domingo, dezembro 02, 2007

BATATA 2 - LÓGICA 0

Em...Almada topou com estas duas situações consequência do futuro que está aterrando em Almada pela mão da Presidente da Câmara Municipal, com a colaboração de umas quantas pessoas que trabalham na sombra.
Nesta 1ª imagem vemos uma "batata" marcação horizontal (seta da faixa da esquerda no sentido descendente da Av. Bento Gonçalves) para os automobilistas que a ser seguida permite circular em "perfeitas condições de segurança" e dentro do Plano de Mobilidade e Acessibilidades XXI que o município de Almada implantou na cidade.
Nesta 2ª imagem temos a segunda "batata", esta dirigida aos peões, também no sentido descendente da Av. Bento Gonçalves, lado direito. Segurança mais segura não há melhor para os cidadãos, que são constantemente solicitados a circular a pé pelas ruas e avenidas de Almada. É só um pequeno obstáculo para pessoas sem deficiência. Para quem tem dificuldades de mobilidade....que fique em casa.
Assim este município apelidado de Abril cuida dos cidadãos!
Há quem diga que a lógica é uma batata. Mas quem tal afirma nada conhece de batatas nem de lógica.
O Municìpio de Almada e a sua Presidente com a lógica de seu Plano de Mobilidade e Acessibilidades XXI associada ao comboio designado MS,T que dizem ser o futuro, revelam na realidade conhecer muito de... BATATAS podres!

12 comentários:

Papoila disse...

Para quem tem mobilidade reduzida, os obstáculos que existem nas nossas cidades tornam a vida muito mais complicada.

Não se compreende como é que numa obra de raiz, se conseguem fazer "batatas" como as que estão na Av. Bento Gonçalves.

Parece estar tudo torto. Sinceramente não percebo.

Alex disse...

Mais "batata" menos "batata", as obras continuam.
Essa é que é essa.
Se estorvam ou não, eles querem lá saber.

Plano de Mobilidade e Acessibilidades XXI?
Importa-se de repetir?

Segurança? Mas não há uma comissão municipal que trata dessas coisas?

O futuro está aí. A um metro e umas quantas obras de mau gosto e de irresponsabilidade notórias.

Vamos ter que aguentar. No mínimo, esperar por 2009 e mostrar o cartão amarelo, se não o vermelho.
Compete aos descontentes demonstrar que o são.

Quanto aos que seguem a "voz do dono", apetece-me dizer: "a morte fica-lhes tão bem".

Entendam esta última frase de forma adequada.
Não quero ver ninguém morto.

Anónimo disse...

Caros Amigos

A escassez dos comentários ao v/blog, prova que de facto os vossos argumentos já não estão a ter eco junto do povo de Almada.
O EMALMADA já está muito visto...

manuel p. maia disse...

As sucessivas alterações ao projecto do MST e o abre buracos , tapa buracos,põe calçada, abre novamente buraco, mete um cabo eléctrico ou repara uma canalização para voltar a calcetar de novo vem revelar que esta obra foi concebida e projectada ao sabor do improviso em resultado de uma noite de insónias trágicas de alguém, que sonhou ser dono(a) desta população suburbana de Lisboa.

augusto disse...

Posso acrescentar ao que o sr. manuel p. maia disse sobre o projecto que nas Avenidas 25 de Abril e D.Afonso Henriques em Cacilhas e Almada, quando da intervenção para as obras do metro se esqueceram do escoamento das águas pluviais oriundas dos prédios.Só mais tarde deram pela falha.
Quem está por dentro da obra sabe bem quantas vezes já fizeram e desfizeram o que tinham feito ao longo da área intervencionada.
Até o cidadão comum vê.

Ponto Verde disse...

Almada está do "lado certo"

Não há deficientes motores em Almada, logo, não há que acautelar a sua mobilidade.

Não há idosos a atravessar as zonas das obras, e se os há , só sobreviverão os mais aptos.

As crianças não há que preocupar eles divertem-se a ultrapassar obstáculos.

Na estrada não há buracos, haverá talvez algumas ligeiras depressões no terreno.

As marcações parecem não servir de nada, mas é para que nos lembremos como era antes.
As árvores foram eliminadas para precaver das alergias na próxima Primavera.

O Metro vai atravessar a avenida, e interromper o trânsito, para aí de sete em sete minutos, mas isso é para evitar pôr lombas para reduzir a velocidade e o fluxo que de manhã entra no garrafão.

Nós maldicentes , achamos que o Metro está com dois anos de atraso para o prometido, mas a versão oficial é que são quinze dias...chegar a Cacilhas, atravessar Almada, bom isso é um pormenor...

almada disse...

Este post é realmente ridiculo, dar imagens de obras e dizer que a Câmara é responsável pela degradação de locais que... estão em obras, é realmente digno de, vá-lá, pessoas para quem a verdade é mais um estado de espirito a aplicar conforme as necessidades próprias e ainda por cima são provincianos.

Porque é que esta direita não aprende nada, a não ser repetir os velhos métodos de demagogia?

EMALMADA disse...

Caro anónimo preocupado com os comentários, não se aflija com a escassez de comentários, porque não tem razão e nós não ficamos especialmente preocupados com esse seu reparo/argumento.
O que nos preocupa é o atraso militante a que esta gestão autárquica conduziu Almada e a sua conduta em relação às críticas dos municipes e almadenses que se interessam pelo concelho de Almada.
Almada, apesar de ser gerida por um grupo de pessoas com maioria absoluta minoritária, não será eternamente uma coutada a mando de estranhos aos interesses da população almadense.
Com essa sua superior intervenção se pretendia desmobilizar-nos digo-lhe que não consegue. O nº de visitas falam por si e digo-lhe que a média diária de novos visitantes nos últimos 30 dias foi superior a 34%.
Se não quiser entender isto, respeitamos esse seu entendimento e só nos resta agradecer-lhe a preferência que nos dá ao visitar este blogue que pugna por uma Almada democrática para a população e não ao serviço de um grupo dito comunista.

EMALMADA disse...

As obras do MST têm um documento designado Declaração de Impacte Ambiental(DIA) que é para ser respeitada.
A CMA tem fiscais para a obra. Foi a presidente da Câmara que pediu este metro para Almada que diz ser o futuro.
Só isto é suficiente e conhecendo a DIA para se justificar este Post.
Só quem não conhece a DIA e nunca ouviu a senhora presidente "a tranquilizar" os almadenses com as obras poderá achar estes reparos ridículos.
Por isso o Post não é ridículo. Ridículo é o facto de ter sido a CMA e a sua presidente que pediram este metro implantado no eixo central de Almada, a Câmara ter fiscais para a obra e não fiscalizarem nada, nem a CMA ser capaz de assumir as suas responsabilidades no desastre ecológico que está aprovocar em Almada, agredindo os seres vivos, humanos, que aqui vivem, desrespeitando os mais os seus elementares direitos a usufruirem de qualidade de vida no local de residência.
Já sabemos que a CMA nunca é responsável pelos malefícios da obra, que a obra é do Estado, que o Estado põe e dispõe etc...etc.
Portanto o Estado é o mau da fita, mas a CMA é que nos traz o futuro...o futuro...o futuro e mais futuro...mas Almada continua uma lixeira, e quando o Estado decide sobre a obra a pedido da Assembleia Municipal e da Presidente esta não acata a decisão, para servir interesses privados - veja-se o problema do triângulo da ramalha com os moradores locais - porque a presidente da CMA não tem dignidade politica para assumir as suas responsabilidades perante a população.
Fazer política é uma actividade nobre do exercício de cidadania para defender os cidadãos do desmando dos déspotas e sevir as populações. Não foi isso que a presidente da CMA fez no caso do decisão do Estado para o Triângulo da Ramalha.

Essa direita que nos querem atirar, não encaixa. Vai devolvida com destinatário para essa dita esquerda que os autarcas de Almada dizem ser, porque vê-se que usam com mais requinte os métodos que eram timbre da direita totalitária que tanto criticavam.

Quanto ao apelidarem-nos de provincianos, entendemos onde quer chegar, mas não nos atinge porque somos o que somos, estamos onde estamos e não precisamos de fazer qualquer reciclagem ou rectoactividade para nos encaixarmos em qualquer naipe ou baralho político, para daí retirarmos benefícios pessoais.

Até estamos entre os naturais de Almada, contrariamente aqueles estranhos que querem fazer de Almada uma propriedade privada recorrendo à figura de usucapião, por terem sido reeleitos maioritariamente(devido à elevada abstenção) com uma minoria de votos dos eleitores.

Alex disse...

Anónimo disse...

"Caros Amigos

A escassez dos comentários ao v/blog, prova que de facto os vossos argumentos já não estão a ter eco junto do povo de Almada.
O EMALMADA já está muito visto..."

Eu digo.
Olhe que não. A evidência da razão é que afasta os paladinos da desgraça, quais moscas desvairadas em busca da m.... que as rodeia.
Quando pensam que têm razão, aparecem, curtem à brava.
Quando lhes falta a argumentação válida, fogem como o diabo da cruz.

Boa semana

Anónimo disse...

Os obstáculos que existem nas nossas cidades, em Almada concretamente, tornam a vida dos cidadãos portadores de uma qualquer deficiência motora muito mais complicada, isto mesmo depois do plano (I)mobilidade XXI.

Seria interessante que os seus autores, por um dia e na zona do Pragal ou em qualquer outra, vestissem a pele de um cidadão com mobilidade reduzida, daqueles que se movem (quando podem), ou se fazem transportar, em cadeiras de rodas empurrados por terceiros...

Dá pena ver tanta ignorância e incompetência...

Como é possível que se demorem semanas para criar um lugar de estacionamento reservado para deficientes à porta de um qualquer cidadão que a ele tem direito?

É incompreensível, tanto funcionário e tão pouco trabalho...

Tenham dó, amanhã pode ser a vossa vez de ficarem amarrados a uma cadeira de rodas.

Sejam solícitos na prestação de um qualquer serviço desta natureza.

"Serviços" deste tipo não se prestam por obrigação, prestam- por solidariedade e por amor para com o próximo.

Estes valores escasseiam na sociedade em geral e em Almada em particular.

Se existissem, os (i)responsáveis autárquicos pensariam com as suas próprias cabeças em prol do seu semelhante, e não em prol de um qualquer empreiteiro ou concessionário do MST que a todos trucidam com a sua voracidade pelo lucro fácil. Sim, porque quando a coisa dá para a torto, como até hoje tem acontecido, não pode ter prejuízos...

O Estado reembolsa-o princepescamente desses mesmos prejuízos...

E mais uma vez, quem paga?

O Zé Povinho...

Alex disse...

Senhor anónimo.
Tem razão no seu desabafo.
Já o fez junto de quem de direito?
Ou está à espera de que os eleitos venham ler os blogues para responder e/ou tomar atitudes?

Se já apresentou essas questões junto de quem de direito, aceite os meus parabéns.

E, já agora, qual foi a resposta?