sexta-feira, outubro 01, 2010

Veja as Diferenças

Em...Almada, as diferenças entre duas fotos do mesmo local, em data pós Abril 74 e presentemente, marcam a diferença entre a vida e a desolação de uma gestão comunista.
A incompetente gestão comunista de 36 em Almada, agravada nos últimos 24 anos pelo autismo da actual presidente da Câmara, apoiada pela oposição, destruiu Almada e a vida no espaço público, desertificou Almada.
Não são só sete as diferenças. São muito mais de 7x7!
foto da Rua Fernão Lopes, depois de Abril de 1974:
Foto da mesma rua em Setembro 2010:
O que é isto?
A segunda foto mostra parcialmente, que o betão e a pedra abundante e inestética, substituíram a vida da placa central, verde e florida, da Praça da Renovação (hoje denominada praça do MFA ), - a Praça da Frigideira.
Em contraste com a primeira foto, as pessoas também desapareceram da rua, abandonaram o espaço público, tal como acontece por toda Almada. Temos uma paisagem urbana incaracterística e inestética, só possivel vindo de mentes formatadas e bloqueadas, onde a falta de senso sucede à falta de senso.
É um exemplo da destruição total prosseguida pela gestão dos autarcas "comunistas de conveniência," de Almada, contra os almadenses.
É uma das muitas provas relevantes, daquilo que os autarcas comunistas na Câmara Municipal sabem fazer: DESTRUIR
É a diferença entre o progresso que havia e o retrocesso actual pela mão da gestão comunista que existe.
Contudo, não devemos esquecer que a senda de destruição que eles seguiram em Almada só foi possível porque a oposição se demitiu das suas funções políticas: ser e fazer efectivamente oposição, denunciando publicamente, junto da população, a incompetência desses autarcas e os erros que fazem e propor-se acabar com ela dentro da autarquia.
Não o fez!
Tornou-se cúmplice.
Não o faz!
Continua cúmplice.
EMALMADA agradece a colaboração de cidadãos no envio de fotos

66 comentários:

Anónimo disse...

Comerciante da rua Capitão Leitão,às 11:30AM, desesperado com a proibição de estacionar por causa da comemoração do dia da república.

Não quero pensar quando se faça a remodelação desta rua e tirem o estacionamento. A ruína como passou na avenida. Maldita Câmara de Almada. Tem que pagar pela ruína que trouxe a esta cidade.

Anónimo disse...

Que pouca vergonha que pouco respeito pelos comerciantes que em tempos de crises querem trabalhar. A CMA, nem nos consulta. Não está o palácio da Cerca, o museu da Cidade, a praça de São João Baptista? Não, têm que cortar a rua Capitâo Leitão.

Esta é a propriedade privada deles.

O mas triste é que nenhum comerciante diz nem há nada. Ovelhas.

Anónimo disse...

Onde está a associação de Comerciantes, para parar este atropelo???

a voz do comerciante disse...

Volta Dr. Luís Henrique.
Amigo por amigo da Emília, tens a teu favor a antiguidade.
Eras amigo dela de longa data.
Esperavamos mudança de atitude da nova direcção da Associação.
Fazem o mesmo. Estão já na mão da tia, como antes estavas.
Vergonhosamente colaboradores da vontade da incompetente Emília e da câmara, causadoras da desgraça do comércio e da cidade.

Anónimo disse...

Os porcos comunistas recomeçaram a grafitar murais no concelho.
Só atrasados mentais ainda recorrem a estas práticas em democracia.
São poucochinhos em massa cerebral e em número.Recorrem a esta tactica por necessidade de afirmação política, porque têm limitadas capacidades pessoais e mentais para compreender que esta atitude é uma manifestação de pimitivismo político em democracia.
Palermitas, coitados.
O bébé chorão Bruno noites deve ver nesta prática a exteriorização de seus estados oníricos.
São a sua chupeta.

Dias disse...

Parabéns ao trabalho das bandas, parabéns ás iniciativas que decorreram hoje na Praça da Liberdade.SÓ QUE...tudo está a decorrer sem a assistência que mereciam (e ainda não estava a chover). Porque não fazem publicidade como deve ser?? Porque é que mataram esta cidade? Todo o pub...lico tem consciência disto e nega vir a Almada dizendo que transformaram esta cidade num labirinto de confusão recheado de proibições,cruzamentos mal pensados. Mataram a cidade atrofiando avenidas, ex Corroios e a única avenida de Almada Em certos locais foram retirados centenas de lugares de estacionamento que já lá existiam, quando cada um comprou a sua casa, que mesmo não sendo cobertos eram um direito adquirido dos moradores e evitavam tanta falência de comerciantes em áreas tão concisas.Quiseram tirar carros mas o pior aconteceu...tiraram as pessoas TIRARAM A VIDA, DESTRUÍRAM A CIDADE TODA. PORQUÊ. Que interesses estão envolvidos nesta destruição? Muito pior que a crise, muito pior que os 23% do IVA são os 70% de pessoas a menos que desviaram das nossas ruas. Onde está a consciência do GRANDE ERRO. As teorias de quem não está no terreno já enjoam e a conversa é sempre a mesma... MUITA MUSICA...MAS MUITO FALSA e aos olhos de todos.

Dias disse...

Falo em nome de uma grande maioria que mora e que tem comercio em Almada, á qual alguns se esforçam para chamar minoria, e não só por mim. Quanto à adaptação da população ás novas madidas impostas em Almada, os anos estão a passar e continua sem se ver resultados. Quanto ao ambiente saudável em Almada, nunca houve tantos engarrafamentos com os carros em marcha lenta em 1ª e 2ª velocidade. Com a zona central da cidade como está, para se passar da zona norte para a zona sul os carros rolam Kms. Alguem que tenha uma urgencia não se desembarassa sem grandes nervos. A população de fora que, como em qualquer cidade visita o centro da cidade, deixou de lá ir e ainda não voltou porque diz não valer a pena tanta confusão, Muitos moradores estão desejosos de sair de lá mas não conseguem vender as suas casas mas. . . querem sair. O comercio está todo a desfazer-se pelo motivo de uma queda brusca imediatamente a seguir às obras (isto em cima de uma crise que se instalou em todas as cidades), qualquer pessoa prefere não ir a Almada. Hà três razões para se ir ao centro de uma cidade, uma são visitas a monumentos, outra são os serviços e a outra é CONSEQUENTEMENTE o comercio. Em Almada Centro não há monumentos, os serviços foram retirados e consequentemente os comerciantes vão á falência. Porque não fazer zonas destas, sem carros em zonas novas, onde todos os que quizerem lá ir, vão, em vez de bruscamente se alterarem locais antigos onde os moradores que escolheram lá morar não vêem os seus direitos retirados e quem investiu em comercio não se sinta à beira da falência pela simples razão de terem retirados os carros mas tambem terem retirado os seus clientes de sempre? E não é preciso ter o carro estacionado ao lado da mesa da explanada (apesar de no concelho existirem centenas desses casos).Devia-se ter pensado nisso antes de tantas pessoas terem investido e antes de tantos terem asumido responsabilidades . Estas medidas estam a deixar familias e familias destruidas.Em todos os locais que não não foram impostas estas medidas continua-se a ver movimento, embora hàja crise e dificuldades mas em Almada a crise é a dobrar (a crise e o movimento nas ruas, que desapareceu). Vamos pensar em algo que seja real e que beneficie a nossa cidade pois todos nós queremos todo o concelho cada vez melhor. Mas é urgente criar medidas, algumas coisas estão mesmo muito mal. Não podemos confundir locais onde o comercio já estava instalado com o excelente e muito bem vindo, Parque da Paz. Como dizem os americanos, onde não hà estacionamento não hà negocios.

Dias disse...

Falo em nome de uma grande maioria que mora e que tem comercio em Almada, á qual alguns se esforçam para chamar minoria, e não só por mim. Quanto à adaptação da população ás novas madidas impostas em Almada, os anos estão a passar e continua sem se ver resultados. Quanto ao ambiente saudável em Almada, nunca houve tantos engarrafamentos com os carros em marcha lenta em 1ª e 2ª velocidade. Com a zona central da cidade como está, para se passar da zona norte para a zona sul os carros rolam Kms. Alguem que tenha uma urgencia não se desembarassa sem grandes nervos. A população de fora que, como em qualquer cidade visita o centro da cidade, deixou de lá ir e ainda não voltou porque diz não valer a pena tanta confusão, Muitos moradores estão desejosos de sair de lá mas não conseguem vender as suas casas mas. . . querem sair. O comercio está todo a desfazer-se pelo motivo de uma queda brusca imediatamente a seguir às obras (isto em cima de uma crise que se instalou em todas as cidades), qualquer pessoa prefere não ir a Almada. Hà três razões para se ir ao centro de uma cidade, uma são visitas a monumentos, outra são os serviços e a outra é CONSEQUENTEMENTE o comercio. Em Almada Centro não há monumentos, os serviços foram retirados e consequentemente os comerciantes vão á falência. Porque não fazer zonas destas, sem carros em zonas novas, onde todos os que quizerem lá ir, vão, em vez de bruscamente se alterarem locais antigos onde os moradores que escolheram lá morar não vêem os seus direitos retirados e quem investiu em comercio não se sinta à beira da falência pela simples razão de terem retirados os carros mas tambem terem retirado os seus clientes de sempre? E não é preciso ter o carro estacionado ao lado da mesa da explanada (apesar de no concelho existirem centenas desses casos).Devia-se ter pensado nisso antes de tantas pessoas terem investido e antes de tantos terem asumido responsabilidades . Estas medidas estam a deixar familias e familias destruidas.Em todos os locais que não não foram impostas estas medidas continua-se a ver movimento, embora hàja crise e dificuldades mas em Almada a crise é a dobrar (a crise e o movimento nas ruas, que desapareceu). Vamos pensar em algo que seja real e que beneficie a nossa cidade pois todos nós queremos todo o concelho cada vez melhor. Mas é urgente criar medidas, algumas coisas estão mesmo muito mal. Não podemos confundir locais onde o comercio já estava instalado com o excelente e muito bem vindo, Parque da Paz. Como dizem os americanos, onde não hà estacionamento não hà negocios.

Anónimo disse...

Em dias feriados, incluindo de Natal, o meu passeio era até Almada.
Estacionava na Avenida e ia beber um café da praxe ao Dragão Vermelho.
Noutros dias, ia á praça de Almada, almoçava por ali e aproveitava para comprar calçado ali mesmo ao lado, na Guimarães, etc.

Agora não vou.
Não tenho paciência para andar por ruas e ruelas e ir estacionar a quilómetros.
Nao vou porque Almada morreu.

Quem pensou que ia melhorar a vida de Almada é a mesma corja que anda com carros de motorista e podem circular ou estacionar, em nome da presidencia ou da vereação, onde querem!

Só tenho um nome para isto:
CORJA ! CORJA ! CORJA !
MATARAM ALMADA!!! MERECEM CADEIA!!!

Anónimo disse...

Que o Governa brinca com o nosso dinheiro já o PCP o disse inúmeras vezes.
Não sabíamos era que a CDU (PCP) em Almada e os restantes partidos (oposição) também também gostam de brincar.Crise?
Só para o o povo escravo deste país.
Político gosta muito de obras e fantasias.
São uns crápulas!

Metro Sul do Tejo também vai chegar à Trafaria e Costa da Caparica
Publicado em 30 de September de 2010. Tags: Metro Sul do Tejo


"A Assembleia Municipal de Almada aprovou uma moção que defende a expansão da rede Metro Sul do Tejo (MST) aos concelhos do Barreiro e da Moita e às freguesias da Trafaria e da Costa da Caparica.

De acordo com a agência Lusa, esta moção foi proposta pelo Bloco de Esquerda e aprovada pela CDU, PS, BE e CSD-PP ontem à noite. A proposta prevê que “se passe rapidamente à segunda e terceiras fases do projecto”, que levará o MST às zonas acima referidas.

Paralelamente, foi ainda aprovada uma moção para incluir o MST no passe intermodal, com vista a aumentar o número de passageiros e diminuir os custos dos utentes.

Há, por isso, que se apelar a um “entendimento entre os operadores de transportes da margem Sul do Tejo, para que se crie um sistema integrado de transportes para atrair mais passageiros para o MST”.

A primeira fase do MST inclui as linhas Cacilhas-Corroios, Corroios-Pragal e Cacilhas-Universidade e abrange os concelhos de Almada e Seixal. Esta estrutura foi inaugurada em Novembro de 2008.

Recorde- se que, em meados de Setembro, o secretário de Estado dos Transportes, Carlos Correia da Fonseca, afirmou que a segunda e terceira fases do projecto só se poderia concretizar quando o metro atraísse mais passageiros. “Em 2010 devíamos estar a transportar 88 milhões de passageiros e estamos a transportar apenas 25% disso”, revelou.

No entanto, o governante admitiu que o MST era “um sucesso” e que o objectivo será “levá-lo para o Barreiro e Fogueteiro, no Seixal.

Apesar da aprovação desta moção na Assembleia Municipal de Almada, continua a não haver um prazo estipulado para que o MST chegue a novos destinos urbanos."

copiado de www.greensavers.pt

A oposição é muito brincalhona!

Fernando Sousa da Pena disse...

O MST na Trafaria e Costa da Caparica deveria ter sido a prioridade, em lugar de esventrar Almada. O facto de discordar com a forma absurda como se concretizou este plano, não me impede de achar que ele é boa solução para designadamente chegar às praias.

A pressão automóvel sobre a Costa não é desejável, tanto mais que ampla área merece protecção ambiental. Aliás, a Câmara de Almada não defendeu os verdadeiros interesses do concelho quando deveria ter pugnado pelo eixo Pragal-Costa em vez de desgraçar o eixo central da cidade.

Um partido como o CDS que combate até à exaustão o crime que se prepara com a Estrada Regional 377-2 tem de ver nos transportes públicos a boa alternativa.

caparicano disse...

Mas a Câmara quer fazer a ER 377-2 com a justificação de tirar trânsito da Costa da Caparica!

Fernando Sousa da Pena disse...

Pois é... Por isso mesmo, metro na Costa, valorização do comboio de praia e alargamento da actual estrada florestal são alternativas aos crimes ambientais, paisagísticos e sociais da ER 377-2.

Fernando Sousa da Pena disse...

Já agora, contra essa justificação oficial (de ar benigno) da CMA, impõe-se o óbvio motivo por que quer essa estrada - especulação imobiliária em zonas hoje protegidas.

Dias disse...

Não será também especulação imobiliária o ter destruído o centro de uma cidade em prol de valorizar outro local ainda não descoberto pelos cidadãos? só eles sabem...mas entretanto Almada é a única cidade sem movimento no seu centro, alguns comerciantes ainda resistem, mas infelizmente também vão cair e ninguém resolve o principal problema:DEVOLVAM PARTE DO ESTACIONAMENTO QUE RETIRARAM - FAÇAM MIL ZONAS PEDONAIS MAS ABRAM AQUELA AVENIDA - DESENTUPAM ALMADA - Não confundam uma zona comercial com o bem-vindo Parque da Paz.

Fernando Sousa da Pena disse...

Esta gente é profundamente ignorante de noções elementares de urbanismo. A Presidente da Câmara que formação tem? E o vereador com este pelouro? O que vale é dinheiro, propaganda e controlo de tudo o que mexe na sua coutada. Pois se eles nem aos tribunais obedecem...

Al-Ma'dan disse...

E será que a culpa não é dos tribunais?
Ou seja, que amanhã 5 de Outubro, vamos comemorar o centenário de uma República das Bananas, mas sem elas, com excepção da Madeira ?

Ricardo disse...

O comércio em Almada está irremediavelmente liquidado se não for arrepiado o caminho até agora seguido pela incompetência municipal importantemente apoiada nas suas polémicas e desastradas decisões, quer passiva quer activamente, pela suposta oposição (que realmente não existe).
E é bom que os senhores que se dizem ser a oposição eleita, isto é os eleitos no BE PS e PSD pensem Almada e o seu futuro sócio económico, o seu desenvolvimento e crescimento sustentado baseado numa cidadania onde os munícipes sejam parte interveniente com direito a serem ouvidos e acreditados. Nunca a serem excluídos como faz o PCP e a Maria de Sousa da Emília.

O badalado parque da Paz ao lado da feroz e especulativa ocupação de solos para o betão promovida pela cacique Emília, é um canteiro verde quando olhamos para cidades onde há uma real preocupação dos autarcas com o ambiente, com zonas verdes no seu interior e o bem estar dos cidadãos.
Ultimamente no Pragal e na Cova da Piedade a Emília ocupou com betão duas áreas que deveriam ser zonas verdes para a população. Refiro-me ao designado centro cívico do pragal, cujo terreno era destinado a fins de utilidade pública, mas a usurpadora optou por o vender para as suas BOAS CONTAS e o terreno envolvente da Capela da Ramalha, que foi literalmente betonado pela Emília de Sousa abençoada pela igreja católica com a mão de um seu ministro na terra Almada.
Em nome do capital e da religião, (metamorfoseada de infantário- pagantes) cometem-se atropelos ao bem estar e qualidade de vida dos almadenses.

A oposição também não conhece Almada para fazer oposição. Conhece só o que a mestra Maria Emília lhe conta e não contesta.

Fernando Sousa da Pena disse...

Ainda bem que fala no Centro Cívico do Pragal. Aprovado há dois mandatos na Assembleia Municicpal apenas sem a miha aprovação... Precisamente porque faltava planeamento e regras claras.

Anónimo disse...

Como poderá Almada sair da situação ingrata em que o PCP via CMA a colocou quando a oposição ainda não interiorizou que o MST só veio agravar os males de Almada e não percebendo isto ainda por cima vota com os comunistas.

Não é com o PCP nem com a oposição actual que Almada adquirirá dignidade e renascerá das cinzas.

A oposição quer salvar a CMA e o PCP do asneiral feito.

notícia de Rostos online

"Assembleia Municipal de Almada
Quer construção da segunda e terceira fase do MST para servir concelhos do Barreiro e da Moita

A Assembleia Municipal de Almada deliberou "reclamar o entendimento entre os operadores de transportes da margem sul do Tejo, para que se crie um sistema integrado de transportes, como forma de atrair mais passageiros para o MST", e, também, "reclamar a inclusão do MST no passe intermodal".

Divulgamos o texto da resolçução sobre o Metro Sul do Tejo, aprovado pela Assembleia Municipal de Almada:

O Metro Sul do Tejo passou, de facto, a fazer parte das nossas vidas e é um assunto que não pode deixar de ser debatido.
O MST é um meio de transporte recente e ainda não existe um convívio pacífico do mesmo com a população.
Em Fevereiro, constatou esta Assembleia Municipal que o grupo de trabalho que a Autoridade Metropolitana de Transportes de Lisboa (AMTL) coordena iria “ apresentar à tutela medidas para aumentar a segurança do Metro Sul do Tejo”. Esta acção passaria por um reforço da sinalização horizontal e vertical e até previa medidas ao nível da introdução de barreiras físicas onde se julgasse indispensável.
Estamos em Setembro e eis que de novo o MST é notícia por muito más razões: o Sr. Secretário de Estado dos Transportes lembra que estão a ser pagas fortunas para compensar o concessionário.
Infelizmente, desde a entrada em funcionamento do MST, já ocorreram três acidentes mortais e quem conhece o dia-a-dia, sabe que se verificam vários episódios com peões e pequenos sinistros com viaturas, que podem ser evitados.
Também não podemos ignorar o descontentamento latente em relação ao ruído que as carruagens produzem em alguns locais.

Face ao exposto, a Assembleia Municipal deliberou:

Recomendar celeridade no desenvolvimento do plano anunciado, não só em acções de marketing, mas em medidas efectivas, como a criação de barreiras físicas e reforço da sinalização e redução do ruído.

Reclamar o entendimento entre os operadores de transportes da margem sul do Tejo, para que se crie um sistema integrado de transportes, como forma de atrair mais passageiros para o MST

Reclamar a inclusão do MST no passe intermodal

Exortar para que se passe rapidamente à segunda e terceira fase, que levará o MST aos concelhos do Barreiro e da Moita, e das freguesias da Costa da Caparica e Trafaria"

Fernando Sousa da Pena disse...

Pela minha parte não quero salvar o PCP de coisa nenhuma. O que desejo é que - estando o MST a funcionar - a população não continue a ser vítima inocente da incúria de quem manda e que os contribuintes não continuem a ter de pagar os disparates que já estão feitos. E, sim, nesta altura só se trata de remediar.

Serafim Saudade disse...

Só se serve a democracia quando se denúncia os erros dos inimigos da democracia.
Quando se apoia declarados inimigos da democracia com é o PCP/CDU/CMAlmada em seus projectos ou continuidade de maus projectos, não se está ao serviço da democracia, mas a dar um contributo para a perpetuação da exploração do povo pelos comunistas e para os manter no poder.
De nada vale dar paliativos a inimigos da democracia, da liberdade e da livre opção partidária.Isso só leva a que se mantenham a explorar o povo com aparência de legimidade democrática.

Ponto Verde disse...

Almada hoje é uma cidade moribunda escorraçada para a periferia e cortada a meio por uma linha de comboio.
O comércio e o estacionamento livre e fácil esses foram mandado para a Quinta do Dr.Elvas.
O Parque verde foi transferido para o Centro Sul sem transportes, um passeio seguro ou uma ciclovia.
As árvores foram cortadas.
As casas caem aos pedaços e estão sujas de grafiti.
Só asneiras.

Anónimo disse...

Sr. Fernando Pena, a oposição é + do que isso...é denunciar a pouca vergonha que se passa na CMA/SMAS...tendo em conta que existem propriedades em nome da filhota extremosa e da mana querida, uma vez que a senhora em causa veio de uma familia humilde de São Bartolomeu de Messines. OMST foi 1 brinquedo para a Senhora em questão ter protagoismo...1 vez que o dito metro deveria abranger outros locais como o hospital...já para não falar das pessoas que vivem em Santa Marta de Corroios, que bem falta lhes faz...Já agora + 1 questão...qual a sua posição em relação ás propriedades da Senhora Dona de Almada e Arredores????

Anónimo disse...

Já agora ao comentador do 1.05 de 02.10.2010. Quero-lhe dizer que o Luis Henriques não é DR e nunca será pela sua falta de capacidade. Certamente lacaio da Maria Emilia sem sombra de dúvidas, contudo aquilo que se verifica com toda a força que a presente equipa da Assoc. Comerciantes possa ter. A Dona de Almada Emilita tem a força e o poder, mas essa força e esse poder podem tambem desvanecer se os comerciante e as pessoas revoltadas o acharem com manifestos da razão "o dar vida á cidade", para isso não se pode ficar de braços cruzados a olhar com tranquilidade todo esse movimento da CMA e da sua Dona cada vez mais senhora a dar cabo da vida da cidade e das familias que dependem . Todos os eventos feitos que tira proveitos?...

Fernando Sousa da Pena disse...

Caro Anónimo das 11:36:00. Tem provas daquilo que diz ou insinua? Quer fazer-mas chegar? Ou acha que vou fundamentar a minha intervenção política em calúnias?

Ser oposição é denunciar os erros profundos que o poder comunista carregou sobre Almada. Ser oposição é assumir a defesa inflexível da carta de princípios com que nos apresentámos aos eleitores. Ser oposição é votar mesmo que isolados quando é Almada e o seu futuro que está em causa. Ser oposição é não trocar favores políticos ou pessoais por sentidos de voto. Ser oposição é não ter medo, mesmo quando interesses poderosos se agitam. Ser oposição é não mostrar hesitação ou complexos ideológicos. Ser oposição é conhecer bem de que lado se está. Ser oposição é ter um programa alternativo, claro e concreto, capaz de ser posto em prática se assim em nós confiarem.

Sim, o CDS é oposição em Almada. Melhor, o CDS é a oposição em Almada.

Anónimo disse...

Acho uma piada os que vêm para os blogs "cagar" postas de pescada insinuando e picando a oposição para isto e aquilo.
Já pensaram eles próprios, os tais anónimos, darem a cara e fazer Bem por Almada, ou vão passar a vida a culpar o executivo e a oposição por fazer isto ou não fazer aquilo?
Já não há pachorra para os Ratos de armário anónimos, que passam a vida a criticar tudo e todos e não mexem uma palha a não ser os dedos no teclado!
Há muitos por Almada....os tais que tentam comer deste ou daquele partido ou até do executivo, quando têm os seus interesses por resolver.
Há muitos lobbys no centro de Almada....bastar estar com atenção para saber quem eles são e quando lhes dá jeito estarem do lado da oposição ou do lado da câmara.....

Ass: Mário Filipe de Castro, cidadão de Almada

Jonas Carvalho da Silva disse...

Os partidos políticos surgiram da necessidade de os cidadãos que vivem em sociedade organizarem e gerirem esta para o bem comum (de todos).
Ao delegarem atrav´és do voto naqueles que se propõem ao eleitorado essa missão, porque eles se dispõem a isso, os cidadãos esperam que os eleitos sejam honestos e cumpram seu dever prestando contas ao colectivo.
Sucede que muitos dos que se propõem a ser eleitos, uma vez conseguida a eleição começam a tratar de si , dos amigos e da família politica e da sua sua, mandando os cidadãos à fava. Assim humilham a democracia ao roubar ao povo aos eleitores o que é de todos.
Por isso quem é eleito tem o dever de trabalhar para o bem colectivo e não se desculpar por dá cá aquela palha. Entendido?

É dever do cidadão eleitor criticar, opinar e exigir aos eleitos que trabalhem, já que foi para isso que foram eleitos e não para andarem a desculpar-se ou armarem-se em ditadorzecos iletrados ou demagogos, a enganarem os eleitores.

Anónimo disse...

Sr Fernando Sousa Pena, apesar de não ter nada a ver com o seu partido, dou- lhe os meus sinceros parabéns, pois o Sr é a única oposição que trabalha. Ser oposição dá trabalho…
Vamos ver se pelo menos nas próximas eleições a oposição acomodada consegue que, os que acreditam neles, pelo menos saiam de casa e vão votar nas autárquicas.
Quanto ao anónimo de 04, 2010 9:38:00 PM que diz…
” DEVOLVAM PARTE DO ESTACIONAMENTO QUE RETIRARAM - FAÇAM MIL ZONAS PEDONAIS MAS ABRAM AQUELA AVENIDA - DESENTUPAM ALMADA - Não confundam uma zona comercial com o bem-vindo Parque da Paz…”
Alguém que diz uma sugestão válida e que foi o principal erro desta cidade entupida, retiraram as condições para o comercio e os direitos aos cidadãos que já lá estavam. Nem é um parque porque só tem pedra e não é uma zona de comercio como qualquer centro de cidade porque lhe tiraram as condições. Depois dizem que o publico quer pôr o carro á porta das lojas, claro, nas grandes zonas de comercio (grandes superfícies) têm estacionamento por baixo, onde não têm que andar á chuva, ao sol e ao vento carregado com sacos e ainda têm carrinhos para levar o peso até ao carro.As novas construções(prédios de habitação) têm estacionamento por baixo, em Almada os cidadãos passaram a só encontrar lugar para o seu carro a distancias infinitas, faça chuva ou sol, seja de dia ou de noite. E chamam a isto MODERNIZAR… Criem zonas novas com condições e essas sim pedonais, melhorem o que é tradicional sem retirar direitos adquiridos.No Laranjeiro, na nova zona pedonal, já tenho conhecimento de lojas que vão fechar. Onde estão as condições para o público?
como diz o anónimo de 03, 2010 8:35:00 PM
“onde não há estacionamento não há negócios.” Mas neste caso nem negócios nem parque. AQUILO NÃO É NADA.
Quanto ao Sr que diz chamar-se Mário Filipe de Castro, cidadão de Almada, que diz :… vêm para os blogs "cagar" postas de pescada…pachorra para os Ratos de armário anónimos,… não mexem uma palha a não ser os dedos no teclado!
Olhe que está enganado!!!! e com tais expressões não fica nada credível.

Anónimo disse...

Sr Fernando Sousa Pena, apesar de não ter nada a ver com o seu partido, dou- lhe os meus sinceros parabéns, pois o Sr é a única oposição que trabalha. Ser oposição dá trabalho…
Vamos ver se pelo menos nas próximas eleições a oposição acomodada consegue que, os que acreditam neles, pelo menos saiam de casa e vão votar nas autárquicas.
Quanto ao anónimo de 04, 2010 9:38:00 PM que diz…
” DEVOLVAM PARTE DO ESTACIONAMENTO QUE RETIRARAM - FAÇAM MIL ZONAS PEDONAIS MAS ABRAM AQUELA AVENIDA - DESENTUPAM ALMADA - Não confundam uma zona comercial com o bem-vindo Parque da Paz…”
Alguém que diz uma sugestão válida e que foi o principal erro desta cidade entupida, retiraram as condições para o comercio e os direitos aos cidadãos que já lá estavam. Nem é um parque porque só tem pedra e não é uma zona de comercio como qualquer centro de cidade porque lhe tiraram as condições. Depois dizem que o publico quer pôr o carro á porta das lojas, claro, nas grandes zonas de comercio (grandes superfícies) têm estacionamento por baixo, onde não têm que andar á chuva, ao sol e ao vento carregado com sacos e ainda têm carrinhos para levar o peso até ao carro.As novas construções(prédios de habitação) têm estacionamento por baixo, em Almada os cidadãos passaram a só encontrar lugar para o seu carro a distancias infinitas, faça chuva ou sol, seja de dia ou de noite. E chamam a isto MODERNIZAR… Criem zonas novas com condições e essas sim pedonais, melhorem o que é tradicional sem retirar direitos adquiridos.No Laranjeiro na nova zona pedonal já tenho conhecimento de lojas que vão fechar. Onde estão as condições para o público?
como diz o anónimo de 03, 2010 8:35:00 PM
“onde não há estacionamento não hà negócios.” Mas neste caso nem negócios nem parque. AQUILO NÃO É NADA.

Anónimo disse...

Hoje quando saí da minha casa em Almada tinha muita vergonha! A cidade está muito suja, não houve recolha do lixo, as paredes estaão cheias de "porcarias", as ruas pejadas de detritos. Enfim uma "cidade" que me recordou os bairros muito pobres de Nova Iorque, como o Bronx. É verdade, é para aí que caminhamos a passos muito largos. Mas é isso que interessa ao executivo camárário, que executa muito pouco, apenas aquilo que interessa aos eus "donos". Estava hoje a ler um artigo sobre adjudicações e concurso públicos e verifiquei que a entrega da exploração de parques de estacionamento a empresas municipais sem concurso público é ilegal. Por que razão a oposição não faz uma queixa a Comissão Europeia? Pese embora assine como anónima fico disponível para se houver quem queira juntar-se dar a cara para contestar mais uma ilegalidade desta gente.

João Pereira disse...

Queria sublinhar maior parte das coisas que aqui já foram ditas. É de facto uma desgraça viver numa cidade onde a opressão comunista cresce cada vez mais, as pessoas mostram-se cansadas de todo este vandalismo pela liberdade na cidade de Almada.
Um comboio que destroi a cidade, uma ecalma que cospe no chão da cidade, uma câmara que brinca com toda a população, um comércio morto e a aguardar enterro e uma população idosa e sempre focada na "foice e martelo" de 1975.
Pergunto eu como cidadão de Almada á 22 anos e pergunto a todos os amigos que aqui escrevem e manifestam o seu desagrado tal como eu - desde já o meu apoio ao Sr.Fernando Pena por quem tenho a máxima consideração - será que não está na altura de nos manifestarmos e nos unirmos como população e terminar com esta pouca vergonha?

Anónimo disse...

Nesta cidade, não a tomates para facer uma manifestação

Anónimo disse...

Nesta cidade só há lugar para as vénias e para os subservientes do costume.
O Povinho BURRO que nem uma porta ainda mete a cruzinha na Stalinista e depois queixa-se,

Têm o que merecem.

FASCISTA disse...

Sr.(a) Anónimo(a) das 09:16 PM

A culpa não é do povo.
Não bata mais no sacrificado povo, tão explorado e roubado pelos governantes e autarcas desde 25 de Abril de 1974.
É da oposição que não quer opor-se e lutar contra o social-fascismo, que não tem maneiras de se tornar credível e aceite pelos 52% dos eleitores do concelho que não vão votar, que não é capaz de mobilizar esta percentagem do eleitorado que não se revê na Emília e nos comunistas.
Os que votam na Emília constituem 20% do eleitorado formado pelos fiéis ao culto comunista e pelos oportunistas que vivem à conta das facilidades dos comunistas aos capitalistas do betão e outros, dependentes dos favores da Maria Emília.

E o fascista sou eu?

Anónimo disse...

Embora volte a participar como anónima acho que está na altura de criar um movimento que lute contra esta vergonha. Repararm que a cidade esteve sem recolha de lixo até ontem? Venho a esta págimna com regularidade e estou disponível para participar num movimento que exija melhores condições para a cidade.
Acho que não basta reclamar é preciso agir. A sociedade civil tem obrigações, pelo que um grupo de cidadãos sem conotações politicas pode fazer muito por Almada.
Deixo aqui o meu repto. Obrigada.

Anónimo disse...

Até às ultimas eleições votava na CDU.depois do que tenho visto, nunca mais votarei nna CDU/PCP, nem eu nem parte da minha familia. A CDU de Almada são uma cambada de mafiosos.

Anónimo disse...

Sr. Anónimo,
Não gostou? deve ser dos tais que come dos dois lados....como os do centro de Almada.
Já não basta sugarem o Povo ainda tentam sugar os "coitadinhos" dos políticos.
São tão Políticos como Eles.

Mário Filipe de Castro

Anónimo disse...

Quantos edifícios foram realmente reabilitados no centro de Almada? Não estou a falar de meras pinturas de fachada, mas de uma reabilitação que permita que famílias jovens e com poder de compra se voltem a instalar no centro, porque é disto que o comércio preciso para se renovar e reabilitar. Hoje, no centro de Almada, só temos velhos, imigrantes e alguma gente jovem, mas pobre, a habitar com subsídio de renda do estado, logo sem o poder de compra para estimular o comércio local. Há quinze, vinte anos atrás, no centro de Almada habitava uma população com poder de compra e que alimentava o comércio e as actividades locais. Falo de altos quadros da Lisnave, oficiais e sargentos da armada, médicos, advogados, professores. Hoje, praticamente, toda essa gente está reformada, vendeu a casa e voltou para a provincía, ou emigrou para moradias na Charneca, Sobreda ou Caparica. Os filhos, formaram-se e seguiram-lhes os passos, abandonando o centro de Almada, porque não há empreendimentos modernos e apelativos no centro de Almada. Sem os clientes habituais, o comércio local ficou dependente de quem o atravessava de automóvel, acabando o atravessamento automóvel, o comércio vai concerteza morrer, e com ele o centro de Almada.

Anónimo disse...

Subject: Chavez, versus Maria Emilia


Caros amigos,

Desculpem pela tradução, e feita com o tradutor de Google. E um artigo escrito no jornal El País do passado Domingo sobre a derrota de Hugo Chavez nas últimas eleçôes. E escrito por Mario Vargas Llosa, atual Premio Nobel de Literatura.

Depois da leitura, fica uma conclussão, e que, e a mesma coisa que o regime da Emilia Neto de Sosa.

http://www.elpais.com/articulo/opinion/derrota/Chavez/elpepiopi/20101003elpepiopi_10/Tes

Anónimo disse...

Almada merece...a sua escolha está à vista!

Para gueto já falta muito pouco...

2 carros incendiados e três ecopontos incendiados na Quinta da Alegria. E os ditos artistas a ameaçarem a população de que se fosse feita queixa à policia que seriam mais incendiados.

É claro que todos temos filhos, filhas, mulheres e com ameaças destas...

Está-se no bom caminho!

Anónimo disse...

Queria dizer:

http://www.elpais.com/articulo/
opinion/derrota/Chavez/
elpepiopi/20101003elpepiopi_10/Tes

Anónimo disse...

A tradução do artº do El Pais para português:

http://www.microsofttranslator.
com/bv.aspx?ref=IE8Activity&from=&to=pt&a=
http%3a%2f%2fwww.elpais.
com%2farticulo%2fopinion
%2fderrota%2fChavez%2felpepi
opi%2f20101003elpepiopi_
10%2fTes

Anónimo disse...

Está para breve a inauguração no Seixal de uma nova loja do cidadão de última geração.
A cidade de almada pode de vez tirar do pensamento a criação de uma loja deste tipo; a densidade populacional, o investimento em tempos de crise, as transferências para as autarquias a diminuirem, e finalmente, os obstáculos criados pela czarina, inviabilizam de todo esta infraestrutura na cidade.
Podemos agradecer ás iluminárias que têm como objectivo segurar tão só a sua base partidária à revelia do verdadeiros interesses da cidadania.
VIVA A NOSSA CRIDUXA CZARINA !!! VIVA
Oliveira

Anónimo disse...

Sinto desconforto em ver tantas pessoas tristes pela situação de Almada. Está mais bonito... mas está descaracterizada. Modernidade a mais com falta de sensibilidade. Só nos resta o desgosto de ver Almada sem centro e por consequência todas as pequenas ruas à volta também sem ninguém. E que fazer?

Anónimo disse...

Que fazer, simplex, por na rua ao Capo Emilia e familia.

E depois julgada por arruinar uma cidade.

Anónimo disse...

Era um prazer ir a Almada e até aos petiscos de Cacilhas, agora, já à algum tempo dou comigo a ir para Lisboa, não convida. Começar no Centro Sul, parar em Almada para algumas compras e mais uma revista e um jornal e descer até Cacilhas até um café ou às vezas um restaurante, era um prazer. Será que não podem tirar aquele sinal de proibido tão mal posto no meio da avenida, só aquilo desmotiva e não dá vontade. Como eu muitos amigos meus. Era tão bonita aquela avenida, cortada não tem lógica nenhuma.

Anónimo disse...

Deixo uma sugestão: tirem fotografias na Costa da Caparica, do lixo espalhado nas ruas ,das casa degradadas , das ruas esburacadas e publiquem.
É um serviço que se pode fazer à Almada.

Anónimo disse...

Para começar a protestar começamos por não pagar o recibo da agua,e depois o imposto sobre imoveis,só para ver como se comporta a cma sem dinheiro.

Al-Ma'dan disse...

Hoje passei pelo centro de Almada, e vi uma pintura mural da JCP, onde se diz mais ou menos o seguinte: temos muito a aprender com Lenine.
De facto, quando o PCP incita os seus jovens a pintarem barbaridades destas, como se não estivéssemos em 2010 e não soubéssemos muito bem quem foi Vladimir Ilitch Ulianov, mais conhecido por Lenine, está tudo dito. Estes senhores vivem num mundo que não é o mundo real, estão cada vez mais anquilosados e Almada é bem o exemplo do mal que esta gente pode fazer a uma cidade.
Palavras? Para quê?

Anónimo disse...

Al-Ma´dan, agora é que disse a verdade! São uma cambada de lunáticos que não olham a meios para chegarem ao seu fim.

Zé Povinho

Anónimo disse...

E depois preocupam-se muito com as filas para a ponte ...Essas filas são o exemplo vivo que só há trabalho em Lisboa. Em Almada acabaram as empresas, as fábricas, o comercio,etc. Trabalho há nos arredores, em Almada há cultura, musica e desemprego.

Anónimo disse...

http://jsdalmada.blogs.sapo.pt/

EMALMADA disse...

Pois eles são muito maus politicamente, mas a oposição "tem muitas culpas no cartório", diz o povo.

Anónimo disse...

É bem feito povinho de Almada!!!

Só tem o que merecem...

Povinho mesquinho!

Anónimo disse...

Para a Camara de Almada e Emilia:

Estamos reféns de uma corja de bandalhos. Tenho outras maneiras de
dizer o mesmo. Seguem-se elas. Já.

Somos um alfeire sequestrado por uma quadrilha. Vivemos como récua por
conta de uma vara. Rebanho que teimamos em ser, trepa-nos pelas
canelas uma ninhada ignóbil. Sabeis de que tropa vos falo, claro. De
que malta. De que chusma. De que bando. De que choldra. De que ádua.
De que matilha. De que ninhada. Claro que sabeis.

Mas sabeis também que aqueles de que vos falo, esmifrando-nos embora
os bens, não lograrão nunca extirpar-nos a condição de pessoas de bem.
Podem secar-nos o pão, interditar-nos o trabalho, molestar-nos a
saúde, injustiçar-nos os direitos, analfabetizar-nos os filhos,
corromperem-nos as famílias, emporcalhar-nos as ruas, evacuar-nos as
aldeias, atoleimar-nos de bola, senhoradefátimar-nos as mentes,
pósmodernidades balofas, redbullzar-nos de
avionetas para tolos pasmados de corneta no ar, tonycarreirar-nos até
que zumbamos, relinchemos, zurremos, chasqueemos, pissitemos,
cuculemos, grasnemos, cacarejemos, cucuriquemos, ronquemos,
grugulejemos e regouguemos. Poder, podem. E vão continuar a poder
enquanto permitirmos que possam. Só que há duas coisas: eles vão
continuar bandalhos. E nós vamos continuar alfeire, que é o nome
colectivo dos porcos de engorda.

Fernando Sousa da Pena disse...

A Assembleia Municipal de Almada começa a ser um local de interesse arqueológico. Ali podemos encontrar os despojos históricos de um comunismo cego que em breve será apagado da vida das pessoas.

O problema é o rasto que vão deixar no concelho, que ameaçam continuar de modo feroz.

Anónimo disse...

Novo hino de Almada:

"Herois do mal / Pobre Povo / Cidade doente / E mortal /Expulsai os tubarões / Exploradores de Almadam / Entre as burlas / Sem vergonha / Ó Almada / Cala-lhe a voz / Dessa corja tão atroz / Que há-de levar-te a miséria / P´rá rua, p´rá rua / Quem te está a aniquilar / P´rá rua, p´rá rua / Os que só estão a chular / Contra os burlões / Lutar, lutar".

Anónimo disse...

leemalAlmada: a cidade que insiste em odiar as pessoas e os automóveis e a si própria.

Não deixem de ler, muito interessante:

http://pauloquerido.pt/pessoal/almada-a-cidade-que-insiste-em-odiar-as-pessoas-e-os-automoveis-e-a-si-propria/

Anónimo disse...

Desculpem.

Não deixem de ler, muito interessante:

http://pauloquerido.pt/pessoal/almada-a-cidade-que-insiste-em-odiar-as-pessoas-e-os-automoveis-e-a-si-propria/

Anónimo disse...

O brilhante Sir George Bernard Shaw escreveu esta breve frase, cheia de sabedoria.

Shaw é a única pessoa que ganhou um Prêmio Nobel (literatura, 1925) e também um Oscar (na categoria de melhor roteiro), por 'My [Fair] Lady', baseada na sua obra [Pigmalión].


"Os políticos e as fraldas se hão de mudar a miúdo...

e pelos mesmos motivos."

Que capacidade de sínteses!!!

Anónimo disse...

Pergunta de uma cidadã inglesa que acabou de conhecer Almada e que trabalha na Praça da renovação, actual qualquer coisa "comunista": "Onde fica o centro de Alamda?" Sem comentários!

comerciante arruinado de Almada disse...

Almada presentemente é podridão cultivada por indivíduos falhados, os comunistas e todos aqueles que vivem à sua volta na sabujice sejam os camaradas por obediência cega surda e muda, sejam oportunistas quer sejam especuladores do betão ou não ou sejam determinados sujeitos da oposição mancomunados com a Maria Emília, companheiros ou camaradas e os frustrados operários metalúrgicos tal qual os carroceiros maias e carreiras e outros tais osvaldos e outros caciques, os incompetentes e inválidos intelectualmente para respeitarem a dignidade humana.

Anónimo disse...

Ao anónimo de18, 2010 1:32:00 PM
Compreendo-o quase em tudo mas... Acredite também há comunistas bem formados e que infelizmente conseguem ver o desprezo da Sr D. Maria Emília e respectiva câmara à destruição do centro da cidade. O grande erro e único, é só não quererem aceitar que o plano de mobilidade 21 está quase todo errado. Qualquer pessoa de bom senso e de qualquer partido, o reconhece. Uma boa tarde.

Carlos Amaral disse...

Para quando a desinfestação radical de Almada mandando para a lixeira todos os comunistas corruptos e a oposição que os apoia?

Anónimo disse...

Sr Carlos Amaral, sou comunista há 25 anos ( filiado ), falo como anónimo porque a minha vida particular não me permite suportar as consequências provocadas por um pequeno numero de camaradas ( corruptos) do que passo a dizer: Os comunistas que evoluíram percebem que para haver emprego tem que haver postos de trabalho, logo tem que haver empresas e patrões. Depois há os de mais idade, muito explorados no antigamente que por consequência todos os que são patrões têm que cair. E o mais grave de tudo é um pequeno grupo, que por direito de poder, com dinheiros camarários, dão esmolas aos necessitados mas ao mesmo tempo destroem uma cidade, deitando por terra tudo o que são pequenas e médias empresas, comercio, etc, logo destruindo futuros postos de trabalho.Assim obtém louros através da propaganda da cultura,( demasiada para um conselho com tanta miséria)e do impacto ambiental. Tantas cidades que não entraram nestes exageros e que se mantêm com a devida crise mas sem a aberração que meia dúzia de autarcas provocaram nesta cidade.Lastimo mas em todos os partidos existem capazes e os incapazes. Tivemos azar com os camaradas lideres no nosso conselho e não há nada a fazer.Desejo que não mude o partido mas que mudem os lideres. Muito bom dia.