quarta-feira, julho 23, 2008

As Costas Largas dos Munícipes

Em...Almada, a Câmara Municipal parece querer mandar para cima dos munícipes o estado vergonhoso em que se encontra o concelho quanto a limpeza e imagem urbana.
É verdade que neste aspecto a conduta de alguns munícipes nem sempre é a melhor, mas a Câmara tem uma grande quota de responsabilidade na má imagem do concelho quanto a limpeza urbana, uma vez que não faz com eficácia e eficiência aquilo que lhe compete: A LIMPEZA DO ESPAÇO PÚBLICO.
Os munícipes pagam tarifas para que este serviço seja bem feito, mas não é.
Para onde vai o dinheiro?
Não é com operações de divulgação na imprensa de uma postura municipal onde o cidadão aparece como o grande prevaricador e causador da falta de limpeza urbana que se melhora a situação e a imagem do concelho.
clique sobre a imagem para aumentar e ler
Haverá muitos munícipes a urinar na via pública?
Quem são os cidadãos que remexem nos resíduos dos contentores de lixo?
Qual a situação sócio-económica de uns e de outros?
Se não têm dinheiro para matar a fome como vão pagar as multas?
Vai a Câmara procurar resolver a débil situação destes, para deixarem de urinar na via pública e deixarem de remexer no lixo?
Quantas instalações sanitárias públicas higienizadas existem no concelho?
Estão devidamente localizadas e sinalizadas?
Em Almada Velha ocorre por vezes com jovens, que frequentam os bares até altas horas e vêm para a rua beber umas "bjecas", urinarem na via pública contra as residências dos moradores.
Não é só o álcool o culpado da situação.
Quem permitiu a vida nocturna até altas horas numa zona residencial de gente idosa?
Tem a CMA cumprido nesta zona a sua acção fiscalizadora?
Os moradores queixam-se à CMA das perturbações locais, mas esta não lhes responde nem resolve as situações anormais ou ilegais que aí ocorrem.
Há no entanto situações que a postura municipal não resolve:
- Como vai a Câmara multar os cães solitários ou não, que urinam contra as árvores, prédios, caixas de electricidade e candeeiros de iluminação pública?
- Como vai a Câmara multar os numerosos pombos que defecam no espaço público e privado e para cima dos cidadãos?
Em tempo, um vereador disse que estavam a contar os pombos para desencadear uma acção de controle destas aves.
Após 3 ou 4 anos de contagem já saberá o sr. vereador quantos pombos existem em Almada?
Se não contar também os "borrachos" (os filhos dos pombos) nos ninhos, engana-se no recenseamento estatistico.
Relativamente aos grafitis a postura refere penas para quem grafitar fora dos locais permitidos.
Será que a Câmara vai decidir/definir esses locais, sem ouvir os moradores da área?
Estes podem não concordar com grafiftis na sua zona.
Com o aproximar das eleições a Câmara Municipal de Almada iniciou o seu habitual e demagógico espectáculo pirotécnico eleitoral.

24 comentários:

Anónimo disse...

A Câmara com este regulamento municipal de fiscalização e multas arranjou justificação para criação de mais postos de trabalho para camaradas e familiares o que significa mais eleitores.

A oposição mais uma vez foi levada se votou ao lado do PCP o regulamento.

Anónimo disse...

Se pude multar a la Cámara? en mi barrio llevan una semana sin recojer los caixootes de lixo, e o normal, este está espalhado por la rua.

Y por no barrer la rua, se puede multar? en mi barrio solo barren cada 15 días.

Y por no arreglar los millones de buracos que hay en los paseos de mi barrio, también se pude multar?

Y por tener una ciudad abandonada, sucia, fea y empobrecida, también se puede multar?

Si así fuese esta camara ficaría arruinada en dos días.

Anónimo disse...

Este deve viver no Surinam

Anónimo disse...

Si, lleva razón porque Almada esá peor que Surinam. Almada=Nada.

Anónimo disse...

Permito-me traduzir o comentário em espanhol que é muito pertinente:(Pode-se multar a Camara?No meu bairro os caixotes do lixo estão por recolher uma semana, e normalmente, o lixo está espalhado pela rua.E por não varrer a rua, pode-se multar a Camara?No meu bairro só varrem de quinze em quinze dias.E por nãp tapar os buracos que existem nos passeios do meu bairro, tambem se pode multar?E por termos uma cidade abandonada, suja, feia e empobrecida, tambem se pode multar a Camara?Se assim fosse, esta Camara ficaria arruinada em dois dias.)CREIO QUE A PERTINENCIA DAS QUESTÕES É MUITO REAL!
Oliveira

Anónimo disse...

Na Zona de Almada velha moradores já foram contemplados nas caixas do correio com mijadas dos jovens embriegados que frequentam os bares autorizados pela CMA.
Não fiscalizando os bares como vai a câmara fiscalizar os mijadores noctívagos?

Anónimo disse...

Para alem de que este senhor Espanhol tem toda a razão e é a grande realidade desta nossa cidade. Estes senhores da camara num artigo do regional chegam a culpar os cidadaos de incivicos quando o serviços de limpesa são pesimos a manutenção dos espaços publicos pior não pode ser a não ser que estejamos no Surinan mas pouo nos falta, ao final o nosso amigo que se passeia por aqui vai ter razão isto e Almada Mes Surinan.

Anónimo disse...

Para el Sr. de las 12:40.

Si los gobernantes de la CMA, tienen su casa en iguales condiciones que Almada, mejor que no me conviden a jantar, puedo apanhar cualquier infección.

Anónimo disse...

ZARAGOZA
Belloch "no estaría de acuerdo" con llevar los equipamientos de Justicia fuera del Casco
Vota: Resultado: 5 votos 3 Comentarios
EUROPA PRESS. Zaragoza
El alcalde de Zaragoza, Juan Alberto Belloch, advirtió que "no estaría de acuerdo" con llevar los equipamientos de Justicia fuera del Casco histórico de la ciudad, dado que los miembros del sector de Justicia "desean que esté ahí y si se quiere desoír a este sector, es una decisión con la que yo no estaría de acuerdo".

Belloch contestó así a las últimas declaraciones del consejero de Política Territorial, Justicia e Interior del Gobierno de Aragón, Rogelio Silva, en las que planteaba la posibilidad de llevar algunos de los equipamientos de Justicia al recinto de Ranillas, donde actualmente se desarrolla la Exposición Internacional.

El alcalde de Zaragoza indicó que desde el Ayuntamiento "mantenemos la oferta en los mismos términos que siempre" y sobre la posibilidad de llevar el distrito de la Justicia a la Expo aclaró que "ni siquiera creo que haya una decisión sobre esto" dado que "no se nos ha comunicado" y "ni el presidente Marcelino Iglesias ni nadie" ha dicho que "renuncien a Fuenclara y a Imprenta Blasco" como futuros enclaves de Justicia.

Además, el consejero de Urbanismo del Consistorio, Carlos Pérez Anadón, aseguró que el Ayuntamiento y la Consejería de Justicia del Ejecutivo autónomo han trabajado "en todo lo que se tenía que trabajar y ya se tiene claros los suelos, los edificios y cuánto costaría la rehabilitación de los mismos" pero "ahora la Comunidad autónoma deberá poner de acuerdo a sus departamentos" para continuar con este proyecto.

El alcalde de Zaragoza, Juan Alberto Belloch, y el consejero de Urbanismo, Carlos Pérez Anadón, realizaron estas declaraciones en rueda de prensa tras la celebración del Gobierno de la ciudad.

Igual que en almada que la alcaldesa -presidenta da cma- se ha llevado todo del centro histórico y ahora hasta la CMA se quiere llevar.

Anónimo disse...

Essa senhorita nunca esteve interessada em dignificar Almada.

Anónimo disse...

A questão da saida do edifício da Cãmara de Almada associa-se aos negócios imobiliários que falam mais alto para certas pessoas do que os intetersses de Almada e dos almadense e do comércio local.
MES também já tem o seu TGV.
A construção dos novos edifícios é capaz de ser mais um negócio em sul da câmara.
Quanto há limpeza urbana, só tenho a dizer que vai tudo continuar tal qual está. Afinal a população já está habituada e os camaradas que apoiam a MES gostam muito de Almada assim. Por isso se inflamam quando se critica a sua czarina e a Cãmara.

Al-Ma'dan disse...

Por acaso até estou de acordo com o novo regulamento. Apenas penso que vem tardiamente. Eu, há anos, que venho chamando a atenção da câmara, para a situação degradada da nossa cidade, por exemplo, no que respeita a grafitos. Algumas das medidas agora tomadas, já eu sugeri à CMAlmada há muito tempo. Portanto, de uma forma geral estou de acordo com o regulamento. Recordo-me que, uma das últimas vezes que estive em Londres, a multa por deitar lixo para o chão era de 100 libras esterlinas. Infelizmente, lá como cá, o civismo (de alguns, claro!) por vezes só existe à força. Mas, o que me preocupa em Almada é o porquê destas medidas agora. Além disso, pergunto-me como vai a CMAlmada fiscalizar e multar? Aí é que está o busílis! Mais, será que este regulamento é só para almadense ver ou será mesmo para pôr em prática ? Infelizmente o historial desta câmara não me permite grandes optimismos. Este regulamento se for para cumprir é bom, se for uma medida eleitoralista, como eu acredito que é, não vai servir rigorosamente para nada.
Vamos esperar uns meses para ver e voltaremos mais tarde ao mesmo assunto.

Anónimo disse...

Ontem de manhã ocorreu um acidente grave por atropelamento no espaço da avenida D. Nuno Álvares Pereira em Almada próximo da Pastelaria Páscoa, com atropelamento de uma senhora.
Os bombeiros demoraram porque tiveram grandes dificuldades em chegar junto da vítima devido ao estreitamento das faixas de rodagem que a CMA e a Presidente determinaram.

Anónimo disse...

Cá para mim você urina na rua e tem medo de ser apanahdo em flagrante ahahah

Anónimo disse...

Haverá por aqui alguém, devidamente habilitado, para informar os cidadãos de Almada sobre a quantidade e a localização dos urinóis públicos?
Seria muito bom, pois, ou muito me engano, ou em caso de aflição só resta ao cidadão a velha possibilidade de mijar atrás de um qualquer chaparro (sim, porque na parte da frente do chaparro ninguém mija...), ou, como estamos num ambiente urbano, atrás de qualquer candeeiro de iluminação pública, ou num qualquer recanto agora criado no Pragal (Ramalha)fruto da "alta" requalificação alí ocorrida por força das desnecessárias obras do MST alí efectuadas(nas ruas de Lopes de Mondonça e de José Justino Lopes).
Mais, agora, em caso aflição, até podem utilizar a "Floreira ajuda Ladrão). Sim, pois na zona, urinóis públicos não passam de pura especulação ou verdadeira ficção...

Fernando Sousa da Pena disse...

Não deixa de ser uma deliciosa ironia. Depois de muitos anos a fio a achar os graffiti uma forma saudável de manifestação, quando não mesmo de arte, a maioria comunista acordou para a realidade horrorosa do concelho.

Será que o regulamento não é perigosamente reaccionário, talvez mesmo fascista, por perseguir jovens vítimas da sociedade que encontram no vandalismo sobre património alheio um saudável escape?

Será que o independentíssimo Concelho Municipal de Segurança não vai emitir um parecer que condene este regulamento próprio da direita retrógrada?

Será que o executivo não tem um pingo de vergonha por contradizer aquilo que afirmou vigorosamente no mandato anterior, sempre que de graffiti e vandalismo se falava?

Anónimo disse...

Comentário oportuno este de fernando sousa da pena ao lembrar uma posição anterior do executivo sobre os grafitis que vandalizaram a propriedade privada e o espaço público. Davam e dão um aspecto muito desgradável à cidade e ao concelho.
O executivo de Almada não tem vergonha nem memória.

Al-Ma'dan disse...

Caro Fernando Sousa da Pena,
O graffiti é um fenómeno que surgiu nas zonas degradadas das grandes cidades americanas no final dos anos 70 e inícios dos anos 80. Daí começou a alastrar a outras zonas das cidades. Como tudo o que é moda norte-americana, foi exportado para todo o mundo, onde começou também nas zonas mais degradadas das grandes cidades e de onde alastrou, igualmente, para outros locais. Actualmente, este é um fenómeno à escala mundial. Associado ao graffiti apareceram as chamadas tags (assinaturas), para mim, bem mais perniciosas que aqueles. Portanto, estamos perante um fenómeno de dimensão mundial e que é dificilmente controlável. Posso dizer que, pessoalmente, até gosto do verdadeiro graffiti desde que pintado em locais próprios, para isso pré-definidos.
Assim, as autoridades municipais de muitas cidades por esse mundo fora, particularmente na Europa, alinharam pelo seguinte diapasão: “se nada podes nada contra eles, alia-te a eles”. Alia-te a eles mas tenta discipliná-los. .
Falando agora de Almada: o graffiti apareceu em Almada nos anos 90 e tomou no nosso concelho proporções avassaladoras, passando, porém por períodos nos quais os graffiters estão mais activos e outros em que estão menos activos. Nesta sanha nada escapou: monumentos, edifícios públicos, prédios, muros, esculturas, até nas empenas dos prédios. Por isso, porque achei que se estava assistir a uma degradação inaceitável do espaço público, pensei que era necessário fazer algo. Assim, desde há vários anos que venho chamando a atenção da CMAlmada, para o problema, mas não me limitando a chamar a atenção, tenho vindo a propor algumas medidas, à semelhança do que se tem feito noutras cidades. Até agora tudo tinha caído em saco roto.
Eis se não quando, aparece este regulamento, até com algumas medidas que eu sugeri e com o qual estou de acordo, na generalidade. Mas, não nos iludamos: nem este nem qualquer outro regulamento vão acabar com os graffitis e as tags fora dos locais a eles destinados. A experiência de outras cidades europeias demonstra-nos isso mesmo. Mas é possível controlar o fenómeno, algo também demonstrado pelas políticas de outras cidades.
Mas, o problema em Almada é duplo: é controlar o fenómeno e controlar a CMAlmada. Porque, conhecendo o trabalho da câmara, como bem conheço, não acredito que este regulamento seja para passar do papel à prática. Para isso, seria necessário alterar posturas e modos de trabalho e atávicos que esta câmara já demonstrou, noutras áreas, não conseguir fazer. Por exemplo, não vejo que no regulamento esteja contemplada a criação de brigadas municipais anti-graffiti.
Além disso, que vai a câmara fazer às centenas de graffitis já existentes ?

Anónimo disse...

Os autarcas que nos desgovernam deviam era preocupar-se com os municipes que levam os seus cãezinhos de estimação a fazer as suas necessidades na rua por tudo o que é passeio publico, jardins, ruas etc.

Não têm o minimo cuidado em recolher os respectivos dejectos e colocá-los no sitio certo se é que existem.

Existem ruas em Almada onde não podemos passear a pé com tantos dejectos e jardins que mais parecem pocilgas que outra coisa.

Esses sim deviam ser multados e obrigados a limpar a porcaria que fazem.


residente Pragal

Anónimo disse...

Há quanto tempo a população se manifestava contra a grande vergonha de ver paredes, edifícios montras, veículos, sinais de transito grafitados.
A CMA fez ouvidos de mercador aos lamentos da população.
Promoveu o vandalismo tolerando a grafitagem, defendendo "os artistas" que danificavam a propriedade privada e colectiva.
Hoje e com demagogia diz que foram manifestações dos cidadãos em projectos de participação dos munícipes como Almada Palavra Aberta e Agenda 21 da Criança que vieram alertar para a situação.
Os autarcas não
têm olhos na cara?
Têm, mas estão orientados para outras questões mais rentáveis.
Não têm vergonha estes autarcas. Primeiro fomentaram o vandalismo a sujidade, esqueceram o descontentamento da população. Agora depois de Almada estar numa vergonhosa vergonha semelhante a 3º mundo , numa degradação nunca antes observada vêm querer lavar a cara dizendo que foi devido às suas iniciativas que vão acabar ou limitar os grafitis.
Almada já cheira demasiado a devassidão e vandalismo originados no desleixo dos autarcas que infelizmente temos.

Anónimo disse...

Será que na tal postura municipal estáo incluidos os cartazes de partidos politicos (e associações sindicais) que vão ficando eterna,emte pelas ruas de Almada?
Isto porque existem cartazes, semanas e meses depois do evento, abandonados nas ruas da nossa cidade.

Anónimo disse...

Mas esses cartazes só podem ser do partido do povo e da CMA, o PCP ou da Intersindical. Todos os outros os funcionários da Emília tiram-nos.

Anónimo disse...

É óbvio e todos nós sabemos, só que não quis individualizar as situações.

Anónimo disse...

Meu caros almadenses, querem mesmo falar a sério. sem papas na língua sobre os problemas urbanísticos de Almada?

Perguntem ao arquitecto Veríssimo, director do urbanismo, um dos protegidos da MES, porque razão é que o atelier dele é autor de quase todos os grandes loteamentos em Almada...

E porque razão a MES lhe dá tanto poder...