sábado, março 24, 2007

Ambiente e Qualidade de Vida

Em...Almada, há muito tempo que os transportes públicos são muito caros, relativamente aos preços praticados em Lisboa para iguais percursos. Os autocarros são velhos, pouco limpos, poluidores do ambiente e o transporte não é convidativo, muitas vezes associado a algum incómodo, com horários e percursos que não servem a população. Com o "futuro próximo" do comboio-eléctrico, não nos parece que os almadenses irão ter melhores acessibilidades de transportes públicos e em condições económicas vantajosas. Os autocarros não circularão onde existir comboio-eléctrico.
Atente-se na idade destes veículos que estavam estacionados um dia desta semana no parque de Cacilhas.
(para ler a foto clique com o botão esquerdo do rato sobre a mesma) Quando o cidadão é penalizado (no Seguro) por ter veículo automóvel já com alguns anos, nos transportes públicos veículos mais velhos e poluidores do ambiente ainda andam a circular e a facturar. Cidadão paga preços de luxo para utilizar veículo velho! Em países subdesenvolvidos é frequente isto acontecer. Por exemplo, em alguns países da América Latina viam-se há cerca de 15 anos veículos que já não estavam autorizados a circular nos Estados Unidos. Será que noutros países da Europa é permitido veículos com estas idades no serviço público? Aqui é o caixote de lixo da Europa? É isto que designam qualidade de serviço? O que é certificação?

9 comentários:

JJJ disse...

Por motivos profissionais desloco-me frequentemente ao vosso concelho, utilizo o comboio até à estação do Pragal e nas deslocações internas utilizo habitualmente o táxi ou os autocarros dos TST.

Constato que realmente as viaturas que circulam pelas ruas de Almada e especialmente aquelas que habitualmente utilizo, não têm as condições mínimas para os fim a que se detinam, que é o de tranportar pessoas, além de que cobram preços muito elevados pelo serviço que é péssimo.

Quando verificamos que esta é uma empresa certificada e ao lermos a visão a missão e os valores que a administração tem como compromisso, só podemos constatar que:
ou "copiaram" a visão e missão de alguma empresa de transportes do Norte da Europa, ou no dia em que a estavam a escrever deveriam estar muito bem instalados num hotel em Paris, Londres ou por ai e da janela da sala deviam ter uma visão esplendida dos autocarros que por lá circulavam.

É que os autocarros dos TST poluiem muito e por isso lançam muito CO2 para a atmosfera, estão ferrugentos, quando chove já me aconteceu ter de abir o chapéu de chuva no seu interior,e habitualmente estão sujos.

Vou só transcrever a visão e a missão para vosso conhecimento e fazerem os vossos juízos.

VISÃO
" Os TST pretendem reforçar o seu papel de agente activo na política de mobilidade, assumindo a sua responsabilidade social na promoção das acessibilidades, através da procura de uma melhor segurança rodoviária e qualidade ambiental"

MISSÃO
"O serviço de transporte rodoviário na Península de Setúbal, assegurando o adequado nível de mobilidade aos agentes económicos da região, dessenvolvendo acções para a melhoria da qualidade ambiental, racionalizando a utilização dos recursos energéticos, potenciando o desenvolvimento das actividades económicas, sociais e de lazer, contribuíndo, assim, para melhorar o nível de vida da população que serve."

Pergunto como é que estas viaturas conseguem passar nas inspeções?
Será que as autoridades Escossesas permitiam a circulação destas viaturam nas suas estradas?

Anónimo disse...

Bom tema para discussão.
A frota dos TST está velha mas, mais que isso, em péssimas condições de manutenção.
Alguns males já foram referidos. Outro, poderoso, é o mau tratamento que a maioria dos condutores lhes dá, às viaturas que fazem revisões, à pressa, sabe-se lá onde e em que condições.
Ninguém responsabiliza ninguém pelos maus tratos. Por isso, os senhores motoristas, a maioria que não a neneralidade, são o que são e como são.

O envelhecimento da frota... pois, teremos oportunidade de assistir à sua substancial melhoria, quando a mesma fôr da responsabilidade da Empresa Barraqueiro.

Bom fim de semana.

residente disse...

Mas então as autoridades municipais não poderiam dar um contributo positivo para a requalificação dos transportes.
Não me venham dizer que o comboio MST vai pôr ponto final nisto! Essa Não!
Será que os autarcas estão mais interessados na recolha dos impostos, tarifas, IMI`s, taxas,multas da ECALMA, etc, etc? descartando para o Estado, para o prório cidadão e empresas essas responsabilidades de defender e proteger a pessoa utilizadora do serviço?
Assim é cómodo e fácil ser autarca!
E os TST são uma Empresa Certificada com o Sistema de Gestão da Qualidade concedida pela Associação Portuguesa de Certificação, de acordo com a Norma NP EN ISO 9001:2000, em 6 de Abril de 2006, no Laranjeiro, com a presença de entidades municipais e governamentais. No boletim municipal de Maio 2006 pode ler-se . "Segundo a TST, para esta certificação foram determinantes as medidas que a empresa tem vindo a implementar, tais como: o cumprimento integral dos compromissos assumidos com os clientes; a adequação da oferta à procura (percursos e horários);a melhoria da qualidade ambiental; a renovação do sistema de bilhética; a regularidade, o conforto e a segurança do serviço prestado; e o aumento do grau de satisfação dos clientes."
BASTA...ver os autocarros e constatar algumas contradições.

Anónimo disse...

Os TST andaram a fazer, dizem eles, um inquérito sobre a opinião da população utente.
Realmente, vi um cartaz afixado em vários autocarros, nesse sentido.
Eu nunca fui tido nem achado. E sei de muitas centenas a quem sucedeu o mesmo.
A quem foi feito, afinal, o misterioso inquérito?

EMALMADA disse...

Como é possivel uma empresa de transporte´público ter sido certificada, quando os utilizadores reconhecem que as viaturas são demasiado velhas, os preços praticados são caros, as carreiras não servem a população, os horários não são os melhores e não cria incentivos para as pessoas utilizarem com frequência o transporte fora das horas de ponta.
Só a empresa TST e quem a certificou é que diz que está tudo bem. A população não diz tal coisa.
Esta empresa segundo parece é subsidiada pelo Estado pelo serviço que presta.

Anónimo disse...

O texto que se segue foi transcrito do site www.tsuldotejo.pt
Nesse site pode ver-se, entre outras coisas, quem certificou a TST.
Veja-se a intenção e a vergonha que sobra delaNão deixa de ser interessante a não referência à qualidade dos veículos.
Vamos à citação:


"A T.S.T. constituiu-se a partir de um dos centros da Rodoviária Nacional, tendo sido privatizada em Janeiro de 1995, passando a ficar inserida no Grupo Barraqueiro em Dezembro de 1998.

No último trimestre de 2001 a empresa foi objecto de uma reestruturação, tendo passado a integrar os serviços operacionais prestados pela empresa Belos-Transportes na península de Setúbal.

Em Setembro de 2003 o capital da empresa passou a ser detido pelo Grupo Arriva."

E pronto!

Anónimo disse...

Perdoem a ocupação do espaço mas será útil deixar aqui o site da empresa que procede às certificações (TST incluído):
http://www.apcer.pt/
Será que, lido aquilo (site) chegamos a alguma conclusão?
Fiquei com muitas e sérias dúvidas.

Cumprimentos.

EMALMADA disse...

reporter... de facto conclusão: Zero

Anónimo disse...

Nem mais!!!