segunda-feira, junho 30, 2008

A "Grande Reportagem"

Em...Almada assistiu a mais uma encenação de propaganda mascarada de democrática (Especial-Dia do Município) saída no Jornal da Região de 24 a 30Junho 2008, numa entrevista a duas páginas, recheadas de grandes fotos da protagonista, com declarações bombásticas de profundo significado eleitoralista, da presidente da Câmara Municipal de Almada.
"O Pólis no concelho não precisa de críticas, precisa é de trabalho"
Sensacional.
Para a presidente da Cãmara, a crítica deve ser abolida pois só assim é possível ir em frente para que tudo flua nos carris super lubrificados.
Desde que ela decida ou aceite um trabalho, uma obra, tudo será perfeito, não se justificam críticas e os cidadãos são poupados a essa tarefa espinhosa de pensar.
" Não tenho arrependimentos. Não tenho razões para isso. Se tivesse dizia. Até hoje, o que tem sido decidido, tem sido pensando nas pessoas, no seu bem-estar e felicidade, ouvindo os seus anseios.
Certamente por isso as decisões têm merecido esmagadoramente o aplauso das populações. Mesmo quando num primeiro momento as pessoas não compreendem, o que tenho verificado é que depois das obras feitas, da possibilidade de apropriação de obras e equipamentos por parte da população, o reconhecimento é muito positivo e as pessoas sentem a sua vida melhorar e manifestam o seu sentimento".
Salazar não diria melhor.
As pessoas não precisam de ter a maçada de pensar, porque há uma "excelência" que pensa por elas e que trabalha para o seu bem estar e felicidade. Que até tem o descaramento de dizer que ouve os seus anseios. Verdade não é?
As pessoas não devem ser burras dando a entender que "num primeiro momento" não compreendem, não percebem o alcance da "excelência".
Só precisam de aplaudir a "excelência" pensadora na praça vermelha.
E as oposições concordam com a propaganda do "desenvolvimento notável" da Almada cor-de-rosa desta "Grande Reportagem"?

26 comentários:

Anónimo disse...

A grande entrevista com MESousa publicada no Jornal da Região (Almada) da passada semana é certamente um entrevista de publicidade paga.
Aí desfilam algumas pérolas do profundo pensamento MariEmiliano, como a que o EMAlmada refere: "...não precisamos de críticas...". MESousa não precisa de críticas nem sabe com elas conviver. É de facto um pequeno Salazar de saias.
Nem mais !
E disso Almada não precisa mesmo nada.

Anónimo disse...

Nítidas atoardas de quem abre caminho à campanha eleitoral.
Está na hora, não é?

Anónimo disse...

Realmente comparar uma autarca sempre eleita pelo povo e ainda por cima por maioria absoluta(e isso é que lhes custa não é?)com o velho facho que paralizou e aprisionou o pais durante quase 50 anos, vê-se bem a moral e a educação, ou melhor o mau-senso desta pseudo-crítica.
Os democratas que tanto salientam o regime democrata (quando os resultados das eleições são do seu agrado) são os mesmo a apedrejar o mesmo sistema porque ganha outro partido contrário ao seu e a apelidar de burros os eleitores do cencelho de Almada.
Quando eles ganham eleições o povo é maduro, esclarecid e inteligente.
Quando ganham outros o povo é burro, influênciavel e imaturo.
Já agora porque não sugere mudar o povo de Almada, talvez assim a CDU não ganhe..ou não :)

Anónimo disse...

Caro anónimo das 10:41,
Já que o senhor é tão respeitador dos resultados eleitorais, sugiro-lhe que o seu partido, PCP, deixe de fazer manifestações contra o governo Sócrates (recordo-lhe que este foi eleito por maioria absoluta do povo português) e deixe de uma vez por todas e pedir a sua ida para a rua como é apanágio o seu partido fazer a todos os governos. Então onde é que está o vosso respeito pelos resultados eleitorais ? Será que os senhores não têm espelho ? E porque não fazem como a outra: "Diz-me espelho, espelho meu, quem é mais trapalhão do que eu".

Anónimo disse...

Ui há quem goste do engenheiro e da sua meia irmã mutante manuela tecnocrata da treta por aqui..
ahaha tá tudo explicado..
Querem é tacho na Câmara :D
Querem transformar Almada em Felgueiras ou Amarante ou pior em Lisboa ou Porto..
Chiça!!!

Anónimo disse...

Lá vem o tretas do costume.
O anónimo das 10:41:00 PM...
Uns morrem. Outros ficam assim.
Não é a primeira vez que sugere que se mude o povo de Almada.
A que pretexto?
O povo de Almada está muito bem por cá.
Já reparou que quem tem dado as tais maiorias é gente de fora e a abstenção?
Pense nisso.
E se há alguém que está a mais é você.
Sempre esteve.
Mas alguém tem que sustentar as emilites agudas.

Ao anónimo das 01:42:00 AM
Pergunto-lhe o que é isso do tacho na Câmara?
E em que contexto se insere o seu comentário?
Ou pensa que quem dirige a autarquia almadense é mais sério que quem dirige Felgueiras, Amarante, Lisboa ou Porto?
Esqueceu-se de Oeiras. Ou foi intencional?

Anónimo disse...

O que vem no Jornal da Região com a entrevista à Maria Emília é "Almada no lado errado"

Anónimo disse...

Anónimo das 1:42 AM,
De facto a sua inteligência não é lá grande coisa pois não ?
Oh homem, se não percebeu ou fez que não percebeu, eu volto a explicar: o que está em causa aqui não é o engenheiro nem a MFLeite, o que está aqui em causa é o princípio: se vocês PCs podem fazer oposição a todos os governos (todos sem excepção) e pedir que eles vão para a rua, qual é vossa moral para ficarem tão zangados quando os almadenses fazem oposição a MESousa ? Porquê ? Se vocês têm todo o direito de não gostarem do trabalho do governo Sócrates, porque não têm os almadenses o direito de não gostarem da gestão de MESousa em Almada ? Diga-me.
Já percebeu, ou é necessário fazer um desenho ?

Anónimo disse...

Recomendação para quem gosta de estar informado:
Para a história do MST ficou um debate muito vivo e interessante tido ontem na Assembleia Municipal sobre a decisão da Câmara de assumir a construção dos parques de estacionamento. Depois de Setembro procurem lê-lo. Até lá contactem com pessoas que lá tenham estado para que mais gente se interesse pela gestão do interesse público e não haja tanta abstenção nas eleições autárquicas de 2009.

Anónimo disse...

Caro anónimo das 1:39 PM,
Pode ser mais claro ?
Obrigado

Anónimo disse...

Oposição? Quem?

Anónimo disse...

Hoje há sessão pública de Câmara.
E que tal uma visita?

Anónimo disse...

Em relação a todos estes temas vos recomendo que consultem a carta de Leipzig e bastamte imteresamte porque fala de todos erros que se comeram ate hoje

Anónimo disse...

Faça um teste de resposta múltipla.
Se acertar será contemplado com uma viagem gratuita de ida e volta oferecida pelo MST.
Porque pararam as OBRAS DO MST EM 2004:
1- A Drª. Manuela Ferreira Leite não gosta de gastar mal o dinheiro?
2- Porque o Engº. José Luís Brandão ainda não tinha desistido de fazer passar a linha do comboio pela rua Lopes Mendonça percurso mais suave para as carruagens?
3-PORQUE RECLAMAR INDEMNIZAÇÕES É MAIS RENTÁVEL DO que TRANSPORTAR MEIA DÚZIA DE PASSAGEIROS?
3- Porque em 2005 haverá eleições autárquicas?
4- Porque era preciso fazer cumpir as normas de segurança?...
ACRESCENTE AS HIPÓTESES QUE QUISER
MAS TERÁ QUE NO FINAL DE AS JUSTIFICAR.
Não faça este exercício na Assembleia Municipal ou nos foruns de participação porque lá é mais difícil pensar em voz alta. Se puder fundamente as suas opiniões em documentos.
Foi o que aconteceu a propósito da denúncia da cláusula 3ª. do protocolo anexo ao contrato do MST que deu origem à fase de construção dos tão desejados pela população parques de estacionamen-
to que teve a abstenção do PSD.

Diga se a sua respostas são para ser apreciadas por um morador da Rua Lopes Mendonça, por um membro do gabinete da Secretaria de Estado dos Transportes, pelo Sr. Engº Fernando Mendes,Presidente da Junta de Freguesia de Almada e elemento da segurança da Obra, se por um elemento do consórcio das empresas construtoras.
Melhor ainda escolha você mesmo o avaliador.
Esperimente responder aos diversos protagonistas, percorrendo-os a todos incluindo os líderes locais.

Anónimo disse...

Isso é um trabalho dantesco!!!
Apenas uma pergunta. O talvez engenheiro Fernando Mendes, presidente da Junta de Freguesia de Almada nas horas vagas, é da segurança da obra?
Se é o que tem feito?
Olha para o ar e assobia, como outros?
Ou limita-se a conferir a sua conta bancária que todos os meses engorda à custa das muitas centenas de euros que recebe para não fazer o que devia fazer?

Disse e fui.

Ponto Verde disse...

MAU JORNALISMO!

Anónimo disse...

Eu sou candidato a responder às perguntas do anónimo das 12.23 de 02 de julho...
Para mim, MES parou as obras - manipulandoo voto de toda a oposição da AM, fazendo apelo ao facto de ter havido um acidente na obra do MST, de não estar a ser cumprido o "trem construtivo" and so on, and so on... (leia-se a acta dessa AM que está disponível em www.acd.pt ou em www.assembleialmada.org !
José luís brandão parou as obras para receber indemnização por estar parado compulsivamente... bem bom...
MES parou as obras porque não convinha fazer a campanha eleitoral com a bagunça no centro da cidade(almada e Cova da Piedade, as freguesias de maior percentagem de votantes comunistas) que é quem lhe dá a vitória.
Mas agora ficou aterrada porque percebeu que a factura não foi paga eleitoralmente, mas pode ser paga em euros se o governo lhe exigir esse pagamento...
mas aqui para nós, eu acho que talvez a secretaria de estado seja "boazinha" e faça como fez com a Lopes Mendonça... faz a vontadinha à senhora!
aguardemos os capitulos seguintes

Anónimo disse...

secretária de estado que se ajoelha a uma presidente de câmara tipo María Rmília o que é?

Anónimo disse...

Caro anónimo das 1:02 PM,
O que é um secretária de estado que se ajoelha a uma presidente de câmara tipo Maria Emília ?
É uma secretária de estado de um país de malucos, que é o que Portugal é.
Tout court.

Anónimo disse...

De malucos não direi mas de patéticos sim.
O que é diferente.

Anónimo disse...

Por mim só posso testemunhar que vi o Sr. Presidente da Junta de Freguesia de Almada, Fernando Mendes, que socialmente oiço tratar por engenheiro, na área da obra com capacete branco o que indicia ser da segurança. Não conheço em nome de que empresa ou organismo andava na obra. A última vez que o vi foi na entrada da Rua de Alvalade quando aí se construía a linha do comboio, entretanto inaugurada. Não sei se ainda exerce funções nem a que título e muito menos se é remunerado.Também não sei se há incompatibilidade entre o exercício de funções técnicas e políticas. Pelo menos quando chamado a votar na Assembleia Municipal não se abstem como o faz o deputado Pedroso de Almeida que creio ter ligação a empresa com interesses na obra ou na sua exploração.
Permito-me discordar de adjectivações sobre as pessoas que em nada contribuem para melhor conhecimento da real situação e que cansa ler.

Anónimo disse...

Anónimo das 8:31:00 PM
Se os adjectivos caracterizam as pessoas porque ter pejo em usá-los, dentro da decência?.
Se há pessoas que são ridículas ou que tomam atitudes e decisões tais, porque não caracterizá-las e dizê-lo?
Pelo medo de sempre Almada é a miséria que todos conhecemos mas muitas vezes não dizemos, por medo de ferir sensibilidades ou nos protegermos de nossos defeitos.

Anónimo disse...

Anónimo das 8:31 PM,
Penso como o anónimo das 9:14, deve-se dar nome às coisas e às pessoas quando merecem. Porém, sempre dentro do limite da correcção e do respeito mútuo.
Agora que para não ofender susceptibilidades nos abstamos de dizer o que tem de ser dito, vai-me perdoar, mas não concordo.
Para bem de Almada e de quem cá mora, é bom que as situações que nos pareçam irregulares sejam devidamente denunciadas, pois isso, na minha opinião faz também parte do exercício da cidadania.

Anónimo disse...

Adjectivos sem mais nada pode ser apenas insulto que rejeito.
Constato que na já adulta democracia portuguesa pode, numa Câmara, estar-se subordinado ao estatuto disciplinar da sua presidência ao mesmo tempo ser-se fiscalizador da mesma por ser membro da Assembleia Municipal.
Por isso gostaria de saber quantos e quem são os funcionários da mesma que fazem parte das Assembleias fiscalizadoras.
Os eleitores deveriam ter direito a saber um pouco mais daqueles que elegem e dos interesses que transportam porque alguns podem ser mais relevantes que outros.Não basta dizer que é funcionário público...ou outra coisa mais ou menos generalista. Seria preferível dizer-se, por exemplo Chefe de Gabinete da Presidente da Câmara do Redondo ou do que fosse.
MES diria que o respeito pelas pessoas a levam a não podermos entrar na esfera privada. Criamos um biombos. Se não os tirarmos de cada eleito ficamos sem perceber muitas atitudes. E para quem emigrou para estas terras menos conhece e menos lhe é dado a conhecer podendo assim não fazer a melhor escolha dos candidatos, porque não sabe quem verdadeiramente quem eles são. "O homem ese desconhecido" que não seja substituído por os eleitos esses desconhecidos, numa massa de 150 mil ou mais habitantes das grandes cidades.
Estas coisas não são faladas mas parece-me importante quando candidato ser conhecido pelos eleitores que deveriam ter acesso a maior informação sobre parte importante da rede de interesses que cada um de nós transporta quando nos candidatamos.

Ontem foi um dia para a uma forte emoção para muitos que acreditamos num mundo melhor sem recurso ao rapto de candidatos. Viva Ingrid Bettencourt!

Anónimo disse...

Viva Ingrid Bettencourt e viva a esperança num mundo melhor e já agora, que é por isso que aqui estamos, a esperança numa Almada melhor, com a colaboração de todos os almadenses, naturais e de adopção.

Ana Costa Branco disse...

Volta e meia venho aqui parar porque gosto muito de Almada, da terra e das suas gentes. E gosto de saber as novidades. Mas ao que acho mesmo piada é a abrir a página de comments (vários, sucessivos e obsessivos)de alguns posts. Cheiinhas de anónimos, um comment a afirmar, outro a contrapor, um a dizer, outro a desdizer, e por aí adiante, até ao insulto final. Inspirador. Presumo que serão sempre os mesmos, se calhar até mesmo só dois, e, muito provalvelmente até se conhecem da rua, das assembleias, do clube de poker. Nós é que não e ficamos na mesma. Questão: O que é que eles estão a discutir, afinal?...