segunda-feira, janeiro 18, 2010

Quem defende Almada?

Em...Almada, o cego seguidismo partidário, disfarçado do politicamente correcto, leva algumas pessoas a abdicarem da defesa do nosso património, dos interesses das populações e até a esquecerem posições tomadas anteriormente em defesa da natureza, da qualidade do ambiente e da preservação da nossa natural casa, para passarem a agredir o planeta em nome de falso desenvolvimento. Felizmente, ainda há quem não partilhe das ideias oportunistas desses ecologistas em "part-time" e venha publicamente defender o que é natural, da agressão de especuladores e seus comparsas.
O CDS-PP parece ser a única força política a defender em Almada o património natural da Mata dos Medos e as Terras da Costa, contra interesses especulativos daqueles que se juntaram para mais uma machadada no património deste concelho, com benefícios pessoais de alguns e de grupos económicos que não mostram o rosto.
clique sobre o doc. para aumentar e ler

Jornal "SEMMAIS 160110"

As Terras da Costa, em imagem parcial, eram assim, no último quartel do séc. XX, anos 70.

Agora os paladinos do progresso e ecologistas em "part-time," querem plantar torres habitacionais nestes terrenos e destruir a Mata dos Medos, a pretexto da construção de uma estrada inútil e desnecessária, uma agressão à natureza e a destruição de terras de cultivo com excepcionais qualidades naturais. É a força do capital, a fazer comunistas ( ditos com aversão ao capitalismo) e outros, vergarem-se ao sonante e vil metal e a esquecerem a mãe natureza.
Hoje, passados mais de 30 anos sobre a foto anterior, os senhores democratas, preocupados com a ecologia em "part-time" - só lhes interessa para ficarem bem na "fotografia" de ocasião - querem avançar com mais construções por estes terrenos agrícolas:
É urgente defender a Mata dos Medos e as Terras da Costa de predadores eleitos, armados em políticos democratas, para nos enganarem.
EMALMADA agradece a colaboração de cidadão

14 comentários:

Anónimo disse...

Parabéns ao responsável do blog por não ter receio de menciomar o CDS-PP, sem medo dos maléficos esquerdismos e esquerdistas intimidatórios.

Anónimo disse...

Concordo inteiramente com o responsável do blog e com o comentador. Almada não avança porqu está presa ao consevadorismo de esquerda. Veja-se por exemplo o atentado ao património público e privado que são os abomináveis "graffites". A cidade está horrível! Qual a política da CM, concursos de graffites e com direito a um prémio pecuniário. Viva!!!

Fernando Sousa da Pena disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando Sousa da Pena disse...

Cada dia que passa me convenço mais de que a Estrada Regional 377-2 só tem um propósito - escancarar as portas à especulação imobiliária em área protegida. Não há outro modo de explicar a coligação de interesses em defesa de um projecto caro, absolutamente inútil e de efeitos devastadores.

E tanta coisa escondida, contraditória, mal explicada, incompleta ou omissa neste dossier.

Al-Ma'dan disse...

Aqui não se trata de esquerda ou direita, trata-se de sensatez na preservação de um espaço agrícola de primeira qualidade. É o único que ainda resta no concelho.
Força CDS-PP!

Anónimo disse...

MST, o comboio que desgraçou Almada e os Almadenses.

Conforme noticiou o jornal Correio da Manhã, edição de 19 de Janeiro, ocorreu mais um acidente em Almada.

Uma idosa foi colhida pelo comboio na Av. Nuno Álvares Pereira, tendo sido enviada para o Hospital Garcia de Orta.

A frequência e a gravidade dos acidentes é tanta que o Ministério que tutela os transportes vai reunir com a empresa concessionária do Comboio e com a comissão de utentes dos transportes públicos...

Muito se estranha esta situação, especialmente pelo facto da dita comissão de utentes (muleta do PCP e da CMA), ter colaborado activamente na imposição do desastroso traçado que tantas vítimas vem fazendo.

Continua a reinar a irresponsabilidade.

Quando chegará o momento da sociedade civil poder responsabilizar estas "lapas" no poder?

GMaciel disse...

Nunca pensei dizer isto, mas estou com o Al-Ma'dan: Força CDS-PP.

:)

Fernando Sousa da Pena disse...

Agradecemos as palavras de incentivo. Ajudam-nos a trabalhar ainda com mais vontade. O nosso compromisso não é só com os eleitores do CDS, mas com a população de Almada e com aquilo que consideramos certo para o nosso concelho.

Ficamos naturalmente satisfeitos por vermos o partido unido contra este projecto devastador. Por termos o nosso Presidente e o deputado eleito pelo distrito pessoalmente empenhados no assunto, como ficou claro na visita do passado domingo às Terras da Costa e nos requerimentos já apresentados pelo grupo parlamentar.

E nas boas causas também estamos certos de que os cidadãos saberão estar ao nosso lado, mesmo sem pertencerem à nossa família política.

Porque é por Almada e pelo seu futuro que o estaremos a fazer.

Muito obrigado.

Anónimo disse...

E aí está o CDS/PP no seu melhor, a arregimentar simpatizantes...
Só falta darem o Ministério dos Negócios Estrangeiros ao Paulo Portas!
Vá lá, deem tudo que eles agradecem!
Se eles estivessem no poder, acham que iam contra estes projectos... lembrem-se dos sobreiros e depois não sejam ingénuos!

Anónimo disse...

Comentador 2:00:00 PM, se você e seus, não são ingénuos defendam Almada, porque o que vocês querem fazer é outro negócio igual, sem sobreiros mas com pinheiros mansos, couves, nabos, cenouras, nabiças, alfaces e outros produtos hortícolas.

Deixem a máscara e não enganem o povo e almadenses com vossa pobre ciência democrática.
Só se pede honestidade e respeito pelo património natural e pela riqueza dos solos agrícolas.

Os esquerdistas do PCP e BE, PS e social democratas estão aqui unidos no seu pior para Almada, embora no seu melhor para angariar fundos pecuniários com falsidades.

Zé Nabo

Anónimo disse...

Para não importarmos quase tudo é preciso que as terras da costa voltem a produzir para que a riqueza que podemos produzir não vamos lá fora comprá-la.
O que mais se vê são estruturas produtivas abandonadas. O mesmo acontece nas Terras da Costa.
Não produzimos e continua a aumentar a nossa dívida a chineses, espanhóis, alemães e sei lá a quem mais.
Para não sermos caloteiros temos de produzir e vender mais ou comprar menos aos outros e bastarmo-nos com equilíbrio, gastando menos do que produzimos.

Para se poder circular quer de carro quer de barco, os arquitectos e engenheiros devem deixar o R.Ch. dos edifícios a construir nas Terras da Costa com ganchos para prender as amarras dos barcos.
Enquanto o mar não invadir as Terras da Costa por baixo dos edifícios podem cultivar produtos que requeiram o grau de luminosidade existente por baixo dos edifícios.

Terras incultas é que não.
A estrada no caso de inundada precisa de pilares que demarquem as bermas.

Estão a ver a cena? Onde agora não há quase nada vamos poder ter produção de produtos hortículas, ter instalações de lazer e turismo e se preciso for turismo lacustre.

O importante é que produzamos mais do que gastamos. É a economia...

caparicano disse...

Muito curioso o pacto de amizade e convergência de intenções entre Câmara de Almada/PCP,estruturas locais de Partido Socialista, PSD e BE neste negócio.

Anónimo disse...

Portanto para o estimado comentador, defender o património e a gente que trabalha a terra é «arregimentar simpatizantes». Para ele e a sua provável tendência esquerdista tudo o que os outros fazem, mesmo que seja bom, é negativo. Devia ter vergonha do seu facciosismo e ainda mais vergonha daquilo que querem fazer às Terras da Costa e à Paisagem Protegida.

Ainda bem que há um partido com coragem para defender o que está certo. Parabéns ao CDS/PP.

Anónimo disse...

Não é de forma alguma, costume meu responder a provocações infundadas onde quer que seja, muito menos em blogs ainda por cima de quem sequer não se identifica. De qualquer modo, gostaria que ficasse bem presente que o CDS/Partido Popular, não anda aqui para angariar simpatizantes mas sim para dar o seu contributo para que Almada seja uma cidade muito mais apetecível para se viver.
Sei que a nossa luta e a nossa presença constante, já incomoda muita gente, contudo cumpriremos o nosso programa e a carta de princípios apresentada aos Almadenses que confiaram e acreditaram em nós, goste-se ou não.
As Terras da Costa é um atentado não só aos agricultores, não só ao concelho mas a própria Humanidade.
Uns incomodam-se porque têm interesses, outros incomodam-se porque vêm os votos a fugir.
Estamos cá Por Uma Almada do Sec.XXI,e Por Cá Ficaremos.

Obrigado pelo vosso apoio.

António Pedro Maco

Presidente CDS/Partido Popular Almada