terça-feira, agosto 05, 2008

Salvemos a Mata dos Medos

Em...Almada, a ecológica Câmara Municipal de Almada do PCP, que se diz defensora dos espaços verdes, em nome do progresso quer permitir, de braço dado com escondidos interesses imobiliários, a destruição da Reserva Botânica da Mata Nacional dos Medos, próximo da Fonte da Telha, integrada na Paisagem Protegida da Arriba Fóssil da Costa de Caparica.
clique sobre o doc. para aumentar e ler
Artigo do Jornal de Notícias de 31-07-2008
Estamos diante de mais um negócio a ser realizado por baixo da pele de cordeirinho branquinho e limpinho que a Câmara Municipal de Almada veste, quando quer dar uma imagem de inocência e transparência nos assuntos que constituem agressões às populações, sua qualidade de vida e neste caso a uma descarada agressão ao ambiente (destruição ambiental), quando há uma alternativa natural, alargando a actual estrada existente.
É o sonoro e vil metal a falar mais alto.
A "fome" é terrível.
É preciso expulsar estes autarcas do "templo".
É urgente tirar Almada do pântano.

26 comentários:

Al-Ma'dan disse...

Contrariamente ao muito que tenho lido neste blog, não sou contra o betão pelo betão. Tudo depende do local, da volumetria, da arquitectura, do entorno, do urbanismo, enfim de uma série de factores.
O problema de Almada não está tanto no betão, mas no mau betão. Por exemplo, má arquitectura, volumetrias desajustadas, edifícios mal colocados no seu entorno, mau urbanismo, sem espaços livres e sem espaços verdes, entre outras considerações que poderia aqui tecer.
Estes são, quanto a mim, os problemas do betão em Almada. Relativamente a este post é óbvio que a Mata Nacional dos Medos não pode nem deve ser destruída, seja porque motivo for.
Mas recordem-se que já aqui há uns anos atrás a CMAlmada pretendia lá construir a chamada Via Turística que não avançou devido a uma providência cautelar interposta por José Sá Fernandes.
Na altura, considerei positiva a deliberação do tribunal de não deixar avançar esse atentado ambiental, mas recordo-me igualmente de ter ficado envergonhado de que tivesse de ser um não almadense (no caso um lisboeta) a ter interposto a providência cautelar.
Espero que desta vez, após a reedição da famigerada via turística que nós almadenses saibamos afrontar os que querem destruir o nosso património ambiental.

Anónimo disse...

Completamente de acordo.
A observação é pertinente.Saibamos todos estar de alerta para que mais crimes que são ereversíveis se não cometam.

lumadian disse...

Estou curioso, muito curioso mesmo. Será que depois de toda esta palhaçada que a actual câmara está a fazer em Almada, o nosso povo cá da terra vai voltar a dar a câmara ao pcp?
Enquanto a policia está em peso nas rotundas e cruzamentos da nossa cidade, desviando o transito devido às obras do Metro, há cerca de 5 dias tentaram assaltar a estação da Transtejo durante a noite com armas em punho e ontem pelas 13h assaltaram à mão armada a ourivesaria no largo 5 de Outubro na cova da piedade.
Onde está a segurança da nossa cidade? No que se está a transformar a nossa cidade?

Anónimo disse...

Será por estas e por outras que o responsável pelo Plano Director Municipal (PDM) almadense se incompatibilizou e pediu a demissão?

Anónimo disse...

Convém dar às coisas a dimensão que realmente têm.
O projecto de via turística não vai ser retomado pela CMA.

Não que a MES não o desejasse, não se esqueçam que a via foi planeada para servir o condomínio da Aroeira, para que os seus nobres habitantes não tivessem que passar entre o mar imenso de construções clandestinas (que maçada...), ou estou enganado?

Mas a via turística não será feita porque foi banida do Plano de Ordenamento da Arriba Fóssil, feito pelo ICN, e que está em fase final, mesmo contra a vontade da MES.

A parte que ficou é apesar de tudo, uma pequena parte, e destina-se a servir os novos parques de campismo, outro atentado ambiental da MES.

Agora a questão que coloco é esta: se apesar de estar prevista no PDM o Tribunal mandou parar o projecto da via turística, não será de chamar o Sá Fernandes para mover uma outra acção para impedir o que resta dela, na Mata dos Medos?

É que ainda por cima há solução alternativa, sem impacto ambiental, basta recuperar os antigos "corta fogo" com 10 metros de largura que separam a área urbana da Mata e transformá-los numa rua local, entre a zona do Giramar a a Aroeira.

Difícil?

João Eduardo, da Charneca da Caparica.

Al-Ma'dan disse...

Caro João Eduardo,
Será que é mesmo preciso chamar o Sá Fernandes ? Não haverá em Almada um ou mais advogados que queiram pôr mãos à obra ?
Mas, caso não haja, mais vale chamar o Sá Fernandes que deixar mais este atentado ir avante.
Já agora, este senhor Pedro Soares, segundo creio deputado à Assembleia da República pelo BE e que escreveu o artigo, não nos poderá dar uma ajuda ?
Estou disponível para contactá-lo.
Além disso, a tal associação cívica de moradores da Charneca de Caparica liderada por uma senhora estrangeira será que está a fazer alguma coisa ?

Anónimo disse...

Caro al-ma'dan,

Cito o Sá Fernandes por ter sido ele o autor da outra acção, mas naturalmente gostaria de ver as gentes de Almada a levar para a frente esta questão.

Agora sejamos realistas, quem é o advogado de Almada que estará disposto a meter uma acção destas e depois poder ser perseguido na sua actividade, se por acaso precisar da CMA?

O Sá Fernandes tem a vantagem de não ser de cá e não temer represálias.

Quanto ao BE, não lhes conheço grande tradição na defesa do ambiente, a começar pelo seu militante Engº Nunes da Silva, autor do PDM de Almada, esta maravilha... e da famigerada via turística.

Agora parece que está a rever o PDM do Seixal... onde há fartura de betão, há Engº Nunes da Silva.

Quanto há associação da Charneca nada sei, acabo de me mudar para aqui, não conheço quase ninguém.

João Eduardo

Al-Ma'dan disse...

Caro João Eduardo,
A sua mensagem é realista, mas creio que temos de fazer qualquer coisa.
Para já vou contactar o tal deputado Pedro Soares e esperar para ver o que ele tem a dizer.
Além disso, podemos também entrar em contacto com associações ambientalistas como a Quercus.
De braços cruzados é que não podemos ficar.

Anónimo disse...

É preocupante fazer frente no concelho de Almada à Câmara. Nenhum advogado de Almada estará interessado nisso sobretudo se tiver de tratar assuntos de clientes seus com a Câmara é sabido que nunca mais os resolveria. Há conhecimento de casos.
Em Almada está montada uma polícia pidesca através dos caciques Câmara/PCP. Os autarcas CMA-PCP não toleram as vulgares críticas quanto mais contestação às suas decisões.
Nisto tudo acaba por haver uma colaboraçãozita da oposição que se cala, consente e os eleitos pela oposição também têm medo.
Os presidentes de Junta de frguesia dos partidos da oposição, por medo de não receberem apoio da senhora e interesse, votam em Assembleia Municipal ao lado do PCP-CDU-CMA ou abstêm-se, contrariando a posição da sua bancada.
outros porque trabalham em empresas que fazem trabalhitos para a Câmara ou precisam de alguns favores,não fazem oposição, são inofensivos ou retiram-se no momento de votar
Isto é o máximo e o pior que se pode fazer.
É o medo, o medo e medo e a melhor colaboração possivel que a CMA encontra.

Assim a oposição está debilitada e dá um péssima imagem de si.

É pois verdade que alguns colaboram com a Câmara porque preferem colaborar e continuar a comer à borda da mesa, a fazer oposição e exercer com dignidade o seu mandato, a serem excluídos da graça e tolerância que gozam junto da MES.

mário cavaco disse...

Dizem que o BE na Assembleia Municipal é muleta da Emília.

Anónimo disse...

Não atiremos mais bitates para o ar.
Gostava de saber:
Que opinião tem a Junta de Freguesia da Carneca de Caparica (PS) e o próprio Partido Socialista sobre o assunto da notícia do JN?
É capaz de ser interessante que digam para sabermos quem é quem, o que querem na política e o que defendem.
Já agora o PSD e o BE representados na AMunicipal que também digam.

Anónimo disse...

Alguem falou aqui de "Condomínio da Aroeira"...
O que é isto?
É mais um exemplo no qual a CMA se colocou de cócoras...
Qual é a legitimidade para, uma meia dúzia de proprietários, condicionarem os acessos a uma zona pública?
Isto é mais um bom exemplo da RGA Região Autónoma de Almada...

Será que os moradores das ex-ruas de Lopes de Mendonça e de José Justino Lopes não terão o mesmo direito de colocarem uma "portaria" no início das suas ruas condicionando assim os acessos de todos aqueles que os incomodam quando nelas circulam?
Responda quem souber, porque em Almada há munícipes de primeira (os da Aroeira) e munícipes de segunda (os outros que não passam de verdadeiros camelos)...

Al-Ma'dan disse...

Do que li, retive um aspecto que foi o que mais me chocou. O medo! Eu sei que sim, que o medo existe. Eu sei que as ditaduras se mantêm pelo medo e a ditadurazinha de MESousa também é pelo medo que se mantém.
Mas, pergunto eu, até quando? Até quando teremos medo de afrontar estes senhores ?

Anónimo disse...

É o medo e também o facto de pessoas que militam ou estão inscritos em partidos da oposição estarem feitos com a MES e a Câmara.
É nagativo e não serve Almada. Servem-se de nós, da população para estarem bem na vida.
Andam a fazer teatro e aplaudem o grande festival que a Câmara realiza diariamente 365 dias por ano.

Anónimo disse...

O portão que se encontra à entrada da Herdade da Aroeira é ilegal porque impede o acesso a uma zona pública.
A Câmara sabe disso e fez uma pequena ameaça. Tão pequena que quase não se percebeu.
É evidente que não são os moradores da Herdade que vão tomar qualquer posição. Porque lhes convém que fique como está.
Se a Câmara sabe do assunto, e sabe, repito, porque espera para fazer cumprir a lei?

Anónimo disse...

E o que diz António Neves (PSD), presidente da Junta de Freguesia da Costa de Caparica?
Lado a lado com a CDU.
Alianças por conveniência.
É tudo incrivelmente mau.

mário cavaco disse...

É tudo questão de negócio e de corrimento por baixo da mesa e por fora da via normal.

Anónimo disse...

Já repararam que a orla costeira marítima, zona de veraneio, da Trafaria à Fonte da Telha, mais a Charneca, são Juntas de Freguesias do PS e PSD?
Podiam formar um bloco de oposição para defender a zona costeira e de turismo de Verão do concelho.
Mas não estão para o incómodo de
chatear a ti emília.

A Charneca é a freguesia que demograficamente mais tem crescido.

Fernando Sousa da Pena disse...

Várias vezes interpelei a Senhora Presidente da CMA acerca da famigerada Via Turística. E sucessivamente compreendi nas respostas que o executivo (provavelmente bem acompanhado por superiores interesses...) se preparava para ressuscitar a coisa, dando-lhe outro nome e limando os aspectos chumbados pelo tribunal.

Mais, a Senhora Presidente afirmou que não haveria Polis sem Via Turística.

Ora esta estrada é uma das mais despudoradas ideias que vi até hoje para Almada. Uma absurda investida contra o já tão atacado espaço natural. Um acto de vergonhoso (des)ordenamento do território. E, se não é uma negociata infame, é uma teimosia da Câmara Municipal (e da Junta de Freguesia da Charneca).

Não me recordo é de, em tantas assembleia municipais, mais alguém se preocupar com o assunto.

Pelo contrário, assisti ao coro de louvores a um Polis medíocre, em que grande parte da oposição abraçou alegremente planos de pormenor ruinosos, um dois quais se estava mesmo a ver que culminaria na exigência desta via.

Aconselho vivamente a leitura das actas. Pelo menos para que, no futuro, os culpados tenham nome.

Anónimo disse...

Com o correr do tempo vão-se descobrindo as negociatas, quem são os interessados e as jogadas oportunistas, tudo enfim numa abençoada aliança PCP-PS-PSD, quando se quer defender decisões do governo, proteger interesses pessoais escondidos atrás de um pseudo progresso e desenvolvimento regional.
O BE também dá a sua ajuda para apanhar a corrente do desenvolvimento "sustentável".
Conclusão: é preciso conseguir e manter o sustento para a casta. Por isso gente que quer estar bem na política junta-se nos momentos oportunos em côro afinado e não ferir os timpanos ao zé povinho.
É fácil enganá-lo.

Anónimo disse...

É preciso dizer que algo anda mal dentro dos serviços camarários.
Gente mais ou menos graúda apresentou a demissão.
Que foi aceite.
Querem nomes? Campelo, Vale Martins, José Pedro, Baeta Neves, Margarida Rodrigues.

Zé Broncas

aviador disse...

Há muito tempo que em alma-da-naada.blogspot.com venho denunciando esta situação verdadeiramente escandalosa.
Até o Expresso já o fez!

Al-Ma'dan disse...

Caro Zé Bronas,
Mas essa gente que se demitiu, é o quê. São técnicos, funcionários da câmara, o que são eles ?

Anónimo disse...

al-ma'dan

Não percebi a sua pergunta.
Os técnicos também são funcionários da Câmara.
Por isso entenda-se que são todos trabalhadores da CMA.

Cumprimentos do Zé Broncas

Al-Ma'dan disse...

Caro Zé Broncas,
O que quis dizer foi o seguinte: se são funcionários, ou seja se são assalariados, como é que se demitiram ?
Entende a minha dúvida ?
Fico à espera de esclarecimentos.

Saudações

Anónimo disse...

al-ma.dan

Pedindo a demissão.
Situação que é possível ser conseguida por qualquer trabalhador.
Mas posso adiantar que são todos chefes de divisão.
Com excepção de um técnico superior que saíu de Almada e ingressou no Seixal.
Mas há mais. Uns estão em segredo outros aguardam o momento próprio.
Espero ter satisfeito a sua curiosidade.

Zé Broncas