terça-feira, junho 10, 2008

ULTIMATO de Joelhos e Submissos

Em...Almada, os comerciantes que através da Delegação de Almada da sua Associação Distrital sempre andaram de joelhos a mendigar junto da Câmara Municipal e da Concessionária do Metro mais respeito para a sua actividade, vêm agora com um "ULTIMATO" ao Metro, segundo o Jornal da Região.
Os comerciantes nunca souberam ou nunca quiseram usar as suas armas em defesa de seus interesses e de Almada.
clique sobre a imagem para aumentar e ler
Surpreendentemente como ficaram ou se deixaram sempre silenciar durante o decurso das obras do MST, que muito os prejudicou e a Almada, e, mesmo assim os vai prejudicar depois de concluídas, aparecem agora a erguerem-se qual "Gigante Adamastor" de areia, quando na verdade são eles culpados, por autoflagelação em causa própria.
Deixaram-se enganar antes e durante as obras, subvalorizando o forte impacte negativo das mesmas na actividade comercial.
Claro que Concessionária, Equipa de Missão e presidente da CMA estão-se borrifando para este "ULTIMATO" tal qual tigre de papel, que estes já meteram no bolso.
Os comerciantes deixaram-se embalar na música celestial de promessas e falsa inocência da presidente da Câmara & Cia Lda e, adormeceram.
Agora só têm uma coisa a fazer:
Acarretar com os prejuízos e bater com força a mão no peito dizendo "mea culpa, mea culpa...mea maxima culpa"!

17 comentários:

Anónimo disse...

Depois do que os comercantes, regra geral, (não) fizeram, não mexo nem um dedo a seu favor.
Tivessem acordado mais cedo e não andassem no beija-mão a sua santidade MES.

Anónimo disse...

A Maria Emilia andou a brincar ao gato e ao rato com os comerciantes.
Estes colaboraram com alguma ingenuidade mas a brincadeira saiu-lhes muito cara.
Agora trancas à porta.

Anónimo disse...

Vão mas é trabalhar!!!
Têm horário da função pública, preços caríssimos, mau feitio a atender pessoas mas a culpa é sempre da Câmara e do Fórum claro!!!
A culpa é sempre dos outros quando não se quer mexer uma palha!!!
Gostam muito do discurso do coitadinho e de esticar a mão a pedir subsidio da Câmara!!
Tá bem tá...

ricardo disse...

o anónimo das 11:10:00 monopolizou o trabalho por isso fala mas não diz nada. Das duas três, está cansado do trabalho ou descansado com a Câmara.

Anónimo disse...

O anónimo das 11:10:00 PM apenas é ... inconveniente conforme demonstra a sua actuação escrita.

Podia exprimir-se de outra forma. Ou não?

Anónimo disse...

Está visto: para o Em Almada são todos uns trafulhas: Metro, Câmara Municipal, comerciantes (até os comerciantes, imagine-se), estes porque não "souberam ou não quiseram" usar as suas armas (contra quem, Em Almada, contra quem? E que armas, Em Almada, que armas?).

Não percebeu ainda o ridículo das suas posições? Você é capaz de se virar com a maior das simplicidades (pelo menos aparente) contra toda a gente, já reparou? Quem é que, afinal, poderá acreditar em si? Afinal,você está sempre pronto a atirar pedras a tudo e todos! Ou não é verdade?

Agora até os comerciantes, caramba! Com quem é que você está bem, afinal? Consigo próprio? Mesmo assim, com reservas, seguramente!

Estão a ver porque é que eu digo que este Em Almada é um caso terminal de psiquiatria e de ... polícia (caso se identificasse, é claro)? Tenho ou não tenho razão?

Anónimo disse...

Ao Carissimo das 11.10. Certamente que não é comerciante e muito menos sente o problema do cómercio de Almada. Horário da funcão publica: O "Amigo" certamente que vive à conta dos impostos dos Comerciante e outros e possivelmente afecto ao poder local que deixou esta cidade sem acção nem graça. Pena o Sr(a). não ser Comerciante secalhar a sua teoria barata e comunista seria outra.

Anónimo disse...

Então, então? Não há por aí um único comerciante que se sinta pelo menos incomodado pela forma como o Em Almada vos trata? Então, que se passa? Ou será que esse silêncio significa que todos os comerciantes aceitam o destrato do Em Almada?

Não acredito. A ser verdade, então, o Em Almada teria razão no destrato que faz a gente que é, na esmagadora maioria, gente honrada e com princípios. E Em Almada não tem razão, isso eu tenho absoluta certeza.

comerciante X disse...

parece que o emalmada só diz que a câmara deu a volta aos comerciantes por meio da Associação, à qual eles ficaram reféns.
Nem todos estão com o modo como a associação se comportou.
Deixe-se de provocações anónimo das 11:09:00 PM.
A CMA está em má cama.

Anónimo disse...

o anónimo de quarta-feira 11 11:09:00 lança foguetes, bate palmas, apanha as canas e com elas faz uma fogueira para se aquecer.

Anónimo disse...

Serão comerciantes a falar? Serão? Ou serão outros interesses que andam por aqui escondidos? Querem lá ver, às tantas, até os comerciantes querem dividir em bons e maus ...

Reféns de uma associação? Num país livre e democrático? Que quer isso dizer? É, sem dúvida, um excelente conceito de democracia de quem o afirma, sim senhor ...

Anónimo disse...

Os instrumentos que estão à disposição, seja de comerciantes ou simples cidadãos,para interferir ou influenciar os objectivos da CMA, álem de serem insuficientes, quando utilizados não são respeitados; temos um exemplo concreto dado pelos habitantes do bairro da Ramalha que se sentem justamente enganados pois adquiriram os seus imóveis inseridos num projecto hurbanistico que foi alterado devido ao MST, utilizaram todos os meios e mais alguns e no final nada lhes valeu. Que se pode fazer mais?,um ataque a bomba? um atentado?, não meus senhores, é um dos defeitos da democracia, quando os eleitos têm na cabeça o sentimento de quero, posso e mando,pouco há a fazer. Os comunistas têm razão num ponto, o voto é a arma do povo!
Oliveira

Anónimo disse...

Sr. (Anónimo) Oliveira,

Os instrumentos à disposição dos cidadãos são insuficientes, porquê? Não há espaços para participação? Ou porque não servem para dar razão a quem não a tem? Deveriam esses espaços de participação ser transformados em ante-câmaras de "golpes de estado"? Cada discordância com o rumo do trabalho seguido que surgisse nesses espaços deveria ser imediatamente seguida, substituindo o rumo das coisas?

Pelo que você diz, penso que é mesmo esta a filosofia que o anima. Então os espaços de participação servem para "influenciar" ou "interferir" no trabalho e orientações dos órgãos eleitos? Acha mesmo que deve ser essa a função desses espaços? Pelo que você próprio diz, é assim que os entende, mas engana-se. Os espaços de participação servem para ... participar. De forma construtiva. E no respeito pelas mais elementares regras do funcionamento do sistema democrático, que é o nosso. Estes espaços de participação (e eles existem em Almada mais do que em qualquer outro município do país, disso não tenho a mínima dúvida) são momentos importantíssimos na construção do caminho mais justo e correcto a seguir, pela auscultação de opiniões e contributos de um maior número de cidadãos, e não podem ser encarados como momentos de conflito, de pressão, de influência ou de interferência, como você defende.

E quanto à Ramalha, que você invoca, está mal, muito mal informado. Primeiro porque não foi a Ramalha, no seu conjunto que "reclamou". Nem sequer uma rua inteira da Ramalha. Foram, apenas e só, alguns, poucos, moradores dessa rua que contestaram. Contra todos os outros, da mesma rua, da Ramalha e da Cidade de Almada.

Então este Sr. Oliveira entende que esse pequeno grupo que contestou deveria prevalecer só porque "levantou a voz" num espaço de participação pública, é isso? Porquê? Porque contestou?

E não me venha com histórias. A alegada solução que esse pequeno grupo de moradores diz que apresentou e que era a melhor, é treta. O mesmo relativamente a um célebre despacho que não é despacho nenhum.

Mas ainda bem que é você quem assume que a contestação da tal rua da Ramalha se fica a dever, exclusivamente, a uma questão de puro egoísmo. Ao assumir que contestam porque compraram os seus imóveis num projecto urbanístico que foi alterado (alterado em quê, esse projecto urbanístico de que fala?), está de facto a dizer-nos a todos que o que move estes poucos contestatários são apenas os seus interesses pessoais mesquinhos e egoístas. Preocupações com a mobilidade em geral dos cidadãos? Nããããã. Isso não os preocupa. Um meio de transporte amigo do ambiente, rápido, silencioso, confortável? Nãããã, isso também não os preocupa! Um espaço urbano requalificado, mais bonito e funcional (sim, assumo o que estou a escrever, contrariando as cabalas e mentiras que esses mesmos senhores contestatários têm vindo para aí a lançar!)? Nãããã, outra coisa que nada os preocupa. Agora o seu património? Isso sim, preocupa-os! Mas até nisso estão enganados, e dando "tiros nos pés". É que esse seu património vai sair altamente valorizado de toda esta operação. Ainda me vou rir muito, e muito, poe esse facto!

Anónimo disse...

os caciques estão atentos.
Aí estão eles a defender a dama.
Porque não se candidata ela a primeira ministra concorrendo e fazendo sombra à Srª Drª Manuela Ferreira Leite.
Tenham vergonha e não digam alarvices.
Já esqueceram porque se desmoronou a URSS?
Vocês só são autarcas por oportunismo e engano democrático.

Anónimo disse...

"Boa" resposta, anónimo. Ou deverei escrever Oliveira?

Vergonha tem que ter quem, como este anónimo, reage apenas insultando, sem ser capaz de ter uma única palavra objectiva que conteste o que eu digo.

Repare-se só na diferença: eu digo o que penso, assumo ideias e posições, defendo aquilo que acho que é justo defender, questiono concepções com as quais não concordo. Mas nem um insulto, como está registado.

Como resposta, sou apelidado de "cacique" e "alarve". Edificante, não é? É isto que estes "democratas" chamam ... democracia? Mas sobre isso estou mesmo esclarecido ...

Anónimo disse...

Não tenho por hábito entrar em polémicas onde o dialogo tem um só sentido; no entanto gostaria que o cidadão que me interpelou acima, me informasse por favor,quando foi levada em conta, nalgum espaço de participação pública,a opinião ou sugestão da cidadania de Almada.Qual o processo que foi alterado por participação pública e acatado pela edilidade.Qual o melhoramento que algum grupo de cidadãos conseguiu nalgum projecto urbano.Quando é que a edilidade se gongratulou com a colaboração dos cidadãos na melhoria de algo.
Oliveira

Anónimo disse...

Posso responder a essa, Oliveira?
A resposta é nunca!!!
A edilidade sempre fez o que quis e nunca, mas nunca, deu ouvidos a qualquer opinião e/ou movimento contra o "regime".
O resto são tretas.
Ou recados.