quarta-feira, setembro 12, 2007

Hecatombe Ecológica em Almada

Em...Almada, estamos a viver um desastre ecológico de consequências desagradáveis e graves para os seus habitantes e para uma terra que tem mais de oito séculos de História.
clique sobre a imagem para aumentar
Av.25 de Abril-carros a circular mais próximo das habitações e candeeiros colados aos prédios
“A ecologia, ciência que estuda as relações de intercâmbio e transformação de energia entre os seres vivos, inclui as relações de todas as coisas entre si e com tudo que existe.” A ecologia é uma ciência abrangente, globalizante no sentido positivo. Ecologia e economia têm origem na palavra grega “oikos” que significa casa; de onde podemos dizer que ecologia é o estudo da casa e da relação dos seres vivos entre si e do modo como se relacionam com a casa, quer seja a própria habitação, o planeta Terra ou a terra/local onde vivem. O projecto Metro Sul do Tejo (MST) em Almada, com as exigências da sua implantação, traçado e inserção pela presidente da Câmara Municipal de Almada ao longo do principal e único eixo viário da cidade, está a mexer na casa dos almadenses, os seres vivos que habitam a “polis”. Está a agredi-los, com consequências negativas num futuro próximo na actividade do homem e não só, dentro do tecido urbano. O número de habitações à venda aumenta dia a dia. Os almadenses estão a abandonar a cidade, porque a CMA e a sua presidente com teimosia e falta de senso para gerir a polis ao serviço dos cidadãos ao querer impor-nos um desastrado traçado do apelidado metro de superfície, está a destruir a cidade e a criar dificuldades de mobilidade e acessibilidades aos residentes e a quem se desloca a Almada. A Câmara de Almada, com a passividade das oposições, não acautelou o futuro da cidade. Preferiu apostar e investir, para tirar chorudos dividendos, no crescimento da área construída (construção civil), fonte de fácil rendimento. Almada foi e é “uma quinta” onde o solo é visto como gerador de mais valias e especulação imobiliária e não de riqueza colectiva e interesse social. Não houve preocupação com a harmonização de interesses de quem aqui vive, onde a preservação da qualidade de vida dos almadenses fosse a primeira prioridade dos autarcas. Almada está a sucumbir sob um delírio pateta desta Câmara, que tenta persuadir e convencer os cidadãos, tratando-os como seres desprovidos de ideias e conhecimentos, usando “slogans” e frases fruto de uma infantilidade preocupante ao lhes dizer que a chegada do MST é a chegada do futuro a Almada. Não passam essas frases de “expressões pipoqueiras”, de argumentos saloios e retrógrados sobre um conceito deformado de Futuro, que deveria ser socialmente arquitectado para uma comunidade participante e consciente de seus direitos. Almada está a perder. Almada vai definhando sob estes paladinos da demagogia, que colocaram Almada na lista dos concelhos mais degradados deste país. Os almadenses estão a abandonar Almada e Almada encontra-se à venda. Almada vive actualmente uma catástrofe ecológica. Os seres vivos – seres humanos- estão a debandar. Almada está a perder vida com um MST que não foi pensado para servir, nem serve os habitantes desta cidade. Ironicamente Câmara e sua presidente referem-se ao MST como um transporte alternativo. É mentira. O MST vai circular como único transporte nas ruas e avenidas onde for implantado e em sistema de exploração monopolista, introduzido por uma Câmara que se diz, tal como o partido que a suporta, contra os monopólios. Não há paciência para tanto desplante e falta de vergonha!
A cruzada “sangrenta” contra o automóvel que a CMA usa para tentar convencer os almadenses, impor o seu metro/comboio e “defender” o ambiente, é um alibi insensato usado infantilmente para camuflar a quota parte da sua incompetência em gerir o concelho. Almada é talvez o concelho mais degradado, mais sujo e mais miserável do país, quando pensamos no seu potencial em recursos económicos, turísticos e ambientais, acrescidos à sua invejada situação geográfica, na margem esquerda do Rio Tejo, frente a Lisboa.

38 comentários:

braga parques disse...

Os moradores do lado esquerdo da Av. 25 de Abril vão ser beneficiados no orçamento familiar. A conta da EDP vai baixar para o 1º e 2º andares porque passam a ter iluminação pública em casa.

Anónimo disse...

O governo por contenção de despesas e não querer melhorar serviços de saúde aos portugueses, obriga a que portugueses não possam nascer no seu país, têm de ir nascer a Espanha, mas não se inibe de gastar mensalmente 450.000 Euros com o metro de Almada para andar vazio.
Que justiça social esta onde os portugueses são escorraçados do seu país?
Que país este que permite que seus filhos sejam expulsos à nascença do seu território pelo governo que elegeu?

Anónimo disse...

Pode acontecer que lhes saia o tiro pela culatra: os que vão abandonando a cidade deixam o espaço para outros... e quem nos garante que esses outros, que vão vindo, não vão ter o condão de repudiar esta força política que nos manipula e nos deita areia para os olhos?
Quando se deu a descolonização, muitos retornados vieram morar para esta zona(margem sul) e o PCP teve necessidade de dividir o território de Miratejo, entre Almada e o Seixal, para diluir os moradores (votantes) que eram maioritáriamente anticomunistas e assim impedir que houvesse muitos votos noutros partidos.
Pode acontecer que em Almada venha a registar-se um fenómeno não controlado, apesar de sabermos que os que vão saindo, não alteram o seu recenceamento eleitoral continuando a votar na freguesia que deixam!

Ponto Verde disse...

O que parece que nenhum eleito da "oposição" estranhamente não está interessado em sublinhar são os custos de tudo isto...

E tudo isto nem é o orçamentado, nem é o custo que se sente no dia a dia causado pelas obras...

Os custos a que me refiro são, os custos aumentados por estas obras que já deviam estar pontas, mas que estão neste ponto que a imagem mostra para serem inauguradas antes da proximas autárquicas, veja-se já a pré propaganda ("O FUTURO JÁ CHEGOU"...)...

E quem provocou todo este atraso?

Este atraso teve custos acrescidos...já foram esquecidos?

Marcela Lourenço disse...

Estes textos são a maior pirotécnia sem substracto que li nos últimos tempos. Não são lançadas quaisquer alternativas sustentadas por argumentos serenos e ainda por cima é refundida num anonimato sobemaneira cobarde e medroso. A oposição encolhe-se e compactua...bem, quem escreve este pasquim online, também tem muita ginástica em encolher-se..mais um pequeno esforço no encolhimento, e temos atleta nas Olimpiadas da cambalhota.

residente disse...

marcela lourenço
"Os cães ladram e a caravana passa..."
Alternativas sustentadas? mas que graça V. Exª tem!
Os moradores da rua Lopes de Mendonça fizeram uma proposta de alternativa altamente sustentada que mereceu um Despacho favorável, da Exª Srª Secretária de Estado dos Transportes em 22JUL2005, de entre outras alternativas estudadas pela concessionária, Governo e CMA. A CMA com a colaboração do Sr. Presidente da AM tratou de ignorarem esse despacho e o governo esqueceu-se...
Grandes amigos, não é?
Onde andou V. Exª para só agora vir com essa conversa infundada?
Será que é daqueles ou daquelas com intuitos provocatórios?
Se tiver disponibildadse e a suficiente maturidade democrática dirija-se ao blogue http://triangulodaramalha.blogspot.com e lá encontrará elementos que certamente contribuirão, se estiver disposta a isso para elevar os seus conhecimentos na matéria, porque são apresentados factos e documentos e, contra documentos e factos não há arqumentos.
Aceite os nossos melhores cumprimentos

farto de demagogia disse...

Isto acontece em Almada?

Dona Marcela, está a treinar para as Olimpíadas anedóticas?

Marcela Lourenço disse...

Qual anedota? A maior anedota que vejo é não haver a assunção que se o projecto avançou e não houve interferência do Governo, então é porque não há irregularidade. E ainda por cima afirmam que estão todos mancomunados, Governo e Autarquia. Isto é uma cabala! É uma cabala sim senhor! Mas uma cabala de quem não sabe aquilo que diz. E volto a dizer, faz-me confusão assistir a assuntos pertinentes em debate anónimo. Há assim tanto a perder em assumirmos quem somos e aquilo que pensamos? Quem redige estes textos perde impacto pela cobardia e falta de ética.. ou melhor, se calhar até faz sentido.. É comum não se assinar a maioria dos artigos na imprensa tablóide... e o que aqui se passa, pela forma como é concebido, é a criação de um pasquim anónimo.

Boas noites

residente disse...

Ora...Ora, dona Marcela
Como V. Exª persiste com as suas refinadas teses rocambolescas de que se é da CMA é porque é bom!
É um barato isso e V. Exª quer dar show de bola!

Aceite os meus respeitosos cumprimentos

P.Scriptum: Por acaso V. Exª já leu algo no Triângulo da Ramalha(blog)?
Provavelmente já o fez, mas continua a querer brincar com o pessoal!

EMALMADA disse...

ponto verde
Será que há alguém responsável, isto é que seja capaz de assumir, dizer os custos globais deste desastre ecológico?
Em tempos, a comunicação social divulgou que o Governo iria pedir responsabilidades à CMA sobre os custos referentes ao atraso da obra( sobre isto divulgaremos uma dessas notícias).
Nunca mais ninguém falou no assunto, nem governantes nem comunicação social.
Será que na matéria, Governo e CMA são farelo do mesmo saco?

EMALMADA disse...

braga parques
Provalmente o benefício na conta EDP não chegará para comprar uma vela para as faltas de energia.

EMALMADA disse...

anónimo
Na verdade já lá vão 450.000€ x 4 meses = 1.800.000€ e é muita massa para a corda do sino.

EMALMADA disse...

anónimo (segundo)
Tiro pela culatra já está a sair aos almadenses que deixam a CDU/PCP ou quem ocupa a CMA fazer o que quer em Almada.

EMALMADA disse...

marcela lourenço
Vai-me desculpar, mas sinto alguma dificuldade em comprender o que escreveu.
Como diz o "farto de demagogia" será que está a treinar para as OAM - Olimpíadas Anedóticas Municipais?

EMALMADA disse...

residente
Tenho a convicção que a senhora marcela neste momento já leu algumas passagens do blog Triângulo da Ramalha e está em meditação.

EMALMADA disse...

farto de demagogia
A dona marcela fez aqui um ensaio...

Marcela Lourenço disse...

As respostas posteriores à minha última intervenção provam que não vale a pena tentar dialogar com quem não tem argumentos nem está interessado em chegar a nenhum consenso. Pior do que isso, quem detém este blog não tem sequer a ética ou a coesão humana para assumir o que quer que seja. É o maldizer pelo simples acto de maldizer.. e ainda com o agravante de acusar quem dirige de ser intolerante, incorrecto e dictatorial. Estes adjectivos consigo aplicá-los a este blog e a esta linha de comentários, que não permitem uma opinião quando desfavorável ao que se pretende. Mas não importa. Até é bom que assim seja. Porque desta forma... desta forma, meus caros, não vão com toda a certeza mudar absolutamente nada.

E quanto ao blog que me recomendaram, li-o com atenção. É um ponto de vista. Nada mais do que isso. É contudo pena, que com tantas cabeças aqui presentes a dar palpites, nenhuma tenha uma única palavra agradável a dizer sobre Almada. Talvez por não terem nem a sensibilidade nem tão pouco a visão de apreciar uma quantidade de caracteristicas positivas deste concelho.

Pena que para alguns.. "Almada é talvez o concelho mais degradado, mais sujo e mais miserável do país"; porque para mim, Almada até é dos concelhos mais interessantes culturalmente, com um teatro fabuloso, um forum cultural fora de série, parques e zonas verdes mais abundantes do que a maioria dos concelhos litorais, uma linha de praias fabulosa, 3 museus com exposições frequentes, um novo projecto de transporte colectivo inovador e ecológico que trará com certeza mais valias ao concelho, um novo parque industrial no pragal que fixará novas empresas, um hospital que é referência nacional em muitas especialidades.. quer que continue?

Esta não é de todo a minha definição de "concelho mais degradado, mais sujo e mais miserável do país". O pior miserabilismo é a miséria de espirito e a má vontade.

Anónimo disse...

Não concordo com marcela lourenço quando refere que o blog que leu (o da ramalha) é só um ponto de vista. Com tantos documentos é uma grande fonte de informação que permite ler verdades.

augusto disse...

o ultimo comentário de marcela deixa-me preocupado apesar de não ser almadense.
Praias fabulosas? onde? visitei a Caparica e a falta de infraestruturas afasta qualquer turista. A cidade está degradada e miserável com venda ambulante por qualquer lado. Lixo? não é preciso andar com lupa. Urbanismo decente que é dele?
A Cãmara da senhora Emília tem dado elevados contributos para a degradação daquelas praias e da cidade.
Pede-se que haja tino e sabedoria à oposição principalmente PS e PSD para recuperarem Almada e o concelho.
Se as praias da costa fossem dos espanhois outra coisa SERIAM.

farto de demagogia disse...

Tia Marcela
Quando admite que tudo está certo porque está a ser feito com a conivência governo/cma, presume que nada há de mal só por isso?
Quererá dizer a Tia Marcela que no tempo de Salazar tudo estava bem porque ninguém se insurgia?!
Ai Tia Marcela, se você se chamasse Morcela, punha-a já ao lume.

Cumprimentos

farto de demagogia disse...

Tia MarcelaVou citá-la, escangalhado a rir.
Vamos a isso:
"Almada é talvez o concelho mais degradado, mais sujo e mais miserável do país"; porque para mim, Almada até é dos concelhos mais interessantes culturalmente, com um teatro fabuloso, um forum cultural fora de série, parques e zonas verdes mais abundantes do que a maioria dos concelhos litorais, uma linha de praias fabulosa, 3 museus com exposições frequentes, um novo projecto de transporte colectivo inovador e ecológico que trará com certeza mais valias ao concelho, um novo parque industrial no pragal que fixará novas empresas, um hospital que é referência nacional em muitas especialidades.."

Cara Tia
Tanta asneira num texto tão pequeno é obra.
Você anda mesmo a treinar para as tais olimpíadas. Ou serão olimpiadas?

Cumprimentos

Fernando Sousa da Pena disse...

Não posso deixar de comentar algumas palavras da Sra. D. Marcela, porque me parece que elas denotam alguma desatenção relativamente a Almada, ao estado em que está e a todas as oportunidades que tem deixado passar ao lado.

«um teatro fabuloso»
Gostos à parte, trata-se de uma peça arquitectónica muito interessante. Mas a senhora tem passado por lá? Experimente contornar o teatro, e veja os resultados dos trabalhinhos dos bons selvagens tão acarinhados por esta edilidade. Veja os rabiscos, os candeeiros partidos, os jardins mal amanhados, o lixo pelo chão, frutos do vandalismo e da incúria de um poder que não funciona. E, já agora, ter um teatro tão fabuloso entregue nas mãos de um só grupo, com uma programação tão ideologicamente controlada, representa um empobrecimento cultural apreciável.

«um forum cultural fora de série»
Está a referir-se a quê? Se é ao Forum Romeu Correia, é bom que veja a realidade de outras cidades, para perceber que aquele espaço pode ser dito bonzinho, o que já é questionável, mas «fora de série» é manifestamente um exagero! Já agora, também ele cercado de lixo e rabiscos nas paredes, para não destoar. E reservado à doutrinação oficial, porque nem todos o podem utilizar.

«parques e zonas verdes mais abundantes do que a maioria dos concelhos litorais»
Isto quer dizer o quê? Com que concelhos está a comparar-se? Saiba que a estrutura verde do concelho é pobre e muito longe dos caminhos que trilham as modernas cidades mundiais. E está tudo muito, MUITO descuidado.

«uma linha de praias fabulosa»
Uma linha de praias de que o concelho está afortunadamente dotado, tão miseravelmente desperdiçada durante décadas. Como já o escrevi anteriormente, o Programa Polis, que por sinal nem subscrevo, é um atestado de incompetência a esta autarquia.

«um novo projecto de transporte colectivo inovador e ecológico que trará com certeza mais valias ao concelho»
Não é obra do município, como tantas vezes a presidente salienta, quando se trata de descartar responsabilidades...

«um novo parque industrial no Pragal que fixará novas empresas»
Parque industrial???

«um hospital que é referência nacional em muitas especialidades»
Nada tem que ver com a câmara municipal...

«... quer que continue?»

Continue, continue. E tente passear pelo concelho, incluindo as traseiras das obras de fachada, com os olhos bem abertos. Verá que a gestão municipal está em alarmante decadência. Tente encontar paredes poupadas aos criminosos graffiti, veja o lixo espalhado por ruas, jardins e bermas de estrada, dê-se conta do mobiliário urbano vandalizado, repare nos ecopontos horrendos e transbordantes, perceba a ineficiência dos serviços municipais, os terrenos abandonados, os passeios atravancados, os dejectos de cães e pombos, a bagunça tremenda que reina. Francamente, só faltam os traficantes à descarada pelas ruas para Almada parecer uma cidade colombiana decadente. Mas não sei se demora muito a lá chegar, face à incompetência reinante.

Tinha de escrever esta interpelação. Nasci e cresci em Almada, e não gosto nada, mesmo nada, do rumo que segue a minha cidade, das oportunidades perdidas por um concelho que com uma localização tão extraordinária, e que sucessivamente tem hipotecado o seu futuro.

Respeitosos cumprimentos.

martins disse...

A podridão reinante em Almada é fruto de muita incompetência de quem foi eleita para gerir o concelho e o sr. fernando pena faz uma critica/apreciação justa das palavras da marcela sintonizada com a podridão e o caos que vivemos em Almada - o concelho e a cidade mais suja deste Portugal em minha modesta opinião.

José Lopes disse...

Concordo com a intervenção de Marcela Lourenço, alguém com bom senso, nada alarmista e ciente das qualidades de Almada. Isso mesmo , Marcela, há muita gente que confunde dor de corno politica com preocupações urbanisticas. Deixe-os falar, cara amiga! A falar e dar palestras deste calibre reaccionário, não passam disso mesmo... de palestras ressabiadas. É sempre assim de 4 em 4 anos, depois todos sabem quem é que os almadenses querem que ganhe.

EMALMADA disse...

Viajem pelo país e vejam o atraso de Almada.Vejam praias em Espanha de areia preta e pedras e comparem com as praias da Costa de Caparica. Vejam as vilas "pueblos junto dessas praias de Espanha, mediterrânicas ou atlânticas e digam o que é Almada, Costa de Caparica, Trafaria , Charneca de Caparica, Monte de Caparica ao lado dessas terrinhas.
Enfim, deixem de navegar em ilusões e mergulhem nas realidades.
Libertem-se e pensem que há muito mundo. Deixem de se ver sempre no mesmo espelho.

EMALMADA disse...

Marcela revela saber o que está a defender.É muito curioso o seu fundamentalismo paranóico de perfeição.
Proponho que se candidate a 1º Ministro e comece a assistir à missa dominical para cativar os correligionários não católicos.

José Lopes disse...

Não ligue Marcela. Este deve ser daqueles que defende a integração com território espanhol. Pode ser que ainda se dedique à escrita e se torne num Prémio Nobel da Literatura.
Além disso, gosta de comparar o concelho de Almada com a Urbe turistica de Espanha. O que ele se esquece é que deve estender a comparação a Portugal todo.. porque não compara ele Lisboa com Barcelona, com Paris, Londres ou Copenhaga? Ah é verdade, Lisboa tem uns estádios fantásticos pagos com o dinheiro de quem desconta arduamente, para os politicos da mesma cor politica do dono deste blog poderem dizer que deixaram obra.

Deixe lá Marcela, você mostra pelo menos que preza a cultura e tem sensibilidade suficiente para perceber que o que verdadeiramente importa é como as pessoas vivem e sentem a sua terra, e não a imagem que essa terra passa para os outros. Se em Portugal a politica fosse como em Almada, onde não se esbanja para inglês ver, e a maior preocupação é a vida e a dignidade de quem cá vive, as coisas seriam bem melhores para todos e não haveria com certeza a bancarrota que se sabe em muitas autarquias que só se preocupam em gastar para deixar obra e ter lucro. Esta gente, sra Marcela, não entende que o problema de Portugal é preocuparem -se mais com o exterior e com aquilo que eles pensam, em vez de apostarem na qualidade de vida de quem cá vive. Enfim, você sabe e eu sei. Mande-os apanhar fresco ou dedicarem-se a actos de consciencialização cívica, como limpar graffitis e amanhar os jardins que eles dizem que estão feios. Ou então talvez educarem os filhinhos a serem mais conscientes e consequentes também.

Um bem haja

Anónimo disse...

Ficamos todos impressionados com a sensibilidade deste dueto "marcela e lopes" que se junta para defender e proteger as asneiras que têm feito. Falam a uma só voz e entendem-se às mil maravilhas.
Apoiado.

farto de demagogia disse...

José Lopes vestiu a farda e trouxe-nos um desabafo, em três actos, que nem vale a pena enumerar, por cansativo e descabido que são.
Mistura cultura com patetices do género "amar a sua terra".

Marcela mostra que não anda cá. Vem cá de vez em quando (em Marte está calor) e os binóculos funcionam ao contrário.

De vez em quando surgem os encomendados iluminados que tentam armar a confusão e desestabilizar.
Honra lhes seja feita. Trabalham por pouco dinheiro e aceitem a promessa de um dia ... quem sabe?!?!?!

Saudações.

EMALMADA disse...

Curiosamente depois de terem aparecido por aqui uns provocadores muito agressivos e muito mal formados, que insultavam e ofendiam cidadãos, conhecidos, que comentavam e faziam intervenções neste blog, com os próprios nicks, tendo conseguido afastá-los à boa maneira terrorista da clandestinidade, estas marcelas e este lopes são "soft", mas bem enquadrados no mesmo esquema de sempre, desestabilizador e de olhos fechados a outros mundos que respeitam a diversidade

Fernando Sousa da Pena disse...

Sr. José Lopes, digo-lhe desde já que não pretendo responder no tom ofensivo que o senhor quis utilizar. Porque onde abunda a agressividade, superabunda a falta de razão. Mas, para lá dos arremessos sem jeito, o senhor interveio com duas características que - confesso - não surpreendem. Em primeiro lugar, uma grande dificuldade, cega, em lidar com a crítica. Compreendo; nos regimes que o PCP suporta, ela é tratada de um modo muito mais eficaz e definitivo. Em segundo lugar, confunde vitória eleitoral com trabalho meritório; este é um argumento muito perigoso, e facilmente se voltará contra si.

De resto, é preciso uma dose grande de desonestidade intelectual para não reconhecer que este modelo está esgotado, que o concelho está com sinais sérios de decadência, que o futuro de Almada começa a estar compremetido.

EMALMADA disse...

Nos regimes tal qual o de Almada prevalece o estilo cassete.

José Lopes disse...

Na parte que me toca, tenho perfeita assunção de que não utilizei qualquer tom ofensivo. E na minha medida de avaliação, a assaz incapacidade na recepção de criticas, vem sobretudo desse lado.

E Sr Pena, não confundo vitórias eleitorais com trabalho conseguido. De todo. Recuso-me é a aceitar que os almadenses sejam mentecaptos ao ponto de garantirem eleição consecutiva à actual equipa autárquica, se estes fossem tão ineficazes como o senhor os descreve. Se discorda e é tão versado e capacitado em honestidade intelectual, como o senhor referiu, explique-me por favor como justifica as as vitórias consecutivas da CDU no concelho de Almada. ( quase todas com maioria absoluta) Ficarei aguardando a sua intervenção.

Bem haja

sotnas disse...

Caros,
Por favor, deixemo-nos de conversas que não levam a lado algum.
Vamos a factos: Almada está suja e degradada, este é um facto sem discussão.
No passado dia 31 de Julho enviei para a CMA um e-mail a solicitar um trabalho de manutenção do túnel do Centro-Sul que está um nojo. Nojo, porque a câmara está-se nas tintas para o túnel. Ora, passado mais de mês e meio, não só o trabalho não foi feito como não obtive qualquer resposta ao meu e-mail nem que fosse a mandar-me à m...da!

Isto são factos, factos gravosos para quem vive e sobrevive em Almada.Factos que demonstram que a CMAlmada pode servir para muita coisa, mas não é concerteza para servir os cidadãos. Ou será melhor dizer súbditos ?
Caros, não tenho vocação para súbdito mas sim para cidadão. Que tal, este blog servir também para forma de pressão sobre a CMAlmada ?

Fernando Sousa da Pena disse...

Sr. Lopes, deixe-me utilizar as suas palavras (ligeiramente adaptadas) em relação ao caso da Madeira, que tanto parece ultrajar a esquerda portuguesa:

«Recuso-me é a aceitar que os madeirenses sejam mentecaptos ao ponto de garantirem eleição consecutiva à actual equipa governativa, se estes fossem tão ineficazes como o senhor os descreve. Se discorda e é tão versado e capacitado em honestidade intelectual, como o senhor referiu, explique-me por favor como justifica as as vitórias consecutivas do PSD na Região Autónoma da Madeira (todas com maioria absoluta).»

Será que subscreve o texto anterior? Confesso que se o fizer será uma surpresa para mim.

Mais. A história está cheia de vitórias eleitorais esmagadoras que significam apenas isso mesmo - capacidade de ganhar eleições. Às vezes, a que custos...

José Lopes disse...

Continua sem responder à minha pergunta. A bem ou a mal a sua analogia com a ilha da Madeira é despropositada. Mas já que pega por aí, interpreto a insistência na vitória do PSD na ilha, como uma manifesta vontade dos madeirenses em visionar os João Jardim como a meçhor solução para eles. A bem ou a mal, ele consegue transmitir essa segurança há 20 anos. Quer como isso dizer que a actual autarquia é vista pela maioria dos almadenses como a melhor solução para Almada? Concordo.

Anónimo disse...

Tal e qual camaleão josé lopes sempre vitorioso albarda o burro à vontade do dono.

fernando sousa da pena disse...

Estamos entendidos...

Entretanto, obviamente ficaram sem resposta os aspectos concretos que sublinhei no primeiro comentário, em apreciação à mensagem da D. Marcela.

Porque uma cidade também se vê por essas marcas profundas de desmazelo, sinal exterior do paradigma com que é interpretada.