sexta-feira, julho 04, 2008

Nem Uma Coisa Nem Outra

Em...Almada e no país assiste-se a um esbanjar de dinheiro da Câmara Municipal de Almada, para promoção dos autarcas que ocupam a cadeira do poder.
Estamos já, perante uma propaganda eleitoral disfarçada de promoção a Almada.
Os anúncios na TV, o encarte saído no Expresso e a "entrevista" da presidente da Câmara ao Jornal da Região, não mostram a Almada real. Promovem :
- uma Almada que não existe, projectando o espectador/leitor para uma "acção, suposta realizadora dos actuais autarcas,
-uma Almada que a força política dominadora e os autarcas que a representam, não conseguiram reabilitar, desenvolver social e economicamente em trinta e quatro anos e vêm agora prometer, numa catadupa de realizações fictícias.
Falta-lhes ter vergonha e respeito pela população.
Os almadenses, não sendo nem uma coisa nem outra....
....conhecem as realidades de Almada, as suas feridas, os seus males, o seu subdesenvolvimento e degradação acumulados ao longo de 34 anos.
Por isso não devem pagar a promoção e a propaganda pré-eleitoral dos actuais autarcas.
Estamos a assistir a um abuso descarado do poder instalado na Câmara, gastando dinheiro dos almadenses em seu benefício, para se perpetuar no mando do concelho e criar ilusões a quem não reside em ou não conhece o concelho de Almada.

29 comentários:

alfacinha disse...

A conduta destas pessoas é indecente.
São autarcas habituados a estes procedimentos.
Os meios de comunicação social querem gerar lucros.
Desde que lhes paguem publicitam tudo

Anónimo disse...

Concordo com o alfacinha, os media desde que lhes paguem publicitam tudo.
Veja-se a recuperação de imagem da múmia Ferreira Leite, a tecnocrata que finge preocupar-se com o Povo, o engenheiro mentiroso a quem chamam menino de oiro, não passando sequer de pexisbeque mal amanhado ou do Paulinho das Feiras bronzeado, populista e sempre preocupado com os mais desfavorecidos, coitadinhos..
Haja dinheiro que eles vendem o produto..

Anónimo disse...

A presidenta e uma mentirosa saloia, saloia, saloia.

Anónimo disse...

Não é de Mafra não
é de S.Bartolomeu de Messines. Apesar de haver muito pouca gente que concorde com o encarte e com a divulgação nas televisões no próximo ano ainda vamos ter mais (doze reforçada).
Apesar das vozes críticas (nas quais me incluo) os resultados têm compensado, assim demonstram as sucessivas reeleições.
Obrigado pela bela fotografia dos dois burricos. Não sei que significado atribuir a tão bucólica imagem que me desperta a vontade de ir por esses campos fora contactar com a natureza. Talvez os Picos da Europa.

Anónimo disse...

A culpas não podem ser assacadas à comunicação social. Obviamente, que aquela quer é facturar. Agora temos de assacara culpa a quem de direito, a CMAlmada.
Reparem, numa terra onde falta tanta coisa, desde a limpeza à manutenção dos espaços verdes (estou apenas a dar 2 exemplos) é um crime o dinheiro gasto em propaganda, apenas para alimentar o ego de uma certa pessoa que todos nós bem conhecemos.
Depois, quando reclamamos melhor limpeza e mais espaços verdes, vêem-nos com a conversa da treta do costume: não há dinheiro!
O que é que apetece fazer ? Digam-me!
Quanto aos burrinhos da foto, está-se mesmo a ver que somos nós os almadenses, que comemos e não bufamos! Quem mais poderia ser?

Anónimo disse...

Oh último anónimo,

Apenas dois exemplos? Porquê? Não tem mais?

Pois não, não tem mais nenhum. E mesmo estes são mentira sua. Você, como outros que por aqui andam, são é absolutamente incompetentes. Não têm nada de substancial para apontar, mas vêm com a conversa "estou apenas a dar dois exemplos". E que exemplos: mentiras!

Ponto Verde disse...

Sem nenhum acordo prévio, acho piada termos ido buscar uma imagem idêntica para caracterizar a forma como somos tratados pela gente do ¨lado certo¨ .

Sou eu que sou burro ?

Anónimo disse...

Lá vem o dito cujo comentador anónimo que se apresenta sempre com problemas intestinais.
Oh das 09:10:00 PM !!!
Depois os outros é que são casos de polícia e de psiquiatria.
Está na altura de ir às reuniões e ver da possibilidade de fazer parte das listas lá dos coisos para as eleições.
"Bufo já você é".
Já pensou na possibilidade de poder fazer uma oposição a sério?
Você que diz ter lido as actas todas.
Quer melhor candidato?
Tem é que ler a cartilha e seguir-se por ela.

Que Alá esteja consigo.

Anónimo disse...

Ponto Verde,

Sem acordo prévio????????????

Essa é para rir ...

E já agora, veja no seu próprio blog o que eu penso dos burros (animais, claro ...).

Agora essa do "sem acordo prévio" só para rir mesmo! E muito! Muitíssimo!!!!!!!

Anónimo disse...

Ao anónimo do "alá esteja consigo",

Melhor exemplo de intolerância do que o seu "excremento verborreico" não pode haver. Do princípio ao fim. Está lá tudo escrito, aquilo que você é. Nem preciso acrescentar nada ...

Anónimo disse...

Pois pois
Picou-se?
Era essa a intenção.
Você é realmente uma coisa e não uma pessoa.
Quer fazer-se passar por uma coisa que não é.
Você é triste. Tenho pena de si.
Mas ainda consegue fazer-me rir.

Excremento é igual a merda, presumo.
Mas você quer fazer-se passar por gente fina e passou horas a ler o dicionário.

Trate-se homem.

Anónimo disse...

Anónimo das 9:10,
Dei apenas 2 exemplos, poderia ter dado dezenas, mas você, não quer ver pois não? A sua dona não lhe compra uns óculos (para o cérebro) pois não ?
Isso de ter donos é mesmo assim, os burros com dono apenas pensam e fazem o que os donos querem e ai deles que tenham o topete de quererem dar um coice sem autorização do dono. Nesse caso, o dono dá-lhes uma chibatada bem dada, e é bem feito. Oh homem areje essa cabeça, liberte-se e dê um coice bem dado na sua dona.

Anónimo disse...

Não é Mafra mas sim S.Brás mais a Sul.
A água que corre em excesso nas torneiras automáticas de muitos de muitos de serviços da Câmara dava para regar quantos m2 de zonas verdes?
Nos supermercados as torneiras correm menos de metade do tempo quando não têm sensores que se desligam sem a presença das mãos.
O eixo central de Almada ficou com muito enos metros quadrados de sombra. É preciso recuperar as sombras que o comboio nos roubou, daí o apelo ao bom aproveitamento da água.E que tal pensar regar com águas que apenas serviram para lavar as mãos ou das chuvas devidamente guardadas.
Hoje vi junto a um ecoponto uma garrafa de óleo alimentar. Quando haverá mais recolhas selectivas de mais coisas além do vidro, do cartão, das embalagens ...Gostava de ter na minha rua um ecoponto mas infelizmente só há um vidrão. Vejo nos contentores colocados junto das obras contentores com vidros partidos em pequenos pedaços, juntos com madeiras, tijolos e tudo o mais. Podem estes senhores fazer tudo o que bem lhes apetece ou devem ser multados por não porem os vidros no vidrão.
Estamos no reino do vale tudo?

Anónimo disse...

No dia 21 de Junho com o jornal Expresso foi distribuído um encarte sobre Almada .
É espantosa a obra de ficção que este encarte representa. Os titulos e as imagens são de uma imaginação digna de ser elogiada pela criatividade.

Qualquer cidadão deste país, que viva longe de Almada, vai ter inveja dos almadenses.

Vai mesmo considerar que é injusto que a sua terra não tenha sido já contemplada com “o turismo criativo”, com “a rede de transportes criativa”, com “um concelho criativo”, com “uma gestão criativa”…

Vai mesmo pensar que Almada não é deste país. Certamente vai imaginar que Almada foi localizada num distante paraiso turistico e como por um golpe do destino, talvez por algo mágico veio parar a este pequeno território em frente a Lisboa.

Realmente é necessário muita criatividade para apresentar ao país uma imagem que não existe, ou antes, exite há muitos anos em desenhos que vão perdurando no tempo e no papel inalteráveis em simultaneo com a degradação e a paralização da realidade fisica de Almada.

Como cidadãos de Almada temos que dizer ao país que não tenha inveja de nós, porque a sua realidade é melhor que a nossa em Almada, onde o que impera é a a falta de qualidade vida, é um turismo arruinado, é uma rede de transportes desadequada às necessidades do território, é uma gestão autoritária e arrogante, é um concelho marginalizado pelo seu desordenamento urbano e degradação dos espaços públicos.

Impõe-se então questionar quem pagou tudo isto?

Quanto é que a Câmara gastou do erário publico para efectuar esta propaganda que engana o país e deixa os almadenses frustrados e irritados por venderem uma imagem ilusória da sua terra enquanto no dia a dia lutam com as dificuldades para chegar ao emprego, com a sugidade à sua porta, com as ruas em terra batida, com os bairros degradados, com a violência e a criminalidade nas ruas?


Declaração política apresentada pela bancada do PS na Assembleia Municipal de 27 de Junho p.p., pela voz de MªJoseEsteves

Anónimo disse...

Seja benvinda esta declaração da bancada do PS na assembleia municipal. Será que o PS já acordou ? Será que o PS se prepara para trabalhar para merecer no futuro governar Almada ?
Vá lá, esforcem-se, mostrem aos almadenses que podem confiar em vós.

Anónimo disse...

Gostaria de saber qual foi a reacção da Assembleia a essa declaração.

Anónimo disse...

Esta declaração deve ter sido rejeitada pela maioria na Assembleia (a bancada da Câmara ou seja do PCP ) dizendo que tudo era mentira, que era a reacção, que eram as forças desestabilizadoras da democracia a denegrirem o honesto, bom e exemplar trabalhinho do PCP-CMA em benefício da poipulação e do PCP, que tinham era inveja...enfim que os óptimos são o PCP-CMAlmada, que Almada lhes pertence por herança democrática e antifascista há pipas de anos.
Comno se comportaram PSD e BE?

Anónimo disse...

As obras associadas à implantação do metro de superfície em Almada indiciam ser um chorudo e rentável negócio para alguns, uns poucos.
As composições andam vazias.
Uns lucraram e lucram, Almada e suas gentes perdem.
Juntou-se a fome com a vontade de comer: CMA, Governos e a entidade exploradora concessionária do metro.
Curioso TRIUNVIRATO.
CMA: PCP
Governos: PSD e PS
Concessionária: Come de qualquer um. Não interessa a cor política.
Siga o arraial!

Anónimo disse...

Suponham que a Presidente respondeu à declaraçãp de Mª. José do PS sobre a ficção do encarte que é preciso amar Almada (como ela ama, direi eu).
Quando em Setembro ou Outubro a acta for aprovada teremos todos oportunidade de saber em que termos precisos foi declarado esse AMOR ou desamor por parte do poder local e do PS respectivamente. Como não havará outra gravação que não seja a oficial, temos de esperar para lermos com toda a atenção as palavras ditas.
Uma coisa eu infiro:ninguém ama tanto Almada como a sua Presidente, o PCP e a CDU, nas suas palavras que poderemos confirmar a não ser que a gravação esteja imperfeita. Concluo que eu e muitos dos escrevinhadores deste Blog não poderemos amar tanto Almada quanto quem vem governando o Concelho. Jamais! Toma lá esta que é democrático. Que é pelo sonho que vamos com a Senhora mais o Prof. Sebastião. Por mim cantando e rindo levados levados sim. Pelo sonho ou pela ficção.Porque não te calhas Maria José. Los poetas tienen direcho de sonhar.
Mas quando a poetiza se zanga zurze com o chicote. Mas desta vez houve algum poder de encaixe. Terá sido porque monsieur carriéres est allé à la retraite? Ou os tempos são outros e as políticas as mesmas?

jonas disse...

Puxa!
A democracia em Almada deve ser uma coisa transcendente e só para alguns. Assim dá para entender o real atraso do concelho.

Anónimo disse...

Então não se está mesmo a ver que MESousa e o PCP têm o monopólio do amor por Almada! Todos os outros são uns impostores.
Mas a realidade encarrega-se de desmascarar MESousa e seus boys: quem ama Almada nunca poderia ter feito o que esta senhora e os seus acólitos têm feito nesta nossa terra; a julgar pelos atentados que a CMAlmada liderada por MESousa tem feito em Almada, atrevo-me a dizer que aquilo que eles sentem por Almada é desprezo e não amor. Quem ama, não trata mal; quem ama, acarinha, não despreza;
A não ser que o sentimento de MESousa seja de amor/ódio como acontece tantas vezes entre seres humanos. Se for esse o caso, sugiro que a senhora visite urgentemente um psiquiatra pois a sua relação com Almada cai no campo da patologia.

Anónimo disse...

Carta de Leipzig sobre Cidades Europeias Sustentáveis
25.05.2007

Os ministros da União Europeia definem o ideal de Cidade Europeia
A Carta de Leipzig sobre Cidades Europeias Sustentáveis foi assinada, no dia 24 de Maio, pelos ministros europeus responsáveis pelo ordenamento do território e urbanismo, numa reunião informal sobre desenvolvimento urbano e coesão territorial organizada pela presidência alemã da UE. A Carta de Leipzig define as bases de uma nova política urbana europeia, focada em auxiliar as cidades a resolver os problemas de exclusão social, envelhecimento, alterações climáticas e mobilidade.

As cidades geram 75 a 85% do Produto Interno Bruto da Europa. Promover um ambiente urbano com qualidade é uma das prioridades da renovada Estratégia de Lisboa para “tornar a Europa um espaço mais atractivo para viver e trabalhar”. No entanto, muitas cidades europeias sofrem de elevados níveis de tráfego, poluição, níveis de ruído e exclusão social. As cidades europeias são os locais onde se consomem quase três quartos da energia e portanto são essenciais no combate às alterações climáticas.


Embora a União Europeia não tenha qualquer competência ao nível das questões urbanas, as suas políticas de coesão bem como as políticas sectoriais nas áreas dos transportes, ambiente e questões sociais, por exemplo, podem ter um impacto muito significativo ao nível das cidades e da sua capacidade para lidar com as mudanças. Deste modo, é necessário uma política integrada de desenvolvimento urbano, que combine todas as políticas relevantes da UE e que envolva os actores a todos os níveis – local, regional, nacional e comunitário.


Com a Carta de Leipzig, os 27 Estados-Membro definiram, pela primeira vez, o modelo ideal de cidade para a Europa do século 21 e acordaram estratégias comuns para uma política de desenvolvimento urbano.


Fortalecer o centro da cidade
De acordo com a Carta de Liepzig, a meta principal deveria ser atrair as pessoas, actividades e investimento para o centro das cidades e pôr fim ao fenómeno de dispersão das cidades que só tem aumentado o tráfego automóvel, consumo energético e área de solo ocupada.

A atenção deveria ser orientada na recuperação de edifícios residenciais e comerciais no centro das cidades, com um maior grau de diversidade de actividades e dotada de áreas de lazer e trabalho, tornando as cidades mais vigorosas e mais estáveis, quer socialmente, quer economicamente.


Apoiar bairros mais carenciados
Os Estados Membro acordaram promover acção sobre os bairros mais carenciados. De acordo com a Carta, esta “acção pública” de erradicar as áreas “no go” da Europa é importante, pois estas ameaçam a atractividade, a competitividade, a coesão social e a segurança nas cidades.


Melhor financiamento
A Carta também sugere à Comissão Europeia que as cidades devem ser o núcleo das políticas de financiamento. Até ao momento, dos 350 biliões de euros dos fundos de coesão e estruturais para o período 2007-2013, €19,5 biliões estão destinados às cidades. Mas a Carta de Leipzig evidencia que se os Estados Membro necessitam de mais acção se pretendem fazer frente a questões como as alterações demográficas, aquecimento global e alterações na estrutura da economia devidas às pressões da globalização. Recomenda ainda que os governos utilizem mais frequentemente a figura da parceria publico-privada para aumentar os investimentos na infra-estrutura urbana.


Mais informação

Presidencia Alemã da UE (press release): Informal EU Council of Ministers for Urban Development and Territorial Cohesion adopts “Leipzig Charter” (24 Maio 2007)
German Presidency (memo): The renaissance of cities (24 Maio 2007)

German Presidency: Leipzig Charter on sustainable European cities

Anónimo disse...

O presidente da concelhia do PS, no artigo de opinião com elogios ao MST, no Notícias de Almada da semana p.p. deu declarado apoio à reeleição da actual Câmara.
A senhora Emília está contente com a sintonia de ideias e elogios da oposição ao MST.
Mª José Esteves é PS?

Anónimo disse...

Pois é, pois é!
A oposição em Almada é muito sui generis.
Em vez de atacar o que está mal - e em Almada está tanta coisa mal! -a oposição faz elogios à câmara e dá tiros no próprio pé.
Mas que raio de oposição é esta?
Será que querem vir a estar à frente dos destinos de Almada? Ou será que por detrás destas tristes figuras, há algo mais que nós simples cidadãos desconhecemos ?
Em Almada, o comportamento da oposição é um enigma que escapa a qualquer explicação racional e razoável.
O que será que existe por detrás deste comportamento aberrante?

Anónimo disse...

O PS de Almada vive o trauma de ter sido o seu Governo do Engº Guterres a assinar o contrato para o MST, e nunca ter almejado que a população almadense se convencesse que o MST é obra de decisão de um governo do PS e não da Câmara de Almada.
Qualquer elogio que o PS Almada faça ao MST e diga que o MST é decisão do PS e não da Câmara de Almada, já não convence ninguém.
Nessa matéria a Maria Emília ultrapasso-os. É dar votos à Maria Emília .
Deixem-se de complexos e façam a oposição que deve ser feita.
Não elogiem o que a população rejeita e acha ser obra da Maria Emília.
Almada está a morrer.Não lhe ponham mais um balde de cal.

Anónimo disse...

A nossa querida Almada está em "coma".
Ainda vamos a tempo de a salvar, retirando-a das mãos destes comilões.

E que tal ir hoje à Academia Almadense assistir à imposição das medalhas,coisa e tal?
A trapalhada do costume, isso mesmo.
Pagando, ainda pode ver Teresa Salgueiro.

alfacinha disse...

Oposição que elogia (o que está mal) é Gabinete de Apoio de conforto.

Fernando Sousa da Pena disse...

A verdade é que para se ser oposição não me parece que seja necessário mentir ou discordar por princípio quando as propostas são meritórias. Nem basta apontar o dedo com discursos inflamados, que tanto podem ser de arrebatado estilo parlamentar como vazios de substância.

Para se ser oposição digna de crédito é preciso ter ideias. A começar por uma ideia clara de cidade, que vá muito para lá de detalhes quanto ao modo de esbanjar o dinheiro dos munícipes e dos outros contribuintes.

Porque no PDM criminoso, na profunda desordem urbanística, nas agressões à paisagem e ao solo agrícola, na expulsão da população do espaço público, no convite à pequena criminalidade, no Polis intolerável, na gestão desamoniosa do espaço edificado com o espaço natural, na falta de ambição e de estratégia de futuro, executivo e oposição têm andado demasiadas vezes de mãos dadas.

Vale a pena consultar as actas de muitos anos de reuniões da Câmara e da Assembleia Municipal, para perceber que quaisquer palavras de hoje dos líderes das oposições são ridículos exercícios de contradição com um passado que os torna co-responsáveis por aquilo que Almada é.

A decadência a que chegámos tem também a sua assinatura, em consensos untuosos e preconceitos ideológicos pacóvios.

Anónimo disse...

os actuais partidos da oposição no concelho deveriam fazer um retiro para reflexão. Avaliarem que trabalho fizeram para digificar e engradecer Almada.
Que fizeram para desmascarar o PCP/CDU?
Nada.
Parece muitas vezes que se juntam a eles para glorificar o subdesenvolvimento endémico e malfadado neste concelho da margem sul.