lisboa, de facto, não tem assento na Câmara Municipal de Almada, e como vereador, o Sr. José Courinha Leitão nada poderia ter a dizer sobre o assunto, porque dele é absoluto ignorante (nessa qualidade de vereador, note bem!).

E já agora, seja no mínimo honesto naquilo que diz: dívidas que o Ministério da Educação TERIA (????) para com a autarquia? TERIA?????? Seja honesto. Teria porquê? Duvida que tem? Ou será que a dívida não é para pagar? Olhe que os protocolos assinados são documentos públicos ...

Anónimo disse...

Pergunto-me a mim próprio, não sem um ligeiríssimo esgar de espanto, porquê este "ataque" à chamada "oposição" por parte do autor do blog. Isto tem água no bico, tem sim senhor. E cheira-me, como cheira, a "gato escondido com rabo de fora"... Acerto de contas, será? Ajustamentos internos? Reorganização das hostes?

Já tinha assistido a ataques deste quilate mas apenas em comentários. Agora um post inteiro dedicado pelo autor do blog a este assunto ... hummmm, não se me encaixa muito bem, não senhor ...

Anónimo disse...

Almada está cada vez mais na mesma. Vai continuar o concelho atrasado que tem sido.
Há dúvidas?
Cá para mim o cluio com os exploradores vai continuar e os almadenses que se tramem.

Anónimo disse...

camarada anónimo 12:41:00 AM
Qual ataque qual quê, o post em minha opinião é provocação escondida à nossa CDU e uma reorganização das hostes.
A oposição não tem contas.

paulo disse...

Pelos comentários vejo que este post é corajoso enquanto denuncia realidades e uma pedrada no charco da polítiquisse local e nos interesses escondidos com que a política tem sido feita em Almada.
Almada é terra queimada, com os problemas de um suburbio urbano onde interesses partidário-pessoais se têm sobreposto ao desenvolvimento social e urbano.

Anónimo disse...

Pois é, caro anónimo das 1:51 AM, por isso é que "ataque" está entre aspas e o "gato escondido com o rabo de fora" ...

Imagine-se só: este é um blog "corajoso"! Que se esconde, logo na origem pela mão do seu próprio autor, por detrás do mais genuíno anonimato! Mais coragem que esta não pode haver ...

Anónimo disse...

Que horror, nem caso a valente anónimo anterior, não merece nem água.

Xavier

Anónimo disse...

O que se vê, passeando por Almada é uma cidade feita sem gosto, sem coração, sem alma é como se quem governam desde faz tempo não a amassem. Não é prática, está feita a patadas, não está feita com amor.

Anónimo disse...

A verdade é que Almada está nas mãos de um punhado de energúmenos que outra coisa não fazem senão destruir.
E os acólitos, os maus camaradas, destróem, destróem, destróem mas mais parecem cães que não conhecem os donos.

O proprietário deste blogue pode ser acusado de muita coisa.
Não sei nem quero saber.
A verdade é que é graças a ele que vamos percebendo algumas das desgraças almadenses.

Alguém lá atrás fala em oposições.
Na Câmara há só uma oposição. Que neste caso é constituída por elementos do PS e do PSD.
Na Assembleia Municipal junte-se o BE.
Que nada fazem para que as coisas mudem.
Porquê?
Perguntem-lhes. Mas não acredito que respondam.

Anónimo disse...

Em qualquer outro lugar do planeta que as coisas funcionassem com normalidade, a oposição aproveitaria o actual descontentamento do povo almadense para se pronunciar, aqui algo falha e acho que não há que ser bruxa para o adivinhar têm a carteira cheia sem dar a cara e sem trabalhar, é puro comodismo.

Xavier

Anónimo disse...

Ao anonimo das 11:07 por incrivel que pareça quando se tem um negócio nesta cidade é melhor fechar a boca porque as paredes teêm ouvidos e sem duvida que a primeira coisa que te podem fazer os camaradas e boicotear-te o negocio. Por isso a melhor forma de poder para poder expresar anonimo.

Anónimo disse...

Dia do médio ambiente, ar puro. O que agradeceria o médio ambiente é a construção de mas zonas verdes bem arranjadas e também agradeceria todos os árboles cortados pra meter mas cemento, cemento, cemento, cemento, cemento, cemento, cemento. Os autarcas de almada têm a cabeça de cemento.

Anónimo disse...

anónimo das 11:24 PM vocÊ tocou um ponto fundamental.
Almada é uma cidade e um concelho "feito" sem alma, sem amor sem coração por pessoas cujo objectivo é trabalhar para o partido, para elas e dar uns trocados aquelas embora do contra não fazem ondas e até podem colaborar. É cidade e concelho feito a patadas, pontapés e coices por gente de cabeça com cimento como outro diz.
O leitmotive dos governadores de Almada é o cimento.
Não temos limpeza urbana, jardins, ruas cuidadas, espaços urbanos atractivos e cuidados, organização urbana. Temos muito lixo, sujidade, edifícios feios, porcos, ruas porcas, espaços públicos degradados, e gente muito fraca a decidir o futuro de Almada e do concelho.
É demasiada miséria junta.

Al-Ma'dan disse...

Palavras para quê ?
O anónimo das 1:28 PM tirou-me as palavras da boca. É assim mesmo que eu também vejo Almada, infelizmente.
O que tem acontecido nestes últimos 34 anos, é que quem tem tido na sua mão os destinos de Almada, não lhe tem amor, e não tem competência.
Assim, juntando a falta de amor a esta terra à incompetência, temos um cocktail explosivo que está à vista de todos, em todo concelho.
O que estes senhores têm feito é obra avulsa, umas coisinhas aqui, outras ali, mas sem uma visão integrada de desenvolvimento do concelho. Assim, por mais obras que se façam, nunca Almada será um bom concelho, com qualidade de vida.
Para mais, problemas antigos, como a limpeza urbana, continuam tão actuais como há 34 anos, porque estes senhores, incompetentes como são, nunca mexeram uma palha com a finalidade de resolverem tão grave problema de Almada.
Relativamente à oposição, eu sinto que ela não existe. Tudo o que A PONTA DO VÉU diz até pode ser verdade, não duvido. Mas, para que serve a oposição se não se consegue mexer no meio do pântano que a CDU propositadamente cria para lhe dificultar a vida? Foi para fazerem oposição que os eleitores nela votaram, quanto ao resto, compete-lhes contornar os obstáculos que se apresentarem: por definição, o papel da oposição não é fácil.
Mas, mais grave, no tocante à oposição almadense é que não parece querer ser governo,o que se me afigura completamente aberrante. Tenho muita curiosidade de saber o que se passa sob a mesa que explique a razão de ser desta postura. Para já tudo está no segredo dos deuses mas, no futuro, é possível que venhamos a saber a verdade.

Anónimo disse...

Sá a loucura ou o desespero mais profundos podem levar o al-ma'dan a dizer o que diz neste seu último comentário. Ou é tão jovem que não sabe o que era Almada - e Portugal - há 34 anos (o que não o desculpa, pode sempre informar-se convenientemente), ou é um desesperado que, perante uma realidade objectiva que é, para o comum e normal do cidadão, exactamente o contrário daquilo que afirma, vem para aqui em desespero de causa tentar dar a volta ao texto.

É esta a "oposição" que pretendem? Como disse atrás, bem podem ir pensando em limpar as mãos à parede.

Quanto ao anónimo que se espanta pela tal "oposição" não aproveitar o alegado "descontentamento" dos Almadenses, bom a explicação é muito simples: essa "oposição" não pode aproveitar uma coisa que, pura e simplesmente, não existe. Descontentamento há, apenas, nestes poucos ressabiados que andam por aqui a dizer as barbaridades que dizem. Mas nada mais. É por isso que não há "oposição" que resista. Estes que por aqui andam são os últimos (e poucos) que quais "velhos do Restelo", continuam de forma absolutamente terrorista a tocar sempre a mesma tecla. Só que esta está gasta, muito gasta. Já nem consegue fazer-se ouvir. Nem pela "oposição" ...

Anónimo disse...

Foi prometido por MES na última reunião no Forum Romeu Correia uma festa de arromba para a inauguração do MST, desde o Cristo Rei até ao mais pequeno beco de Almada a iluminação vai pôr o país a olhar para Almada.Estratégicamente, MES está no seu melhor, ela sabe que o povinho se deixa levar com papas e bolos, aliás, a queda do império Romano foi precedida por um verdadeiro fausto de orgias, pão e circo,mas nesse tempo, a memória não podia ser ajudada como hoje pois não era possível obter informação do estado de coisas e como se tinha aí chegado. Espero que no ano que medeia a inauguração do MST e as próximas autárquicas, a população de Almada não se esqueça de quem foi responsável pelo verdadeiro crime que se foi cometendo,o envelhecimento da cidade fruto de politicas de urbanização que afastaram a juventude,os fracos projectos de recuperação urbana que encheram os bolsos a construtores civis e deixaram Almada Velha a apodrecer,os maus planos urbanisticos que numa cidade que se quer verde e amiga do ambiente não contemplam nas suas estruturas espaços verdes nem parques para crianças,o aproveitamento do espaço público das ruas na criação de estacionamento pago com o objectivo de engordar as contas bancárias de alguns,(poucos), eleitos que foram nomeados para a gestão de uma empresa de estacionamento que veio destruir mais postos de trabalho na cidade do que os que criou dentro de si própria,a coincidência,(ou não),de se começar a taxar o estacionamento na mesma altura em que abre uma grande superficie comercial em que as regras de estacionamento são diferentes do centro da cidade, a arrogãncia com que se decide sem ter a menor sensibilidade aos problemas causados pelas decisões,etc, etc etc. Até há bem pouco tempo, estava eu convencido que as camaras do PC eram diferentes das outras por inexistência de corrupção,sinceramente, do ouro lado do Rio Tejo existe um autarca que está a ser julgado por fuga fiscal, é presidente da camara de Oeiras, como sería Almada governada por um senhor como ele? Oeiras, até há poucos anos era um arrabalde de Lisboa, veja-se a qualidade de vida, a satisfação dos residentes.Não se esqueça o povo de Almada, quem durante estes anos é responsável pelo ponto a que se chegou é Maria Emilia de Sousa, o PCP e mais ninguem.
Oliveira

Anónimo disse...

perante as palavras insultuosas do anónimo anterior 4:29:00 aqueles que fazem militância nos partidos que se dizem oposição deviam meter o rabo entre as pernas e inscreverem na versão actual da União Nacional (almadense) Autárquica.
Este anónimo está mentalmente bloqueado. Não sabe o que é democracia, nem sociedade civil, nem cidadania,nem dinâmica social, nem espaço público de debate de ideias.
Só conhece o nacional socialismo e o falhado socialismo de Estado tipo sovietizado de má memória.
Por isso Almada é aquele pântano democrático especial de democracia centralmente controlada, com base num eleitorado pobre, pouco exigente, explorado por criptodemocratas.
Cerca de 20% de votação (deu maioria absoluta) para controlar a população!
Não ofenda a democracia.
Retirem-se e rápidamente para a vossa terra a rússia onde o vosso socialismo falhou redondamente ou para a miséria de Cuba dos resorts turisticos, onde o Povo cubano não tem cabidela, nem dinheiro para gozar férias.
Vós falsos comunistas que vivem à custa desta democracia burguesa tendes vossos apartamentos no sul de Espanha ou nos AllGarves ou vossas casas de campo nas aldeias deste país no meio do povo humilde e sacrificado pelo anterior regime e que vós glorificais para ganhar o seu voto e vos manterdes no Poder.
A liberdade um dia chegará a Almada e não tarda muito.

Anónimo disse...

E as viagens culturais e de solidariedade a Angola com todo o séquito de empresários, ( alguns do betão) almadenses, intelectuais de esquerda, professores, comerciantes,apoiantes da situação partidária,outros mesmo de partidos da oposição (interessados no "milho") Independentes(?)de esquerda e de direita, colaboradores, pessoas satisfeitas com a justiça social no concelho e amigos da Maria Emíla e da CMA tudo à custa da Câmara (da população de Almada) mas dizendo a MES que cada um paga a sua viagem?
Verdadeiros artistas a ludibriar os almadenses.
È um grande CHARCO ou PÂNTANO com muitíssima promiscuidade política de conveniência em prejuízo deste concelho, como já alguém disse neste blog em comentário.
O cheiro da podridão começa a chegar às narinas da população.

Anónimo disse...

Que grande festa vai acontecer no dia da inauguração do MST.
Vamos ver se não chove.

Será que MES vai fazer-se acompanhar de seguranças a exemplo do que já fez em acontecimentos anteriores?

Cala-te boca!

Anónimo disse...

Se a "liberdade" que chegará um dia a Almada, e não tarda muito,for a do ante-penúltimo anónimo, que nos livrem os deuses todos! Pois se "sem liberdade" ele já quer expulsar todos quantos não pensam como ele - para a Rússia, para Cuba, ... oh homem, alguém o quis expulsar a si de e para algum lado? Porque há-de você querer expulsar aqueles de quem não gosta porque pensam diferente de si? Serão "menos" portugueses que você? E fala você em liberdade? -, como será com a (sua) liberdade? Dessa "liberdade" já o povo português "comeu" durante quase 50 anos. Agora não! Jamais!

Insultuosas, as minhas palavras? Em quê? Que insulto se encontra nelas? Só se for, de facto, serem livres, serem resultado da minha liberdade de pensar, coisa que este anónimo parece (parece não, está na cara) não gosta nada. Mas paciência, vai continuar a ter que as aturar, e a mim não me expulsa para lado nenhum! Disso pode ter a crteza absoluta, nem mesmo que a "sua liberdade" alguma vez chegue a Almada - que não chegará porque fascismo, nunca mais!

Anónimo disse...

Lá vêm eles com o papão do fascismo.Coitadinhos.
É com esta que metem medo a incautos e àqueles que vivem e vão continuar a viver sob seu controle eleitoral.
Não lhes interessa que abram os olhos para a realidade.
O fascismo continua a espreitar e a ser um perigo constante nesta Comunidade Europeia e globalizada economicamente, não é?
Cambada de arcaicos políticos.

Anónimo disse...

Fascismo, sim, e não é papão nenhum. As roupagens podem ser outras, mas os objectivos permanecem. E o perigo é real, não é nenhuma falácia!

E em democracia não se ameaça ninguém de expulsão! Acho eu ...

Anónimo disse...

Amigos,
Como em Coimbra existe o Portugal dos Pequeninos... Em Portugal existe a URSS (sim digo bem URSS) dos Pequeninos... que é Almada e arredores.
Para mim Almadense com 50 anos isto é uma enorme tristeza!
Os Comunistas jamais governarão Portugal, JAMAIS!
E então foi-lhes entregue a minha querida terra para eles bricarem...
E a bricadeira está à vista de todos, porque esta gente nem sequer consegue copiar...São uns patetas que nunca pensaram vir a ter este género de responsabilidades. Querem ver um exemplo:
Há um Sr. Vereador que passeia o seu cãozinho tipo pibull na relva (já pouca) em frente à Casa do Benfica... ou melhor em frente à futura paragem do MST na Bento Gonçalves. Imaginem lá o que é que ele faz ao cócó do dito animal?
Acertaram... deixa-lo lá!
E depois colocam cartazes tipo Almada a um metro do futuro... a uns metros da bosta é o que querem dizer...

Anónimo disse...

Já é do conhecimento de muitos almadenses que a MES só sai à rua com segurança democrática.
Não anda sozinha na rua.
Até para sair da Câmara já a vi vir duas vezes espreitar à porta para saber se o caminho estava passeável.
Se não está recolhe-se.

Anónimo disse...

Adivinhei. Esse vereador até é muito cultural. Eu também já vi muitas vezes ele com a fera.
Não digo mais.

Al-Ma'dan disse...

Oh anónimo das 4:29 e das 5:24 PM,
Não sou tão jovem assim (era bom era!), nasci em Almada vai para 45 anos e sempre aqui vivi, com excepção de alguns períodos. E não preciso que o senhor me venha ensinar como era Almada antes do 25 Abril, eu tenho memória e lembro-me perfeitamente bem de como era. E não se arme em dono da verdade como você e os seus camaradas têm a mania de fazer. A sua conversa pode resultar com alguns incautos mas comigo tem de trocar a cassete e porque essa já não pega.
Eu sei que você gostaria que Almada fosse a vossa quintinha, o vosso reinozinho, sem oposição e com 100% de súbditos. E sei também que gostaria que se algum súbdito pensasse pela própria cabeça, logo iria parar aos calabouços da polícia política, eu sei que vocês têm saudades desses tempos e, por exemplo, do vosso camarada Estaline. Mas, apesar de tão maltratada e vilipendiada, Almada ainda não chegou aí. Não que vocês não façam o possível para tal, mas apesar de tudo as coisas ainda não são assim.

fernando sousa da pena disse...

Hoje a lei permite que os cidadãos não dependam dos partidos e das suas agências de emprego. Assim haja vontade de juntar vontades.

Anónimo disse...

Xiiiiiii, o Al-ma'dan picou-se! Pronto, está visto. Não é assim tão jovem, tem boa memória, portanto está ... desesperado! Era mesmo o que eu já pensava ...

Grande tirada, Fernando Sousa da Pena. Quando é que a lei não permtiu (ou impediu) isso, diga-me lá?

fernando sousa da pena disse...

Confesso que a resposta recebida me deixou perplexo. Mas deve ser limitação minha, que não conheço os códigos estalinistas.

Anónimo disse...

É mesmo limitação sua, Fernando Sousa da Pena. Tenho pena (passe a redundância com o nome), mas é mesmo limitação sua. E olhe que essa sua limitação não tem a ver com o facto de desconhecer os códigos estalinistas ...

salvador disse...

E pronto...os lança-confusões e "desviadores" da atenção aos problemas que atormentam Almada entraram ao serviço por ordem da patroa/controleiros do partido.
De vez em quando sentem-se mais incomodados.Não gostam ver os almadenses tão claramente denunciar as palermices que fazem os seus autarcas.
Sentem o "fogo" a chamuscá-los

salvador disse...

Sentem-se iluminados e tomados pela virtude da sua verdade que querem insuflar aos não crentes da sua decadente religião politica sectária.

Anónimo disse...

No dia da inauguração do MST, e porque estamos em Almada, vamos todos para a rua com o seguinte cartaz:

URSS

- Unidos
- Resolvemos
- Saudar o
- Socrates,

Pela "boa obra" que o seu Ministro das Obras Públicas e a sua Secretária de Estado permitiram que presidente da CMA e os seus acólitos partidários levassem avante, destruindo o coração da cidade de Almada...

Pelo muito dinheiro desnecessário que já foi torrado na obra e pelo que ainda vai ser torrado no seu pagamento (pelos nossos filhos e netos...).

Enfim...
O futuro já chegou a Almada, a desgraça de muitos comerciantes e moradores também...

Anónimo disse...

Ena ena tantos "defensores" de Almada, devem ser os mesmos que etacionam na avenida principal em segunda fila para beber o cafézinho e o transito que se lixe..
Os que se preocupam taantooo com o espaço do metro não deixar passar ambulâncias e/ou bombeiros mas estacionam em segunda fila mesmo havendo lugar para estacionar.
Os mesmos que dizem amar Almada, mas passar das palavras aos actos não é com eles..
Os que dizem não ter liberdade, que mesmo assim não têm medo de falar, adoram mandar calar os outros mas propostas não têm..
São os amantes democratas que quando alguem defende algo diferente das suas opiniões os mandam calar, insultam, e desejavam que fossem para outro sitio..Belos "democratas"!
Acho que isto tem um nome muito usado durante 48 anos em Portugal por um velho saloio nojento e ressabiado.
Se isto é amar, mais vale odiar, pode ser que resolvam alguma coisa.
O 25 de abril ainda não chegou as vossas cabecitas..

Anónimo disse...

Assim se Vê a força do PC!
25 de Abril sempre!
Almada cidade solidária!
Almada do lado certo!
Ainda está a tempo de pintar o seu prédio!
O Futuro está a chegar !
Almada a um metro do futuro!
Almada apoia o comércio local!
Viva os Capitães de Abril!
Fascismo nunca mais!

O que eles dizem para ENGANAR a população e CONTINUAR A EXPLORÁ-LA !

Anónimo disse...

Se querem correr com esta cambada que está na autarquia e que pretendem continuar o seu mandato, para poderem beneficionar os amigos e eles próprios, só têm uma coisa a fazer.
NÃO SE ABSTENHAM nas próximas eleições.
Abster-se é o mesmo que dar o voto à MES.
Votem num partido qualquer, mas VOTEM.
Porque votar é tirar um voto à pandilha que está na Câmara a querer perpetuar-se eternamente.

E falam eles dos outros...

Os outros estiveram no poleiro 48 anos e estes querem imitá-los.

Já vão em 34 anos e tudo estão fazendo para bater o recorde.

Costuma dizer-se que a m..... é a mesma e que só mudam as môscas.
E isto é verdade. A única diferença é que já não há PIDE, mas pelo caminho que as coisas estão tomando não me admiraria que viesse a acontecer.
Era só o govêrno ser do PCP.
Mas felizmente isso não vai acontecer.
Os agentes já existem...
Veja-se o caso dos "escrevinhadores oficiais" que aqui aparecem a desinformar, como é o das 2:59 deste mesmo dia 21.

De facto estou constatando que isto é verdade, pelo exemplo que esta câmara nos está dando.
Tomem consciência da gravidade da situação e façam tudo para evitar que esta gente continue a des(governá-los) como até aqui.

Anónimo disse...

Não há PIDE? Não tem é o mesmo nome nem usa os mesmos processos.
Mas cuidado com eles!

Anónimo disse...

Oh anónimo das 2:59:00 AM

Cale-se!!!

Anónimo disse...

Anónimo de Sábado, Setembro 20, 2008 5:40:00 PM

Vamos lá a chamar os "porcos" pelos nomes.
Era o por enquanto vereador Matos.
Mal empregado cão.

Anónimo disse...

Lá estão eles, os "democratas", a mandar calar os outros! Depois de nos quererem expulsar a todos (seria bom, não seria, ficavam com o campo todo aberto para eles, já que de outra forma, pela via democrática, não consegeum). Não resistem. Depois vêm falar em liberdade e em democracia.

E não resistem, também ao insulto. Os que não pensam como eles são "escrivinhadores oficiais". Eles o que serão? Não, não digo ... seria descer ao seu nível.

Anónimo disse...

Tem piada. E são esses mesmos "democratas" que vêm falar de PIDE. Eles é que são (ou gostavam de ser) a nova PIDE! Quem mandava calar todos aqueles de quem não gostava era, precisamente, a PIDE! Tantas vezes fez mesmo calar definitivamente. Gato escondido com rabo de fora, outra vez?

Grandes democratas estes, sim senhor!

Anónimo disse...

Anónimo de Domingo, Setembro 21, 2008 11:51:00 AM,

Para si só tenho uma palavra: cobarde! É o que você é!

(e isto é mesmo um insulto, portanto escusam de vir para aqui com lágrimas de crocodilo. É um insulto ao cobardolas do anónimo que refiro!)

Anónimo disse...

Não sinto prazer nenhum ao ler estes desvarios ofensivos dos "opinionmakers" de serviço que ainda não fizeram o módulo da formação em cidadania.
Quando os levaram lá para a tal quinta do PCP(com piscina e tudo, diz a Zita Seabra!!!!) não lhes deram o tal módulo da formação.... e que falta que lhes faz!
Mas enfim, na vida temos que saber viver com todos e por isso espero que os habituais frequentadores deste blog, que têm mostrado saber ler os outros e mostrar as suas opiniões, ainda que divergentes, espero, dizia eu, que não deixem de o frequentar...
è que a mim já várias vezes me apeteceu!
Mas se calhar é esse o objectivo e por isso não podemos esmorecer de os aguentar.
Continuemos a suportá-los e vamos expondo os nossos pontos de vista, noáté agora, único forum de liberdade de expressão que temos.
Já repararam na quantidade de "agentes" que andam aí pela cidade a criar opinião sobre as obras e a deturpar o patrocínio das mesmas?
Basta ir junto de qualquer espaço em renovação e logo nos surge um "BEMINTENCINADOCIDADÃO" que nos diz ser mérito da czarina toda aquela maravilha...
E agora com tanto reformado de corpinho ao alto, eles são mato!!!!
E que tal organizarem-se os reformados de outras opiniões e saírem à rua a comentar, em abono da verdade?
A PONTA DO VÉU

Anónimo disse...

A Ponta do Véu regressa!

Eu que esperava que ele me ia esclarecer sobre a questão que directamente lhe coloquei, mas não! Grande decepção! Vem para aqui, afinal, com declarações de intenções. Como sempre, aliás.

Repare-se bem no racicínio límpido e democrata do A Ponta do Véu: eu venho aqui ofensivamente fazer opinião (opinion maker é o que significa). Mas sem o "módulo da cidadania", diz ele. Esse "módulo" é exclusivo dele e dos que como ele pensam, e que por essa razão podem aqui dizer exactamente isso, o que pensam. Eu não, se o faço estou "ofensivamente a fazer opinião". Edificante, sem dúvida!

Já agora, A Ponta do Véu, descubra lá um pouco mais dessa ponta, e diga-me, por fim, em que qualidade é que o Sr. José Courinha Leitão devia ter falado na tal reunião de Câmara em que tal não lhe foi permitido. Diga lá, e deixe-se de derivas ...

Al-Ma'dan disse...

Estou 100% de acordo com o anónimo das 10:56 AM,
É indispensável, nas próximas eleições, reduzir drasticamente o nível de abstenção. Cada um deve votar em quem bem entender, mas deve votar.
É que, apesar de tão desvalorizado, o voto ainda pode ser uma arma.
No caso de Almada, pode ser o renovar da esperança para uma terra que já a perdeu há muito.
O que o anónimo controleiro de MES não disse é que, em vésperas do 25 de Abril e, com todos os problemas que tinha para resolver, aliás como todo o restante país, Almada era um dos concelhos mais prósperos de Portugal e onde a esperança imperava; 34 anos depois, Almada perdeu muita da sua prosperidade, deixou-se ultrapassar por concelhos anteriormente muito mais atrasados e em termos de requalificação urbana e qualidade de vida continua a ser 3.º mundo.
Pese embora a propaganda: é que, não restam dúvidas, é mais fácil propagandear e manipular do que fazer um bom trabalho e, por isso, estes autarcas cuja formação foi toda feita na escola do partido, já que não têm competência para gerir um concelho como Almada, enveredam pela via que conhecem, a da propaganda exaustiva e da manipulação. Não é pois de estranhar que esta terra esteja como está.

Anónimo disse...

O que seria de estranhar, e muito, era que o al-ma'dan não concordasse com o anónimo que refere. Portanto, nada de novo nesta matéria.

Agora quanto a conhecer Almada e ter boa memória, aí a história muda mesmo de figura. O Concelho de Almada era, antes do 25 de Abril de 1974, um dos mais prósperos de Portugal! Imagine-se só a barbaridade. Não admira, a memória dos 11 anos que o al-ma'dan tinha na altura desculpa esta verdadeira aberração.

Mas o mais grave de tudo é que o al-ma'dan afinal revela-se nesta sua deriva: o que era bom, mesmo, era antes do 25 de Abril de 1974! Diz ele, por outras palavras, mas diz. Cá está: o tal gato escondido com o rabo de fora. Só que este é um rabo muito, muito grande. Fácil de apanhar ...

Anónimo disse...

Senhor(a) Anónimo(a) de serviço:
Não respondo a quem me provoca mas a quem eu quero.
Mas sempre lhe digo que a legitimidade do Verador José Leitão resulta do facto de representar um número de eleitores considerável e, se eu tivesse a certeza de que o senhor(a)consegue perceber o método de Hondt mostrava-lhe que cada vereador da oposição representa um maior número de eleitores do que os da maioria instalada, porque aquele método favorece o partido com maior quantidade de votos em termos absolutos.
Por isso os vereadores da oposição têm legitimidade para usar da palavra.
Depois, a presidente não sabia o que ele iria dizer... a não ser que tenha o dom de ler mentes!!!!
Depois ainda, a lisura de intenções obriga a que todos os contributos para o esclarecimento dos cidadãos seja bem vindo.
Mas não foi isso que se passou: a czarina corta a palavra a quem, de boa fé quer responder para depois ser avaliado pela sua resposta e mete o "on" na sua (dela) cassette e faz a habitual lavagem ao cérebro dos presentes.
E esta conversa fica por aqui!
A PONTA DO VÉU

Anónimo disse...

A CZARINA com seus czarinos ( são pequeninos e miudinhos, uma vez subjugados à dona) estão de olho aberto e muito preocupados a ver o tapete fugir-lhes, debaixo das pantufas de democracia que calçaram, para tropediar incautos.
Deixem Almada em paz e tirem passaporte voluntário para outras paragens, talvez um resort em Cuba ou naquelas estâncias tipo do do Mar Negro só para altos funcionários do partido (PCP) ou para quem lhes queriam lavar o cérebro.
Bye Bye! Bonne voyage.

Anónimo disse...

Camarada(s)
Peço-lhe(s) desculpa do lapso.
Il est, Bon voyage!
Meu francês foi aprendido na URSS.

O tal anónimo anterior

Merci

Anónimo disse...

Quem esta verdadeiramente a mamar a conta da CMA e dos grandes construtores deste concelho, e quem verdadeiramente tem contribuido para a destruiçao da pouca harmonia e equilibrio que restavam, sao militantes e simpatizantes do BE, PS e PSD - dirigentes de serviços municipais que se alcadoraram em MES. E quanto a CMA mudar de cor vao continuar e aprofundar a sua saga destrutiva e encher ainda mais os bolsos. Por isso e que a oposiçao nao faz nada, porque tem la os seus a fazer o trabalho

Anónimo disse...

A Ponta do Véu,

Esta conversa fica por aqui? Porquê? Você decidiu? Então leia só o que tenho para lhe dizer.

Primeira questão: não responde a quem o povoca, só a quem você quer. Boa tirada, e por isso deduzo que, como me respondeu, não o provoquei; quis responder-me.

Segunda questão: a história do método de Hondt. E esta questão tem duas vertentes. A primeira é saber se você concorda que o método de apuramento dos eleitos (locais ou não) deve ser o método de Hondt ou não. E não é dispicienda esta problemática. Porque o método de Hondt, em sistemas eleitorais proporcionais, ainda é o melhor que se conseguiu arranjar até agora. Portanto, está de acordo ou não com este método de apuramento dos eleitos? Se for o método inglês, por exemplo, o Sr. José Courinha Leitão nem um caco valeria. Sabe porquê? Porque não ... existia. Como vereador, é óbvio.

Segunda questão (derivada da primeira): não consigo perceber o que é que quer dizer com isso dos vereadores da oposição representarem um número maior de eleitores do que os da maioria. Você enlouqueceu, não? Ou então é um ignorante puro, pelo menos em matéria de método de Hondt. Se eu lhe disser que cada Deputado da Nação da oposição na Assembleia da República representa mais votos do que um Deputado do PS (que tem maioria absoluta no Parlamento), concordaria comigo?

Terceira (e mais importante) questão: os vereadores da oposição têm legitimidade para usar da palavra. Verdade absoluta! Mas também têm legitimidade para respeitar as regras, certo?

O que é que aconteceu, afinal,naquela reunião de Câmara? Vou perder algum tempo,mas vou explicar (apenas a parte das intervenções dos cidadãos).

Primeiro, como é usual, falaram os Munícipes, que com a mais absoluta liberdade expuseram as suas questões.

Um desses Munícipes - uma Munícipe, por sinal - entre muitas outras questões que levantou, fez uma pergunta simples. Essa pergunta foi dirigida à Presidente da Câmara Municipal, e foi esta: "Os Pavilhões das Escolas Anselmo de Andrade e Daniel Sampaio já foram pagos?"

Esta foi a pergunta. A reunião continuou, até que se entrou na fase em que os eleitos usam da palavra para responder às questões suscitadas pelos munícipes. Tudo normal, até aqui. A Presidente da Câmara percorreu todos os vereadores com responsabilidades (naturalmente, são eles quem assume essas ... responsabilidades) e nenhum dos outros vereadores - incluindo o Sr. Courinha Leitão -, nessa altura, pediu para dizer o que quer que fosse.

Seria muito estranho que, perante a pergunta da Srª Munícipe, a Presidente da Câmara não dissesse nada. E disse. Respondeu, simplesmente, que os Pavilhões daquelas escolas não tinham ainda sido pagos. Simplesmnete isto!

Caíu o Carmo e a Trindade! Foi aqui que o sr. Courinha Leitão quis falar. Mas quis falar porquê? Com que legitimidade quis falar? Quis responder a quê? Que é mentira que os pavilhões não tenham sido pagos ainda? Ou que vai pagá-los na próxima segunda feira? Que quereria o sr. Courinha Leitão dizer naquele momento específico? Contradizer a evidência dos factos? Fazer "mea culpa" (ele é um dos principais responsáveis pelo facto dos pavilhões ainda não terem sido pagos, porque é o Director Regional de Educação de Lisboa! - e é bom que isto fique registado, porque demonstra o bem que este senhor quer aos cidadãos pelos quais foi eleito. É bom que se registe isto!). Por que razão haveria o Director Regional de Educação de Lisboa, que não responde à Câmara Municipal de Almada em termos institucionais, ir ali, abusando da sua qualidade de vereador, querer falar? Dizer o quê?

Das duas uma: ou o sr. Courinha Leitão queria desmentir a Presidente da Câmara dizendo que o Ministério da Educação nada deve ao Município (o que, no mínimo, seria prejúrio), ou o sr. Courinha Leitão queria ali dizer que ia pagar o que deve ao Município na póxima segunda feira (o que no mínimo seria mentira!). De qualquer forma, se esta última hipótese fosse verdadeira (que obviamente não é), o Sr. Courinha Leitão, Director Regional de Educação de Lisboa, deveria, digo melhor, DEVERIA, exercer as suas responsabilidades de outra forma. Não seria ali, em resposta a uma pergunta de uma munícipe, que o sr. Director Regional de Educação de Lisboa iria dar a boa nova de que, finalmente, o Ministério da Educação tinha decidido assumir e respeitar os seu compromissos. Ou não seria?

Caro A Ponta do Véu,

Não gosto disto que vou escrever, mas se calhar agora é que é melhor a conversa ficar por aqui, não acha?

Para o anónimo da czarina: o masculino de czarina não é czarino, é czar. Só cá por coisas ... E registo: você é mais um desses "democratas" (ou nem por isso) que gostaria de me ver (e muitos mais como eu) pelas costas, de nos expulsar deste nosso país. Mas como sou patriota, jamais você ou alguém como você, me expulsará do meu país. E saberei, em todas as circunstâncias, conviver com pessoas como você ... pode disso ter a certeza absoluta!

Al-Ma'dan disse...

Anónimo das 12:44 PM,
Você quando abre a boca só diz barbaridades:

Não, não gosto do antes do 25 de Abril, o que não quer dizer que ache tudo o antes péssimo e tudo o depois maravilhoso.

Sim, antes do 25 de Abril e ressalvo, dentro do contexto do país nesse tempo, i.e. em termos comparativos, Almada era um concelho próspero.
Hoje, e novamente em termos comparativos, Almada é menos próspera pois foi entretanto ultrapassada por concelhos que anteriormente ninguém ouvia falar deles. Isso diz muito do trabalho CDU à frente da câmara. Os senhores sabem, tão bem como eu, que no dia em que Almada ressuscitar, i.e. se tornar um concelho desenvolvido, desse dia em diante não haverá lugar para a CDU à frente dos destinos desta terra. Daí tudo terem feito para não deixar que ela vá mais além.
É que nesse tempo, que espero pelo bem de Almada que chegue rapidamente, o vosso pequenino reino, a vossa coutada particular ter-se-á desboroado entre as vossas mãos.
De facto, vocês nunca gostaram de Almada, apenas precisam de a ter não mão, pelo bem do vosso partido e pelo vosso próprio bem

Anónimo disse...

Depois de Almada ter sido e continuar a ser destruída, como irá ser?

E agora vou dormir porque algumas intervenções deram-me sono.
Com licença.
ZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ

Anónimo disse...

A munícipe que fez a pergunta à czarina, e seus czarinos (não têm categoria para serem czar ou czars) é uma provocadora instrumental do pcp/CMA que vai a todas as reuniões públicas da Câmara e até a foruns,( é forae o plural),faz sempre perguntas. É uma provocadora militante com assinatura. Quem não sabe quem é ela toma-a como uma cidadã comum e anónima interessada nos "problema" do concelho (vão lá mais). Ela é a Maria Joaquina BAU BAU que recebe subsídios da amiga Emília para o "obra" da Quintinha do BAU BAU, como o camarada sabe e não diz quem ela é nem o que já recebeu.
Quanto ao Sr. Courinha Leitão, que não conheço, não sabendo a Emília o que ele ía dizer porque não o deixou falar?
Só em ditaduras isto se passa exercido por intitulados democratas de meia medida.
Arrogam-se do direito de só deixarem falar quem lhes convém.
A emília armou-se em controleira democrática porque estava a jogar em casa. Tinha a assistência minada.
Na praça pública ela não faria o que fez.
O Sr Courinha e todos os vereadores da oposição incluindo os PSD deveriam ter abandonado a reunião deixar a Emília a falar para os sócios seus e depois em comunicado conjunto Ps e Psd davam a conhecer à população a democracia tirânica da Emília para a gestão do concelho.
E falam vocês da censura no tempo de Salazar e da Pide.
Vosso comportamento é igual 35 anos depois.

"Viva o camarada Estaline
Viva o PCP
Viva o 25 de Abril
Viva a nossa liberdade
Viva o povo carente e controlado por nós
O povo é a nossa arma contra os governos capitalistase e fascistas desde que não sejamos nós Governo"

Dirão vocês

Não me chamem fascista. Não sou.
Não gosto é da vossa ditadura.
Sou contra qualquer perseguição ao homem seja feita por fascistas ou comunistas ou falsos comunistas.
Sou contra toda a forma de opressão e de perseguição ao ser humano.
Vocês, não sabem o que é isto quando estão no poder.
Perdem a memória.
Dizem que é democracia e que estão a defender valores democráticos e o povo.
POVO para vocês é a vossa base eleitoral demagogamente explorada.

Um dia Almada viverá natural liberdade sem opressão e sem constrangimentos.

Anónimo disse...

Na Assembleia da República em 2008, com maioria absoluta do Partido Socialista, passam-se dezenas (sim, dezenas!) de situações em que o Presidente da Assembleia da República impede Deputados de usarem da palavra, pelas mais diversas e variadas razões.

Isto é perfeitamente normal em democracia, porque a democracia tem regras. E as regras são para cumprir, mesmo pelosr. Courinha Leitão!

Quanto ao que este último anónimo diz relativamente à munícipe que interveio na reunião de Câmara, revela apenas o seu carácter "profundamente democrático", aliás na senda de outros que por aqui andam.

Como a srª munícipe em causa lhe pisou os calos, isto é, disse coisas que não lhe agradam, com as quais não concorda, vai de etiquetá-la de imediato. Democrata? Sim senhor, muito democrata! Se calhar não gostava nada que eu também o etiquetasse. Mas não, continuo a resistir. Não desço a esse nível ...

Anónimo disse...

Al-ma'dan, não insista no disparate. Almada era um concelho próspero em 1974? Próspero em quê? Para quem? Diga lá, homem! Comparativamente? Comparativamente a quê?

Hoje, e são as estatísticas oficiais que o dizem, o Concelho de Almada encontra-se entre os primeiros do país em todos os índices de desesnvolvimento e bem estar. TODOS! Entende, al-ma'dan?

Mas isso, a mim, só me satisfaz porque significa que Almada alcançou muito com o trabalho que tem sido concretizado nestes 30 anos. Não estou nada preocupado se estamos à frende dos outros, porque o que a mim me interessa é que todos os outros possam estar ao mesmo nível nesses indicadores.

Anónimo disse...

Na Assembleia Municipal de Almada funcionam as regras que dão jeito.
Sei do que falo pois vou a quase todas.
Quando alguém coloca uma questão inconveniente tudo se há-de fazer para que a resposta ou não surja ou aconteça deformada.
A tal munícipe Joaquina consegue algumas coisas à custa da sua chata persistência. E porque a seguir faz propaganda pró MES. Só falta estender-se no chão para que a dona MES passe por cima. Também sei o que digo.
E se quisermos dizer que a vós dos munícipes é valiosa porque não dá a dona MES a mesma atenção ao senhor António Gomes?
Não convém amigos.
Há munícipes e munícipes.
Acreditem que tudo farei para acabar com este estado de coisas.

Al-Ma'dan disse...

Oh anónimo das 6:32 PM,
Eu sei que a inteligência não é o seu forte, por isso nem me vou dar o trabalho de lhe explicar.
Sabe, para pessoas com o seu universo mental, nem vale a pena gastar os dedos a teclar para lhe explicar que Almada não existe só depois de 1974, ano que os senhores se apossaram dela como se fosse vossa propriedade.
Almada tem uma história de séculos, e no passado nem tudo foi mau como os senhores gostam de pintar.
Quando visitei o vosso Museu da Cidade fiquei estupefacto: o espaço dedicado a séculos de história é reduzidíssimo. Em contrapartida, o espaço dedicado aos anos pós-25 de Abril é comparativamente muito maior. Para além disso, no museu, somos constantemente bombardeados com a mensagem subliminar de que o passado (leia-se antes da CDU) foi péssimo, o presente e o futuro (leia-se com a CDU) é formidável. Por muito que queiram os senhores não conseguem livrar-se dos amanhãs que cantam do bom e velho camarada Mao.
Caro anónimo, decididamente os vossos universos mentais, continuam como sempre: a preto e branco, sem cambiantes. Por isso, à frente dos destinos de Almada têm feito esta à vossa imagem: uma terra a preto e branco.

Anónimo disse...

A duas cores?
Já não é mau.
Estes andróides têm problemas graves.
Mandatados por sua excelência a czarina, fazem tudo o que lhes fôr ordenado.
Nunca se sabe se um favor não os leva ao topo.
Veja-se o caso do senhor Rui Martins que de carregador de material diverso chegou a vereador.
Ah pois é.

Anónimo disse...

O anónimo que "tudo fará para acabar com este estado de coisas" estará a lançar a sua candidatura a alguma coisa? Se é assim, seria melhor começar a pensar em identificar-se na sua campanha. Assim ninguém terá sequer hipótese de lhe dar a hipótese (passe a repetição) de poder (tentar) mudar alguma coisa.

Por outro lado, interessante que esta declaração de intenções seja feita neste blog. Será, uma vez mais, o tal gato escondido com o rabo de fora? A mim cheira-me que sim ...

Quanto ao al-ma'dan e à sua inteligência, por esta vez não me pronuncio. Mas que cada vez mais revela o seu ódio ao 25 de Abril de 1974, e às conquistas alcançadas pelo Povo Português e pelos Almadenses com a Revolução, isso salta à vista de todos. E repare bem, não precisei de emitir qualquer juizo de valor sobre as suas qualidades, ao contrário de si que, para sustentar (?) o que pensa precisa de começar logo por me insultar ...

Anónimo disse...

Esqueci-me de uma coisa para o al-ma'dan. O seu carácter fascizante fica muito bem demonstrado nesta tirada: "Almada não existe só depois de 1974, ano que os senhores se apossaram dela como se fosse vossa propriedade".

Que grande falta de respeito pela democracia e pela vontade popular! Nestes 34 anos realizaram-se sempre eleições livres e democráticas para os órgãos do poder local. E vem aqui um al-ma'dan qualquer colocar em causa essa realidade. Respeite, pelo menos um bocadinho, a vontade dos Almadenses. Será esta a "oposição" que se pretende? Isto é mas é absoluta irresponsabilidade!

Anónimo disse...

Sim sim...
... fazem tudo o que lhes fôr ordenado.
Para aumentarem o ordenado!...
Isto para além de garantirem o voto do "lado certo"...

Anónimo disse...

Por que não quiseram a recontagem de votos solicitada pelo BE nas últimas eleições autárquicas?
Lá ía à viola a maioria. por sete votos (7) que "arranjaram", sabe-se lá como.
Se houvesse contagem de votos já não abusariam de Almada e da população como o têm feito, porque perdiam os 7 votos.

Tiveram medo não foi?

Se fossem democratas e estivessem confiantes na vitória que o povo almadense lhes dava não hesitariam na recontagem.

Sabiam bem o que vos esparava, não era?

É a vossa democracia CDU-PCP.

Anónimo disse...

Só a má fé e a ignorância juntos podem justificar o que este último anónimo diz.

Quem decide se há recontagens ou não é o juiz que preside ao apuramento final dos resultados. Ouvidas as forças políticas concorrentes, é certo, mas a decisão é dele e apenas dele. Será que até o juiz estava "feito" com a CDU?

Depois quem é este anónimo para dizer que a CDU perdia 7 votos? Ou um só que fosse? Porque não haveria de ganhar mais uns tantos, em vez de perder? Quem se julga este anónimo para afirmar uma coisa destas? Tem uma bola de cristal? Adivinhou? Ou acredita piamente em todas as patranhas que lhe contam?

E será que estes anónimos abusadores têm o direito de continuar a colocar tudo e todos em causa em nome dos seus mesquinhos interesses? Será que alguém de bom senso e honesto poderá continuar a acreditar nesta gente, que se socorre de toda a espécie de mentira e calúnia para afirmar o seu desespero? Imagine-se que até já os Juízes são postos em causa!

Anónimo disse...

Esta é para o escrevinhador oficial de serviço destacado pela CMA/PCP/CDU hoje para este blog:

Alto e pára aí o baile!

Quem pôs em causa o juíz?

A CDU RECUSOU A CONTAGEM DOS VOTOS ou quis a contagem?
Diga, diga escrevinhador.

Quem é o juíz que recusaria a contagem dos votos se os representantes dos partidos na Assembleia Eleitoral estivessem de acordo para a recontagem?

Lá ía à viola a maioria!
Ah pois ía ía!

Anónimo disse...

Amigos,
Não liguem as estes desabafos de desespero dos comunistas... eles não sabem fazer mais nada...!
Não se recordam que para o PCP (na voz do seu líder parlamentar) a Coreia do Norte é uma democracia!
Deixem essa malta ir para a Coreia do Norte, ou para onde quiserem...
MAS VAMOS É CORRER COM ELES DE ALMADA!
Seria interessante que no dia da inauguração do MST essa cambada pudesse ver um pouco da nossa força!
Vamos todos mostrar quem são os almadenses, e que Almada ainda tem futuro.

Anónimo disse...

Algumas coisas que se escrevem neste blog sobre Almada antes do 25 de abril que nos parece que estavamos no tempo da pre historia senhores sejam serios em Almada não cagavamos ao ar livre tinhamos todos os serviços que temos hoje,Alada erra da cidades mais ricas do Pais,tinhamos industria pesqueira tinhamos industria naval tinhamos um comercio forte. Hoje temos uma cidade morta,para onde vai a juventude desta cidade porque não se ve em Almada e os jovens são o futura.

Al-Ma'dan disse...

Oh anónimo das 19:28 PM,
Essa das eleições é genial. Ora vejamos: também Alberto João Jardim ganha as eleições na Madeira há 30 e tal anos consecutivos e democraticamente e o que é que o seu partido diz dele e do seu regime ? Chama-lhe défice democrático não é ? Em Almada, a CDU não é diferente. Também ganha as eleições democraticamente, mas a democracia é também aqui altamente deficitária.
Não queira fazer de nós patetas, há muitas maneiras de se ganhar eleições e de se manter o poder: uma delas é criando uma teia de interesses e de lealdades em torno do poder, isso é o que faz Alberto João Jardim na Madeira e o que fazem os senhores em Almada. Outros distribuem frigoríficos e TVs. Há tantas formas de ganhar eleições democraticamente! E para todas estas formas democráticas de ganhar eleições o dicionário de português tem un nome bem adequado: caciquismo. Este, em Portugal, é uma instituição com séculos, efectivamente a CDU não inventou nada!
Quanto ao meu carácter fascizante essa é para rir! Para vocês, quando não se é da vossa cor é-se automaticamente fascista: se não és por mim és contra mim, parece-estar a ouvir OLSalazar. Tão diferentes e simultaneamente tão iguais que vocês são!
Quanto à inteligência, e embora esta não seja uma característica humana facilmente definível, na minha óptica não posso considerar inteligente uma pessoa que só vê aquilo que lhe interessa. Faz-me lembrar exactamente o mesmo AOSalazar: muitos dos seus acólitos consideravam-no uma sumidade e na realidade, na minha óptica, não o era: era uma pessoa cheia de limitações e só via da realidade o que lhe intessava. É exactamente o que penso da sua forma de ver as coisas.

Anónimo disse...

Ó senhor ou senhora que dizia estar a ser posto em causa o Juíz, diga se a CDU quis a recontagem dos votos pedida pelo BE nas ultimas autárquicas.
Calou-se?

Anónimo disse...

Que conversa tão absurda é esta de que Almada mudou nos últimos 35 anos ? Seria bom que não o tivesse feito , todo Europa mudou em 35 anos, a diferença é que ao contrario que em Almada, o fez mas rápido e com criteríos de futuro realizados por pessoas capacitadas e com gosto por sua cidade e sua população, ao contrario da espelunca que é Almada.

fernando sousa da pena disse...

Esta discussão já está bastante extensa (o que se saúda), com alguns argumentos de lógica platelminta (que falam por si), mas não resisto a uma frase genial que alguém deixou:

«Hoje, e são as estatísticas oficiais que o dizem, o Concelho de Almada encontra-se entre os primeiros do país em todos os índices de desesnvolvimento e bem estar. TODOS!»

Esta é realmente muito boa. Saliento o ênfase dado à palavra "todas". Devem ser as estatísticas oficiais do Avante. Ou é apenas uma piada ligeira para desanuviar o ambiente. De qualquer modo, dá para perceber que não é para ser levado à séria.

Se tiver vontade, posso mostrar-lhe muitos estudos sobre Almada. E os erros estratégicos clamorosos que eles apontam. Mas esses, provavelmente, são realizados por perigosos fascistas.

Anónimo disse...

SIMPLESMENTE ARRAZADOR

Não deixem de ler e, sobretudo, divulgar.

Portugal visto de Espanha. AS VERDADES OCULTAS EM PORTUGAL

LISBOA, 21 sep (IPS) - Indicadores económicos y sociales periodicamente divulgados por la Unión Europea (UE) colocan a Portugal en niveles de pobreza e injusticia social inadmisibles para un país que integra desde 1986 el 'club de los ricos' del continente.
Pero el golpe de gracia lo dio la evaluación de la Organización para la Cooperación y el Desarrollo Económicos (OCDE): en los próximos años Portugal
se distanciará aún más de los países avanzados.
La productividad más baja de la UE , la escasa innovación y vitalidad del sector empresarial, educación y formación profesional deficientes, mal uso de fondos públicos, con gastos excesivos y resultados magros son los datos señalados por el informe anual sobre Portugal de la OCDE , que reúne a 30
países industriales.
A diferencia de España, Grecia e Irlanda (que hicieron también parte del 'grupo de los pobres' de la UE ), Portugal no supo aprovechar para su
desarrollo los cuantiosos fondos comunitarios que fluyeron sin cesar desde Bruselas durante casi dos décadas, coinciden analistas políticos y
económicos.
En 1986, Madrid y Lisboa ingresaron a la entonces Comunidad Económica Europea con índices similares de desarrollo relativo, y sólo una década atrás, Portugal ocupaba un lugar superior al de Grecia e Irlanda en el ranking de la UE. Pero en 2001, fue cómodamente superado por esos dos países, mientras España ya se ubica a poca distancia del promedio del bloque.
'La convergencia de la economía portuguesa con las más avanzadas de la OCE pareció detenerse en los últimos años, dejando una brecha significativa en
los ingresos por persona', afirma la organización.
En el sector privado, 'los bienes de capital no siempre se utilizan o se ubican con eficacia y las nuevas tecnologías no son rápidamente adoptadas', afirma la OCDE.
'La fuerza laboral portuguesa cuenta con menos educación formal que los trabajadores de otros países de la UE , inclusive los de los nuevos miembros de Europa central y oriental', señala el documento.
Todos los análisis sobre las cifras invertidas coinciden en que el problema central no está en los montos, sino en los métodos para distribuirlos.
Portugal gasta más que la gran mayoría de los países de la UE en remuneración de empleados públicos respecto de su producto interno bruto, pero no logra mejorar significativamente la calidad y eficiencia de los servicios.
Con más profesores por cantidad de alumnos que la mayor parte de los miembros de la OCDE , tampoco consigue dar una educación y formación
profesional competitivas con el resto de los países industrializados.
En los últimos 18 años, Portugal fue el país que recibió más beneficios por habitante en asistencia comunitaria.
Sin embargo, tras nueve años de acercarse a los niveles de la UE , en 1995 comenzó a caer y las perspectivas hoy indican mayor distancia.
Dónde fueron a parar los fondos comunitarios?, es la pregunta insistente en debates televisados y en columnas de opinión de los principales periódicos del país. La respuesta más frecuente es que el dinero engordó la billetera de quienes ya tenían más.
Los números indican que Portugal es el país de la UE con mayor desigualdad social y con los salarios mínimos y medios más bajos del bloque, al menos
hasta el 1 de mayo, cuando éste se amplió de 15 a 25 naciones.
También es el país del bloque en el que los administradores de empresas públicas tienen los sueldos más altos.
El argumento más frecuente de los ejecutivos indica que 'el mercado decide los salarios'. Consultado por IPS, el ex ministro de Obras Públicas
(1995-2002) y actual diputado socialista João Cravinho desmintió esta teoría.
'Son los propios administradores quienes fijan sus salarios, cargando las culpas al mercado', dijo.
En las empresas privadas con participación estatal o en las estatales com accionistas minoritarios privados, 'los ejecutivos fijan sus sueldos astronómicos (algunos llegan a los 90.000 dólares mensuales, incluyendo bonos y regalías) con la complicidad de los accionistas de referencia', explicó Cravinho.
Estos mismos grandes accionistas, 'son a la vez altos ejecutivos, y todo este sistema, en el fondo, es en desmedro del pequeño accionista, que ve como una gruesa tajada de los lucros va a parar a cuentas bancarias de los directivos', lamentó el ex ministro.
La crisis económica que estancó el crecimiento portugués en los últimos dos años 'está siendo pagada por las clases menos favorecidas', dijo.
Esta situación de desigualdad aflora cada día con los ejemplos más variados.
El último es el de la crisis del sector automotriz.
Los comerciantes se quejan de una caída de casi 20 por ciento en las ventas de automóviles de baja cilindrada, con precios de entre 15.000 y 20.000
dólares.
Pero los representantes de marcas de lujo como Ferrari, Porsche, Lamborghini, Maserati y Lotus (vehículos que valen más de 200.000 dólares),
lamentan no dar abasto a todos los pedidos, ante un aumento de 36 por ciento en la demanda. Estudios sobre la tradicional industria textil lusa, que fue
una de las más modernas y de más calidad del mundo, demuestran su estancamiento, pues sus empresarios no realizaron los necesarios ajustes
para actualizarla.
Pero la zona norte donde se concentra el sector textil, tiene más autos Ferrari por metro cuadrado que Italia.
Un ejecutivo español de la informática, Javier Felipe, dijo a IPS que según su experiencia con empresarios portugueses, éstos 'están más interesados en
la imagen que proyectan que en el resultado de su trabajo'.
Para muchos 'es más importante el automóvil que conducen, el tipo de tarjeta de crédito que pueden lucir al pagar una cuenta o el modelo del teléfono
celular, que la eficiencia de su gestión', dijo Felipe, aclarando que hay excepciones.
Todo esto va modelando una mentalidad que, a fin de cuentas, afecta al desarrollo de un país', opinó.
La evasión fiscal impune es otro aspecto que ha castrado inversiones del sector público con potenciales efectos positivos en la superación de la crisis económica y el desempleo, que este año llegó a 7,3 por ciento de la población económicamente activa.
Los únicos contribuyentes a cabalidad de las arcas del Estado son los trabajadores contratados, que descuentan en la fuente laboral. En los últimos dos años, el gobierno decidió cargar la mano fiscal sobre esas cabezas, manteniendo situaciones 'obscenas' y 'escandalosas', según el economista y comentarista de televisión Antonio Pérez Metello.
'En lugar de anunciar progresos en la recuperación de los impuestos de aquellos que continúan riéndose en la cara del fisco, el gobierno (conservador) decide sacar una tajada aun mayor de esos que ya pagan lo que es debido, y deja incólume la nebulosa de los fugitivos fiscales, sin coherencia ideológica, sin visión de futuro', criticó Metello.
La prueba está explicada en una columna de opinión de José Vitor Malheiros, aparecida este martes en el diario Público de Lisboa, que fustiga la falta de honestidad en la declaración de impuestos de los lamados profesionales liberales.
Según esos documentos entregados al fisco, médicos y dentistas declararons), los arquitectos de ingresos anuales promedio de 17.680 euros (21.750 dólares), los abogados de 10.864 (13.365 dólaree 9.277 (11.410 dólares) y los ingenieros de 8.382 (10.310 dólares).
Estos números indican que por cada seis euros que pagan al fisco, 'le roban nueve a la comunidad', pues estos profesionales no dependientes deberían
contribuir con 15 por ciento del total del impuesto al ingreso por trabajo singular y sólo tributan seis por ciento, dijo Malheiros.
Con la devolución de impuestos al cerrar un ejercicio fiscal, éstos 'roban más de lo que pagan, como si un carnicero nos vendiese 400 gramos de bife y
nos hiciese pagar un kilogramo, y existen 180.000 de estos profesionales liberales que, en promedio, nos roban 600 gramos por kilo', comentó con
sarcasmo.
Si un país 'permite que un profesional liberal con dos casas y dos automóviles de lujo declare ingresos de 600 euros (738 dólares) por mes, año
tras año, sin ser cuestionado en lo más mínimo por el fisco, y encima recibe un subsidio del Estado para ayudar a pagar el colegio privado de sus hijos,significa que el sistema no tiene ninguna moralidad', sentenció.

Anónimo disse...

Ao vendido à CMA e suas acólitos fura blog, fale, fale e fale, aproveite, mas lixe-se porque vão perder as eleições autárquicas.

Al-Ma'dan disse...

Caro anónimo das 3:30 PM,
Obviamente que a sua análise está correcta. Qual foi o concelho deste país que não progrediu nos últimos 35 anos ? Claro que todos!
Também só faltava essa, que Almada estivesse hoje exactamente igual ao que era em 1974! Mas, o que distingue os concelhos portugueses uns dos outros é que uns progrediram mais e melhor que outros. Quanto a Almada, não progrediu bem (longe disso) e progrediu muito menos do que as suas potencialidades o permitiam. Razões: 34 anos de poder ininterrupto e monolítico da CDU.
Almada tem pago e continua a pagar um elevado alto preço pela CDU no poder.
Há duas realidades que se excluem mutuamente: o poder CDU e o desenvolvimento. Ou um ou outro. A CDU que se quer perpetuar no poder sabe que não pode desenvolver o concelho: um município desenvolvido fugir-lhe-á das mãos, pois com o desenvolvimento gerar-se-ão forças centrífugas autónomas em relação à câmara municipal, o que a CDU não pode permitir, pois o que a mantém no poder é o facto de quase tudo em Almada orbitar em torno da câmara municipal. A câmara põe e dispõe, manda e desmanda, subsidia e exige. Com o desenvolvimento, as forças vivas municipais autonomizar-se-ão, deixarão de orbitar em torno da câmara e esta ficará esvaziada de poder. É precisamente aqui, no poder, que reside o segredo dos 34 anos de CDU na câmara municipal: o poder que tudo controla é centralizado até ao limite, quer da câmara para exterior quer no interior da própria câmara em que o poder é centralizado em MESousa.
Por outro lado, um concelho nas mãos da CDU não tem voz activa junto do poder central, nem é suficientemente atractivo para atrair investimento produtivo.
Portanto, pode-se concluir que Almada tem pago um elevado preço por ter gestão CDU.
Daí que apenas tenhamos 2 vias possíveis: sem a CDU, a via do desenvolvimento, com a CDU a via do mais do mesmo.
Está nas mãos da maioria dos almadenses fazer a escolha: ou um caminho incerto mas que pode trazer o desenvolvimento que todos ambicionamos para esta terra ou o caminho já mais que conhecido da CDU que nos irá dar sempre o mesmo: subdesenvolvimento e centralismo.