sábado, fevereiro 17, 2007

Desenvolvimento e Bem Estar

Em...Almada, umas décadas atrás a Praça Gil Vicente era assim. A Av. Afonso Henriques também.
Hoje ainda é um pouco assim.
Tem muitos automóveis. Almada cresceu desorganizadamente.
Quem a governou nas últimas décadas não salvaguardou o espaço público, como espaço para pessoas. Permitiu que o automóvel o ocupasse. Almada atrofiou-se. Atrofiaram-na.
Por outros países da Europa, os gestores das cidades cuidaram do espaço público como propriedade dos cidadãos. Construiram-se parques subterrâneos ou edifícios para parqueamentos de viaturas. Aqui, em Almada enveredou-se pelo mais fácil, deixando que o espaço público fosse ocupado pelo automóvel. Afastaram-se as pessoas em benefício do mais fácil : pouco ou nada fazer de útil. Cuidou-se do que gerava mais valia sonante, em prejuízo da salvaguarda da qualidade de vida dos seus habitantes.
Não é o automóvel o culpado desta situação. Os responsáveis por isto são aqueles que só olharam para o crescimento imobiliário descuidando a vida, a vivência da cidade e das pessoas no espaço urbano.
Hoje é o caos. Amanhã será pior. Todo aquele espaço urbano que se vê na foto,vai ser ocupado no seu eixo por uma via ferroviária, um canal ferroviário, que destruirá a cidade!
É uma monstruosidade dilacerando o coração de uma cidade onde os medos imperam, onde alguns se dizem senhores da verdade, das liberdades, dos valores democráticos, onde alguns dissem nunca errar. Onde se pretende impôr a vontade de poucos ao legítimo direito dos cidadãos de participarem na construção da vivência da sua cidade.
Almada, cidade que foi, cidade que é, cidade que será e ficará para a história talvez como a 1ª Cidade do Mundo com uma via ferroviária em espaço canal no meio do seu principal e único eixo viário, dividindo a cidade a meio, sem a servir e, então, alcançará por isso um 1º lugar no Guinness World Records.
Sim, porque este comboio não foi metido em Almada para servir os seus habitantes. Este comboio destina-se a transportar pessoas de manhã para o barco em Cacilhas, para o outro comboio em Corroios e no Pragal e ao fim do dia em sentido inverso.
Esta não será certamente a Almada que os almadenses gostariam de ver, esta é a Almada pendular e dormitório.

4 comentários:

Reporter disse...

Pode não ser a Almada que os almadenses gostariam de ter mas é a Almada que os almadenses têm e vão continuar a ter.
Por causa da teimosia e ... da democracia opaca.

100smog lda. disse...

são estes sites que nos fazem continuar! parabens pela noticia! e parabens pela incistencia de existir! VAMOS passando por cá!!!

Luis Eme disse...

"Linkei" o vosso artigo sobre a nossa presidente Geneal...

espero que não se incomodem.

emalmada disse...

Não há qualquer problema.De facto já tenho falado a muitos almadenses sobre o assunto do artigo e nenhum conhecia a situação.Até pessoal das oposições não sabia deste zelo da presidente pelo ambiente.
Há que passar a mensagem sempre que for oportuno. Em nada nos sentimos incomodados por isso.
Obrigado