domingo, julho 11, 2010

É preciso UMA NOVA POLÍTICA para Almada

Em...Almada é urgente mudar de política porque com estes autarcas no executivo municipal, o concelho de Almada continuará a afundar-se.
A estes autarcas interessa só obras de fachada e inúteis para o bem-estar das populações.
Do MST, às requalificações urbanas, ao POLIS e ao que anunciam fazer, nada mais é do que a continuação do desastre que Almada e o Concelho vêm sofrendo pela mão do executivo comunista municipal. Foi a destruição do que havia de bom ou melhor, o que fizeram com a sua incompetência e limitações criativas.
Este artigo de opinião de um morador da Costa da Caparica dá conta de um aspecto parcial de uma obra que foi desperdício de dinheiro dos contribuintes e em pouco ou nada foi útil com o montante gasto.
clique no doc. para aumentar e ler
Notícias de Almada 020710
O essencial foi desprezado e a degradação da Costa de Caparica continua, depois de o Polis ter proporcionado um bom negócio a alguns intervenientes, como é o caso do negócios das madeiras.
Em balanço pode-se dizer que quem perdeu foi a Costa da Caparica, o concelho de Almada e as populações que pretendam visitar as boas praias atlânticas na margem esquerda do Tejo.
Os vaidosos e incompetentes autarcas e companheiros da destruição, continuam a elogiarem-se uns a outros para alimentar o ego.
O PCP diz, referindo-se ao Governo da Nação, que é preciso Nova Política.
Pois em Almada não só é preciso uma Nova Política para salvar Almada, como outra gestão.
Uma gestão de quem trabalhe efectivamente para Almada e com os almadenses, com comunistas submetidos às normas democráticas, porque Almada nunca foi comunista, nem os almadenses maioritariamente, alguma vez foram comunistas.
Não há justificação democrática para o concelho de Almada estar a ser gerido por uma ditadura comunista há 35 anos.
É preciso não ter medo. Em democracia não há medos. Em democracia tem de haver respeito pelas pessoas e pela sua dignidade.
Isso, estes autarcas não sabem o que é.
O PCP e os comunistas não são capazes de reconhecer erros, porque... nunca erram.
É verdade que há infelizmente em Almada quem, embora não sendo comunista, defenda ou tolere os autarcas que estão no executivo municipal.
Isso acontece só porque e enquanto esses autarcas abrem a bolsa dos impostos, taxas, tarifas ou sobrecargas monetárias sobre os munícipes, para apoio a algum "projecto" pessoal rotulado de social ou cultural ou para alimentar as células do partido ou eleitorais, em colectividades do associativismo dito popular.

11 comentários:

Anónimo disse...

O executivo em almada e os comunistas funcionam como a pide eu tenho medo, eles conseguem amedrontar as pessoas que os criticam. Para mim sendo de esquerda considero esta gente da câmara fascistas

OFLAMINGO disse...

venham rir mais um bocado e ver como é gasto o dinheiro da camara do seixal com a bicha cadela agora pink bird do teixeira/ferreirinha

http://oflamingomentiroso.blogspot.com/

Anónimo disse...

Os problemas de Almada têm uma explicação: Ausência de democracia participativa.
A fraude dos "foruns de participação" que a CMA faz, mais não são que meras comunicações das decisões dos iluminados autarcas que nos governam.
A contestação dessas decisões é olhada como pondo em causa "os legítimos poderes dos autarcas a quem os almadenses deram a sua confiança (?!)".
Para estes autarcas os munícipes só têm direito a manifestar-se de 4em 4 anos.
Para estes autarcas o município é propriedade sua.
É tempo de dizer basta.

FASCISTA disse...

Discordo num ponto.
Há uma justificação para Almada estar gerida por ditadura comunista e essa deve-se à oposição aqui de Almada que não presta e está mancumunada com a Emília e os incompetentes de seu séquito.

E o fascista sou eu?

Armando Lopes disse...

A câmara municipal e a oposição têm algo em comum e isso só por si justifica a situação de Almada.
Ambas não admitem críticas ao mau trabalho que têm feito.

Anónimo disse...

Se quiserem ver o que é lixo a sério e degradação, vão passear pela Costa de Caparica(cidade) e vão ver o que é 3º mundo...
Já não é preciso viajar para longe...aqui ao pé da porta temos tudo o que é mau...

disse...

Trinta e seis anos depois de Abril como é possível assistir-mos às manifestações anti-democráticas por parte de alguns autarcas eleitos pela CDU (PCP) em Almada, que têm vindo a ser denunciadas no blog “Infinitos” (http://metoscano.blogspot.com/)?
E os exemplos vão-se sucedendo numa cadência preocupante. Há quem diga que depois de tantos anos de poder, perderam o pudor.
Recentemente, em artigo publicado no jornal "Público" por José Manuel Fernandes, este recordava a visão de Carl Schmitt, um entusiasta do regime hitleriano, desenvolvida em "O Conceito do Político":
"A distinção à qual podemos reduzir todas as acções e motivações dos políticos é a distinção entre amigos e inimigos".
Nesta linha actuou também o Estado Novo:
"Ou apoias a União Nacional, e és amigo e patriota, ou não apoias e és um inimigo do Estado, um subversivo, que é preciso separar da sociedade".
A metodologia que tenho vindo a observar em Almada, por parte de alguns autarcas da CDU, tem preocupantes semelhanças com as doutrinas dominantes nos regimes ditatoriais:
"Ou aceitas e apoias incondicionalmente as decisões tomadas, ou estás a ser manipulado pelas outras forças político-partidárias".
Assim se define o inimigo, a fonte da subversão.
Ou seja, trinta e seis anos depois de Abril, tal como dantes, em Almada, ou apoias a CDU (PCP) e és amigo e um munícipe consciente das tuas responsabilidades, ou és um inimigo, manobrado por obscuros desígnios politico-partidários.
Assim aconteceu com o movimento dos comerciantes em meados de 2009, acusado de ser manipulado pelo PS; assim aconteceu com um grupo de agricultores das "Terras da Costa", acusado de ser manipulado pelo CDS-PP; assim aconteceu com dois grupos de jovens, a propósito de grafites e Ecalma, acusados de serem manipulados pelo PSD; assim aconteceu com dois trabalhadores da CMA, acusados de serem manipulados pelo BE.
E muitos mais exemplos se poderiam dar, desta prática assente na definição de "amigos e inimigos" e da desvalorização que se faz duma cidadania mais activa.
Salvem-se as poucas (infelizmente) vozes, de políticos que denunciam atitudes anti-democráticas reveladoras de alguma vontade de partido único.
Não se salva a inércia dos dois maiores partidos da oposição na CMA: PS e PSD.
Haja quem continui a defender os valores de Abril e a denunciar a prática política daqueles que se têm arvorado em "guardiões" desses valores.
Os meus agradecimentos ao EMALMADA, pelo trabalho que tem desenvolvido em prol da cidadania.
Cumprimentos,

disse...

As minhas desculpas pelo erro: assistir-mos quando se deve escrever assistirmos.

Anónimo disse...

Grande Zé(povinho), é lixado quando dizemos as verdades que estes comunistas não querem ouvir.
Tenho dúvidas se esta gente não serão uns adesivos do estado novo.
"Quem não está comigo, está contra mim!"
O BE fala muito mas come do mesmo tacho.
Tenham juízo.

Ó Jerónimo disse...

Acabei da ler no notícias de Almada, que o Partido Comunista pretende que o governo resolva problema dos auxiliares administrativos no Hospital Garcia de Orta.
O PCP questiona ainda a tutela sobre medidas que serão tomadas: segundo o PCP, "para que os auxiliares que executam trabalho administrativo sejam integrados na carreira correspondente às funções desempenhadas.
Apoio totalmente, mas Ó Jerónimo deves estar a brincar, então não sabes o que está a acontecer na Câmara de Almada, autarquia comunista. Vários trabalhadores que passam por situações semelhantes e o PCP não sabe? O PCP em Almada anda a dormir?

Caparicana disse...

http://sic.sapo.pt/online/video/informacao/Reportagem+Especial/2010/7/o-rendimento-social-de-insercao-apoia-mais-de-400-mil-pessoas-160-mil-familias06-07-2010-22850.htm