sábado, dezembro 05, 2009

Ambiente, Ambiente...Negócios à parte

Em...Almada, a Câmara Municipal de Almada (CMA), em assuntos de negócios de conveniência mete na gaveta a defesa do ambiente e os legítimos interesses das populações.
clique na imagem para aumentar e ler
Jornal da Região 24-30Novembro2009
Não foram os comunistas que disseram que o Dr. Mário Soares tinha metido o Socialismo na gaveta?
Em nome do progresso (falso), a Câmara Municipal de Almada, apoiada, mete a defesa do ambiente na gaveta.
O primeiro passo está dado. Depois só é preciso um incêndio por "mão criminosa" anónima para a destruição total da Mata dos Medos e finalmente, nasce espontâneamente a betonagem com o negócio imobiliário democrático gerador de grandes mais valias a ocupar a área e o apoio futuro de campanhas eleitorais ou outras coisas consentâneas para recompensar o elevado sentido progressista impulsionador do "desenvolvimento" do concelho.
Haverá progresso e desenvolvimento sócio-económico sem respeito pelas áreas protegidas, pelo ambiente e pelos naturais e legítimos interesses das populações?
Ou temos áreas protegidas só, enquanto interesses capitalistas (escondidos) e especulativos não surgirem?
A CMA mostra por quanto tempo diz defender o ambiente, legítimos interesses das populações e áreas protegidas.

11 comentários:

Anónimo disse...

Mas são a D. Maria Emília e a Catarina que bem defendem o ambiente?

Anónimo disse...

Há relativamente poucos anos ocorreu um incêndio na Mata dos Medos.

Anónimo disse...

Quando é que alguém põe uma questão que é muito importante para o ambiente,as grandes superficies são bastamtte mais contaminantes, onde estão os verdes e companhia,os blocos de esquerda,e outros.

Anónimo disse...

A paixão pelo ambiente da cidade de Almada que até agora foi utilizada pela autarquia foi aqui completamente metida na gaveta. Valores mais altos se levantam. Alguns dos solos mais ricos do país para produção agrícola são completamente sacrificados à sede dos licenciamentos para a construção civil. Um dos poucos fenómenos de agricultura totalmente sustentada que existem no país, não têm qualquer importãncia para esta gente. Esta terra roubada ao mar pelas populações foi tomada pela camara que se afirma dona e senhora de algo que nada fez para que existi-se. Faço daqui o meu apelo:
Quem tem capacidade para concretizar um documento de apelo a Bruxelas? Pode-se criar a partir daqui um movimento concreto, fundamentado, documentado, formal e oficial que seja aceite pelas instituições comunitárias?
Deixo o meu apelo e a minha disponibilidade para colaborar.
sjgomesoliveira@gmail.com
Oliveira

infelizmente Anónimo disse...

Não vem a propósito do tema do post mas é relevante referir esta situação ocorrida com o MST dentro de uma composição, no dia 15 de Outubro de 2009 e até à data não resolvida. É mais uma a acrescentar a tantas outras que não vêm a público.
Duas cidadãs em consequência de uma travagem brusca da composição, a seguir à paragem junto aos serviços da Cãmara na Av. N. Álvares Pereira, foram projectadas no seu interior. Uma delas tinha ao colo uma criança, que felizmente pouco ou nada sofreu porque a familiar a protegeu.
Já a mesma sorte não teve a pessoa em si. Partiu um braço e dentes.

O MTS e a seguradora contratada por esta, até à data ainda não assumiram responsabilidades pelos danos corporais provocados. A lesada tem estado a pagar de seu bolso todas as despesas médicas e de recuperação em fisiatria.
Onde vivemos?
Na Selva?

Estão os cidadãos sujeitos ao livre arbitrio de senhores sem escrúpulos?
Gestores? Serão?
Serão pelo menos gente, seres humanos?
Parece-nos que não!
Que país este onde os cidadãos pagam impostos e não lhes são reconhecidos direitos?

Pagam tiket de transporte e a transportadora descarta responsabilidades num acidente provocado por si pelo seu pessoal, pela composição que deve garantir o transporte em perfeitas condições de segurança. A MTS olha para o lado e assobia.
O cidadão tem de adiantar dinheiro para se tratar em consequência do acidente.
INDECENTE!

Isto é roubalheira pura.

Quem nos governa?
Quem nos explora?
Quadrilheiros? Salteadores?

Onde está o Estado protector dos cidadãos?

Anónimo disse...

A propósito de acidentes com "metropolitanos de superfície", só a título de curiosidade, vejam os muitos desastres que têm ocorrido na cidade de Houston, Texas, nos EUA, com um "METRO" em tudo semelhante ao de Almada.
Os acidentes nesta cidade são às centenas...
Em Almada não! São "abafados", pela Empresa Concessionária, pelas autoridades e pela comunicação social... Só os próprios é que sentem os efeitos na pele e os danos na carteira.
Os nossos políticos, especialmente os autarcas de Almada, não aprendem mesmo...
NEM COM OS ERROS DOS OUTROS!

João Freire disse...

Ainda não percebi uma coisas:
- qual é o traçado da nova estrada? Parte do final da via rápida, avença pelas terras da Costa, em paralelo à actual estrada das praias e vai desembocar onde?
- o que foi feito dos planos (também criminosos) da CMA para construir um bairro social nesses terrenos? - v. http://a-sul.blogspot.com/2009/05/almada-o-cavalo-de-troia-das-terras-da.html

Al-Ma'dan disse...

Todos sabemos que as preocupações ambientalistas da CMAlmada não passam de demagogia, para poderem dizer que são modernos e actuais e conquistarem assim mais uns votos dos menos atentos.
É um pouco como o Partido Ecologista "Os Verdes" (PEV) invenção do PCP para com ele formar a CDU após a extinção do MDP-CDE.
É só fantasia. A realidade é outra: é a sede de urbanizar tudo o que for possível neste concelho.
Não me esqueço de ter ouvido a MESousa dizer que a sua ambição era Almada ter 400.000 habitantes: ouvi com estes ouvidos que a terra há-de comer.
Portanto, apesar de felizmente estarmos longe desse absurdo emiliano, não há qualquer dúvida que a criatura Emília, que ainda mexe, não perde uma oportunidade de fazer das suas.
Daqui faço um apelo para a oposição responsável e que ainda tem um pingo de sensatez e que, sobretudo, gosta de Almada, para tentar por todos os meios evitar este desastre.
Pela minha parte estou disponível para ajudar em tudo o que for possível e estiver ao meu alcance.

Anónimo disse...

Infelizmente com a oposição - partidos políticos - que há nesta terrinha os almadenses não podem ter grandes aspirações.
A oposição vive macumbada com a CDU e o partido comunista.

O BE acabou de mostrar o que é ou o que não é.Depende da interpretação.
O PCP fez o trabalho de casa semeando em tempo devido suas sementes dentro do BE, colocando suas pedras, para colher depois.

Anónimo disse...

Tal como antes do 25 de Abril, os Comunas estão infiltrados em todo o lado, e por que não, em TODOS OS PARTIDOS.
Alguém tem dúvidas?

Fernando Sousa da Pena disse...

Como sabem, só o CDS se opõe, desde sempre, a esta estrada. Trata-se de um gravíssimo crime ambiental, paisagístico e social. Arrasa-se o pouco património que nos resta em nome de uma estrada inútil e da especulação imobiliária que se seguirá. Com o território a saque, os cidadão que se mobilizem! Para mais informações, almadaxxi.blogspot.com