terça-feira, novembro 11, 2008

Subdesenvolvimento e Provincianismo Natalício

Em...Almada, a Câmara Municipal continua e gastar dinheiro dos munícipes em programação eleitoral escondida e em inutilidades, que só os correlegionários ou oportunistas aplaudem.
A colocação daquela estrutura metálica super dimensionada para o local, que designa por árvore de Natal na antiga Praça da Renovação, é daquelas realizações reveladores de um mau gosto estético e de falta de qualquer paixão por um concelho que tem proporcionado pela passividade de seus munícipes, que os actuais autarcas "comunistas", realizem os ambiciosos sonhos de virem a ser capitalistas requintados, pela exploração sem vergonha dos sentimentos democráticos do povo almadense face à passividade das oposições.
Há comerciantes que ainda acreditam neste efeito placebo (enganador) da presidente da Câmara com se ela esteja interessada em reabilitar o comércio local.
A senhora manipulou e instrumentalizou os comerciantes até aqui.
Agora está a aproveitar a quadra natalícia para auto promover-se com a colaboração de alguns comerciantes, oferecendo-lhes broas envenenadas.
Depois do dia 10 de Janeiro de 2009, término da sua auto promoção, deixa-os a chuchar no dedo...será a frustração de se terem deixado enganar ao longo de pelo menos, cinco anos.
O bolo podre com que a presidente presentiou Almada está bem representado nestes objectos ( simbolicamente são prendas) limitadores de circulação, vermelhos e brancos, na base do monstro que a presidente mandou montar no local. Aquela estrutura desproporcionada é mais um obstáculo temporário à circulação de viaturas de bombeiros que pretendam aceder à rua ou passeio Fernão Lopes. O dinheiro em Almada tem asas para se deslocar ao sabor da democracia, mascarando-se os gastos de interesse colectivo e, evaporando-se para posteriormente se condensar em local devidamente abrigado, em segurança...
Nesta campanha são mais 700.000 Euros para promover a presidente e o executivo que controla.
Almada perde dinheiro e vivência democrática. Para mudar Almada é preciso baixar a abstenção, é preciso votar em qualquer partido político que não seja a CDU/PCP ou outro, em que os actuais autarcas se abriguem.

23 comentários:

Anónimo disse...

Ainda falta a foice e o martelo dentro de uma estrela luminosa no topo do cone metálico.
Ficava a matar.
Era a coroação do descalabro público assumido no concelho.
Na base podem-se colocar figuras autárquicas num presépio a propósito, com as ovelhinhas em redor e um pastorzinho colaborador da CMA.

Anónimo disse...

Já agora podem por os comerciantes de pastorzinhos

Anónimo disse...

Os carneinhos que aparentemente tambem lá ficariam bem, infelizmente, têm de descansar depois da obra feita. Assim faltarão ao decor.
Oliveira

Anónimo disse...

Notícia retirada do Diário Digital de hoje:

Almada: BE acusa Câmara de promover trabalho precário

O Bloco de Esquerda acusou hoje a Câmara de Almada (CDU) de promover trabalho precário, argumentando existir um número «muito elevado» de trabalhadores com contratos a termo e em regime de prestação de serviços.

Em declarações à Lusa, Ermelinda Toscano, eleita pelo Bloco de Esquerda (BE) para a Assembleia da Junta de Freguesia de Cacilhas, «o problema do trabalhado precário na autarquia está a atingir níveis inqualificáveis», baseando-se numa «análise comparativa do balanço social e contas do município de 2007».

Dessa apreciação, «chega-se à conclusão da existência de trabalho precário na Câmara», constatando-se que «28 por cento dos técnicos superiores contratados» se encontra «com contrato a termo certo ou em regime de prestação de serviços», sublinhou a responsável do BE.

De acordo com o balanço social de 2007 da Câmara a que a Lusa teve acesso, dos 134 trabalhadores em situação de precariedade, 68 possuem contrato a termo certo e 66 encontram-se em regime de prestação de serviços.

QUE HIPOCRISIA A DESTA CMA!...

Fico à espera do comentário do ANTI-POPÓS...

Ponto Verde disse...

Temos no a-sul , um post na calha sobre o mesmo tema, mas olhando para as excelentes imagens do Em Almada realizei o quanto estamos a ser injustos para a CMA, é que estamos a ver a coisa ao contrário!

Eu explico!

Aquilo não é uma árvore de Natal serôdia, é sim, e dada a data (S.Martinho) um... cartucho de castanhas. O facto de não estar levantado, ocupando um menor espaco na via publica, bom, só se o Viagra mudar de côr...

Tiago disse...

Não estou a defender ninguém, apesar que quase todos irão argumentar o contrario, mas também pensei nessa hipótese dos bombeiros quando passei por lá, mas de facto a estrutura está encostada a um lado da rua e tem largura suficiente de lado para passar uma ambulância um carro dos bombeiros etc. (como mostra a imagem 2).
Posto isto discutir se uma estrutura de metal em forma de árvore é ou não bonita de dia é estranho, dá a intender que qualquer coisa que a câmara faça será quase certamente criticada!

José disse...

vê-se logo o monte de merda que você é!!! basta perceber que tem nojo de dizer (escrever) PRAÇA DO MOVIMENTO DAS FORÇAS ARMADAS!! meta a sua propaganda anti-comunista, anti-almadense e a sua acarinhada suástica bem no fundo do entrefolho do cu, e tenha a bondade de morrer para o mundo.

Muito Obrigado!

José Brites disse...

Vivo em Almada velha e gosto muito. A cidade está a ficar bonita e muito mais ficará após as obras acabadas. A iluminação de Natal em instalação está a ficar ao nível de qualquer cidade europeia. Continuo a fazer as compras no centro da cidade onde me desloco de carro usando os parques existentes. Gosto de andar a pé e de bicicleta e posso-o fazer por todo o espaço. Até já me estou a habituar às voltas que tenho que dar para apanhar os itinerários de saída da cidade. Só me chateiam os cães e os seus donos que, morando a 100m, os trazem a passear para a minha porta para aqui defecarem. Viva Almada!

Anónimo disse...

Caro Tiago:

O problema não é esse!Temos dinheiro na CMA para andar a imitar a árvore de Natal do Millennium bcp? é prioritário?

Caro José:

Antes demais, lave a boca! porque em cada palavra são duas asneiras. Mas gosto de ver o seu espírito natalício... viva a árvore! e logo de seguida "...tenha a bondade de morrer para o mundo". Vou mandar este comentário para a minha amiga Mila para ela ver por quem está rodeada...

Caro José Brites:

Pelo que fala. ou não sabe onde fica o centro de Almada ou não mora em Almada Velha...

Anónimo disse...

Coitado do brites.
Gosta de tudo.
Que deformação ou formatação!

Sugiro para o presépio que os cordeirinhos sejam os que apoiam a promoção comercial da Câmara e o pastor o seu chefinho.

Ponto Verde disse...

O Brites é no fundo uma defecação.

Os cães cagões são o único elemento dissonante , só podem ser perigosos agentes anti-comunistas!

E está-se a - habituar às voltas que tenho que dar para apanhar os itinerários de saída da cidade...Então, saír da cidade não devia ser uma coisa normal ? Afinal é preciso hábito ?

Estou curioso onde encontra ele as ciclovias, os estacionamentos etc...

Anónimo disse...

No que diz respeito à árvore de natal, penso que o tamanho é desproporcionado, não ficando mínimamente enquadrada. se calhar era a única árvore dísponivel no mercado...só pode não é?
Quanto aos trabalhadores da CMA,em regime de trabalho precário, depois da denúncia feita até pela insuspeita C.Trabalhadores, a conclusão só pode ser uma...bem prega Frei Tomás...

Anónimo disse...

Para revitalizar o comércio tradicional Maria Emíla e seus muchaços podiam vestir a fatiota de Papá Natal e percorrerem anoniamente o "Almada Shopping Lazer e Prazer Conhecer" onde os buracos nos passeios e o lixo são verdadeiros.

Anónimo disse...

Hoje quero deixar aqui uma dedicatória aos controleiros de serviço, os homens da MES que estão em todo o lado. Aqueles que por "terem lutado contra a ditadura" clamam para si próprios uma autoridade moral para serem SACANAS!!!!

É uma balada de protesto, acompanhada à viola, da cantora brasileira Suely Mesquita.


Filhote da Ditadura

Eu não lutei contra a ditadura
Eu não lutei.
Não tenho essa desculpa
E, se sou pura,
Só eu sei.
Eu não vivi
Clandestina.
Eu era apenas
Uma menina.
Eu não sabia
De nada.
Eu era quase
Retardada.
Aaaah! aaaaaaah!

Eu não lutei contra a ditadura
Se eu não for pura,
Um progressista me janta
Eu não lutei contra a ditadura
Não tenho essa desculpa para ser
Pilantra! pilantra! pilantra!

Eu não lutei contra a ditadura
Eu não lutei
Eu não fui contra a linha dura
Eu não dancei
Eu sou filhote da ditadura
Classe média alienada
Não tenho essa desculpa furada
Pra falar e não fazer
Nada! nada! nada!

Eu não lutei contra a ditadura
Não apoiei a guerrilha urbana
Não uso essa armadura
Não tenho essa desculpa para ser
Sacana! sacana! sacana!

Anónimo disse...

Quem diz que a Maria Emília é comunista está redondamente enganado (a).
Ela é uma excelente admiradora do capital e do mundo capitalista.
Arma-se em comunista ou de esquerda conforme a plateia que a ouve para enganar quem se deixa.
A prática da senhora é de refinada aliada daquilo que faz a felicidade dos capitalistas.

Al-Ma'dan disse...

Tudo isto e muito mais permite vislumbrar para onde vão os 9,5 milhões de euros de superávite orçamental do ano de 2007: para festas e bolos, para continuar a enganar os tolos.

J. Brites disse...

Vivo em Almada velha e gosto muito.
Para além das fezes de cão nos passeios também não gosto das paredes grafitadas.
O centro da cidade possui dois parques de estacionamento (Pr. São João Baptista e Lg. Gabriel Pedro), que nunca encontrei cheios e onde deixo o carro quando vou às compras (o Pingo Doce paga). Quando vou de moto ou de bicicleta deixo à porta.
O Metro vai tirar centenas de autocarros do centro que são a minha preocupação quando ando de bicicleta (pelas suas dimensões). Na minha aldeia, onde 95% das pessoas andam de bicicleta, as pessoas não sabem o que são ciclovias pois como qualquer outro veiculo têm o direito de usar a estrada, tal como em Almada, ou será que não?
Também às “coisas normais” preciso de me habituar, tal como já estava habituado aos antigos acessos, é um hábito que tenho desde criança (o de me habituar às coisas).
Na minha opinião os comerciantes (que não se mudaram para o Fórum Almada) só terão a ganhar com as obras pois a razão da sua actual situação apenas se deve ao aparecimento do Fórum. Mas é só a minha opinião e o futuro próximo o esclarecerá.
Pela minha primeira intervenção fui apelidado de formatado, deformado e defecação. Para aqueles que acaso apenas atinjam o orgasmo a dizer mal e insultar ao abrigo do anonimato, desejo que gozem muito.
Viva Almada!

Anónimo disse...

Ó Brites!
Você é um porco capitalista!
Então você tem um "popó", uma moto, uma bicicleta e casa na aldeia?!?
Olhe que vão fazer queixa de si à MES...

Albany disse...

O brites, coitado, é daqueles formatados por eles, que abre a boca e não sabe o que diz.
Abana a cabeça e vai divertindo a rapaziada.

Abilio Vilar disse...

Que cambada de ressabiados... lol

vão se esconder seus palhacitos.. fora daqui! Se não gostam de Almada é ir embora, seus palhaços! O que não falta aí é muita terra para saloiada da vossa espécie... Agora vêpara aqui anónimos dizer mal, armados em mestres de cerimónias...


Vão mas é coser meias, Cambada de borregos..

Anónimo disse...

Almada está-se tornando um concelho insuportável para viver e visitar.
Nunca tão poucos conseguiram destruir uma cidade magnificamente localizada,próxima da capital com belas praias na Costa de Caparica e com otimas potencialidades turisticas embora vilependiadas por pessoas que não sabem o que é desenvolvimento, bem estar das populações, nem sabem respeitar as gentes desta terra e aqueles que cá vivem.
Chega a ser patética a argumentação apresentada pelos que aparecem neste forum a defender os autarcas que estão à frente do concelho e o seu maléfico trabalho.
As cataratas da partidarite não os deixam ver um palmo à frente do nariz.
Almada não vai longe nesta lenta embora já avançada agonia.

Anónimo disse...

O nosso amigo Brites, sem o saber tocou no ponto certo: a sua aldeia!

Só que Almada não é uma aldeia, é uma cidade com cerca de 100 mil habitantes e não pode ser gerida como a sua aldeia. Tenha lá paciência, amigo Brites...

E numa cidade é natural existirem e conviverem os carros (ou será pópós...), os autocarros, as motos, as bicicletas e os peões. SEM EXCLUSÃO mas com ordem.

Ora é precisamente aqui que a porca torce o rabo, é que a Câmara devia ter capacidade para gerir a cidade com todas estas formas de mobilidade e não empurrar algumas para trás das costas.

Almada tem também que manter o seu comércio a funcionar. Sabe que uma cidade sem comércio, sem indústria e sem serviços não é uma cidade é um dormitório de mão de obra para trabalhar fora!

É nisso que querem transformar Almada?

Gerir Almada é mais difícil do que gerir a sua aldeia... e não é por causa da porcaria dos cães é mais pela qualidade dos seus dirigentes.

Anónimo disse...

Ao Abilio Vilar estalou o verniz.

Tivesse ele aqui um campo de concentração siberiano e mandava para lá todos aqueles que ousam pensar pela sua própria cabeça.

Então sim, seria tão fácil governar o burgo... apenas com os alinhados, que não têm pópó e fazem compras a pé em Almada.

Será por serem assim tantos que o comércio no eixo central de Almada vai estando cada vez mais às moscas?

Se me apanham, lá vou para a Sibéria...