quinta-feira, agosto 21, 2008

Posto de Transformação em Espaço Público

Em...Almada, na Cova da Piedade, na Av. António José Gomes vai ser construído um imóvel no local onde existia uma gasolineira, prolongando-se para trás até quase ao edifício dos Correios. Próximo da gasolineira existia em terreno privado ou da EDP, um posto de transformação de energia eléctrica. Para desocupar totalmente o terreno, a EDP teve de retirar esse mesmo posto e possivelmente negociou com a Câmara Municipal o ou um melhor local para a nova instalação do posto de transformação.
Esse posto foi colocado em terreno público, no meio de edifícios residenciais e colado a um Parque de Público Desportivo para jovens, na Praceta de Angola, Cova da Piedade.
Para quem foi um bom negócio?

10 comentários:

Anónimo disse...

Para mim não foi mas imagino.
É mais uma questão de troca por troca.
Uma mão lava a outra e pronto.

Anónimo disse...

Bons días,

Sou um cidadão francês e arquitecto que estive em Lisboa ha 25 anos e fui a Almada por acaso, gostei muito e voltei mais tres dias nessas férias, fiquei enamorado pelas suas gentes, ruas, cafes e esplanadas cheias de vida e animação, limpeza da cidade, suas lojas, do mercado municipal, etc

Depois deste tempo, ja casado e com filhos, decidi voltar com amigos para disfrutar esta cidade e ... que decepção !!!

Encontra-mos uma vila que retrocedeu no tempo, suas gentes tristes, envelhecidas ( não se ve juventude) com ar de miséria, suas lojas fechadas, feia, suja, suja, suja, cinzenta, sem jardins,nem arvóres, nem verde,com edificios sujos e degradados, desorganizada, caótica,dificil de andar com
com crianças, com passeios perigosos para os peoês por causa dos seus buracos, anarquica, com carros nos passeios. Ficamos com a sensação de que tudo é de cimento, com muitos graffitis, as ruas a cheirar a mijo. Nota-se que é uma cidade não pensada para a felicidade dos seus residentes, uma cidade sem alma, não sabemos por quem é governada e com um povo que não percebemos como permitiu isto acontecer.

Jurámos que nunca mais voltaríamos, e no regresar a Pau, falaríamos com nossos amigos que em caso de iren a Lisboa, para nunca atravessarem o estuário.

Decidimos ir a Caparica e... sem comentários, nem saimos do carro, fizemos meia volta e voltámos a Lisboa com uma enorme sensação de tristeza.

Procurei um blog e encontrei este.

Peço desculpa por algum erro.

Obrigado.

Anónimo disse...

Ora aqui está um "trés convennient" francês de Pau (em francês lê-se e diz-se pô, nada de confusões ...). Sim senhor, só é pena não dizer quanto tempo esteve em Almada, se é que cá esteve, de facto. E esqueceu-se de dizer, também, se tem alguma graduação acentuada nos óculos que certamente usa. É que este francês tão conveniente (para este pasquim de blog, é claro) não viu, de certeza absoluta, Almada. Terá visto outra coisa qualquer, agora Almada de certeza não foi.

Vá lá para Pau (pô) fazer toda a propaganda que quiser, mas deixe-nos cá em paz, homem. Já chegam os Em Almadas que por aqui andam (e que, como você, também não conhecem - não querem conhecer, é óbvio - a sua cidade).

Anónimo disse...

Este tretas está de volta com os seus óculos e lentes CDU/PCP.

Anónimo disse...

Não me interessa saber se o homem é de Pau ou de outro lado.
Não quero saber se o homem vive em França, se é engenheiro, nem sequer me interessa saber se existe.
O que existe, isso sim, é um raio de um seguidor CDU que por aqui anda a comer restos.
Ser simpatizante da CDU não tem mal. O que é mau é ser assim, como esta espécie de pessoa.
É como o outro. Não f... nem sai de cima.

O que é um facto é que Almada está na maior desgraça que alguém, há tempos atrás, poderia imaginar.
Andamos do tipo "quem vier atrás que feche a porta".

Mas para grandes males grandes remédios.

Uma pergunta ingénua.
Por acaso alguém sabe onde sua majestade MES foi passar as suas férias?
Terá ido para o Zimbabwe?

Zé Broncas

Anónimo disse...

Para emigrante francês escreve muito bem português..
Esteve cá hà 25 anos mas sabe escrever português..
Bela invenção a do criador deste blog cómico..

José Justino disse...

Ó seu animal não sabe que existem tradutores?
Se eu quisesse escrever uma carta em alemão era só pedir a um amigo meu que conhece perfeitamente a língua.
Entendeu, percebeu, ou quer explição?

Anónimo disse...

O anónimo das 11:45:00 PM de besta não passa.
E fica-lhe muito bem.

Anónimo disse...

É evidente que esse senhor é ignorante em Google existe tradutores.Mas voltando a carta deste Frances eu tenho uns amigos que em certa altura os comvidei para vir a Portugal e fomos a Costa da Caparica, a ma impreçao com que ficaram foi terrivel. Depois disso viemos jantar a Almada e entre conversa e conversa chegamos a conclusão que esta cidade podia de certa forma estar a vivermos do turismo porque temos uma situçao geografica fantastica.Mas e tal o caos e desorganização que qualquer pessoa que venha aqui temos estes elementos que com esta forma de pensar e de gerir uma cidade aqui temos o resultado a muitos anos.

Anónimo disse...

Sem betão não há tostão...
Assim, a CMA, proporciona aos investidores, vulgo "PATOS BRAVOS", mais área de construção da qual receberá os correspondentes impostos (IMT e IMI), ficando os coitados dos utilizadores dos espaços públicos com estes autênticos mamarachos nos espaços a eles destinados...
Em qualquer cidade dita civilizada, os espaços públicos são destinados à fruição dos cidadãos nela residentes e não à colocação deste tipo de equipamentos que, sendo necessários, podem perfeitamente ser integrados num dos muitos edifícios que servem...
Assim se gere a "COISA PÚBLICA"...